Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

Candidatos relatam vazamentos de fotos em concurso da PM no RJ

Eles reclamam da organização e de conteúdos não mencionados no edital.
PM diz que responsabilidade é de empresa contratada, que pode ser multada.


Usuários denunciaram vazamento de fotos da prova em grupo de rede social (Foto: Reprodução/ Facebook)Usuários denunciaram vazamento de fotos da prova
em rede social (Foto: Reprodução/ Facebook)
Candidatos a vagas na Polícia Militar reclamam de irregularidades no concurso da corporação, realizado neste domingo (31). A principal queixa é de que conteúdos não indicados no edital foram cobrados nas provas de história e informática do exame. Usuários ainda denunciaram que concorrentes postaram fotos do cartão resposta durante a prova nas redes sociais.
A Polícia Militar confirmou que dois candidatos foram expulsos do concurso no domingo por terem entrado com celular escondido e publicado imagens da prova nas redes sociais. Segundo a corporação, o exame é organizado pela empresa Exatus, contratada após licitação. A PM afirma que se forem comprovadas falhas, a companhia responsável será multada, de acordo com a Lei das Licitações.
O concurso para soldado da PM oferecia 6 mil vagas, segundo o edital, e teve cerca de 105 mil concorrentes.
“Nós queríamos que cancelasse a prova. A prova começaria 13h. Atrasou e já começou quase 14h. Para uma prova de nível médio estava dificílima. Um grupo está até organizando uma passeata para o dia 14 para reclamar da prova”, disse um candidato, que não quis se identificar. Ele se prepara para o concurso desde 2012.
De acordo com o edital, a prova de informática cobraria conhecimentos do Microsoft Office – pacote de programas básicos de computador - de 2007. No entanto, os concorrentes alegam que o exame exigia conhecimentos da versão 2013. A prova de história também teria tido questões sobre acontecimentos anteriores ao período publicado no edital.
Para o professor Rafael Eugênio Vieira, dono de um curso preparatório para concursos públicos há 10 anos, além das questões não condizentes com o edital, o grau de dificuldade foi acima do comum para um concurso de nível médio.
“Na prova de informática, as questões de Excel são de nível superior. Cai em provas para Fiscal da Receita e Polícia Federal. Em história aconteceu algo tão absurdo quanto, caiu a Batalha de Jenipapo. Eu sou pesquisador de provas de concursos e isso nunca caiu em concurso nenhum. Não tem nem em livro didático.  A PM deve ter feito algum pedido para a prova ser difícil. Essa banca (Exatus) fugiu completamente do parâmetro de outras provas que ela já fez”, disse o professor.
Governador diz estar 'atento'
No fim da noite de segunda-feira (1º), o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), disse estar atento às possíveis falhas no concurso da PM e que vai contratar mais policiais e aperfeiçoar seus treinamentos, através de sua página no Facebook.
“Se forem constatadas (as irreguladirade), estas serão reunidas em um relatório que será enviado, quarta-feira, para o Centro de Recrutamento e Seleção de Praças (CRSP), e este repassará à Diretoria de Logística (DL), setor da PM responsável pelas licitações. Caso fique provada qualquer irregularidade a empresa será punida conforme prevê a lei”, postou o governador. 
G1 tentou entrar em contato com a Exatus, mas não obteve sucesso até a publicação desta reportagem.
Do G1 Rio

Comentários

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …