Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Secretário promete tolerância zero após ato contra chacinas em SP

O secretário da Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella Vieira, recebeu ontem na sede da pasta, no centro da cidade, uma comissão de quatro representantes de entidades de direitos humanos, que acusaram soldados da Polícia Militar de atuarem em chacinas e grupos de extermínio na periferia.
Os representantes pediram "a investigação rigorosa dos crimes e a punição exemplar dos envolvidos".
Esta foi a primeira reunião entre o secretário e movimentos sociais que denunciam policiais militares. Durou exatos 54 minutos.
O encontro foi agendado depois de uma manifestação realizada na manhã de ontem, da qual participaram cerca de 500 pessoas portando cartazes com os retratos de vítimas de chacinas, além de faixas de protesto.
"Até quando vamos pagar o preço da incompetência do governador Geraldo Alckmin [PSDB]", dizia uma delas.
O protesto culminou com a invasão, durante 40 minutos, da sede da secretaria, apesar da rápida ação dos policiais que fazem a segurança do local, tentando fechar as portas e impedir a entrada dos manifestantes.
Na reunião, Grella Vieira revelou que, só neste ano, 40 policiais foram presos sob suspeita de participar de homicídios --dentre eles, nove que, encapuzados, teriam atuado na chacina do dia 4 de janeiro no bairro do Campo Limpo, na zona sul.
'TOLERÂNCIA ZERO'
Sete pessoas foram assassinadas nessa ocorrência, inclusive o rapper Laércio Grimas, 33, o DJ Lah, do grupo Conexão do Morro.
Durante o encontro, o secretário escutou o relato da mãe do adolescente Bruno Cassiano, morto aos 17 anos, na mesma chacina. A mãe de Bruno era um dos quatro integrantes da comissão de representantes.
Colhido no meio da rua pela fuzilaria dos matadores, Bruno recebeu um tiro, mas conseguiu refugiar-se na casa de uma vizinha. Policiais militares do 37º Batalhão, que apareceram depois do ataque, dispuseram-se a socorrer o adolescente e levá-lo para o Hospital Municipal do Campo Limpo.
Segundo a mãe, ao chegar ao hospital, seu filho contava oito perfurações de bala. Morreu, tornando-se a vítima mais jovem da chacina.
Grella disse à comissão que sua posição é de "tolerância zero com abusos cometidos por policiais".
Pediu que a mãe de Bruno e os demais membros da comissão voltem à secretaria na próxima segunda-feira, para uma nova reunião --desta vez com a presença das corregedorias das polícias Civil e Militar e do comandante-geral da PM, coronel Benedito Roberto Meira.
O secretário reiterou que mantém "canal aberto de diálogo" com as entidades de defesa dos direitos humanos.
INTERDIÇÕES
A comissão pediu também ao secretário que interceda para que os familiares de vítimas de chacinas recebam indenizações pagas pelo Estado nos casos em que se comprove a participação de policiais militares nos crimes.
É preciso que o Estado de São Paulo trate igualmente os familiares de policiais assassinados (que estão recebendo indenização) e os familiares das vítimas dos maus policiais, que não vem recebendo nenhum apoio do governo", disse Guilherme Boulos, 30, dirigente da Associação Periferia Ativa, uma das entidades que organizou o protesto de ontem.
Em março, a Assembleia Legislativa aprovou um projeto que permite que familiares de policiais assassinados ganhem indenização de até R$ 200 mil.
O secretário prontificou-se a ajudar a encaminhar o pedido à Procuradoria-Geral do Estado e à Casa Civil, que podem iniciar o processo para transformar em lei o benefício às famílias.
Folha de São Paulo


Comentários

  1. Policiais mortos, policiais sendo obrigados a mudar de residencia e policiais sendo transferidos para o interior no Guarujá, após sofrerem ameaças e esta merda de secretário nada faz...

    ResponderExcluir
  2. concordo com o secertario em tolerancia zero contra pms assasinos, só que tá valendo apenas para os pms, porque ele não declara tolerancia zero para os marginais e ladrão, politicos corruptos, a lei é pra todos, só que os pms são mais facieis de acha-los, e os vagabundos e ladrão não é? esse pais é cheio de ipogrezias, quem tem dinheiro não é punido a lei vale só pro trabalhador, cada vez levando mais ferro. direitos humanos para o trabalhador não existe, somente para vagabundos.

    ResponderExcluir
  3. JA FUI MUITO INJUSTIÇADO PELO CMD DA PM NA MINHA EPOCA AGORA VEM ESTE SECRETARIO COM TOLELANCIA ZERO? ZERO PRA PRA PM É CLARO E 10 PROS VAGABUNDOS QUE NÃO PARAM DE CRECER NESTA CIDADE SEM GOVERNO E SEM SECRETARIO DE SEGURANÇA

    ResponderExcluir
  4. quem tem fiofó tem medo, e o medo que ele tem de ter represália do crime organizado se ele declarar guerra contra o PCC, acham que ele vai declarar tolerância zero contra os traficantes, contra os bicheiros, contra os donos de máquinas de jogos proibidos, corrupção, etc, etc, etcetcetecetc, e mais etc, ele se caga de medo, ele intimida os cmt geral da pm, o delegado geral, porque é indicação do governador, se não for atendido eles serão exonerados dos cargos, porque ele não fala para o governador indenizar os cidadão paulista que são mortos todos os dias pelos marginais, agora indenizar a família de viciados em drogas, traficantes, homicidas, estuprador, etc, que sera pago com o dinheiro das famílias que os seus parentes mataram, família esta de trabalhadores, como no caso da dentista e do rapaz morto no bairro do belém e tantos outros que formam uma grande legião, ai ele, secretário fica em cima do muro, jogando conversa fora, quer saber de uma coisa. ele não resolve nem os problemas da segurança pública em SP que é uma droga, não resolve nem os salários dos policiais que é uma merda, ele tem mais que pegar sua mala e baixar em outro planeta,

    ResponderExcluir
  5. zero e a nota que esse secretario de mer.. merece, reunir com parentes de vagabundos esse traste presta, agora procurar assassinos de policiais e receber parentes de policiais ele fecha a porta da secretaria, ta na hora de mandar esse porcarias de onde vieram ou seja o lixo politico, secretario de segurança de marginais vai procurar o que fazer por que de segurança o senhor não entende nada e um imprestável de verdade.

    ResponderExcluir
  6. Secretário fraco....é uma das únicas palavras para descreve-lo, e os Pms mortos, kd a tolerância zero para os marginais, e para os políticos corruptos, será que ninguém ve que isso tudo foi orientado por algum intelectual do crime...Matar policia pode né secretário agora os coitadinhos que na sua maioria tem passagem, por algum tipo de crime...

    ResponderExcluir
  7. ALGUEM SABE ME DIZER O PORQUE NÃO SE PRENDE CAMBISTA DE JOGO DE BICHO? O QUE SERA QUE ELES FAZEM PRA NÃO SER PRESOS HEMMMMMMMMMMMMMMMMMM???????????????????????????? TEM ATÉ MAQUINAS DE REDE DE CARTÓES QUE ELES USAM PRA FAZER JOGO DE BICHO;E PERGUNTO DE NOVO? PORQUE NINGUEM PRENDE ESTES CARAS???????????? CHUPA ESSA MANGA MINHA GENTE

    ResponderExcluir
  8. eu só sei uma coisa...LEI PRA TODOS E REGALIAS PARA ALGUNS....

    ResponderExcluir
  9. o que esse imbecil faz ou fala nem merece perder tempo para comentar @-)

    ResponderExcluir
  10. GOVERNO DE COVARDES E OMISSOS.NA MINHA OPINIÃO OU ESTÃO TODOS LIGADOS A BANDIDOS OU CAGAM DE MEDO DELES, INCLUSIVE DE FAMILIARES DE BANDIDOS.A TOLERÂNCIA ZERO TEM QUE SER PRA QUEM QUEIMA DENTISTA VIVA, OU PRA QUEM MATA A SANGUE FRIO E SABE QUE NÃO VAI DAR NADA. MEXER NO CÓDIGO PENAL E DE PROCESSO PENAL ESSES COVARDES E MEDROSOS NÃO FALAM. SÃO MAIS DE 20 ANOS DE CONIVÊNCIA E COVARDIS COM A CRIMINALIDADE DO PSDB NESTE ESTADO E PARECE QUE NADA VAI MUDAR, A MENOS QUE A SOCIEDADE ACORDE E ACORDE JÁ. AMANHÃ PODE SER TARDE.

    ResponderExcluir
  11. ESSE SECRETÁRIO TÁ MAIS POR FORA DO QUE NÃO SEI O QUE, O QUE É PARA ELE FAZER, NÃO FAZ, ATÉ AGORA NÃO FEZ NADA PARA COMBATER A CRIMINALIDADE, O INDICE DE HOMICIDIOS, FURTOS, ESTUPROS, ROUBO, LATROCINIO ETC, AUMENTOU SÓ ELE NÃO VÊ, ELE SÓ SE PREOCUPA EM PERCEGUIR POLICIAIS QUE ESTÂO TODOS OS DIAS NAS RUAS COMBATENDO A CRIMUNALIDADE, E ELE ATRÁS DE UMA MESA GARANTINDO SEU EMPREGO, ACOBERTADO PELO GOVERNADOR.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

Morre segundo policial militar atingido por tiro de fuzil em Pompéu

Cabo Lucas Reis Rosa foi internado e teve braço amputado após confronto com criminosos que explodiram uma agência bancária. Outro policial e um entregador também foram mortos. A Polícia Militar (PM) confirmou, na manhã desta sexta-feira (8), a morte do cabo Lucas Reis Rosa. Ele estava internado desde a madrugada de terça-feira (5) quando foi atingido por um tiro de fuzil durante confronto com criminosos que explodiram uma agência bancária em Pompéu. Segundo a Polícia Militar, o óbito foi constatado as 9h50 desta sexta. Em nota, a PM informou que o cabo teve reações inflamatórias graves, pós-cirúrgicas ao trauma. Na quarta-feira (6), Lucas Reis passou por duas cirurgias, uma delas foi para a amputação total do braço direito. “Estamos entrando em contato com a família para dar o devido apoio e verificar questões relacionadas a local e horário do velório e enterro”, informou o comandante da 7ª Região da Polícia Militar, coronel Helbert Willian Carvalhaes. Confronto Na madrugada de terça…

Policial militar é sequestrado e assassinado a tiros em Paulista

Um policial militar foi assassinado com nove tiros, na Estrada do Pica-Pau, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife. A vítima foi identificada como Lindembergue Gomes da Silva, de 53 anos, foi encontrado ás margens da estrada, em Paratibe. De acordo com os peritos do instituto de Criminalidade (IC), ele foi atingido por um tiro no rosto e os outros nas costas. Os peritos acreditam que o PM pode ter sido morto com a própria arma.
Segundo a polícia, o militar, que atuava como comerciante, teria sido levado da casa dele, no bairro da Mirueira, por dois homens. Ele teria sido levado para o local do crime no próprio carro, uma caminhonete, que foi abandonada em Abreu e Lima. Nenhum pertence da vitima foi encontrado. A policia recebeu a informação de que o PM reformado era agiota, o que pode ter motivado o assassinato.

Fonte: Tv jornal uol

Brasil dobra número de presos em 11 anos, diz levantamento; de 726 mil detentos, 40% não foram julgados

Estudo divulgado pelo Ministério da Justiça é de junho de 2016. País é o terceiro do mundo em número de detentos. Estado com maior superlotação é o Amazonas (cinco presos por vaga). Uma nova edição do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen) divulgada nesta sexta-feira (8) pelo Ministério da Justiça informa que, em junho de 2016, a população carcerária do Brasil atingiu a marca de 726,7 mil presos, mais que o dobro de 2005, quando o estudo começou a ser realizado. Naquele ano, o Brasil tinha 361,4 mil presos, de acordo com o levantamento. Esses 726 mil presos ocupam 368 mil vagas, média de dois presos por vaga (leia mais abaixo sobre superlotação). "Houve um pequeno acréscimo de unidades prisionais a partir de 2014, muito embora não seja o suficiente para abrigar a massa carcerária que vem aumentando no Brasil. Então, o que nos temos, é um aumento da população carcerária e, praticamente, uma estabilidade no que se refere à oferta de vagas e oferta de estabel…

AFAM: NOVIDADES SOBRE AÇÃO JUDICIAL DA INCORPORAÇÃO DE 100% DO ALE NOS VENCIMENTOS DOS POLICIAIS E BOMBEIROS DE SÃO PAULO

Agora já são em número de 05 as Câmaras de Direito Público a adotar esse entendimento. Novas e recentes decisões do Tribunal de Justiça de São Paulo, em Mandados de Segurança individuais, têm confirmado o entendimento de que a incorporação total do ALE ao Salário-Base (Padrão) é direito de todos os policiais militares. Em Acórdão de 11 de março de 2013, relativo à Apelação/Reexame Necessário nº. 0029083-82.2012.8.26.0053, assim se manifestou a 6 ª. Câmara de Direito Público do TJ/SP: “Assim, no caso do impetrante, policial em atividade, quinquênios, sexta-parte e RETP incidem sobre as vantagens efetivamente incorporadas, dentre as quais, a partir da LC nº 1.114/10, o ALE”.... http://www.afam.com.br/
Veja abaixo todas as novidades:






REVOLTA DA ASSOCIAÇÃO DOS CABOS E SOLDADOS DA PMESP COM GOVERNO ALCKMIN

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo luta contra uma mentira da Procuradoria Geral do Estado; e, infelizmente, endossada pelo Governador do Estado. Ocorre que a Procuradoria, por meio da suspensão da Tutela Antecipada nº 678 junto ao Supremo Tribunal Federal fez constar em sua petição o valor aproximado de R$ 1,5 bilhão. Em síntese, disse ao Presidente do STF, Exmo. Senhor Ministro Ayres Britto que o custo criaria uma lesão ao erário público, assim, permitiu suprimir verbas alimentares de Policiais Militares. Neste sentido, passamos a conhecer melhor o Governo Geraldo Alckmin.
O Governo do Estado tinha conhecimento que o Policial Militar recebia o recálculo retroativo a novembro de 2010 por intermédio de uma ação judicial; e que nunca se tratou de uma tutela antecipada mas sim, de cumprimento provisório de sentença, iniciado após o Tribunal de Justiça de São Paulo, na 2ª Instância, ter garantido a fórmula correta de cálculo da verba aos Policiais…