Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

Policial infiltrado flagra venda de bebida a jovens em São Paulo

Policiais civis de São Paulo estão sendo infiltrados em bares frequentados por adolescentes para flagrar a venda de bebidas alcoólicas a menores de idade.
Desde o início do ano, ao menos três operações foram desencadeadas pela Deatur (Delegacia de Apoio ao Turista), com o apoio do Procon.
Lei paulista pune estabelecimentos que permitem o consumo de bebidas por menores de idade desde 2011. Há possibilidade de interdição e multa de até R$ 87.250.
Segundo o delegado Cícero Simão da Costa, os principais alvos são estabelecimentos próximos a colégios ou grandes faculdades.
A Folha flagrou na tarde de ontem uma operação realizada em um bar da rua Sergipe, na região central, conhecido como Fissura, que fica ao lado do cursinho Anglo.
Duas adolescentes de 17 anos foram flagradas bebendo cerveja. Quatro pessoas maiores de idade foram detidas por porte de maconha.
A polícia também prendeu em flagrante o dono do bar, Francisco Marques Monteiro, 71, que foi liberado após pagar uma fiança de R$ 678.
Abordado pela Folha, ele não quis se manifestar.
De acordo com o investigador Rodrigo Fukuoka, nessas operações quatro policiais sem uniforme se passam por frequentadores dos bares. Observam as mesas para detectar a venda de bebida e acionam o apoio de outros policiais para as abordagens.
As ações são apoiadas por equipes do GOE (Grupo de Operações Especiais) para evitar agressões aos policiais.
Na operação de ontem, cerca de 20 homens e mulheres participaram das prisões.
Um dos investigadores era um jovem de corpo atlético tatuado. "Se já viermos uniformizados de imediato estaríamos fazendo o trabalho ostensivo e isso é função da Polícia Militar", disse.
NA DELEGACIA
As adolescentes foram levadas à delegacia na condição de vítimas, e não de infratoras. A mãe de uma delas disse que apoiava a ação.
O coordenador geral do Sistema Anglo de Ensino, Luís Ricardo Arruda, disse que também apoia a iniciativa. "Sabemos que esse é um problema nacional e sempre que podemos vamos até esses locais [bares] conversar com os donos para que não vendam para menores."
O desembargador Antonio Carlos Malheiros, da Infância e da Juventude do TJ de São Paulo, disse que a operação não está errada, mas que seria melhor ocorrer o acionamento do conselho tutelar.
"Diante do que estamos vendo por aí, adolescente tocando fogo [em dentista], dando tiro na cabeça [de universitário], levar para a delegacia por um copo de cerveja? Vamos com calma."
Folha de São Paulo

Comentários

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …