Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

PF faz operação contra tráfico internacional de drogas em 5 estados

Ação foi realizada nesta terça-feira (12) no PR, MT, MS, RO e SP.
Quadrilha agia no PR e transportava produtos ilegais para outros estados.


Mais de três toneladas de maconha foram apreendidas durante as investigações da Polícia Federal (Foto: Divulgação/Polícia Federal)Mais de três toneladas de maconha foram
apreendidas durante as investigações da PF
(Foto: Divulgação/Polícia Federal)
A Polícia Federal (PF) realizou uma operação contra o tráfico internacional de drogas nesta terça-feira (12) no Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e São Paulo.  Foram cumpridos nove mandados de prisão, sendo que sete pessoas foram presas, entre elas o chefe da quadrilha. Até as 14h30, duas pessoas estavam foragidas. Foram cumpridos ainda 13 mandados de busca e apreensão e 42 mandados de busca e apreensão de veículos.
De acordo com o delegado-chefe da PF em Londrina, Nilson Antunes da Silva, as investigações começaram a partir de dados coletados em outra operação deflagrada em dezembro de 2013. A quadrilha começou a ser monitorada a partir de março de 2014. “A partir daqueles dados a gente conseguiu identificar essa nova quadrilha agindo na região. Eles tinham base em Umuarama e trabalhavam com o tráfico de cocaína, maconha, munição e armas, material que era distribuído em São Paulo e no Rio de Janeiro”, explica.

Todos os mandados foram expedidos em Umuarama, no noroeste do Paraná, onde está concentrada a operação batizada de Urutau. As prisões ocorrem, alem de Umuarama, em Amambai (MS), Ponta Porã (MS), São Paulo, Santo André (SP), Ji-Paraná (RO) e Seringueiras (RO).
  •  
Segundo o delegado-chefe da PF em Londrina, Nilson Antunes da Silva, base da quadrilha era em Umuarama (Foto: Rodrigo Saviani/G1)Segundo o delegado-chefe da PF em Londrina,
Nilson Antunes da Silva, base da quadrilha era em
Umuarama (Foto: Rodrigo Saviani/G1)
“Prendemos agora os membros da quadrilha que organizavam, financiavam e distribuíam a droga na região de Umuarama. A operação é encerrada com essas prisões, e já estamos remetendo inquérito para a Justiça, que ficará por conta do caso junto com o Ministério Público”, afirma o Nilson Antunes da Silva.
O delegado da PF explica que os envolvidos exerciam outras atividades para tentar ocultar os crimes realizados. "Eles tinham em principio uma atividade lícita. Eram supostos comerciantes, autônomos, motoristas, nesses casos sempre uma fachada", aponta.

Ainda conforme o delegado, os produtos ilegais eram transportados em fundos falsos de ônibus e caminhões para os outros estados brasileiros pela fronteira do Paraguai com Mato Grosso do Sul e da Bolívia com Rondônia.  “Eram contratados terceirizados que faziam fundos falsos em ônibus, sendo que alguns deles foram apreendidos durante as investigações, e em caminhões com carroceria de madeira”, diz o delegado.
Apreensões
Desde o início das investigações, três pessoas que moram em Umuarama foram presas em flagrante transportando drogas. Outras quatro prisões em flagrante foram efetuadas em municípios de SP e MS. Também foram apreendidas mais de três toneladas de maconha, 401 quilos de cocaína, oito quilos de haxixe, 321 cápsulas de munição, uma carabina, uma pistola e cinco veículos, sendo dois caminhões e dois ônibus.
Do G1 PR

Comentários

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …