Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

Acusado de matar atleta de MMA, oficial da PM tem audiência com juiz

Iranildo Félix é acusado de matar Luiz de França na Zona Sul de Natal.
Tenente tem audiência de instrução marcada para o dia 9 de setembro.


Tenente da PM Iranildo Félix é o principal suspeito do crime (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)Tenente da PM Iranildo Félix é o principal suspeito
do crime (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)
O tenente da Polícia Militar Iranildo Félix de Sousa, acusado de matar a tiros o professor de musculação e lutador de MMA Luiz de França Trindade – crime ocorrido no dia 10 de fevereiro deste ano na Zona Sul de Natal – participará de sua primeira audiência de instrução no dia 9 de setembro. Ele será ouvido pelo juiz Ricardo Procópio Bandeira de Melo, titular da 3ª Vara Criminal de Natal, segundo decisão publicada nesta quinta-feira (21) no site do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte.O oficial nega o crime.
O atleta, que tinha 25 anos, foi assassinado a tiros por volta das 9h da manhã na calçada da academia Alta Performance, que fica na rua Serra da Jurema, no conjunto Cidade Satélite. Segundo a polícia, ele foi atingido por vários disparos de pistola calibre ponto 40. Na ocasião, o professor e atleta de jiu-jitsu e luta olímpica Ademir Júnior, conhecido como Júnior Sustagen, também foi atingido pelos disparos.
Além de Iranildo, apontado como executor do crime, também é acusado de participação o soldado da PM Moisés Gonçalo do Nascimento, que segundo denúncia do Ministério Público ajudou o tenente pilotando a motocicleta que foi usada na fuga. O soldado também nega envolvimento na morte do lutador.
Prisão
Iranildo foi preso na manhã do dia 24 de março, quando policiais civis cumpriram mandado expedido pela 3ª Vara Criminal. Ele recebeu voz de prisão no momento em que prestava depoimento no Comando de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE), na zona Oeste da cidade. Ele permanece detido no quartel do Comando da Polícia Militar, no bairro Tirol.
Os policiais ainda encontraram, no carro do oficial, anabolizantes e um revólver calibre 38 - o que motivou a abertura de uma nova sindicância pela PM. O tenente também responde pelo porte ilegal da arma. De licença médica há mais de um ano, Iranildo está proibido pela junta médica da PM de usar qualquer arma de fogo.
Motivação
Para a polícia, a morte de Luiz de França foi motivada por uma desavença depois que o tenente foi expulso da academia Alta Performance, onde tinha aulas com o atleta. "Luiz dava aulas técnicas, voltadas para mulheres que queriam perder peso. Já Iranildo, queria ter aulas com mais violência e acabou desafiando o professor para uma luta. Eles se desentenderam, o dinheiro da mensalidade do tenente foi devolvido e ele acabou expulsou por indisciplina", afirmou o delegado Sílvio Fernando, que presidiu uma comissão responsável pela investigação. "Foi um motivo tão banal que ele foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, já que o motivo foi fútil e a vítima não teve chance alguma de defesa", acrescentou.
Já o soldado Moisés, que é lotado na Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam), foi preso no dia 6 de maio. A polícia confirma que ele também é investigado no inquérito que apura o desaparecimento da empregada doméstica Jaqueline Duarte Bonifácio, de 40 anos, e do filho dela, o estudante Leonardo Duarte, de 17 anos. Os dois foram tirados de casa, em Cidade Nova, zona Oeste de Natal, por homens encapuzados na madrugada de 11 de dezembro de 2013. A mulher e o adolescente continuam desaparecidos.
Luiz de França foi assassinado dentro de academia em Natal (Foto: Luiz de França/Arquivo pessoal)Luiz de França era professor de musculação e lutador de MMA (Foto: Luiz de França/Arquivo pessoal)
Mais dois homicídios
No dia em que foi preso, a Polícia Civil concedeu entrevista coletiva e revelou que o tenente  Iranildo Félix, além de ser acusado de ter matado o lutador de MMA, também teria praticado outros dois crimes de homicídio. Segundo a delegada adjunta da Divisão Especializada de Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor), Daniele Filgueira, o tenente é responsável pela morte da ex-mulher dele, a estudante de Direito Izânia Maria Bezerra Alves, de 31 anos, morta no dia 16 de fevereiro em uma estrada carroçável no município de Macaíba, cidade da Grande Natal.

Na ocasião, o tenente estava em um veículo com a ex-mulher e alega terem sido abordados por dois homens em uma motocicleta numa tentativa de assalto. Iranildo foi baleado no abdômen, mas como estava usando colete a prova de balas o ferimento foi superficial. Já a mulher, levou um tiro no pescoço, um no rosto e dois na cabeça.

O outro assassinato atribuído ao tenente não foi revelado pela polícia.
Ex-mulher do tenente suspeito de matar lutador, Izânia Bezerra, de 31 anos, foi morta em atentado em Macaíba, RN (Foto: Arquivo pessoal)
Ex-mulher do tenente, Izânia Bezerra foi morta em Macaíba (Foto: Arquivo pessoal)
Do G1 RN

Comentários

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …