Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

Suspeitos de matar sócia de restaurante na Gávea são presos

Maria Cristina Bittencourt Mascarenhas, a Tintim, morreu no dia 17 de julho.
Sócia do Guimas levou um tiro na cabeça ao reagir a assalto na Gávea.


Policiais da Divisão de Homicídios (DH) do Rio prenderam três suspeitos do homicídio da empresária Maria Cristina Bittencourt Mascarenhas, sócia do restaurante Guimas, na Gávea, Zona Sul do Rio. Conhecida como Tintim, ela teria reagido a um assalto no dia 17 de julho e levou um tiro na cabeça, disparado por um homem que estava na garupa de uma moto.
Maria Cristina Bittencourt Mascarenhas tinha 66 anos (Foto: Reprodução / Globo)Maria Cristina Bittencourt Mascarenhas tinha
66 anos (Foto: Reprodução / Globo)
De acordo com as imagens e depoimentos, cinco homens participaram da ação. Dois deles seguem foragidos e só um foi identificado. Os suspeitos confessaram o crime.
Escolha aleatória, diz delegado
A investigação aponta que os criminosos escolheram a vítima no dia, dentro do banco onde ela sacou dinheiro para pagar funcionários.
"Ela foi escolhida aleatoriamente em razão da fragilidade dos bancos. Como que uma pessoa que vai ao banco tem que entrar em uma sala reservada, que todo mundo sabe que ela vai sacar dinheiro?", questionou o delegado Rivaldo Barbosa.
Arrependimento
Um dos três presos, Jardel Wanderson de Oliveira Vilas Boas, que seria o autor do disparo, disse estar arrependido. "Queria pedir desculpas à família, a intenção não era essa, não era atirar. Se arrependimento matasse, não estaria aqui", disse ele, que estava na garupa de uma moto.
Além de Jardel, Vitor Brunizzio Teixeira e Marcus Vinicius do Nascimento Bonfim foram presos temporariamente por 30 dias e indiciados por latrocínio, quando há um roubo seguido de morte. Dos dois foragidos, um deles foi identificado como Wendel dos Santos Gomes e o outro apenas como Júnior Playboy. Parte dos criminosos morava na comunidade Paula Ramos, no Rio Comprido, Zona Norte do Rio, e outra no Morro do Querosene, em Costa Barros, no subúrbio.
O crime
Tintim, como era conhecida a vítima, reagiu a um assalto no dia 17 de julho e levou um tiro na cabeça. O crime foi na Praça Santos Dumont, logo após a vítima sair de uma agência bancária no Shopping da Gávea, que fica na Avenida Marques de São Vicente.
Maria Cristina tinha acabado de fazer um saque de R$ 13 mil para fazer o pagamento de funcionários, quando foi abordada por dois homens em uma motocicleta. Segundo o delegado Rivaldo Barbosa, titular da Divisão de Homicídios, o autor do disparo ficou com apenas R$ 1 mil e o resto do dinheiro foi dividido com o bando. A ação contou com apoio de um carro, onde estavam outros quatro criminosos.
Segundo Geneton Lage, delegado da DH, a arma que foi usada no crime ficou boa parte do tempo dentro do carro. O motivo, segundo o delegado, é a alta incidência de abordagens aos motoqueiros na Zona Sul.  "A PM costuma abordar muitos motoqueiros, por isso eles mantiveram a arma com os outros bandidos no carro, que não tinha irregularidades, até a hora certa", explicou.
Antes do assalto, Vitor Brunizzio Teixeira entrou no banco para escolher a vítima. Segundo a investigação feita com base nas imagens das câmeras de segurança, Maria Cristina foi escolhida aleatoriamente, quando o suspeito observou que ela esperava na agência para fazer o saque. Depois que a vítima foi escolhida, o suspeito deixou o banco, entrou no carro e forneceu as características de Maria Cristina para os comparsas.
A arma, então, foi passada para os dois criminosos que estavam na moto, que seguiram Tintim e tentaram roubar a bolsa da empresária enquanto ela olhava saias para comprar em um camelô. De acordo com a polícia, ela tentou reagir e foi baleada. A dupla conseguiu fugir com a bolsa. Um carregador de pistola foi encontrado no local e levado para perícia.
Fotos de presos com capacete
De acordo com os dados de Instituto de Segurança Pública (ISP), na região da 15ª DP (Gávea) foram registrados 80 roubos, 101 furtos e nenhum homicídio em maio deste ano. A delegacia concentra as ocorrências dos bairros Gávea, Lagoa, Jardim Botânico e Vidigal, todos na Zona Sul.
A alta incidência de crimes praticados por criminosos em motocicletas motivou a polícia a adotar uma nova conduta no fichamento de presos. Como informou o chefe da Polícia Civil Fernando Veloso, a partir desta sexta-feira as delegacias da cidade farão fotos dos presos recém detidos com capacete de moto, para ajudar no reconhecimento. 
Do G1 Rio

Comentários

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …