Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

ASSFAPOM esclarece itens prejudiciais aos policiais militares em edital do curso de formação de Sargentos

A ASSFAPOM (Associação dos Praças e Familiares da Polícia e Bombeiro Militar dos Estado de Rondônia) através de seu presidente, Jesuíno Boabaid, vem afirmar a sua luta em prol da categoria e esclarecer aos seus associados e todos os Policiais Militares que durante muito tempo vem cobrando a implantação dos cursos de formação da Polícia Militar de Rondônia só por antiguidade.
Durante anos, a ASSFAPOM tem enviado vários ofícios pedindo providências a diversas autoridades do estado para a realização dos referidos cursos. Durante a última reunião com a Mesa de Negociação a ASSFAPOM já havia informado o inicio de uma série de manifestações exigindo a implantação imediata dos cursos de formações em aberto.
Porém, a ASSFAPOM e seus associados não concordam com o item 3.2.6 do edital do CFS-2013 que diz: (Estar obrigatoriamente convocado e dentro do limite quantitativo das vagas fixadas por antiguidade e que foram promovidos a Cabo PM até 27/10/05), esse item irá prejudicar vários policiais militares que foram Promovidos a CB-PM apenas no ano de 2007, quando vários policiais já contavam com cerca de 15 anos de Serviço como Soldado PM.
Hoje estes Cabos já Possuem 06 anos na Graduação, preenchendo o requisito temporal para a Promoção a 3º Sgt PM, que é o interstício de 05 anos na Graduação de CB-PM, mesmo havendo vagância não poderão participar do curso de formação, tendo assim, novamente grave prejuízo em sua carreira militar.
Segundo informações do próprio Comando, há existente no QO (Quadro Organizacional da PM) cerca de 310 (trezentos e dez) vagas em aberto para a graduação de 3º Sargento PM, o edital só disponibiliza 246 (duzentas e quarenta e seis) vagas.
“É dessa forma que o Comando da PM valoriza seus policiais (Praças) que trabalham na linha de frente, arriscando diariamente suas vidas, mesmo havendo vaga, mesmo os policiais preenchendo os requisitos, o Comando tira o direito da ascensão funcional, a ASSFAPOM sempre será contrária a essas atitudes prejudiciais aos militares de Rondônia”, afirmou Jesuíno Boabaid.
Frente à situação apresentada a ASSFAPOM representando seus mais de mil e quinhentos associados pergunta ao Comando Geral da PM, quantas vagas estão em aberto no (QO) para Coronel PM, Tenente Coronel PM, Major PM e Capitão PM?. Nenhuma! Pois todas já foram preenchidas pelos oficiais antigos através dos critérios de antiguidade e merecimento.A ASSFAPOM tomará medidas contra mais esse ato de desrespeito a categoria. Os órgãos responsáveis do Governo do Estado serão devidamente informados sobre essa vergonhosa situação.

Rondonia ao Vivo

Comentários

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …