Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

Governador decreta intervenção da PM nas unidades prisionais

Porto Velho - Rondônia: Uma coletiva de imprensa concedida na manhã dessa quarta-feira (8), no Comando Geral da Polícia Militar do Estado, reuniu o secretário adjunto da Secretaria de Estado de Justiça (Sejus), Zaqueu Vieira Ramos; o secretário de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), Marcelo Bessa; e o comandante geral da PM, Paulo César de Figueiredo003B para esclarecer à população sobre as últimas medidas adotadas pelo Governo da Cooperação quanto à segurança e manutenção da normalidade dentro das unidades prisionais de Rondônia.
Diante do movimento paredista dos agentes penitenciários, que já chega ao 8º dia de greve, e o descumprimento da manutenção de 70% servidores trabalhando, conforme liminar judicial, um decreto do governador Confúcio Moura expedido na terça-feira (7) determina a intervenção da Polícia Militar nas unidades. “Nós vamos entrar para, não só garantir a segurança nas unidades prisionais, mas também fazer com que os direitos dos apenados, resguardados pela Lei de Execuções Penais sejam respeitados, como a locomoção para o banho de sol, atendimento de saúde, e as visitas voltem a acontecer normalmente”, disse o secretário de Segurança, Defesa e Cidadania, Marcelo Bessa.
Ainda segundo Bessa, a PM está realizando diariamente revistas criteriosas dentro da carceragem para assim manter a ordem e a disciplina nas unidades. O secretário adjunto da Sejus, Zaqueu Vieira Ramos, explica que a parceria entre a Sejus e a Sesdec é um meio positivo de trabalho encontrado pelo Governo da Cooperação, respeitando os direitos dos reeducandos em ter as atividades previstas por lei resguardadas. Todas as unidades prisionais estão sob o comando de um oficial da PM.
Com o decreto sendo cumprido, e as estratégias da Polícia Militar sendo executadas adequadamente, o adjunto da Sejus, Zaqueu Vieira Ramos garante que, no próximo final de semana, as visitas de familiares aos reeducandos volta a acontecer normalmente. Zaqueu explica que, em relação à greve, a mesa técnica de negociação está fazendo o que é possível para chegar a um consenso com a categoria. “Nós temos um dos melhores salários do país nessa categoria, e somente nesta gestão o aumento salarial atingiu a quase 100%. O Governo da Cooperação tem trabalhado para melhorar as condições de trabalho e diminuir a população carcerária, mas isso é trabalho a longo prazo, para corrigir uma falha de quase 30 anos de abandono do sistema prisional por parte dos governos anteriores”, conta.

Zaqueu enfatiza que “apesar da crise econômica que atinge o Estado, nós somos o terceiro Estado a implantar o uso de tornozeleiras que facilita a utilização da mão de obra apenada, somos o primeiro Estado do país a receber o projeto de classificação apenada, o que deve transformar Rondônia em Estado modelo, temos capacitado os servidores com cursos de reciclagem, e buscando o quanto antes agilizar o processo de aquisição de novos equipamentos de trabalho, mas é preciso que a categoria também seja flexível nesse entendimento quanto às propostas de negociação. Nós esperamos o quanto antes resolver esse impasse”, conclui o secretário adjunto da Sejus.
O comandante geral da PM, Paulo César de Figueiredo esclarece que a população não ficará desguarnecida por conta da intervenção da PM nas unidades prisionais. “Ainda esta semana, nós estaremos convocando em caráter emergencial todos os nossos policiais da reserva para dar o suporte necessário, e assim podermos manter a ordem e a segurança, não só nos presídios, mas também na cidade”.
Rondônia notícias

Comentários

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …