Policiais invadem Congresso Nacional, e protesto contra reforma da Previdência termina em quebra-quebra

Funcionários foram retirados de partes do prédio. Seis manifestantes foram detidos

Manifestantes que participavam de protesto de policiais civis de vários estados do País e do Distrito Federal invadiram a Câmara dos Deputados na tarde desta terça-feira (18). Houve confusão e quebra-quebra, e a área foi isolada pela Polícia Legislativa. Seis políciais civis foram detidos pela Polícia Legislativa.

Funcionários foram retirados de áreas do prédio e a imprensa que estava dentro do Congresso foi mantida no Salão Verde. O protesto, que começou pacífico em frente ao Congresso Nacional, em Brasília, era contra a proposta de Reforma da Previdência.

Houve confronto entre a Polícia Legislativa e alguns manifestantes que conseguiram entrar no prédio. Vidros foram quebrados, spray de pimenta e bombas de efeito moral foram jogados.

O número de manifestantes que invadiu o Congresso é incerto, mas segundo a Polícia Militar do DF cerca de 3.000 policiais participavam do protesto do lado de fora. Eles entraram pela chapelaria, entrada no subsolo por onde chegam deputados, senadores, alguns funcionários e todos os visitantes.

No Salão Negro, por onde entram as autoridades em solenidades após subirem a rampa externa, a polícia legislativa conseguiu conter os manifestantes.

Após a confusão, parte do grupo dirigiu-se à rampa do Congresso Nacional. Não há informações sobre feridos. A segurança nas portarias foi reforçada e a circulação entre o Senado e a Câmara está restrita.

Após o tumulto, um grupo de manifestantes entrou para uma reunião com o relator da reforma da Previdência na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS-BA).

Desde o final da manhã, o grupo formado por cerca de 3 mil policiais civis, militares, guardas municipais, entre outros profissionais da segurança pública, posicionou-se em frente ao gramado do Congresso Nacional para protestar contra a proposta de reforma da Previdência.


Gostando da Reportagem? Não esqueça de curtir nossa página pelo Facebook. Este é o nosso maior pagamento, sempre!

O texto original encaminhado pelo governo previa o fim da aposentadoria especial para a categoria.

O protesto foi organizado pela União de Policias do Brasil (UPB), que pretendia protocolar um pedido de retirada dos policiais da proposta de reforma do governo. De acordo com a assessoria da UPB, a entidade congrega 29 entidades de policiais, menos policiais militares.

Ainda de acordo com UPB, A convocação do protesto para as 13h desta terça-feira, em frente ao Congresso Nacional foi no ato pelo “Dia de Luta pela Valorização do Profissional de Segurança Pública” e contra a PEC 287/16, a PEC da Previdência. Participaram policiais da Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Científica e civil do DF, MG, ES, SE e GO.

 

Vidros quebrados na chapelaria do Congresso Nacional após invasão de policiais ao prédioTaciana Collet/RecordTV

Mariana Londres, do R7 e Taciana Collet, do Jornal da Record em Brasília, com Agência Brasil

Receba Notícias do PolicialBR pelo Whatsapp
Quer receber notícias no seu celular sem pagar nada? 1º - Adicione este número à agenda do seu telefone: (14) 981418655 e envie uma mensagem neste número solicitando receber as notícias com seu nome e UF.
As matérias aqui transcritas estão em conformidade com os termos do artigo 46 da Lei nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998.‏

COMENTÁRIOS - GOSTARÍAMOS DE SABER SUA OPINIÃO SOBRE ESTE TEMA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole as Leis, denuncie através do Fale Conosco do PolicialBR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 4 =

error: O conteúdo está protegido! Utilize os botões para compartilhamento.