Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Deputado propõe alteração na jornada de trabalho como forma de combater a criminalidade

PMs rechaçam mudança na escala de serviço.
O presidente da Associação dos Praças da Polícia Militar (PM), soldado Wagner Simas, rebateu ontem o pronunciamento do deputado estadual Joãozinho Pereira (PSDB), que sugeriu, na última terça-feira, como forma de combater a criminalidade no Estado, uma escala de serviço para os policiais militares de Alagoas de 12 horas de serviço por 12 horas de descanso.
Segundo o deputado estadual, esse tipo de escala é aplicado nas PMs de Estados como São Paulo, Rio Grande do Sul e Pernambuco e apresenta resultados positivos. Em Alagoas, os PMs trabalham em escalas de 12 horas de trabalho por 36 horas de descanso.
“Na realidade, nenhum militar de Alagoas trabalha nessa escala de 12 por 36, como o deputado Joãozinho Pereira falou, justamente pela falta de efetivo”, disse Simas, ao explicar que a jornada de serviço adotada tem sido a de 24 horas de trabalho por 48 horas de descanso.
Para Simas, a sugestão do deputado Joãozinho Pereira não resolve o problema da criminalidade em Alagoas. “Precisamos é de concurso público. Temos um deficit de 5 mil policiais no nosso efetivo”, disse Wagner Simas. Ele também rebateu a afirmativa de Joãozinho Pereira, que disse que, nos dois dias de folga, policiais se dedicam aos próprios negócios, como bares e mercearias, quando deveriam estar combatendo o crime.
“Na verdade, 80% da tropa está se arriscando e fazendo bico para complementar a renda”, disse Simas.
O deputado Joãozinho Pereira explicou que a escala de 12h de trabalho, por 12 horas de descanso seria aplicada ao policial que quisesse trabalhar desta forma. “Mas ele receberia pelas horas a mais trabalhadas. O Estado teria que pagar. Ele iria exercer sua função com prazer”, disse o deputado.
Ele conta que esteve pessoalmente em São Paulo, no momento em que estava havendo a perseguição a policiais. “Vi lá que, naquele momento, a escala era de 12 por 12 e a PM estava dando a resposta, os policiais estavam na rua. Gostaria muito de ver a PM trabalhando da mesma forma aqui em Alagoas, pois a criminalidade está muito grande”, disse Joãozinho Pereira.
Wagner Simas disse que os policiais militares de Alagoas já adotam a escala de 12 horas de trabalho por 12 horas de descanso em períodos de carnaval e de eleições. (GAZETA DE ALAGOAS).

Comentários

  1. É O PSDB QUERENDO ESCRAVIZAR TODAS AS POLICIAS, JÁ NÃO BASTA A ESCRAVIDÃO DA PMESP COM ALCKMIN O CARRASCO [-(

    ResponderExcluir
  2. Isso poderia até acontecer, desde que os deputados cumprissem sua carga horária de 44 horas semanais, o que em muitos casos não chega nem a 10 horas por semana, no mesmo sentido de tornar mais eficiente o trabalho dos deputados, que ao contrário dos militares na ocorrência de falta são punidos, porém os deputados nunca o são.

    ResponderExcluir
  3. E so criar leis melhor e diminuir a maioridade né deputado joãozinho é mais facio mexer na PM.

    ResponderExcluir
  4. Vamos propor a mesma jornada de trabalho para esses deputados, quem sabe eles comecem a trabalhar realmente e parem de brincar com a população.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :p Concordo deveriam ter a mesma jornada para melhorar a política

      Excluir
    2. É muito facil para este Deputado sou de São Paulo e a policia não esta dando resposta coisa nenhuma é só ver os Telejornais tenho familiar na PM, esta falando bobagens! Qto a escala eu sou a favor desde que os Deputados trabalhasse com a mesma escala e com o salário de um PM, assim vossa senhoria daria mais valor a Segurança do seu Estado!

      Excluir
  5. Concordo, desde que troquemos o salario, só podreria ser um joãozinho. Isso deve ser mais uma piada

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

AFAM: NOVIDADES SOBRE AÇÃO JUDICIAL DA INCORPORAÇÃO DE 100% DO ALE NOS VENCIMENTOS DOS POLICIAIS E BOMBEIROS DE SÃO PAULO

Agora já são em número de 05 as Câmaras de Direito Público a adotar esse entendimento. Novas e recentes decisões do Tribunal de Justiça de São Paulo, em Mandados de Segurança individuais, têm confirmado o entendimento de que a incorporação total do ALE ao Salário-Base (Padrão) é direito de todos os policiais militares. Em Acórdão de 11 de março de 2013, relativo à Apelação/Reexame Necessário nº. 0029083-82.2012.8.26.0053, assim se manifestou a 6 ª. Câmara de Direito Público do TJ/SP: “Assim, no caso do impetrante, policial em atividade, quinquênios, sexta-parte e RETP incidem sobre as vantagens efetivamente incorporadas, dentre as quais, a partir da LC nº 1.114/10, o ALE”.... http://www.afam.com.br/
Veja abaixo todas as novidades:






Com filho no colo, PM de folga reage a assalto e mata ladrões em farmácia; vídeo

Segundo informações em boletim de ocorrência, assaltante chegou a apontar arma para policial que segurava a criança. Dupla não resistiu aos ferimentos e morreu no local.
Um policial militar de folga matou dois ladrões que tentaram assaltar uma farmácia no Jardim Paulista, em Campo Limpo Paulista (SP), na noite de sábado (18). O policial estava na farmácia com a mulher e com o filho pequeno no colo, quando os criminosos – um deles armado – entraram e anunciaram o assalto (veja no vídeo acima). De acordo com o boletim de ocorrência, logo que entrou na farmácia, um dos suspeitos apontou a arma em direção ao policial militar com a criança no colo. Na hora, o PM se identificou, sacou o revólver e deu ordem de prisão para os criminosos. No entanto, o suspeito passou a atirar contra o policial que, mesmo com o filho no colo, revidou os disparos, matando o ladrão armado e também o comparsa – que já havia rendido o gerente da farmácia, ainda segundo o boletim de ocorrência.A perícia técnica f…

Ministro Dias Toffoli recebe ACS e advocacia Pereira Martins no STF

No dia 16/11/2017, o Ministro Dias Toffoli recebeu em seu gabinete no Supremo Tribunal Federal (STF) o vice-presidente e o diretor Jurídico da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo (ACSPMESP), respectivamente Antonio Carlos do Amaral Duca e Marcelo A. Camargo, acompanhados do Dr. Eliezer Pereira Martinspara despacho que versou sobre o recurso extraordinário com repercussão geral 565089 –indenização pelo não encaminhamento de projeto de Lei de reajuste anual dos vencimentos dos servidores públicos (Tema 19 de repercussão geral – mora do Executivo – Art. 37, X da Constituição Federal). Na oportunidade, argumentou-se com o Ministro a peculiar condição de vulnerabilidade dos agentes públicos que são privados do direito à sindicalização e à greve, a exemplo dos policiais militares, destituídos que são de mecanismos de proteção legal em face de políticas governamentais de omissão em relação à reposição da inflação e os efeitos nefastos da corrosão do pod…

REVOLTA DA ASSOCIAÇÃO DOS CABOS E SOLDADOS DA PMESP COM GOVERNO ALCKMIN

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo luta contra uma mentira da Procuradoria Geral do Estado; e, infelizmente, endossada pelo Governador do Estado. Ocorre que a Procuradoria, por meio da suspensão da Tutela Antecipada nº 678 junto ao Supremo Tribunal Federal fez constar em sua petição o valor aproximado de R$ 1,5 bilhão. Em síntese, disse ao Presidente do STF, Exmo. Senhor Ministro Ayres Britto que o custo criaria uma lesão ao erário público, assim, permitiu suprimir verbas alimentares de Policiais Militares. Neste sentido, passamos a conhecer melhor o Governo Geraldo Alckmin.
O Governo do Estado tinha conhecimento que o Policial Militar recebia o recálculo retroativo a novembro de 2010 por intermédio de uma ação judicial; e que nunca se tratou de uma tutela antecipada mas sim, de cumprimento provisório de sentença, iniciado após o Tribunal de Justiça de São Paulo, na 2ª Instância, ter garantido a fórmula correta de cálculo da verba aos Policiais…

Policial civil é encontrada morta dentro de casa e com sinais de violência em Sorocaba

Corpo foi achado em imóvel no Jardim Novo Horizonte, na Zona Norte da cidade. Polícia trata o caso como homicídio, que será investigado. Uma policial civil foi encontrada morta dentro da casa, na manhã desta quinta-feira (16), no bairro Jardim Novo Horizonte, na Zona Norte de Sorocaba (SP). Esmarlei Demétrio da Silva tinha 56 anos, completados na terça-feira (14). Segundo informações da Polícia Civil, o corpo da vítima, que trabalhava no 4º Distrito policial de Sorocaba, foi encontrado com sinais de violência. O caso será tratado pela polícia como homicídio. Não há informações sobre suspeitos e a motivação do crime. Fonte: G1