Pular para o conteúdo principal

Rádio PolicialBR 24 horas com você. Notícias e entretenimento.

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Juíza acha que não errou ao soltar Cadu: 'Tomei todas as precauções'

Acusado de matar cartunista foi solto em 2013 e voltou a ser preso em GO.
Ele é suspeito de envolvimento em dois assaltos, um deles com morte.


Juíza Telma Aparecida Alves diz que Cadu era acompanhado: 'Não tenho como prever' (Foto: Paula Resende/G1)Juíza Telma Aparecida diz que Cadu era
acompanhado (Foto: Paula Resende/G1)
A juíza Telma Aparecida Alves, da 4ª Vara de Execuções de Goiânia, disse acreditar que não houve erro ao conceder liberdade, no ano passado, a Carlos Eduardo Sundsfeld Nunes, de 29 anos, conhecido como Cadu, assassino confesso do cartunista Glauco Vilas Boas e do filho dele, Raoni Vilas Boas. "Tomei todas as precauções que estavam ao meu alcance, os relatórios, os laudos médicos. Não acho que houve um erro", afirmou em entrevista coletiva nesta terça-feira (2).
Cadu, que estava livre desde agosto de 2013 após ser diagnosticado com esquizofrenia, foi preso novamente na segunda-feira (1º), na capital, suspeito de um latrocínio e uma tentativa de latrocínio. "Não tenho como prever o comportamento dos presos que cumprem medida de segurança, infelizmente aconteceu", afirmou a juíza.
A magistrada rebateu a crítica do advogado Alexandre Khuri Miguel, que defende os interesses de Beatriz Galvão Veniss, viúva de Glauco Vilas Boas e mãe de Raoni Ornelas, assassinados em 2010, em Osasco (SP). Ele disse que “ao soltar Cadu, a juíza escreveu a crônica de uma morte anunciada e permitiu uma nova morte”.  Telma afirmou que “lamenta muito que ele tenha esse posicionamento”. “O juiz toma as decisões com base em fundamentos, documentos, atestados. O judiciário toma atitudes conforme a legislação”, disse ao G1.
A juíza ressaltou que Cadu era acompanhado mensalmente pela Justiça de Goiás e que "a vida dele estava controlada". "Ele fazia faculdade de psicologia e estava trabalhando como limpador de piscina. Ele foi a várias casas e não houve nenhum problema. Antes, ele chegou a trabalhar em uma empresa de telefonia, mas quando foram assinar a carteira de trabalho, viram que ele cumpria medida de segurança e não o contrataram", destacou a magistrada.

Cadu continuava a fazer tratamento contra esquizofrenia na rede pública de saúde do estado. A informação foi confirmada ao G1 pela superintendente de Políticas de Atenção Integral à Saúde, da Secretaria Estadual de Saúde de Goiás, Mabel Bel Socorro. No entanto, diferente do que disse a juíza, a superintendente afirma que ele comparecia a um Centro de Atenção Psicossocial (Caps) de três em três meses.“Temos registros de que ele continuava frequentando o Caps e, segundo a família, tomava a medicação corretamente e até estava trabalhando”, afirmou.

Mabel diz que, logo após ser transferido para Goiânia, o jovem foi incluído no Programa de Atenção Integral ao Louco Infrator (Paili), pelo qual passou por tratamento em uma clínica psiquiátrica. “Foram feitas avaliações médicas que comprovaram que ele não precisava ficar recluso e ele foi encaminhado para o atendimento ambulatorial. A junta Oficial do Poder Judiciário também entendeu que ele poderia voltar ao convívio social, em agosto de 2013", disse.

Sobre os novos crimes pelos quais Cadu é suspeito, a juíza Telma Aparecida explicou que ele será indiciado como um criminoso comum. No entanto, em função da esquizofrenia, ele poderá ser absolvido.
“Ele vai ser levado a julgamento pelo juiz criminal. O juiz deve pedir novos laudos, até porque ele já é paciente de medida de segurança. Se, por acaso, o laudo atestar que no momento da conduta ele tinha condição de perceber o que estava fazendo, o juiz pode vir a condená-lo. Se ficar atestado que ele estava com algum distúrbio mental, poderá ser aplicada a medida de segurança novamente”, explicou a magistrada.
Cadu e comparsa presos pela polícia com carro roubado, em Goiânia (Foto: Paula Resende/G1)Cadu segue detido em delegacia de
Goiânia (Foto: Paula Resende/G1)
Tratamento
A superintendente explica que os pacientes atendidos pelo programa, sejam eles suspeitos de crimes, ou não, sofrem de doenças psiquiátricas e recebem a mesma atenção. “Toda pessoa que sofre com essas doenças podem cometer crimes, por isso não existem distinção na rede de saúde. Muitas pessoas defendem os manicômios psiquiátricos, que são aqueles em que os pacientes ficam reclusos para o resto da vida, mas isso não é o ideal. A pessoa precisa ser tratada, não adianta ficar presa e continuar doente. Quando ela está bem, pode sim voltar ao convívio social, desde que mantenha o tratamento pelo tempo necessário”, ressaltou.
Mabel destacou que o Paili já tem 10 anos de atividades em Goiás e, dos 425 pacientes atendidos durante esse período, apenas dois, incluindo Cadu, voltaram a ser suspeitos de cometer crimes. “Nesse programa equipes multidisciplinares, formadas por psicólogos, psiquiatras, advogados, entre outros, fazem a avaliação mental e social do paciente. De todos os nossos atendimentos, apenas dois voltaram a ser suspeitos de reincidir em crimes. Sendo assim, é preciso ressaltar que o programa é eficiente”, destacou.
Prisão
Cadu foi preso na tarde de segunda-feira (1º), após uma perseguição policial em Goiânia.De acordo com o delegado Thiago Damasceno, ele dirigia um carro roubado quando foi abordado. Esse veículo havia sido levado durante o assalto no Setor Bueno, na noite de domingo (31), quando um jovem de 21 anos foi assassinado.
O delegado Thiago Damasceno diz que, na segunda-feira, notou o veículo em que estava Cadu em atitude suspeita e decidiu seguí-lo. “Eu tinha a placa e as características do Honda Civic que foi roubado no domingo de um jovem de Goianésia. E hoje, dirigindo pela cidade, eu avistei esse carro e comecei a persegui-lo. Eu pedi ajuda de um guarda municipal. Ao perceber que estava sendo seguido, ele subiu na calçada e tentou fugir, mas acabou batendo no muro e foi rendido”, disse o delegado ao G1.

Segundo ele, Cadu atirou contra os policiais, mas ninguém se feriu. Em seguida, o suspeito tentou fugir, mas foi rendido por policiais militares que passavam pelo local. Com ele, a polícia apreendeu um revólver calibre 38 prateado, mesma descrição da arma que matou o rapaz.
Carlos Eduardo Sundfeld Nunes foi preso suspeito de latrocínio em Goiânia, Goiás (Foto: Divulgação/PM)Cadu estava machucado quando foi preso em
Goiânia (Foto: Divulgação/PM)
Crimes
Cadu é suspeito de envolvimento na tentativa de latrocínio de um agente prisional, de 45 anos, no último dia 28, no Setor Bueno. Câmeras de segurança registraram o momento em que, segundo a Polícia Civil, Carlos Eduardo foge após atirar na vítima.

Nas imagens divulgadas pela polícia goiana, é possível perceber o momento em que um homem desce de um Honda City e caminha pela Rua T-28, na capital. Para o delegado Thiago Damasceno, o rapaz que aparece nas imagens é Cadu.
No vídeo, é possível perceber quando uma VW Saveiro para no meio da via. De acordo com as investigações, nesse momento, o suspeito deu voz de assalto. O agente prisional reagiu e foi baleado na cabeça. Depois, o criminoso volta correndo em direção ao carro que o dava cobertura durante a ação. Segundo a corporação, duas pessoas reconheceram Cadu como sendo o autor dos disparos contra o agente prisional. A vítima foi socorrida e encaminhada para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

O Hugo informou, nesta manhã, que agente prisional segue internado em estado grave, na Unidade de Terapia Intensiva do hospital e respira com a ajuda de aparelhos.

Cadu também é suspeito de envolvimento em um latrocínio contra um jovem de 21 anos, no último domingo (31), no Setor Bueno, em Goiânia. A vítima havia deixado a namorada em casa, quando foi abordada por dois homens, que deram voz de assalto. Um dos criminosos atirou contra o rapaz, que morreu ainda no local. Os assaltantes fugiram levando o carro roubado.
O delegado afirma que o jovem negou ter cometido os crimes, mas admitiu ter conhecimento de que o carro em que estava quando foi preso, um Honda Civic, era roubado. "Ele parece mais ser dissimulado do que deficiente mental. Creio que ele não tem condições de viver em sociedade", destacou.
Do G1 GO

Comentários

| Mais Acessados na Última Semana |

ROTA invade tribunal e resgata ex-presidiário

Sim, o título acima está correto. Numa incrível operação relâmpago, PMs de ROTA impedem que tribunal do crime assassine um ex-presidiário

A ROTA está nas ruas 24 horas por dia, todos os dias, o ano inteiro. Seu efetivo é dividido em três Companhias: Noturna, Matutina e Vespertina. Esta matéria relata uma incrível ocorrência de resgate conduzida pelo Pelotão do Tenente PM Soares, que patrulhava a Zona Leste de São Paulo às 21:40 nesta segunda-feira, dia 14. “O despacho do Policiamento de Choque do COPOM nos informou que uma pessoa estava sendo torturada na favela Eliane, numa casa com detalhes verdes no seu portão, localizada na rua Esperança. Pelas particularidades que nos foram relatadas, estava claro que a ocorrência envolvia a ação de um ‘tribunal do crime’ provavelmente comandado pelo PCC. Imediatamente acionei meu Pelotão”, relata o Tenente de ROTA Soares. O nome dessa rua, 'Esperança', não podia ser menos adequado em função do cenário que os PMs iriam encontrar em poucos…

Aprovado PL que da poder de polícia administrativa às polícias e bombeiros militares do Brasil

O poder de polícia administrativa trás condições das polícia militares e bombeiros atuarem de forma efetiva em eventos, estabelecimentos comerciais e outros. Autor: Capitão Augusto - PR/SPData da apresentação:  04/02/2015 Ementa: Regula as ações de Polícia Administrativa exercida pelos Corpos de Bombeiros Militares dentro das suas atribuições de prevenção e extinção de incêndio, e perícias de incêndios e ações de defesa civil, de busca salvamento, de resgate e atendimento pré-hospitalar e de emergência; e pelas Polícias Militares no exercício da Polícia Ostensiva e Polícia de Preservação da Ordem Pública, e dá outras ...Leia integra do PL 196/2015Regula as ações de Polícia Administrativa exercida pelos Corpos de Bombeiros Militares dentro das suas atribuições de prevenção e extinção de incêndio, e perícias de incêndios e ações de defesa civil, de busca salvamento, de resgate e atendimento pré-hospitalar e de emergência; e pelas Polícias Militares no exercício da Polícia Ostensiva e Pol…

Usar arma de uso restrito com porte ilegal agora é crime hediondo

Aprovada urgência para projeto que torna crime hediondo o porte ilegal de armas de uso restrito O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 332 votos a 7 e 2 abstenções, o regime de urgência para o Projeto de Lei 3376/15, do Senado, que torna crime hediondo a posse ou o porte ilegal de arma de fogo de uso restrito das forças policiais e militares. Após a votação, a sessão ordinária foi encerrada. Projeto de Lei do Senado nº 230, de 2014, de autoria do Senador Marcelo Crivella, constante dos autógrafos em anexo, que “Altera a Lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990, para incluir o crime de posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito no rol dos crimes hediondos”. A Lei 8.072/90 define como hediondos os crimes de homicídio praticado por grupo de extermínio; homicídio qualificado; latrocínio; genocídio; extorsão qualificada por morte; extorsão mediante sequestro; estupro; disseminação de epidemia que provoque morte; falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto …

Policiais e bombeiros militares não sabem a força que tem

Deputado Federal Capitão Augusto orienta os militares de São Paulo sobre a força política da classe
Por mais que façamos aqui pela Câmara dos Deputados, aprovando projetos dando mais direitos e garantias aos policiais e não deixando ser aprovado nenhum projeto que os prejudique, a grande reivindicação que recebo dos policiais refere-se a questão do aumento salarial.
Infelizmente Deputados não podem apresentar projetos que gerem despesas para o executivo, então está fora de nossa competência atender essa solicitação, o que nos resta é cobrar (e muito) do governador e fazer articulação para que ele conceda o tão esperado aumento salarial.
Hoje temos força política para eleger representantes para Assembleia Legislativa, Câmara dos Deputados e para todos cargos nas eleições municipais. Está na hora de influenciarmos as eleições para Governador e Senador, um que reconheça nosso valor, ou ficaremos fadados a apenas reclamar nos bastidores.
Nós podemos muito mais que isso! Somos quase 150.000 po…

Vaccarezza é preso em nova fase da Operação Lava Jato em São Paulo

Ex-deputado, que deixou o PT, foi líder dos governos Lula e Dilma. Segundo o MPF, ele recebeu a maior parte de um total de propina que soma US$ 500 mil. O ex-líder dos governos Lula e Dilma na Câmara dos Deputados Cândido Vaccarezza, que deixou o PT, foi preso nesta sexta-feira (18) em São Paulo. Ele é alvo da Operação Abate, uma das duas novas fases da Operação Lava Jato deflagradas nesta manhã. A prisão é temporária, válida por cinco dias. Por volta das 9h, Vaccarezza estava em casa sob custódia da PF. Ele deve seguir para Curitiba ainda nesta sexta. O G1 tenta contato com a defesa do ex-deputado, com PT e com as empresas citadas. Principais pontos das investigações Ações apuram o favorecimento de empresas estrangeiras em contratos com Petrobras. Operação Abate investiga fraudes no fornecimento de asfalto para a Petrobras por uma empresa norte-americana, entre 2010 e 2013. Funcionários da Petrobras, o PT e, principalmente, Cândido Vaccarezza teriam recebido propinas que somam US$ 5…