Pular para o conteúdo principal

Rádio PolicialBR 24 horas com você. Notícias e entretenimento.

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

MAJOR DA PM E ESCRITOR, LOTADO NO CPI-9, ESCREVE CERTO, MAS VENDE POR LINHAS TORTAS!

Durante curso de treinamento anual de policiais militares, conhecido na PM como EAP (Estágio de Atualização Profissional), o Major Oriel, instrutor de uma das matérias, aproveitou a oportunidade e vendeu exemplares de livros de sua autoria para os alunos, os próprios policiais, que frequentaram o curso.
Sabe-se muito bem, pelo regulamento da Polícia Militar, que é proibido comercializar quaisquer produtos nas dependências da instituição.
 O Oficial demonstrou desrespeito ao corpo discente (alunos) do estágio e praticou uma conduta a ser apurada "criminosa", a qual, inclusive, tem o dever de coibir.
Além, é claro, da prática de não emissão de notas fiscais aos consumidores. No lugar das notas, ele ainda teve a audácia de autografar alguns exemplares de livros para os policiais que os compraram.
Vale lembrar, a profundidade de tudo isso. O órgão de ensino responsável pelo corpo docente (instrutores) do EAP (Gabinete de Treinamento) sabe da prática desse tipo de conduta? Ou o Major vende seus livros à sombra do Comando do CPI-9.
A APPMARESP,  enviará OFÍCIO ao Comandante do Policiamento (CPI-9), solicitando apuração da conduta do Oficial superior  e outras irregularidades postadas neste canal de comunicação, além de enviar à CORREGEDORIA DE POLÍCIA, este link para acompanhamento.
Fonte: http://www.appmaresp.com/

Matéria enviada por Diretoria da APPMARESP em "Sugerir postagem no blog" - Participe você também enviando a sua é só clicar aqui

Comentários

  1. Mais uma associação para arrancar dinheiro dos PMs???

    ResponderExcluir
  2. Vergonhoso é o modo como se apresenta a venda de livros nos interva-los do EAp aos interessados. Autografar e tirar nota ficsala só coisas distentas mas necessário saber ao menos ler e escrever para conhecer a diferença. Ser mais realista que o rei é medida para quem quem se aparecer... tente aquela com nariz de palhaça, sem roupas e com um espanador, acenando para todos na rua.... enfie o espanador onhe lhe der mai prazer ou porcure o que fazer. Nojenta uma postura dessa...

    ResponderExcluir
  3. Advinha quem será punido??? O oficial é certeza de não sofrer nenhuma sanção disciplinar, afinal é oficial superior. Coitados dos praças que adquiriram exemplar do tal livro. Corregedoria composta por oficiais, e como ja disse, é uns acorbertando o erro dos outros.

    ResponderExcluir
  4. A intenção dele pode ser até de boa fé, mas par ao regulamento da instituição não pode. Haverá uma apuração e isso só vai atrasar a promoção dele a CORONEL , TENENTE CORONEL, uma cadeia tirada, galho quebrado.... e só. MAIS SE FOSSE UMA PRAÇA............DEIXO PARA VOCEIS REFLETIREM, mais major........ele é major né.

    ResponderExcluir
  5. Acho nosso regulamento muito arcaico, em qualquer dos respeitaveis Estados de nossa honrosa Federação. Gostaria de que ocorressem mudanças na vida funcional dos MMEE, queria que pudessemos exercer outras atividades em nossas folgas sem sermos "caçados". Esse registro é para que pensemos em cobrar oportunidade de valorização fora das PMES's, mas deixo claro que não sou favorável ao caso que originou este post, pois, para mim, Praças deveriam ter direito de explorar outras atividades, Oficiais QOC, que atingem o topo da cadeia hierárquica, devem se concentrar e empenhar exclusivamente na atividade Policial Militar. É o que eu acho, abração, fuiiii.

    ResponderExcluir
  6. Eu acho que está havendo um equívoco, a questão não é se ele e oficial ou praça. Tive a oportunidade de conversar com o Capitão Oriel e ser uma das primeiras pessoas a adquirir o seu livro, resultado de sua monografia. A intensão é refletir dentro das Polícias Militares a questão das finanças e endividamento dos militares e como isso se reflete no exercício da função. Diante disso, teve a brilhante idéia de transformar sua monografia em livro, e isso com certeza teve um custo,e não foi o governo e nem a PM que bancou os custos. Por outro lado acredito que o Cap Oriel não vive de publicação de livros e nem precisa abrir uma livraria para vender uma publicação. PARABENS CAP ORIEL PELA EXCELENTE OBRA.
    NÃO SE GANHA AUMENTO SALARIAL SOMENTE QUANDO O GOVERNO AUMENTA O NOSSO SALÁRIO, MAS TAMBÉM QUANDO QUALIFICO MEUS GASTOS PELA EDUCAÇÃO FINANCEIRA QUE É NEGADA NO SISTEMA ATUAL DE ENSINO.

    ResponderExcluir
  7. Não vai acontecer nada com esse of. mas se fosse com um praça seria assim...
    USAR DA CONDIÇÃO DE POLICIAL MILITAR PARA RECEBER VANTAGENS INDEVIDA EM COMERCIO...
    rdpm O RQUERO DOS OFICIAIS....
    tEMOS QUE DAR RUM FIM NISSO...

    ResponderExcluir
  8. A conduta do Major Oriel está tipificada no Código penal Militar que assim dispõe: crime esse que recebe o nome de doutrinário de patrocínio indébito. Art: 334, Patrocinar, direta ou indiretamente, interesse privado perante a administração Militar Pena – Detenção, até três meses. Paragrafo único. Se o interesse é ilegítimo: Pena – Detenção, de três meses a um ano. A vitima desse delito é a ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E SUA MORALIDADE...ao vender os livros conforme denúncia surge a obrigação principal de recolher o tributo respectivo. ao não declarar a venda desses livros surge a obrigação tributária acessória.

    ResponderExcluir
  9. No mínimo você deve ser sócio em sua publicação!
    Outra coisa, além de ilegal é imoral, ou você já se esqueceu disso!

    ResponderExcluir
  10. CONFORME VERSA A DENÚNCIA, EU PESSOALMENTE ENTENDO QUE;

    O Oficial infringiu o Código Tributário Nacional E cometeu uma Sonegação fiscal. " o papel do livro é isento de imposto" o livro não. inclusive tem a obrigação tributaria acessória, que é de ter livro de movimentação, escrituração e etc... é crime. e o que teoricamente pode se agravar é que foi cometido dentro de uma ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESTADUAL MILITAR.

    ResponderExcluir
  11. Por isso que a PM está sempre esse lixo, vem esses velhos querer ensinar alguma coisa????

    ResponderExcluir
  12. Eu não vejo nada de mais o livro foi oferecido comprou quem quis, e dai? Qual o problema?

    ResponderExcluir
  13. É enquanto uns vendem livros outros vendem policiamento...

    ResponderExcluir
  14. Se não foram obrigados a comprar, acho que não tem nada haver, mas regulamento e para ser cumprido...

    ResponderExcluir
  15. Fiquei sabendo que o Oficial está sem dormir, espere para ver o que vêm!

    ResponderExcluir
  16. ALGUEM JÁ VIU ALGUMA VEZ UM PROMOTOR FISCALIZAR UM SJD ....A FALHA ESTA AI MEUS IRMÃOS

    ResponderExcluir

Postar um comentário

ANTES DE ESCREVER LEIA COM ATENÇÃO: Palavras de baixo calão, racismo, ofensas, ameaças e tudo mais de não estejam de acordo com os bons costumes e as leis vigentes não será aprovado. Expressão do pensamento é um direito Constitucional, expresse o seu com educação e propriedade. Os comentários publicados não traduzem a opinião do blog. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e mundiais e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo. O IP do comentarista fica arquivado e pode ser fornecido por Ordem Judicial.

| Mais Acessados na Última Semana |

ROTA invade tribunal e resgata ex-presidiário

Sim, o título acima está correto. Numa incrível operação relâmpago, PMs de ROTA impedem que tribunal do crime assassine um ex-presidiário

A ROTA está nas ruas 24 horas por dia, todos os dias, o ano inteiro. Seu efetivo é dividido em três Companhias: Noturna, Matutina e Vespertina. Esta matéria relata uma incrível ocorrência de resgate conduzida pelo Pelotão do Tenente PM Soares, que patrulhava a Zona Leste de São Paulo às 21:40 nesta segunda-feira, dia 14. “O despacho do Policiamento de Choque do COPOM nos informou que uma pessoa estava sendo torturada na favela Eliane, numa casa com detalhes verdes no seu portão, localizada na rua Esperança. Pelas particularidades que nos foram relatadas, estava claro que a ocorrência envolvia a ação de um ‘tribunal do crime’ provavelmente comandado pelo PCC. Imediatamente acionei meu Pelotão”, relata o Tenente de ROTA Soares. O nome dessa rua, 'Esperança', não podia ser menos adequado em função do cenário que os PMs iriam encontrar em poucos…

Aprovado PL que da poder de polícia administrativa às polícias e bombeiros militares do Brasil

O poder de polícia administrativa trás condições das polícia militares e bombeiros atuarem de forma efetiva em eventos, estabelecimentos comerciais e outros. Autor: Capitão Augusto - PR/SPData da apresentação:  04/02/2015 Ementa: Regula as ações de Polícia Administrativa exercida pelos Corpos de Bombeiros Militares dentro das suas atribuições de prevenção e extinção de incêndio, e perícias de incêndios e ações de defesa civil, de busca salvamento, de resgate e atendimento pré-hospitalar e de emergência; e pelas Polícias Militares no exercício da Polícia Ostensiva e Polícia de Preservação da Ordem Pública, e dá outras ...Leia integra do PL 196/2015Regula as ações de Polícia Administrativa exercida pelos Corpos de Bombeiros Militares dentro das suas atribuições de prevenção e extinção de incêndio, e perícias de incêndios e ações de defesa civil, de busca salvamento, de resgate e atendimento pré-hospitalar e de emergência; e pelas Polícias Militares no exercício da Polícia Ostensiva e Pol…

Usar arma de uso restrito com porte ilegal agora é crime hediondo

Aprovada urgência para projeto que torna crime hediondo o porte ilegal de armas de uso restrito O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 332 votos a 7 e 2 abstenções, o regime de urgência para o Projeto de Lei 3376/15, do Senado, que torna crime hediondo a posse ou o porte ilegal de arma de fogo de uso restrito das forças policiais e militares. Após a votação, a sessão ordinária foi encerrada. Projeto de Lei do Senado nº 230, de 2014, de autoria do Senador Marcelo Crivella, constante dos autógrafos em anexo, que “Altera a Lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990, para incluir o crime de posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito no rol dos crimes hediondos”. A Lei 8.072/90 define como hediondos os crimes de homicídio praticado por grupo de extermínio; homicídio qualificado; latrocínio; genocídio; extorsão qualificada por morte; extorsão mediante sequestro; estupro; disseminação de epidemia que provoque morte; falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto …

Policiais e bombeiros militares não sabem a força que tem

Deputado Federal Capitão Augusto orienta os militares de São Paulo sobre a força política da classe
Por mais que façamos aqui pela Câmara dos Deputados, aprovando projetos dando mais direitos e garantias aos policiais e não deixando ser aprovado nenhum projeto que os prejudique, a grande reivindicação que recebo dos policiais refere-se a questão do aumento salarial.
Infelizmente Deputados não podem apresentar projetos que gerem despesas para o executivo, então está fora de nossa competência atender essa solicitação, o que nos resta é cobrar (e muito) do governador e fazer articulação para que ele conceda o tão esperado aumento salarial.
Hoje temos força política para eleger representantes para Assembleia Legislativa, Câmara dos Deputados e para todos cargos nas eleições municipais. Está na hora de influenciarmos as eleições para Governador e Senador, um que reconheça nosso valor, ou ficaremos fadados a apenas reclamar nos bastidores.
Nós podemos muito mais que isso! Somos quase 150.000 po…

Vaccarezza é preso em nova fase da Operação Lava Jato em São Paulo

Ex-deputado, que deixou o PT, foi líder dos governos Lula e Dilma. Segundo o MPF, ele recebeu a maior parte de um total de propina que soma US$ 500 mil. O ex-líder dos governos Lula e Dilma na Câmara dos Deputados Cândido Vaccarezza, que deixou o PT, foi preso nesta sexta-feira (18) em São Paulo. Ele é alvo da Operação Abate, uma das duas novas fases da Operação Lava Jato deflagradas nesta manhã. A prisão é temporária, válida por cinco dias. Por volta das 9h, Vaccarezza estava em casa sob custódia da PF. Ele deve seguir para Curitiba ainda nesta sexta. O G1 tenta contato com a defesa do ex-deputado, com PT e com as empresas citadas. Principais pontos das investigações Ações apuram o favorecimento de empresas estrangeiras em contratos com Petrobras. Operação Abate investiga fraudes no fornecimento de asfalto para a Petrobras por uma empresa norte-americana, entre 2010 e 2013. Funcionários da Petrobras, o PT e, principalmente, Cândido Vaccarezza teriam recebido propinas que somam US$ 5…