Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Em carta, mãe de jovem internado no Cesein denuncia torturas: 'me ajude'

Documento foi enviado ao G1 por um servidor do centro de internação, no AP.
Denúncia de agressão deve ser formalizada, diz Fundação da Criança.


Carta foi escrita por uma mãe que prefiriu não se identificar (Foto: Dyepeson Martins/G1)Carta foi escrita por uma mãe que preferiu não se identificar (Foto: Dyepeson Martins/G1)
A mãe de um adolescente internado no Centro de Educação Socioeducativo de Internação (Cesein), no bairro Buritizal, Zona Sul de Macapá, escreveu uma carta com os relatos do filho que diz ser espancado por policiais e monitores que atuam na instituição. O documento foi entregue aoG1 através de um servidor que preferiu ter a identidade preservada. A declaração da mãe foi confirmada por familiares de alguns internos. A Fundação da Criança e do Adolescente (Fcria), entidade estadual que administra o núcleo, disse que as denúncias de maus-tratos devem ser formalizadas para que sejam instaurados procedimentos administrativos contra os supostos agressores.
Trecho da carta descreve como jovem foi torturado  (Foto: Dyepeson Martins/G1)Trecho da carta descreve uma das vezes em que o jovem foi torturado (Foto: Dyepeson Martins/G1)
“Ele e mais três meninos que moram com ele foram colocados dentro da cela. Jogaram água no chão e deram choques com uma lanterna que os educadores usam”, relatou a mãe, sobre uma das agressões supostamente sofrida pelo filho. A tortura teria sido realizada por uma monitora, além de policiais militares. “Me ajude”, pede a mãe na carta.
A Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados (OAB) secção Amapá informou que pretende realizar uma vistoria nos alojamentos do Cesein.
No início de dezembro, seis internos serraram a grade das celas do bloco 3 do Cesein (Foto: Abinoan Santiago/G1)Centro de Educação Socioeducativo de Internação
está localizado na Zona Sul de Macapá
(Foto: Abinoan Santiago/G1)
O corregedor-geral da Polícia Militar (PM) do Amapá, coronel Carlos Souza, disse que a corregedoria "está apurando toda e qualquer denúncia formalizada no órgão". Ele ressalta a ocorrência de denúncias em que jovens relataram terem sido espancados, mas com as investigações os maus-tratos não foram comprovados.
Os maus-tratos são alvo das reclamações da mãe de um garoto de 17 anos, apreendido há seis. Ela diz que o adolescente foi espancado ao menos três vezes desde quando foi internado pelo crime de roubo.
Mãe disse que filho foi espancado ao menos 3 vezes (Foto: Dyepeson Martins/G1)Mãe disse que filho foi espancado ao menos três
vezes (Foto: Dyepeson Martins/G1)
“Meu filho me contou que em um dia vários garotos fugiram, menos ele. Mesmo assim os policiais entraram no alojamento e bateram nele, muito mesmo. Ele ficou cheio de hematomas. A gente tenta denunciar, mas sente medo ou não encontra ninguém que nos ajude”, relatou a mulher, que não quis se identificar. Ele comenteu o crime, eu sei, mas não merece isso", desabafou.
A carta sobre as supostas agressões foi entregue ao G1 junto com a cópia do pedido de exoneração do ex-diretor do Cesein, Netanis Ferreira. A autenticidade do documento foi confirmada pelo governo do estado.
Netanis Ferreira, diretor do Cesein (Foto: Dyepeson Martins/G1)Ex-diretor do Cesein, Netanis Ferreira, pediu
exoneração (Foto: Dyepeson Martins/G1)
O ex-diretor pede para ser dispensado do cargo por falta de apoio da “fundação quanto a atender as solicitações das necessidades do núcleo, bem como reiteradas reivindicações de melhorias do que tange uma eficácia no desenvolvimento da gestão que não foram atendidas, deixando assim este núcleo em condições desumanas tanto para servidores quanto para os adolescentes”, diz um trecho do pedido de exoneração.
Em junho, Ferreira afirmou que problemas estruturais na instituição facilitavam a incidência de fugas, além de prejudicarem a fiscalização dos internos e a segurança dos monitores e militares.
Pedido de exoneração do ex-diretor do Cesein foi confirmada pela Fcria (Foto: Dyepeson Martins/G1)Pedido de exoneração do ex-diretor do Cesein foi confirmado pela Fcria (Foto: Dyepeson Martins/G1)
A diretora da Fcria, Inailza Barata, afirmou que as denúncias formalizadas na instituição são apuradas pela justiça. Ela destacou que reuniões periódicas são realizadas com a presença dos pais dos adolescentes para tratar sobre políticas de segurança e projetos socioeducativos no Cesein.
Inailza Ferreira, diretora da Fcria (Foto: Dyepeson Martins/G1)Inailza Barata, diretora da Fundação da Criança e
do Adolescente (Foto: Dyepeson Martins/G1)
Inailza disse que após o pedido de exoneração do ex-diretor ele ainda permaneceu no cargo por cerca de 30 dias. Ela diz que a demissão está atrelada a uma nova proposta de emprego e não a problemas dentro do centro. “Este documento nos foi enviado muito antes de ele ser exonerado”, reforçou.
“Não existe isso. A parte administrativa e técnica fica na entrada [do Cesein] então é muito fácil que qualquer pessoa denuncie os problemas lá dentro. Nós temos um coordenador muito acessível. Sempre que essas denúncias chegam nós apuramos e, se for necessário, instauramos procedimentos administrativos contra os policiais militares ou monitores. Já aconteceu de monitores serem exonerados por arbitrariedades. Estamos constantemente visitando o Cesein na companhia de mais três juízas, mas precisamos que estas denúncias cheguem até nós”, frisou.
Polícia conteu a tempo rebelião de internos no Cesein, em Macapá (Foto: John Pacheco/G1)Fcria afirma não haver problemas estruturais no
no Cesein(Foto: John Pacheco/G1)
Estrutura
A Fcria é administrada pelo Estado e gerencia quatro centros de internação socioeducativos em Macapá. Ao menos 10 monitores e policiais militares plantonistas fazem a segurança de cerca de 50 adolescentes infratores no Cesein, segundo a administração do órgão estadual. Somente uma, das quatro guaritas do local, funcionam. De acordo com Inailza Barata, será realizado um concurso público para criar o cargo de agente nos centros e melhorar a segurança do local. A diretora acrescenta que cursos de capacitação vão "estruturar ainda mais" as condições de moradia dos jovens.
“Não existe cargo de agente, somente de monitor. Nós pretendemos criar este cargo e este concurso para melhorar a qualidade do serviço prestado. Ocorreram fugas neste ano por causa de uma pequena falha no muro durante a construção da quadra poliesportiva para os garotos, mas esse problema já foi resolvido”, ressalta.
Ainda segundo a diretora, o pagamento dos servidores e de terceirizados está em dia. A declaração contradiz o que foi informado por um funcionário de uma das unidades que afirma: “Não tem alimentação nas unidades da Fcria. Por falta de pagamento de fornecedores os adolescentes estão comendo ovo”.
Servidor denunciou falta de estrutura no Cesein (Foto: Dyepeson Martins/G1)Servidor afirma falta de estrutura em unidades socioeducativas do Amapá (Foto: Dyepeson Martins/G1)
“Estamos trabalhando na profissionalização dos garotos. Desenvolvemos uma série de cursos para que eles possam entrar no mercado de trabalho. Ainda enfrentamos muitos problemas por causa da resistência dos menores e de brigas entre eles, mas tudo está sendo alvo de novas políticas”, concluiu a diretora.
Do G1 AP

Comentários


| Mais Acessados na Última Semana |

Justiça Militar manda PM reintegrar cabo acusado de matar atriz durante blitz em Presidente Prudente

Decisão publicada nesta quarta-feira (18) atende a um pedido de tutela de urgência feito pela defesa. Marcelo Aparecido Domingos Coelho foi demitido da corporação em abril de 2015. oi publicada nesta quarta-feira (18) no Diário da Justiça Militar a decisão do juiz substituto da 2ª Auditoria do Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo (TJM-SP), Marcos Fernando Theodoro Pinheiro, que determina a imediata reintegração de Marcelo Aparecido Domingos Coelho aos quadros da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Em abril de 2015, o então cabo da PM foi demitido pela corporação, após ser acusado no processo que envolveu a morte da atriz e produtora cultural Luana Barbosa durante uma blitz policial na Avenida Joaquim Constantino, na Vila Formosa, em Presidente Prudente.
O juiz levou em consideração a absolvição que Coelho obteve na Justiça Militar, sob o argumento de “legítima defesa” e do “estrito cumprimento do dever legal”, o que, segundo o magistrado, de certa forma, contradiz c…

Policial civil morto em mega-assalto a empresa de valores é enterrado

Vítima foi morta a tiros durante ação dos criminosos que explodiram sede da Protege em Araçatuba (SP). Policial estava de folga. O corpo do policial civil André Luís Ferro da Silva, morto durante o mega-assalto a empresa Protege em Araçatuba (SP) nesta segunda-feira (16), foi enterrado na manhã desta terça-feira (17) em um cemitério particular da cidade. Ferro tinha 37 anos e foi baleado durante a ação. Ele foi socorrido com vida, mas morreu durante atendimento na Santa Casa. Silva era investigador e integrante do Grupo de Operações Especiais (GOE), e deixou filhos e a esposa.
O velório da vítima foi feito em um salão de uma funerária em Araçatuba e, do local, o caixão seguiu em um caminhão do Corpo de Bombeiros em cortejo com viaturas das polícias Militar e Civil até o cemitério. Segundo a Polícia Militar, o policial civil estava de folga do serviço e foi ao local para ver o que acontecia após ser chamado pelos pais, que moram perto da sede da Protege.
O grupo criminoso, cerca de 40 la…

Mais de 1 milhão de votos foram validados no Prêmio Congresso em Foco. Deputado Capitão Augusto esta entre os melhores de 2017.

Um dos três filtros desta décima edição do Prêmio Congresso em Foco 2017, a consulta popular na internet para a escolha dos melhores deputados e senadores do ano teve 1.034.683 votos validados, distribuídos por 130.113 pessoas, entre 1º e 30 de setembro. Os participantes da votação digital podem ter certeza de uma coisa: poucas consultas feitas pela internet são tão bem monitoradas quanto esta. Os vencedores serão conhecidos na próxima quinta-feira (19), na festa de premiação, a ser realizada no Unique Palace, a partir das 20 horas.
Desta vez, foi adotado o sistema de votação desenvolvido pela mais conceituada empresa de software de pesquisas do mundo, a Survey Monkey,  companhia norte-americana reconhecida mundialmente por sua capacidade de processamento e segurança de dados, e também pela auditoria realizada diariamente em cada um dos votos recebidos. Esses votos passam inicialmente pela checagem e filtragem dos seus números de Internet Protocol – o famoso IP, número pelo qual o di…

PL 920: uma bomba atômica no funcionalismo público que Alckmin quer ver aprovado a todo custo.

O governador Geraldo Alckmin protocolou na quinta-feira, 5/10, o Projeto de Lei 920/2017, que representa uma verdadeira bomba atômica no Estado de São Paulo, sobretudo um verdadeiro ataque aos servidores estaduais e à prestação de serviços públicos. Publicado no Diário Oficial já no dia seguinte, o PL formaliza a renegociação da dívida de São Paulo com a União, ampliando o prazo de pagamento.
            Em contrapartida, o Estado se compromete a cumprir as exigências do governo federal, que impõe um verdadeiro arrocho salarial sobre os servidores públicos. Essa cruel punição aos servidores foi aprovada no ano passado pelo Congresso Nacional. Seu embrião foi o PLP 257, apresentado pela presidente Dilma, que depois foi maquiado pelo governo Temer e transformado na Lei Complementar federal 156/2016.
            Se o PL 920 for aprovado – e espero que não seja –, haverá um congelamento não só de salários, mas também da evolução funcional de todos os servidores estaduais, ficando suspens…

Alckmin propõe reajuste de 7% para policiais

ATENÇÃO- ATENÇÃO ESTA NOTÍCIA É DO ANO DE 2013 E ESTA CIRCULANDO NAS REDES SOCIAIS COMO SENDO ATUAL

O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta sexta-feira, 13, o envio à Assembleia Legislativa de um projeto de lei que concede aumento salarial de 7% para os membros da Polícia Militar, da Polícia Civil e da Polícia Técnico-Científica. O reajuste também será estendido aos agentes penitenciários. Aposentados e pensionistas das quatro categorias também terão o mesmo benefício. No total, serão beneficiados 172 mil policiais militares, 53 mil policiais civis e 33 mil agentes penitenciários. O custo para o Tesouro do Estado será de R$ 983 milhões por ano. Esta é a terceira vez que o governador Alckmin concede aumento salarial acima da inflação do período. Desde o último reajuste, o índice oficial de inflação acumulada é 5,66%. Em outubro de 2011, os policiais tiveram 15% de aumento retroativo a julho de 2011. Em agosto de 2012, o aumento foi de 11%. Com a nova proposta, o reajus…