Home / Ocorrências / Polícia de SP prende quadrilha que roubava motos na Marginal Tietê e em rodovias

Polícia de SP prende quadrilha que roubava motos na Marginal Tietê e em rodovias

Ladrões agiam principalmente nos fins de semana e vendiam veículos no mercado negro ou os usavam para cometer outros crimes.

A polícia prendeu nesta quarta-feira (29) em São Paulo uma quadrilha que roubava motos potentes na Marginal Tietê e em rodovias do estado, locais usados por motociclistas para passeio nos fins de semana.

As buscas por motos roubadas, armas e celulares eram parte da operação “Cilindrada” e ocorreu em duas favelas da região de Taipas e Freguesia do Ó, na Zona Norte.

A ação começou de manhã com a prisão de Vitor Ferreira Ignácio. Ele foi reconhecido por uma das vítimas, um policial militar aposentado que entregou a moto e levou um tiro nas costas. Outros dois suspeitos também foram presos. A polícia encontrou duas pistolas e uma moto roubada com eles.

A moto encontrada com os suspeitos, de 800 cilindradas, tinha sido roubada há 11 dias. Os ladrões retiraram adesivos e algumas peças como a carenagem, que protege o motor, mas não esconderam a placa, que é original. Segundo a polícia, a moto era usada em vários assaltos.

Crimes no fim de semana

O último roubo da quadrilha terminou na morte da vítima, na noite de sábado (25). Um empresário que voltava para casa de moto foi seguido por ladrões e assassinado na Marginal Tietê, no bairro do Limão.

Segundo a polícia, a maioria dos ataques ocorre aos sábados e domingos, no começo da manhã ou à noite. Os locais preferidos pelo bando são a Marginal Tietê e o começo das rodovias Dutra e Fernão Dias, que muitos motociclistas usam para passear.

“Essas motocicletas, algumas são adulteradas, são trocados o chassi e a placa e são revendidas no mercado negro. Outras, por incrível que pareça, eles se utilizam pra se exibir naqueles bailes funks chamados pancadão. E num terceiro momento essas motos são utilizadas pra pratica de outros delitos porque são motos extremamente potentes”, contou o delegado Carlos Alberto da Cunha.

Com informações do G1

Veja Também

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*

*

code