Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

Secretaria da Segurança publica resolução sobre socorro por policiais

Texto diz que PM deverá fazer transporte da vítima na ausência do Samu.
Resolução foi publicada nesta terça-feira (21) no Diário Oficial. 
A Secretaria da Segurança publicou nesta terça-feira (21) no Diario Oficial uma resolução sobre o socorro a vítimas de crimes graves como tentativa de homicídio e latrocínio. O texto diz que o policial militar deverá fazer o transporte imediato da vítima para um pronto-socorro ou hospital sempre que não houver, no local, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ou outro serviço de emergência. E sempre que o tempo de resposta do resgate não for adequado para a situação. O despacho estabelece ainda que será permitido ao policial ou a terceiro que se sinta habilitado aplicar primeiros socorros à vítima.
No último dia 14, o estudante Bruno Ribeiro Pedroso, de 23 anos, foi baleado por um ladrão em perdizes, na Zona Oeste de São Paulo. A polícia militar chegou em oito minutos, mas não socorreu o rapaz. Ele teve que esperar mais 23 minutos até a chegada do Samu.
A corregedoria da PM está investigando o caso pra saber se os policiais agiram corretamente. Em janeiro, a Secretaria da Segurança determinou que em casos de crimes violentos os policiais deveriam avisar o centro de operações da polícia, preservar o local. E só permitir o socorro por equipes de resgate.
Fernando Grella, Secretário da Segurança, afirma que o texto publicado nesta terça já era uma norma interna da PM de conhecimento dos policiais desde janeiro. Quatro meses depois, porém, ainda não parecia esclarecido. Grella admite que em alguns casos policiais podem ter errado ao não socorrer vítimas. "Não é o policial que vai decidir isso, o Copom aciona o Samu, vê em quanto tempo ele chega, e com essa informação, diz ao policial que está no local se ele presta um primeiro atendimento ou não”, explica.
O secretário também disse que sentiu a necessidade de publicar o despacho desta terça-feira (21), quase cinco meses depois do primeiro, para reafirmar que os policiais que atenderem uma ocorrência podem, sim, em determinadas situações, prestar o socorro às vítimas.  Segundo Grella, essa sempre foi a ordem para a PM. O secretário reconhece que em alguns caso isso pode não ter acontecido.
Do G1 em São Paulo

Comentários

  1. Agora a culpa é do policial (do praça). Quantas vezes por medo de serem responsabilizados ouvi oficiais dizendo pra não socorrer, pois essa era a ordem da SSP. É muito fácil ficar fazendo besteiras e jogar a culpa pro outros!

    ResponderExcluir
  2. Continuamos na mesma, de acordo com esse outra norma quem decide se socorre ou não é o centro de oeprações, que na verdade não está no local, nem mesmo vendo as condições da vitima. Bem em se seguindo essa régra é só imaginar o seguinte, irá demorar cerca de cinco minutos até se estabelecer contato com a central e o samu ou resgate, enquanto isso a vitima fica no local perdendo sangue. pensem nisso. E mais, se os policiais não podem socorrer para ñ pejudicarem local, como os órgão de resgate o fazem sem prejudicá-lo???.
    ISTO É SÓ PRA SE PENSAR, SE É QUE ELES PENSAM.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …