Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Secretário e Capitão Wagner descartam nova greve na PM

Secretário e Capitão Wagner descartam nova greve na PMApesar de concordarem sobre ausência de clima para greve, Francisco Bezerra e Capitão Wagner trocaram críticas e e reforçaram denúncias de desvios na PM. O governador criticou "politização" do tema e se desvinculou das falas de Ciro
Principais personagens da polêmica envolvendo as corporações militares do Estado, tanto o secretário da Segurança Pública, Francisco Bezerra, quanto o vereador Capitão Wagner Sousa (PR) descartaram ontem possibilidade de nova greve da Polícia e Bombeiros neste ano. O parlamentar preside Associação dos Profissionais de Segurança Pública (Aprospec). Entretanto, apesar da concordância pontual, os dois voltaram a trocar acusações e reforçaram denúncias de desvios na PM do Ceará. Quebrando silêncio sobre o assunto, o governador Cid Gomes criticou “politização” da segurança.
Mesmo com a tensão evidente, Capitão Wagner afirmou que não existe “clima” para nova paralisação dos policiais em 2013. “Não há clima de greve. Há sim muita insatisfação, porque o governo não negocia e persegue pessoas ligadas ao movimento, mas a vontade geral é de trabalhar”.
A declaração ocorreu na manhã de ontem, durante entrevista em que Wagner rebateu denúncias do ex-governador Ciro Gomes (PSB) - que acusa o vereador de chefiar milícia ligada a narcotraficantes na PM. Negando qualquer relação com criminosos, o parlamentar acusou Ciro de tentar “desviar o foco” dos índices de violência do Estado e anunciou que tentará CPI na Câmara para apurar o caso e disse já ter 13 das 15 assinaturas necessárias. “O que existe na PM é grupo de extermínio ligado a gente do governo, e isso eu denunciei primeiro. (...) Se existe milícia, que se investigue a fundo, porque isso só provará minha inocência. O que o Ciro quer é desviar a atenção dos péssimos índices de segurança”, diz.
Nesta semana, ao menos nove militares ligados aos grevistas, entre eles dois presidentes de associações, foram demitidos. Classificando os atos como perseguição política, Wagner ironizou “ausência” de Francisco Bezerra na crise. “Devem ter dito ‘fale mais não, porque o que você disse até agora só atrapalhou’”.
Facção política
Em entrevista no mesmo horário da fala de Wagner, Bezerra foi mais enérgico ao rejeitar hipótese de nova greve. “Boato de greve é uma coisa suja, propagada pela oposição, com o único intuito de desestabilizar a segurança pública”. Ele criticou ainda a participação de Wagner em ato das mulheres de PMs que tentou bloquear a saída de policiais encarregados da segurança da partida entre Ceará e Fortaleza. “Como é que um parlamentar, eleito pelo povo, se reúne para destruir uma ação social?”, disse. O secretário afirmou ainda que irá “se envolver pessoalmente” em qualquer situação que coloque a segurança pública em risco. “Não aceitaremos nenhum gesto de indisciplina dentro da corporação militar”.
Diplomático, Cid se desvinculou das acusações do irmão e condenou “politização” do tema. “O Ciro fala pelo Ciro. Eu falo por mim. E penso o seguinte: misturar política com segurança não é um negócio bom”. (colaboraram Bruno Pontes e Lusiana Freire)
Saiba mais
Capitão Wagner criticou ainda “incoerência” da Assembleia sobre as denúncias de Ciro Gomes: “Denúncias de Eudes Xavier de espionagem foram descartadas, mas calúnias de Ciro contra mim ganham respaldo”.
O vereador disse ainda que acionará os deputados Osmar Baquit e Patrícia Saboya na Justiça. Os dois repercutiram as denúncias de Ciro.
Sobre o vídeo em que apareceria dando suporte a ato de esposas de PMs, Wagner se disse vítima de manipulação. “Guardei camisetas pois elas não tinham onde guardar”.
Opositores Lúcio Alcântara e Roberto Pessoa (ambos do PR) estavam na Mesa da cerimônia de ontem. (O povo online).

Comentários

  1. rauimunso felix alves27 de maio de 2013 18:57

    Brigas, Sò quem perde a população mercer dos bandidos que aproveita a oportunidade. todos tem que ceder para que a paz reúne. e os parlamentares e os poderes constituídos devem intermediar.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

PL 920: uma bomba atômica no funcionalismo público que Alckmin quer ver aprovado a todo custo.

O governador Geraldo Alckmin protocolou na quinta-feira, 5/10, o Projeto de Lei 920/2017, que representa uma verdadeira bomba atômica no Estado de São Paulo, sobretudo um verdadeiro ataque aos servidores estaduais e à prestação de serviços públicos. Publicado no Diário Oficial já no dia seguinte, o PL formaliza a renegociação da dívida de São Paulo com a União, ampliando o prazo de pagamento.
            Em contrapartida, o Estado se compromete a cumprir as exigências do governo federal, que impõe um verdadeiro arrocho salarial sobre os servidores públicos. Essa cruel punição aos servidores foi aprovada no ano passado pelo Congresso Nacional. Seu embrião foi o PLP 257, apresentado pela presidente Dilma, que depois foi maquiado pelo governo Temer e transformado na Lei Complementar federal 156/2016.
            Se o PL 920 for aprovado – e espero que não seja –, haverá um congelamento não só de salários, mas também da evolução funcional de todos os servidores estaduais, ficando suspens…

GENERAL QUE COMANDA A ABIN FALA EM VAZIO DE LIDERANÇAS E ELOGIA FEITOS DA DITADURA

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional do governo Temer, Sérgio Westphalen Etchegoyen, causou incômodo em parte da comunidade diplomática durante uma palestra no Instituto Rio Branco. O general sugeriu “medidas extremas” para a segurança pública, elogiou feitos dos anos de chumbo e disse que o país sofre com amoralidade e com patrulha do “politicamente correto”.
Etchegoyen começou a fala de quase duas horas contando que tinha sido soldado por 47 anos e que era por essa ótica, militar, que enxergava e
interpretava o mundo. Depois do alerta, tentou quebrar o gelo:
“Sou da arma de cavalaria e tem um problema que a ausência do meu cavalo reduz minha capacidade intelectual em uns 45, 40 por cento”, começou general da reserva que comanda, entre outros órgãos, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin). A plateia, majoritariamente composta por futuros diplomatas, riu discretamente.
Foi um dos poucos momentos de descontração. No restante do tempo, segundo pessoas que estiveram present…

Alckmin propõe reajuste de 7% para policiais

ATENÇÃO- ATENÇÃO ESTA NOTÍCIA É DO ANO DE 2013 E ESTA CIRCULANDO NAS REDES SOCIAIS COMO SENDO ATUAL

O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta sexta-feira, 13, o envio à Assembleia Legislativa de um projeto de lei que concede aumento salarial de 7% para os membros da Polícia Militar, da Polícia Civil e da Polícia Técnico-Científica. O reajuste também será estendido aos agentes penitenciários. Aposentados e pensionistas das quatro categorias também terão o mesmo benefício. No total, serão beneficiados 172 mil policiais militares, 53 mil policiais civis e 33 mil agentes penitenciários. O custo para o Tesouro do Estado será de R$ 983 milhões por ano. Esta é a terceira vez que o governador Alckmin concede aumento salarial acima da inflação do período. Desde o último reajuste, o índice oficial de inflação acumulada é 5,66%. Em outubro de 2011, os policiais tiveram 15% de aumento retroativo a julho de 2011. Em agosto de 2012, o aumento foi de 11%. Com a nova proposta, o reajus…

Policial civil morto em mega-assalto a empresa de valores é enterrado

Vítima foi morta a tiros durante ação dos criminosos que explodiram sede da Protege em Araçatuba (SP). Policial estava de folga. O corpo do policial civil André Luís Ferro da Silva, morto durante o mega-assalto a empresa Protege em Araçatuba (SP) nesta segunda-feira (16), foi enterrado na manhã desta terça-feira (17) em um cemitério particular da cidade. Ferro tinha 37 anos e foi baleado durante a ação. Ele foi socorrido com vida, mas morreu durante atendimento na Santa Casa. Silva era investigador e integrante do Grupo de Operações Especiais (GOE), e deixou filhos e a esposa.
O velório da vítima foi feito em um salão de uma funerária em Araçatuba e, do local, o caixão seguiu em um caminhão do Corpo de Bombeiros em cortejo com viaturas das polícias Militar e Civil até o cemitério. Segundo a Polícia Militar, o policial civil estava de folga do serviço e foi ao local para ver o que acontecia após ser chamado pelos pais, que moram perto da sede da Protege.
O grupo criminoso, cerca de 40 la…

Cabo da PM é preso após pegar bastão de tenente

O caso ocorreu neste domingo (15) no 9º Batalhão de Polícia Militar do DF, no Gama. O homem ficou detido por três horas na Corregedoria.
A Corregedoria da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) apura um atrito entre um cabo e um tenente do 9º Batalhão, no Gama. O cabo teria recebido voz de prisão porque, segundo o tenente, pegou o seu bastão sem autorização. O caso ocorreu neste domingo (15/10), por volta das 16h. O oficial deu voz de prisão ao subordinado após alegar que o bastão pertencia a ele. O cabo, por sua vez, disse que tinha ganho o mastro de presente de outro policial. Foi, então, que o chefe retrucou e mandou ele guardar o objeto na reserva. No entanto, o subordinado alegou que só o faria se houvesse uma ordem feita por escrito. Neste momento, o tenente lhe deu voz de prisão por desobediência.
O cabo foi encaminhado à Corregedoria onde ficou detido por pouco mais de três horas. Após a verificação dos fatos, ele foi liberado. O tenente, por sua vez, pode será investigad…