Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

Mortes por latrocínio crescem 55% na capital paulista em abril, diz governo

Catorze morreram em assaltos na cidade de São Paulo no mês passado.
Número de vítimas de homicídio caiu em abril deste ano.
O número de latrocínios (roubos seguidos de morte) na capital paulista aumentou 55% na comparação entre abril deste ano e o mesmo mês de 2012, segundo dados da violência divulgados nesta sexta-feira (24) pela Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP). Foram nove pessoas mortas em abril do ano passado e 14 no mês passado.
O número de vítimas de homicídios, por sua vez, caiu 3,7%. Foram 106 mortos em abril de 2012 e 102 em abril de 2013.
Ainda na capital paulista, o número de estupros também apresentou alta:  foram  246 neste ano, ante 233 no mesmo mês em 2012, uma alta de 5,5%.
Durante entrevista coletiva para apresentar os índices, o secretário da Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella Vieira, afirmou que um dos fatores para explicar o aumento do latrocínio poderia ser a 'sazonalidade' dos diversos tipos de crimes praticados.
“Na verdade, ao que se deve o aumento dos latrocínios? Veja esse é um fator que o crime tem sazonalidades. Então você combate às vezes uma modalidade, outra modalidade se coloca. Isso não existe uma explicação. O que precisa é nós adequarmos o policiamento, incrementarmos os esclarecimentos desse crime e adequarmos o policiamento ostensivo", comentou Grella. "Não há uma explicação certa, concreta e definitiva para isso. Política de segurança pública é um processo, não é uma obra pronta e acabada".
O secretário ainda falou que espera obter avanços na diminuição dessa modalidade de crime. "O combate ao latrocínio vai ser reforçado com a mudança estrutural feita nessa semana com a transferência desse crime para o Deic. Quando esclarecemos e combatemos o roubo, combatemos o latrocínio", disse Grella. “O latrocínio, eu queria lembrar, é o filho do roubo. É o roubo que não deu certo.”
No mês passado, o caso mais emblemático de latrocínio na capital foi que resultou na morte do estudante do curso de Rádio e TV da faculdade Cásper Líbero Victor Hugo Deppman, de 19 anos. Ele foi morto durante um assalto em frente ao prédio onde morava no dia 9 de abril. O jovem não reagiu e chegou a entregar seu celular para o criminoso, que ainda assim disparou contra a cabeça do estudante.
Grella também afirmou que houve "pequena alta" de 9% no número de latrocínios no estado, mas que os casos foram "quase zerados" em São José do Rio Preto e Baixada Santista.
O secretário afirmou ainda que a queda no total de homicídios pode ser atribuída ao trabalho das policias Civil e Militar. “São Paulo e todas as regiões vêm registrando desde o início do ano uma tendência de queda. [...] Essa tendência se explica pelo trabalho redobrado que as polícias Civil e Militar têm desenvolvido. Seja nas prisões realizadas e apreensões de armas”, disse.
Crescem roubo e furtos de veículos
O balanço mensal do governo estadual mostrou que houve crescimento também dos casos de roubo e furtos de veículos. Foram 4.222 roubos no ano passado ante 4.025 em 2012 - alta de 4,89%. Já os casos de furto de veículos passaram de 3.873 para 4.258, incremento de 9,9% no mesmo período. Se somados, os crimes de subtração de veículos tiveram alta de 7,3%.
Ainda segundo dados da SSP, o roubo a banco registrou uma grande alta, de 80%. Foram 5 casos em abril de 2012 e 9 no mesmo mês deste ano na cidade de São Paulo.
Região metropolitana
Na Grande São Paulo, comparado-se os dados de março e abril deste ano é possível verificar um aumento nos casos de latrocínio, estupro, roubo a banco e furto de veículos, por exemplo. O número de vítimas de latrocínio, por exemplo, passou de 9 em março para 12.
No dia 25 de abril, a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, de 47 anos, morreu queimada após um assalto a seu consultório em São Bernardo do Campo. Três criminosos invadiram o consultório dela, na Rua Copacabana e anunciou o assalto. Como eles não encontraram dinheiro, a dentista entregou o cartão e a senha. Os criminosos voltaram, atearam fogo na vítima e fugiram em um carro.
Sobre o aumento do estupro, Grella relacionou o crime, por exemplo, ao consumo de drogas. Segundo ele, em muitos casos, o estuprador está sob efeito de entorpecente. "O estupro é um crime que nos deixa revoltados, causa repugnância e ele também faz parte da nossa prioridade", falou o secretário.
Estado
No estado, número de vítimas de homicídio caiu de 393 em abril de 2012 para 386 no mesmo mês de 2013 – queda de 1,7% Já as vítimas de latrocínio passaram de 33 para 36 no mesmo período da comparação – crescimento de 9,2%.
O estado viu o número de estupros passar de 958 para 1093 entre abril de 2012 e abril de 2013 – crescimento de 14%.
Os casos de roubo a banco mais que dobraram no estado: foram 18 em abril deste ano e 8 no mesmo mês do ano anterior – alta de 125%.
Os casos de roubo e furto de veículos também registraram alta. Foram 8.020 veículos roubados no mês passado ante 7.884 em abril de 2013 – alta de 1,7%; já os casos de furto, no mesmo período de comparação, passaram de  9.308 para 9.793 – crescimento de 5,2%.
Do G1 São Paulo

Comentários

  1. É Alckmin no DESGOVERNO DE SÃO PAULO. ;((

    ResponderExcluir
  2. ENQUANTO TIVER PAGANDO BOLSA CABRESTO, BOLSA SACANAGEM BOLSA RAIO QUE OS PARTAM E SÓ PENSAM EM REELEIÇÃO A INSEGURANÇA PÚBLICA CONTINUARÁ,SERÁ QUE OS BOÇAIS NÃO ENCHERGAM ONDE ESTÁ O ERRO= SÓ POR DEUS.

    ResponderExcluir
  3. TANBEM COM ESTE GOVERNADOR E SECRETARIO DE SEGURANÇA;ESPERAR O QUE?? E OLHA QUE VAI SUBIR MUITOOOOOOOOOOOOOO MAIS SE ELES CONTINUAR NO PODER

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …