Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

MAJOR DA PM E ESCRITOR, LOTADO NO CPI-9, ESCREVE CERTO, MAS VENDE POR LINHAS TORTAS!

Durante curso de treinamento anual de policiais militares, conhecido na PM como EAP (Estágio de Atualização Profissional), o Major Oriel, instrutor de uma das matérias, aproveitou a oportunidade e vendeu exemplares de livros de sua autoria para os alunos, os próprios policiais, que frequentaram o curso.
Sabe-se muito bem, pelo regulamento da Polícia Militar, que é proibido comercializar quaisquer produtos nas dependências da instituição.
 O Oficial demonstrou desrespeito ao corpo discente (alunos) do estágio e praticou uma conduta a ser apurada "criminosa", a qual, inclusive, tem o dever de coibir.
Além, é claro, da prática de não emissão de notas fiscais aos consumidores. No lugar das notas, ele ainda teve a audácia de autografar alguns exemplares de livros para os policiais que os compraram.
Vale lembrar, a profundidade de tudo isso. O órgão de ensino responsável pelo corpo docente (instrutores) do EAP (Gabinete de Treinamento) sabe da prática desse tipo de conduta? Ou o Major vende seus livros à sombra do Comando do CPI-9.
A APPMARESP,  enviará OFÍCIO ao Comandante do Policiamento (CPI-9), solicitando apuração da conduta do Oficial superior  e outras irregularidades postadas neste canal de comunicação, além de enviar à CORREGEDORIA DE POLÍCIA, este link para acompanhamento.
Fonte: http://www.appmaresp.com/

Matéria enviada por Diretoria da APPMARESP em "Sugerir postagem no blog" - Participe você também enviando a sua é só clicar aqui

Comentários

  1. Mais uma associação para arrancar dinheiro dos PMs???

    ResponderExcluir
  2. Vergonhoso é o modo como se apresenta a venda de livros nos interva-los do EAp aos interessados. Autografar e tirar nota ficsala só coisas distentas mas necessário saber ao menos ler e escrever para conhecer a diferença. Ser mais realista que o rei é medida para quem quem se aparecer... tente aquela com nariz de palhaça, sem roupas e com um espanador, acenando para todos na rua.... enfie o espanador onhe lhe der mai prazer ou porcure o que fazer. Nojenta uma postura dessa...

    ResponderExcluir
  3. Advinha quem será punido??? O oficial é certeza de não sofrer nenhuma sanção disciplinar, afinal é oficial superior. Coitados dos praças que adquiriram exemplar do tal livro. Corregedoria composta por oficiais, e como ja disse, é uns acorbertando o erro dos outros.

    ResponderExcluir
  4. A intenção dele pode ser até de boa fé, mas par ao regulamento da instituição não pode. Haverá uma apuração e isso só vai atrasar a promoção dele a CORONEL , TENENTE CORONEL, uma cadeia tirada, galho quebrado.... e só. MAIS SE FOSSE UMA PRAÇA............DEIXO PARA VOCEIS REFLETIREM, mais major........ele é major né.

    ResponderExcluir
  5. Acho nosso regulamento muito arcaico, em qualquer dos respeitaveis Estados de nossa honrosa Federação. Gostaria de que ocorressem mudanças na vida funcional dos MMEE, queria que pudessemos exercer outras atividades em nossas folgas sem sermos "caçados". Esse registro é para que pensemos em cobrar oportunidade de valorização fora das PMES's, mas deixo claro que não sou favorável ao caso que originou este post, pois, para mim, Praças deveriam ter direito de explorar outras atividades, Oficiais QOC, que atingem o topo da cadeia hierárquica, devem se concentrar e empenhar exclusivamente na atividade Policial Militar. É o que eu acho, abração, fuiiii.

    ResponderExcluir
  6. Eu acho que está havendo um equívoco, a questão não é se ele e oficial ou praça. Tive a oportunidade de conversar com o Capitão Oriel e ser uma das primeiras pessoas a adquirir o seu livro, resultado de sua monografia. A intensão é refletir dentro das Polícias Militares a questão das finanças e endividamento dos militares e como isso se reflete no exercício da função. Diante disso, teve a brilhante idéia de transformar sua monografia em livro, e isso com certeza teve um custo,e não foi o governo e nem a PM que bancou os custos. Por outro lado acredito que o Cap Oriel não vive de publicação de livros e nem precisa abrir uma livraria para vender uma publicação. PARABENS CAP ORIEL PELA EXCELENTE OBRA.
    NÃO SE GANHA AUMENTO SALARIAL SOMENTE QUANDO O GOVERNO AUMENTA O NOSSO SALÁRIO, MAS TAMBÉM QUANDO QUALIFICO MEUS GASTOS PELA EDUCAÇÃO FINANCEIRA QUE É NEGADA NO SISTEMA ATUAL DE ENSINO.

    ResponderExcluir
  7. Não vai acontecer nada com esse of. mas se fosse com um praça seria assim...
    USAR DA CONDIÇÃO DE POLICIAL MILITAR PARA RECEBER VANTAGENS INDEVIDA EM COMERCIO...
    rdpm O RQUERO DOS OFICIAIS....
    tEMOS QUE DAR RUM FIM NISSO...

    ResponderExcluir
  8. A conduta do Major Oriel está tipificada no Código penal Militar que assim dispõe: crime esse que recebe o nome de doutrinário de patrocínio indébito. Art: 334, Patrocinar, direta ou indiretamente, interesse privado perante a administração Militar Pena – Detenção, até três meses. Paragrafo único. Se o interesse é ilegítimo: Pena – Detenção, de três meses a um ano. A vitima desse delito é a ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E SUA MORALIDADE...ao vender os livros conforme denúncia surge a obrigação principal de recolher o tributo respectivo. ao não declarar a venda desses livros surge a obrigação tributária acessória.

    ResponderExcluir
  9. No mínimo você deve ser sócio em sua publicação!
    Outra coisa, além de ilegal é imoral, ou você já se esqueceu disso!

    ResponderExcluir
  10. CONFORME VERSA A DENÚNCIA, EU PESSOALMENTE ENTENDO QUE;

    O Oficial infringiu o Código Tributário Nacional E cometeu uma Sonegação fiscal. " o papel do livro é isento de imposto" o livro não. inclusive tem a obrigação tributaria acessória, que é de ter livro de movimentação, escrituração e etc... é crime. e o que teoricamente pode se agravar é que foi cometido dentro de uma ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESTADUAL MILITAR.

    ResponderExcluir
  11. Por isso que a PM está sempre esse lixo, vem esses velhos querer ensinar alguma coisa????

    ResponderExcluir
  12. Eu não vejo nada de mais o livro foi oferecido comprou quem quis, e dai? Qual o problema?

    ResponderExcluir
  13. É enquanto uns vendem livros outros vendem policiamento...

    ResponderExcluir
  14. Se não foram obrigados a comprar, acho que não tem nada haver, mas regulamento e para ser cumprido...

    ResponderExcluir
  15. Fiquei sabendo que o Oficial está sem dormir, espere para ver o que vêm!

    ResponderExcluir
  16. ALGUEM JÁ VIU ALGUMA VEZ UM PROMOTOR FISCALIZAR UM SJD ....A FALHA ESTA AI MEUS IRMÃOS

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

Morre segundo policial militar atingido por tiro de fuzil em Pompéu

Cabo Lucas Reis Rosa foi internado e teve braço amputado após confronto com criminosos que explodiram uma agência bancária. Outro policial e um entregador também foram mortos. A Polícia Militar (PM) confirmou, na manhã desta sexta-feira (8), a morte do cabo Lucas Reis Rosa. Ele estava internado desde a madrugada de terça-feira (5) quando foi atingido por um tiro de fuzil durante confronto com criminosos que explodiram uma agência bancária em Pompéu. Segundo a Polícia Militar, o óbito foi constatado as 9h50 desta sexta. Em nota, a PM informou que o cabo teve reações inflamatórias graves, pós-cirúrgicas ao trauma. Na quarta-feira (6), Lucas Reis passou por duas cirurgias, uma delas foi para a amputação total do braço direito. “Estamos entrando em contato com a família para dar o devido apoio e verificar questões relacionadas a local e horário do velório e enterro”, informou o comandante da 7ª Região da Polícia Militar, coronel Helbert Willian Carvalhaes. Confronto Na madrugada de terça…

Policial militar é sequestrado e assassinado a tiros em Paulista

Um policial militar foi assassinado com nove tiros, na Estrada do Pica-Pau, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife. A vítima foi identificada como Lindembergue Gomes da Silva, de 53 anos, foi encontrado ás margens da estrada, em Paratibe. De acordo com os peritos do instituto de Criminalidade (IC), ele foi atingido por um tiro no rosto e os outros nas costas. Os peritos acreditam que o PM pode ter sido morto com a própria arma.
Segundo a polícia, o militar, que atuava como comerciante, teria sido levado da casa dele, no bairro da Mirueira, por dois homens. Ele teria sido levado para o local do crime no próprio carro, uma caminhonete, que foi abandonada em Abreu e Lima. Nenhum pertence da vitima foi encontrado. A policia recebeu a informação de que o PM reformado era agiota, o que pode ter motivado o assassinato.

Fonte: Tv jornal uol

Brasil dobra número de presos em 11 anos, diz levantamento; de 726 mil detentos, 40% não foram julgados

Estudo divulgado pelo Ministério da Justiça é de junho de 2016. País é o terceiro do mundo em número de detentos. Estado com maior superlotação é o Amazonas (cinco presos por vaga). Uma nova edição do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen) divulgada nesta sexta-feira (8) pelo Ministério da Justiça informa que, em junho de 2016, a população carcerária do Brasil atingiu a marca de 726,7 mil presos, mais que o dobro de 2005, quando o estudo começou a ser realizado. Naquele ano, o Brasil tinha 361,4 mil presos, de acordo com o levantamento. Esses 726 mil presos ocupam 368 mil vagas, média de dois presos por vaga (leia mais abaixo sobre superlotação). "Houve um pequeno acréscimo de unidades prisionais a partir de 2014, muito embora não seja o suficiente para abrigar a massa carcerária que vem aumentando no Brasil. Então, o que nos temos, é um aumento da população carcerária e, praticamente, uma estabilidade no que se refere à oferta de vagas e oferta de estabel…

AFAM: NOVIDADES SOBRE AÇÃO JUDICIAL DA INCORPORAÇÃO DE 100% DO ALE NOS VENCIMENTOS DOS POLICIAIS E BOMBEIROS DE SÃO PAULO

Agora já são em número de 05 as Câmaras de Direito Público a adotar esse entendimento. Novas e recentes decisões do Tribunal de Justiça de São Paulo, em Mandados de Segurança individuais, têm confirmado o entendimento de que a incorporação total do ALE ao Salário-Base (Padrão) é direito de todos os policiais militares. Em Acórdão de 11 de março de 2013, relativo à Apelação/Reexame Necessário nº. 0029083-82.2012.8.26.0053, assim se manifestou a 6 ª. Câmara de Direito Público do TJ/SP: “Assim, no caso do impetrante, policial em atividade, quinquênios, sexta-parte e RETP incidem sobre as vantagens efetivamente incorporadas, dentre as quais, a partir da LC nº 1.114/10, o ALE”.... http://www.afam.com.br/
Veja abaixo todas as novidades:






REVOLTA DA ASSOCIAÇÃO DOS CABOS E SOLDADOS DA PMESP COM GOVERNO ALCKMIN

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo luta contra uma mentira da Procuradoria Geral do Estado; e, infelizmente, endossada pelo Governador do Estado. Ocorre que a Procuradoria, por meio da suspensão da Tutela Antecipada nº 678 junto ao Supremo Tribunal Federal fez constar em sua petição o valor aproximado de R$ 1,5 bilhão. Em síntese, disse ao Presidente do STF, Exmo. Senhor Ministro Ayres Britto que o custo criaria uma lesão ao erário público, assim, permitiu suprimir verbas alimentares de Policiais Militares. Neste sentido, passamos a conhecer melhor o Governo Geraldo Alckmin.
O Governo do Estado tinha conhecimento que o Policial Militar recebia o recálculo retroativo a novembro de 2010 por intermédio de uma ação judicial; e que nunca se tratou de uma tutela antecipada mas sim, de cumprimento provisório de sentença, iniciado após o Tribunal de Justiça de São Paulo, na 2ª Instância, ter garantido a fórmula correta de cálculo da verba aos Policiais…