Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Segurança pública é tratada como guerra no Brasil, diz membro da OAB

O presidente da Comissão Nacional dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Wadih Damous, classificou como "guerra" o modelo de segurança pública adotado no país, ao comentar os resultados do relatório da Anistia Internacional sobre atuação da polícia no País. Divulgado na quarta-feira, o relatório "O Estado dos Direitos Humanos no Mundo" aponta que a polícia brasileira utiliza métodos repressivos e discriminatórios no combate ao crime, como prática de tortura, desaparecimentos e execuções sumárias. A Anistia Internacional avaliou as condições e o respeito aos direitos humanos em 159 países em 2012.
"Infelizmente, o relatório da Anistia Internacional não me surpreende. A nossa segurança pública é tratada como guerra", disse Damous. "Existe hoje na polícia uma política de confronto. Enquanto esse tipo de formação for imposta aos agentes de segurança pública, essa situação não mudará. Quem acaba pagando o preço são os próprios policiais, que são vítimas deste processo. E a população, sobretudo a população pobre de jovens negros e favelados, é vista como o inimigo a ser enfrentado", afirmou.
Para Damous, parte da população apoia ações violentas da polícia, por acreditar que a pobreza estimula o aumento dos índices de criminalidade, representando uma ameaça à segurança nas cidades. "A pobreza e a miséria se combatem com política econômica distributiva, saúde, educação e emprego. Essas operações da polícia acabam tendo respaldo de vários setores, que acham que bandido bom, é bandido morto. E esse modelo têm que ser substituído pela convicção de que o combate à criminalidade deve estar dentro da lei, dentro da Constituição e dos parâmetros que a nossa legislação estabelece", argumentou.
De acordo com o relatório, em São Paulo, o número de homicídios aumentou 9,7% entre janeiro e setembro de 2012 em relação ao mesmo período do ano anterior. Apenas em novembro passado, 90 pessoas foram mortas por policiais no estado. A explicação seria o aumento dos confrontos com organizações criminosas. Em maio, três policiais da tropa de choque foram presos acusados de executar um suspeito.
O documento aponta que políticas, como as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) no Rio de Janeiro, contribuíram para a diminuição no número de homicídios. Porém, a ação de milícias em muitas favelas continua, principalmente na zona oeste da cidade.
Agência Brasil

Comentários

  1. Segurança pública tem que ser tratada nao só como um dever das policias. O estado falha em educaçao, saúde, trabalho, esporte, cultura e outras coisas a mais,a falta disso leva muitas pessoas a criminalidade, sobre tudo o jovem que ainda nao tem uma oponiao formada, e normalmente é influenciado pelo meio em que vive. O fato de acontecer o maior numero de açoes das policias em favelas ou em bairros pobres ou contra negros nao é por que a policia discrimina essas areas, e sim porque o estado falha muito mais com as comunidades pobres do que em areas nobres, analise o numeros de escolas por habitantes em areas mais favoverecidas e comparem com as favelas, se o jovem nao tem oportunidade de aprendizado ele vai caminhar para o crime. Os direitos humanos deveriam também se preocupar com as falhas do estado com a corrupaçao que é o maio afronto ao direitos humanos. Cobrar das policias é muito facil quero ver é cobrar dos criminosos de colarinho branco

    ResponderExcluir
  2. major ref Sales de Oliveira24 de maio de 2013 09:49

    Sabias palavras, concordo plenamente, tenho 28 anos de serviço ativo na polícia militar e é exatamente o que se vê no meio policial, tem mais, a instituição ainda homenageia com medalhas policiais que atuam de forma repressiva, os que atuam de forma preventiva nem são lembrados porque prevenção não entra de forma efetiva nas estatísticas, uma aberração policial, reflexos da ditadura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Major Ref Sales de Oliveira, pelo visto o Senhor nunca ganhou uma medalhinha...rsrsrsrsrs

      Excluir
  3. MUITO PALAVRAS BONITAS, MAS VAMOS VOLTAR AO MUNDO DE HOJE ONDE OS DIREITOS HUMANOS SÓ VE O LADO DOS MARGINAIS, DOS VANDALOS, E O DAS PESSOAS E FAMILIAS QUE VIVEM TRANCADAS O DIA INTEIRO ATRAS DE GRADES, QUE SÃO TORTURADOS PELOS MARGINAIS QUE FICAM EXECUTANDO POR UM TELEFONE, POR 150 REAIS, ONDE ESTA A OAB COM SEUS REPRESENTANTES DOS DIREITOS HUMANOS PARA ESTAS FAMILIAS, PARA AS FAMILIAS DOS POLICIAIS EXECUTADOS, EU NUNCA VI UM JORNALISTA OU QUALQUER OUTRO TIPO DE GENTE QUE ESTA DANDO ALGUM TIPO DE APOIO A ESTAS FAMILIAS. AGORA FICAM PREOCUPADO COM O PASSADO, SÓ QUEREM É APARECER NA MIDIA. VAMOS DAR MAIS VALORES A NOSSA SEGURANÇA DE HOJE, OUTRA COISA PORQUE OS ADVOGADOS NÃO LUTAM PARA MUDAR O CODIGO PENAL, ACABANDO COM OS DIREITOS DELES MESMO, POIS ELES SE ACHAM POR SER ADVOGADOS OU SÓ BACHAREL SE SENTE POR CIMA DA LEI. VAMOS ACABAR COM ISTO. E VER UM FUTURO MELHOR, MAS MELHOR PARA TODOS E NÃO SÓ PARA OS CORRUPTOS.

    ResponderExcluir
  4. A CORRUPÇÃO É UM CRIME CONTRA A VIDA DE TODA A POPULAÇÃO UMA VEZ QUE OS RECURSOS DESTINADOS A PROMOVMATA MPORQUE MATA A PRESPECTIVA DE ER O BEM ESTAR E QUALIDADE DE VIDA PARA A POPULAÇÃO SÃO DESVIADOS SORRATEIRAMENTE EM BENEFÍCIO DE UNS POUCOS GANANCIOSOS E AVARENTOS E MATA MAIS PORQUE MATA SONHOS E PRESPECTIVA DE UM VIVER COM DIGNIDADE.OS DIREITOS HUMANOS DEVERIA ATACAR FRONTALMENTE ESSA PRÁTICA EXIGINDO RIGOR NO COMBATE DOS CORRUPTOS E DOLEIROS EMPRETEIROS, LOBISTAS, LARANJAS DE PLANTÃO QUE SAQUEIAM O ESTADO E TORTURA OS ANCEIOS DA POPULAÇÃO RELEGANDO-A AO SUBMUNDO, FADADAS AO PRECONCEITOS POR SEREM CIDADÕES DESQUALIFICADOS, E DE SEGUNDA, TERCEIRA, QUARTA, QUINTA, ETC CATEGORIAS,

    ResponderExcluir
  5. A CORRUPÇÃO É UM CRIME CONTRA A PÁTRIA E O QUE MAIS MATA O CIDADÃO, POIS MATA SONHOS E PRESPECTIVA DE QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO AO SAQUEAR E DESVIAR RECURSOS DESTINADOS A PROMOVER O BEM ESTAR DO CIDADÃO E SEU DESENVOLVIMENTO COMO PESSOA HUMANA. A CORRUPÇÃO DEVERIA SER FRONTALMENTE ATACADA POIS PRODUZ CIDADÃO DESQUALIFICADOS,E DE SEGUNDA, TERCEIRA, QUARTA, QUINTA CATEGORIAS FADADOS AO SUBMUNDO DO PRECONCEITO, DESCRIMINAÇÃO SUB PRODUTO DAS EMPREITEIRAS, LOBISTAS, LARANJAS, DOLEIROS, QUE LAVAM DINHEIRO AO TRANSFERIREM TAIS RECURSOS PARA PARAÍSOS FISCAIS, DINHEIRO FRUTO DE SUPERFATURAMENTOS, SUPERDIMENCIONAMENTOS, SUPER PILANTRAGENS DE VERDADEIROS BANDIDOS QUE SE LOCOMPLETAM COM O ERÁRIO, ESCUDADOS NA IMPUNIDADE.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

COMANDANTE DO EXÉRCITO DESCARTA INTERVENÇÃO MILITAR SUGERIDA POR GENERAL

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, afirma que "não há qualquer possibilidade" de intervenção militar no Brasil, em resposta ao general Antônio Mourão, que levantou a possibilidade no caso de o Judiciário "não resolver essa questão" política; "Desde 1985 não somos responsáveis por turbulência na vida nacional e assim vai prosseguir. Além disso, o emprego nosso será sempre por iniciativa de um dos Poderes", diz o comandante Villas Bôas; ele diz ainda que teve uma conversa com Mourão e que o problema "já está superado" Sempre polêmico, o general do Exército Antônio Hamilton Martins Mourão afirmou na última sexta-feira que é possível uma intervenção militar no Brasil, caso a crise política que o país atravessa não seja solucionada pelas próprias instituições. As afirmações de Mourão foram feitas em uma palestra realizada na Loja Maçônica Grande Oriente, em Brasília, horas após o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denu…

Justiça condena 2 PMs e guarda civil a mais de 600 anos de prisão por maior chacina de SP

Os policiais militares Fabrício Eleutério e Thiago Henklain, além do guarda civil municipal Sérgio Manhanhã foram condenados nesta sexta-feira (22) a mais de 600 anos de prisão de terem participado da maior chacina de São Paulo, em agosto de 2015. Eles foram acusados de envolvimento em 17 dos 23 homicídios ocorridos nos dias 8 e 13 daquele mês. Eleutério foi condenado a 255 anos, 7 meses e 10 dias em regime fechado. Henklain pegou 247 anos, 7 meses e 10 dias, também em regime fechado. O guarda civil Manhanhã recebeu pena menor do que os policiais militares, condenado a 100 anos e 10 meses. A defesa dos três condenados já recorreu da sentença. O julgamento durou cinco dias, menos do que estava previsto. Os jurados se reuniram na sala secreta às 16h07. Eleutério entrou no plenário para ouvir a sentença, tremendo, chorando e segurando uma bíblia. Manhanhã e Hanklain aparentavam estar mais calmos.  Às 18h11, a juíza Élia Bulman divulgou a sentença. "A missão dos senhores foi muito b…

Homem é detido por suspeita de injúria racial após xingar policial de 'preto sem-vergonha', em Campinas

O policial estava a serviço em um bloqueio de trânsito e deu ordem de parada ao homem, de 36 anos, que se revoltou. Um homem de 36 anos foi detido em flagrante por suspeita de injúria racial e desacato após xingar um policial militar de "preto sem-vergonha", em Campinas (SP), nesta quarta-feira (20). O ato racista ocorreu, segundo a PM, após o homem ser abordado em uma blitz durante uma fiscalização de rotina e se revoltar contra os policiais. O suspeito estava sem o cinto de segurança e se exaltou ao questionar os policiais sobre a necessidade de realizar a blitz no bairro, localizado na periferia da cidade. Segundo o cabo Laudevino Ferreira Júnior, vítima da injúria, o homem entregou os documentos usando palavras de baixo calão.
"No momento em que eu saí de perto, ele falou: 'Esse preto sem-vergonha'. Eu retornei até ele e perguntei: 'Você me chamou do quê?' E ele estava exaltado e disse: 'Eu te chamei de preto sem-vergonha'. Foi o momento em q…

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online