Pular para o conteúdo principal

Rádio PolicialBR 24 horas com você. Notícias e entretenimento.

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Trecho de vídeo mostra Bernardo sendo dopado pelo pai, diz delegada

Caroline Bamberg prestou quase 5 horas de depoimento em Três Passos.
Audiência ouve testemunhas da morte do menino no Rio Grande do Sul.


Delegada falou na primeira audiência sobre o Caso Bernardo (Foto: Caetanno Freitas/G1)Delegada falou na primeira audiência sobre o Caso Bernardo (Foto: Caetanno Freitas/G1)
Após quase cinco horas de depoimento em audiência no Fórum de Três Passos, no Noroeste do Rio Grande do Sul, a delegada Caroline Bamberg, responsável pela investigação do Caso Bernardo, concedeu entrevista e citou um novo trecho do mesmo vídeo com ameaças ao garoto. Segundo ela, o pai do menino, o médico Leandro Boldrini, diz para o filho tomar um remédio, dá uma dose e, em seguida, o menino aparece tonto. O material foi usado como um "trunfo" da acusação.

"O Leandro diz ao Bernardo: 'É esse remedinho que tu tens que tomar'. Nesse trecho aparece ele tomando medicamento e voltando meio 'grogue'. Foi proposital", afirmou ao G1 a delegada ao final do depoimento nesta terça-feira (26).
Durante a audiência, a delegada e o advogado de defesa do médico, Jader Marques, travaram um embate particular. Assim, os defensores dos outros réus tiveram pouco tempo para fazer perguntas. "Não vejo como fracos os outros elementos. Mas [o vídeo] veio demonstrar mais ainda o que a gente já tinha certeza, da culpa de todos", acrescentou a delegada.
Além do vídeo, que tem cerca 15 minutos, segundo a delegada, ela informou que ainda existe um outro material. "Tem um outro vídeo também", completa. As imagens ainda não foram divulgadas pela polícia.
Pouco depois, o advogado da vó materna de Bernardo, Marlon Taborda, também falou sobre o conteúdo do vídeo e contou que as imagens foram gravadas na véspera do Dia dos Pais de 2013. Leandro, pai de Bernardo, aparecia com um copo de uísque na mão.
"É a prova que faltava para a acusação no julgamento. A Graciele dizia 'tua mãe te botou num mato sem cachorro'. São provas cabais contra o Leandro. Tive dificuldade para dormir ao ver esses vídeos. Os gritos de socorro do Bernardo são muito fortes", afirmou ao G1 Taborda.
De acordo com o advogado, a madrasta ainda fez ameaças. "Graciele dizia que ele ia ter o mesmo destino da mãe", contou. Odilaine Uglione, mãe do menino, cometeu suicídio em 2010.
Ainda durante a audiência da delegada, Jader Marques levou roupas e calçados que pertenciam a Bernardo para tentar provar que ele era bem cuidado pelo pai e pela madrasta. Depois da delegada, que foi a única testemunha ouvida das 9h30 às 14h30, o ginecologista Celestino Ambrósio, amigo de Leandro, falou ao juiz. No depoimento, ele reiterou que Leandro disse que “era muito fácil matar alguém hoje em dia, sumir com o corpo”.
Depois, uma dentista prestará depoimento e haverá intervalo na sessão. Outras oito pessoas, testemunhas de acusação, serão ouvidas ainda nesta terça-feira (26). O TJ dispensou 22 pessoas. O juiz vai marcar uma nova data para ouvir as testemunhas que faltaram. Dos quatro réus, apenas Edelvania e Evandro Wirganovicz optaram por comparecer. Leandro e Graciele pediram dispensa.

Transcrição de vídeo revela ameaças de madrasta a Bernardo
Bernardo Boldrini Três Passos (Foto: Reprodução/RBSTV)Bernardo Boldrini foi encontrado morto em abril
(Foto: Reprodução/ RBSTV)
Mais cedo, a delegada falou sobre outro trecho do mesmo vídeo, onde aparecem ameaças de Graciele Ugulini ao menino durante uma briga. "Vamos ver quem vai primeiro para baixo da terra", dizia Graciele nas imagens gravadas, segundo transcrição à qual o G1 teve acesso. Ao sair do depoimento, a delegada confirmou o teor das imagens.
Nas imagens, Bernardo grita pedindo socorro, e o pai manda o menino calar a boca, ficar quieto. "Cala a boca, guri de merda, cagão", dizia o médico, de acordo com a transcrição. Também conforme a transcrição, a briga ocorreu em uma noite de sábado e chamou a atenção do vizinhos, que chamaram a polícia. A Brigada Militar esteve no local e acalmou os ânimos.
Segundo a delegada Caroline Bamberg, as imagens foram gravadas pela madrasta com a intenção de dizer que Bernardo era agressivo com a família. O arquivo havia sido apagado do celular de Leandro, mas foi recuperado por técnicos do Instituto-Geral de Perícias.
"Demonstra muito bem o comportamento deles com o menino. O Bernardo pede socorro, grita. Reforça bem a acusação contra o Leandro", declarou Caroline ao G1, pouco antes de entrar na audiência. "Também mostra ameaças da Graciele ao Bernardo, inclusive de morte", acrescentou.
PMs reforçam a segurança do Fórum de Três Passos (Foto: Caetanno Freitas/G1)PMs reforçam a segurança do Fórum de Três
Passos (Foto: Caetanno Freitas/G1)
O corpo de Bernardo foi localizado no dia 14 de abril enterrado em um matagal na área rural de Frederico Westphalen, a cerca de 80 quilômetros de Três Passos, onde ele residia com a família. O menino estava desaparecido desde 4 de abril. Além de Leandro e Graciele, a amiga da madrasta Edelvania Wirganovicz e o irmão dela, Evandro Wirganovicz, estão presos e respondem por homicídio qualificado e ocultação de cadáver.
Entenda 
Conforme alegou a família, Bernardo teria sido visto pela última vez às 18h do dia 4 de abril, quando ia dormir na casa de um amigo, que ficava a duas quadras de distância da residência da família. No dia 6 de abril, o pai do menino disse que foi até a casa do amigo, mas foi comunicado que o filho não estava lá e nem havia chegado nos dias anteriores.
No início da tarde do dia 4, a madrasta foi multada por excesso de velocidade. A infração foi registrada na ERS-472, em um trecho entre os municípios de Tenente Portela e Palmitinho. Graciele trafegava a 117 km/h e seguia em direção a Frederico Westphalen. O Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM) disse que ela estava acompanhada do menino.
O pai registrou o desaparecimento do menino no dia 6, e a polícia começou a investigar o caso. No dia 14 de abril, o corpo do garoto foi localizado. Segundo as investigações da Polícia Civil, Bernardo foi morto com uma superdosagem de um sedativo e depois enterrado em uma cova rasa, na área rural de Frederico Westphalen.
O inquérito apontou que Leandro Boldrini atuou no crime de homicídio e ocultação de cadáver como mentor, juntamente com Graciele. Ainda conforme a polícia, ele também auxiliou na compra do remédio em comprimidos, fornecendo a receita Leandro e Graciele arquitetaram o plano, assim como a história para que tal crime ficasse impune, e contaram com a colaboração de Edelvania e Evandro.
Do G1 RS, em Três Passos

Comentários

| Mais Acessados na Última Semana |

Usar arma de uso restrito com porte ilegal agora é crime hediondo

Aprovada urgência para projeto que torna crime hediondo o porte ilegal de armas de uso restrito O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 332 votos a 7 e 2 abstenções, o regime de urgência para o Projeto de Lei 3376/15, do Senado, que torna crime hediondo a posse ou o porte ilegal de arma de fogo de uso restrito das forças policiais e militares. Após a votação, a sessão ordinária foi encerrada. Projeto de Lei do Senado nº 230, de 2014, de autoria do Senador Marcelo Crivella, constante dos autógrafos em anexo, que “Altera a Lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990, para incluir o crime de posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito no rol dos crimes hediondos”. A Lei 8.072/90 define como hediondos os crimes de homicídio praticado por grupo de extermínio; homicídio qualificado; latrocínio; genocídio; extorsão qualificada por morte; extorsão mediante sequestro; estupro; disseminação de epidemia que provoque morte; falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto …

Deputado capitão Augusto requer moção de repúdio contra Secretário de Segurança Pública e Governador de São Paulo Geraldo Alckmin

DEPUTADO CAPITÃO AUGUSTO REQUER MOÇÃO DE REPÚDIO CONTRA O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DE SÃO PAULO E CONTRA O GOVERNADOR POR TANTO DESRESPEITO ÀS LEIS E AOS POLICIAIS MILITARES DE SÃO PAULO
O Deputado Capitão Augusto entrou hoje, 10, com dois Requerimentos de Moção de Repúdio contra o Secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, e contra o Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, por desrespeitar as leis e aos policiais militares. Essas moções fazem parte de uma série de medidas que o parlamentar está adotando para tornar público as medidas descabíveis desse governo contra os policiais militares e a segurança pública do país, e para que entendam que tudo tem um limite. A categoria não vai tolerar mais tanto descaso e desrespeito. O Deputado estará revelando ao país e ao mundo que Alckmin não serve para governar o país, deve ser ignorado e descartado como candidato à Presidência da República. CAPITÃO AUGUSTO conclama os militares e familiares a somarem esforços para…

Policiais e bombeiros militares não sabem a força que tem

Deputado Federal Capitão Augusto orienta os militares de São Paulo sobre a força política da classe
Por mais que façamos aqui pela Câmara dos Deputados, aprovando projetos dando mais direitos e garantias aos policiais e não deixando ser aprovado nenhum projeto que os prejudique, a grande reivindicação que recebo dos policiais refere-se a questão do aumento salarial.
Infelizmente Deputados não podem apresentar projetos que gerem despesas para o executivo, então está fora de nossa competência atender essa solicitação, o que nos resta é cobrar (e muito) do governador e fazer articulação para que ele conceda o tão esperado aumento salarial.
Hoje temos força política para eleger representantes para Assembleia Legislativa, Câmara dos Deputados e para todos cargos nas eleições municipais. Está na hora de influenciarmos as eleições para Governador e Senador, um que reconheça nosso valor, ou ficaremos fadados a apenas reclamar nos bastidores.
Nós podemos muito mais que isso! Somos quase 150.000 po…

Qual a responsabilidade que a sociedade civil possui na segurança pública?

Policiais militares foram assassinados por criminosos neste fim de semana; secretário de Segurança do Rio pediu mudanças no sistema judiciário Neste final de semana dois Policiais Militares foram assassinados no Rio de Janeiro: a Cabo PM Elisângela Bessa Cordeiro, com um tiro na cabeça disparado por um menor, e o Soldado PM Samir da Silva Oliveira, com um tiro no pescoço disparado por um fuzil de combate.
Qual é a pena para o menor assassino da PM ? Em média oito meses. Qual é a pena para quem porta um fuzil? Três anos. Como se isso já não fosse suficientemente patético, nossa legislação acrescenta o insulto à injuria ao prever a concessão do beneficio da progressão de pena, fazendo com que o criminoso cumpra apenas 1/6 da pena, ou seja, o guerrilheiro urbano que porta uma arma de uso restrito do Exército, pode estar solto em seis meses.
Quem é o responsável por essa baderna? Você que está lendo este artigo e eu que o escrevi. Somos nós que consistentemente fazemos o mesmo erro de ele…

Leis desestimulam policiais e bombeiros militares a exercerem plenos direitos políticos.

Deputado federal capitão Augusto luta para acabar com injustiças políticas que sofrem os policiais militares e bombeiros do Brasil Até mesmo politicamente os policiais ele são injustiçados. Em tempos onde a representatividade política se faz de extrema necessidade e, do soldado ao coronel, buscam eleger seus representantes da mesma forma que outras categorias, Leis desestimulam a participação efetiva na política Nacional dos policiais e bombeiros militares. Com uma democracia atrasada em relação a outros países o Brasil ainda tem mecanismos para desestimular a elegibilidade dos policiais e bombeiros militares. Buscando corrigir estas injustiças o deputado federal capitão Augusto busca direitos políticos e de elegibilidade aos policiais militares e bombeiros. Um policial ou bombeiro militar se candidatando a cargo eletivo com menos de dez anos de serviço é exonerado e com mais se eleito também é exonerado, sendo aposentado com o tempo proporcional ao que trabalhou. Ouça entrevistas co…