Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

MAJOR DA PM E ESCRITOR, LOTADO NO CPI-9, ESCREVE CERTO, MAS VENDE POR LINHAS TORTAS!

Durante curso de treinamento anual de policiais militares, conhecido na PM como EAP (Estágio de Atualização Profissional), o Major Oriel, instrutor de uma das matérias, aproveitou a oportunidade e vendeu exemplares de livros de sua autoria para os alunos, os próprios policiais, que frequentaram o curso.
Sabe-se muito bem, pelo regulamento da Polícia Militar, que é proibido comercializar quaisquer produtos nas dependências da instituição.
 O Oficial demonstrou desrespeito ao corpo discente (alunos) do estágio e praticou uma conduta a ser apurada "criminosa", a qual, inclusive, tem o dever de coibir.
Além, é claro, da prática de não emissão de notas fiscais aos consumidores. No lugar das notas, ele ainda teve a audácia de autografar alguns exemplares de livros para os policiais que os compraram.
Vale lembrar, a profundidade de tudo isso. O órgão de ensino responsável pelo corpo docente (instrutores) do EAP (Gabinete de Treinamento) sabe da prática desse tipo de conduta? Ou o Major vende seus livros à sombra do Comando do CPI-9.
A APPMARESP,  enviará OFÍCIO ao Comandante do Policiamento (CPI-9), solicitando apuração da conduta do Oficial superior  e outras irregularidades postadas neste canal de comunicação, além de enviar à CORREGEDORIA DE POLÍCIA, este link para acompanhamento.
Fonte: http://www.appmaresp.com/

Matéria enviada por Diretoria da APPMARESP em "Sugerir postagem no blog" - Participe você também enviando a sua é só clicar aqui

Comentários

  1. Mais uma associação para arrancar dinheiro dos PMs???

    ResponderExcluir
  2. Vergonhoso é o modo como se apresenta a venda de livros nos interva-los do EAp aos interessados. Autografar e tirar nota ficsala só coisas distentas mas necessário saber ao menos ler e escrever para conhecer a diferença. Ser mais realista que o rei é medida para quem quem se aparecer... tente aquela com nariz de palhaça, sem roupas e com um espanador, acenando para todos na rua.... enfie o espanador onhe lhe der mai prazer ou porcure o que fazer. Nojenta uma postura dessa...

    ResponderExcluir
  3. Advinha quem será punido??? O oficial é certeza de não sofrer nenhuma sanção disciplinar, afinal é oficial superior. Coitados dos praças que adquiriram exemplar do tal livro. Corregedoria composta por oficiais, e como ja disse, é uns acorbertando o erro dos outros.

    ResponderExcluir
  4. A intenção dele pode ser até de boa fé, mas par ao regulamento da instituição não pode. Haverá uma apuração e isso só vai atrasar a promoção dele a CORONEL , TENENTE CORONEL, uma cadeia tirada, galho quebrado.... e só. MAIS SE FOSSE UMA PRAÇA............DEIXO PARA VOCEIS REFLETIREM, mais major........ele é major né.

    ResponderExcluir
  5. Acho nosso regulamento muito arcaico, em qualquer dos respeitaveis Estados de nossa honrosa Federação. Gostaria de que ocorressem mudanças na vida funcional dos MMEE, queria que pudessemos exercer outras atividades em nossas folgas sem sermos "caçados". Esse registro é para que pensemos em cobrar oportunidade de valorização fora das PMES's, mas deixo claro que não sou favorável ao caso que originou este post, pois, para mim, Praças deveriam ter direito de explorar outras atividades, Oficiais QOC, que atingem o topo da cadeia hierárquica, devem se concentrar e empenhar exclusivamente na atividade Policial Militar. É o que eu acho, abração, fuiiii.

    ResponderExcluir
  6. Eu acho que está havendo um equívoco, a questão não é se ele e oficial ou praça. Tive a oportunidade de conversar com o Capitão Oriel e ser uma das primeiras pessoas a adquirir o seu livro, resultado de sua monografia. A intensão é refletir dentro das Polícias Militares a questão das finanças e endividamento dos militares e como isso se reflete no exercício da função. Diante disso, teve a brilhante idéia de transformar sua monografia em livro, e isso com certeza teve um custo,e não foi o governo e nem a PM que bancou os custos. Por outro lado acredito que o Cap Oriel não vive de publicação de livros e nem precisa abrir uma livraria para vender uma publicação. PARABENS CAP ORIEL PELA EXCELENTE OBRA.
    NÃO SE GANHA AUMENTO SALARIAL SOMENTE QUANDO O GOVERNO AUMENTA O NOSSO SALÁRIO, MAS TAMBÉM QUANDO QUALIFICO MEUS GASTOS PELA EDUCAÇÃO FINANCEIRA QUE É NEGADA NO SISTEMA ATUAL DE ENSINO.

    ResponderExcluir
  7. Não vai acontecer nada com esse of. mas se fosse com um praça seria assim...
    USAR DA CONDIÇÃO DE POLICIAL MILITAR PARA RECEBER VANTAGENS INDEVIDA EM COMERCIO...
    rdpm O RQUERO DOS OFICIAIS....
    tEMOS QUE DAR RUM FIM NISSO...

    ResponderExcluir
  8. A conduta do Major Oriel está tipificada no Código penal Militar que assim dispõe: crime esse que recebe o nome de doutrinário de patrocínio indébito. Art: 334, Patrocinar, direta ou indiretamente, interesse privado perante a administração Militar Pena – Detenção, até três meses. Paragrafo único. Se o interesse é ilegítimo: Pena – Detenção, de três meses a um ano. A vitima desse delito é a ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E SUA MORALIDADE...ao vender os livros conforme denúncia surge a obrigação principal de recolher o tributo respectivo. ao não declarar a venda desses livros surge a obrigação tributária acessória.

    ResponderExcluir
  9. No mínimo você deve ser sócio em sua publicação!
    Outra coisa, além de ilegal é imoral, ou você já se esqueceu disso!

    ResponderExcluir
  10. CONFORME VERSA A DENÚNCIA, EU PESSOALMENTE ENTENDO QUE;

    O Oficial infringiu o Código Tributário Nacional E cometeu uma Sonegação fiscal. " o papel do livro é isento de imposto" o livro não. inclusive tem a obrigação tributaria acessória, que é de ter livro de movimentação, escrituração e etc... é crime. e o que teoricamente pode se agravar é que foi cometido dentro de uma ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESTADUAL MILITAR.

    ResponderExcluir
  11. Por isso que a PM está sempre esse lixo, vem esses velhos querer ensinar alguma coisa????

    ResponderExcluir
  12. Eu não vejo nada de mais o livro foi oferecido comprou quem quis, e dai? Qual o problema?

    ResponderExcluir
  13. É enquanto uns vendem livros outros vendem policiamento...

    ResponderExcluir
  14. Se não foram obrigados a comprar, acho que não tem nada haver, mas regulamento e para ser cumprido...

    ResponderExcluir
  15. Fiquei sabendo que o Oficial está sem dormir, espere para ver o que vêm!

    ResponderExcluir
  16. ALGUEM JÁ VIU ALGUMA VEZ UM PROMOTOR FISCALIZAR UM SJD ....A FALHA ESTA AI MEUS IRMÃOS

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

Justiça Militar manda PM reintegrar cabo acusado de matar atriz durante blitz em Presidente Prudente

Decisão publicada nesta quarta-feira (18) atende a um pedido de tutela de urgência feito pela defesa. Marcelo Aparecido Domingos Coelho foi demitido da corporação em abril de 2015. oi publicada nesta quarta-feira (18) no Diário da Justiça Militar a decisão do juiz substituto da 2ª Auditoria do Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo (TJM-SP), Marcos Fernando Theodoro Pinheiro, que determina a imediata reintegração de Marcelo Aparecido Domingos Coelho aos quadros da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Em abril de 2015, o então cabo da PM foi demitido pela corporação, após ser acusado no processo que envolveu a morte da atriz e produtora cultural Luana Barbosa durante uma blitz policial na Avenida Joaquim Constantino, na Vila Formosa, em Presidente Prudente.
O juiz levou em consideração a absolvição que Coelho obteve na Justiça Militar, sob o argumento de “legítima defesa” e do “estrito cumprimento do dever legal”, o que, segundo o magistrado, de certa forma, contradiz c…

PL 920: uma bomba atômica no funcionalismo público que Alckmin quer ver aprovado a todo custo.

O governador Geraldo Alckmin protocolou na quinta-feira, 5/10, o Projeto de Lei 920/2017, que representa uma verdadeira bomba atômica no Estado de São Paulo, sobretudo um verdadeiro ataque aos servidores estaduais e à prestação de serviços públicos. Publicado no Diário Oficial já no dia seguinte, o PL formaliza a renegociação da dívida de São Paulo com a União, ampliando o prazo de pagamento.
            Em contrapartida, o Estado se compromete a cumprir as exigências do governo federal, que impõe um verdadeiro arrocho salarial sobre os servidores públicos. Essa cruel punição aos servidores foi aprovada no ano passado pelo Congresso Nacional. Seu embrião foi o PLP 257, apresentado pela presidente Dilma, que depois foi maquiado pelo governo Temer e transformado na Lei Complementar federal 156/2016.
            Se o PL 920 for aprovado – e espero que não seja –, haverá um congelamento não só de salários, mas também da evolução funcional de todos os servidores estaduais, ficando suspens…

GENERAL QUE COMANDA A ABIN FALA EM VAZIO DE LIDERANÇAS E ELOGIA FEITOS DA DITADURA

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional do governo Temer, Sérgio Westphalen Etchegoyen, causou incômodo em parte da comunidade diplomática durante uma palestra no Instituto Rio Branco. O general sugeriu “medidas extremas” para a segurança pública, elogiou feitos dos anos de chumbo e disse que o país sofre com amoralidade e com patrulha do “politicamente correto”.
Etchegoyen começou a fala de quase duas horas contando que tinha sido soldado por 47 anos e que era por essa ótica, militar, que enxergava e
interpretava o mundo. Depois do alerta, tentou quebrar o gelo:
“Sou da arma de cavalaria e tem um problema que a ausência do meu cavalo reduz minha capacidade intelectual em uns 45, 40 por cento”, começou general da reserva que comanda, entre outros órgãos, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin). A plateia, majoritariamente composta por futuros diplomatas, riu discretamente.
Foi um dos poucos momentos de descontração. No restante do tempo, segundo pessoas que estiveram present…

Alckmin propõe reajuste de 7% para policiais

ATENÇÃO- ATENÇÃO ESTA NOTÍCIA É DO ANO DE 2013 E ESTA CIRCULANDO NAS REDES SOCIAIS COMO SENDO ATUAL

O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta sexta-feira, 13, o envio à Assembleia Legislativa de um projeto de lei que concede aumento salarial de 7% para os membros da Polícia Militar, da Polícia Civil e da Polícia Técnico-Científica. O reajuste também será estendido aos agentes penitenciários. Aposentados e pensionistas das quatro categorias também terão o mesmo benefício. No total, serão beneficiados 172 mil policiais militares, 53 mil policiais civis e 33 mil agentes penitenciários. O custo para o Tesouro do Estado será de R$ 983 milhões por ano. Esta é a terceira vez que o governador Alckmin concede aumento salarial acima da inflação do período. Desde o último reajuste, o índice oficial de inflação acumulada é 5,66%. Em outubro de 2011, os policiais tiveram 15% de aumento retroativo a julho de 2011. Em agosto de 2012, o aumento foi de 11%. Com a nova proposta, o reajus…

Policial civil morto em mega-assalto a empresa de valores é enterrado

Vítima foi morta a tiros durante ação dos criminosos que explodiram sede da Protege em Araçatuba (SP). Policial estava de folga. O corpo do policial civil André Luís Ferro da Silva, morto durante o mega-assalto a empresa Protege em Araçatuba (SP) nesta segunda-feira (16), foi enterrado na manhã desta terça-feira (17) em um cemitério particular da cidade. Ferro tinha 37 anos e foi baleado durante a ação. Ele foi socorrido com vida, mas morreu durante atendimento na Santa Casa. Silva era investigador e integrante do Grupo de Operações Especiais (GOE), e deixou filhos e a esposa.
O velório da vítima foi feito em um salão de uma funerária em Araçatuba e, do local, o caixão seguiu em um caminhão do Corpo de Bombeiros em cortejo com viaturas das polícias Militar e Civil até o cemitério. Segundo a Polícia Militar, o policial civil estava de folga do serviço e foi ao local para ver o que acontecia após ser chamado pelos pais, que moram perto da sede da Protege.
O grupo criminoso, cerca de 40 la…