Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Ação da Corregedoria da PM deixa dezenas de famílias de militares indignados em Caraguá

De acordo com familiares de policiais militares da cidade a ação foi um desrespeito á família e em alguns casos, policiais foram tratados como se fossem bandidos.
Uma ação da Corregedoria da Policia Militar, ocorrida na ultima sexta-feira 26/04 em Caraguá, deixou dezenas de famílias e policiais militares indignados em Caraguá.
Nas primeiras horas da manhã, assim que o dia clareou vários policiais tiveram suas casas vistoriadas por policiais corregedores em vários pontos da cidade. Segundo relatos de familiares, o motivo dos cumprimentos de mandados de buscas expedidos pela justiça militar não teria sido informado o que deixou todos apreensivos sem saber o que estava acontecendo.
Nossa reportagem ouviu a filha de um policial que contou que saia de casa para ir á escola, quando no portão foi abordada por um homem perguntando pelo pai. Com medo, pois não sabia do que se tratava, pois o homem não usava uniforme da policia e não estava de viatura policial a menina ficou sem entender nada e quando perguntada se lá morava o policial e o que ela era dele, ela teria sido intimidada com uma arma que foi mostrada e de maneira grosseira o tal policial teria a mandado ir pra escola. Ainda segundo a menina, este teria chutado sua cachorrinha ao entrar na casa e sido grosso com o pai dentro de casa o que á deixou indignada.
Na ação da Corregedoria, foram apreendidos na casa de 4 policiais, munições velhas, duas armas antigas calibre 22 que estavam no forro das casas, e duas espingardas de caça que pertenciam á parentes dos militares. Dois policiais foram levados até a Corregedoria da PM em São Paulo e após serem ouvidos foram liberados. Neste caso nada teria sido encontrado na casa dos militares e o motivo da condução não informado.
A ação revoltou familiares e policiais da cidade, “fomos tratados como bandidos... fazemos o máximo pela segurança da cidade e temos nossas casas invadidas pela Corregedoria e não somos informados nem o motivo? Acabou! não vou mais me matar de trabalhar no combate ao crime e como troca ser tratado como bandido. Minha família não vai mais passar por esta humilhação. Disse um PM que pediu para não ser identificado, pois pode ser punido. Vários PMS indignados com a ação, comentavam que de hoje em diante a policia de Caraguá não será a mesma, “quem teve esta idéia que venha agora combater os criminosos”.
Ainda segundo apurou nossa reportagem, os mandados de busca e apreensão expedidos pela justiça militar só é válido para a casa de militares, os corregedores teriam cometido abuso de autoridade, entrando também na casa de parentes de policiais e de um homem que não é policial militar.
Gostaríamos de saber o porquê?, qual a acusação? qual o motivo?, é um direito de todo acusado de algum crime saber do que esta sendo acusado para se defender e não tivemos este direito até agora. Finalizou um PM.
Na delegacia de policia, os materiais encontrados na casa dos 4 militares foram apreendidos e registrado ocorrência de “apreensão de objetos”, a maioria do material apreendido era muito velho e provavelmente não tinha nem condições de uso.
No final da ação os policiais conduzidos á delegacia, foram ouvidos e liberados. (plantaopolicialecampos.com).

Matéria sugerida por Dinho em "Sugerir postagem no Blog" - Participe você também sugerindo ou escrevendo uma matéria para nosso blog, é só clicar aqui

Comentários

  1. sabe quando eles vão entrar na casa de um oficial da PM, nunca, o cooperativismo entre oficiais impera, o negócio é denunciar diretamente a policia federal quando souber de oficiais envolvidos com criminosos, ai o bicho pega, não caiam na besteira de denunciar para a corregedoria da PM quando estiver oficial envolvido, é policia federal e imprensa, ai não tem como abafar, vamos acabar com esse negócio de só prender praça, vamos denunciar.

    ResponderExcluir
  2. ESSA MATÉRIA NÃO MERECE SER COMENTADA; POIS JÁ ESTOU COM ÂNCIA DE VOMITO.

    ResponderExcluir
  3. Esses policiais devem se unir e processar o Estado, que tem o direito de regresso em caso do servidor agir com culpa. Por que a corregedoria não requisita mandado de busca e apreensão e procuram pelos matadores de PMs?

    ResponderExcluir
  4. Por que não encaminham esta reportagem ao mistério publico, comissão de direitos humanos internacional, aos órgãos de imprensa, aos políticos. Como demonstrou o resultado foi uma catástrofe e pior mostrou a falta de competência da policia em investigar expondo aos familiares de policiais honesto a este ultraje, se fosse a casa de um ladrão com certeza toda a força da imprensa e dos poderes públicos estavam noticiando como um abuso aos direitos humanos...

    ResponderExcluir
  5. eles são DEUSES E FAZEM O QUE BEM QUEREM,,MAS SÓ COM PM É CLARO

    ResponderExcluir
  6. Policiais Militares que passam por essa situação, jamais procura seus direitos porque tem família, residência fixa e geralmente são honestos e cumpridores de seus deveres e sabem que a PERSEGUIÇÃO É CERTA eu também já fui vítima da incompetência da CORRE.GPM

    ResponderExcluir
  7. Será que entrariam assim se fosse casa de bandido???duvido...bando de incompetentes....

    ResponderExcluir
  8. Vem entrar aqui na minha casa sem farda pra ver o que vai acontecer!!!
    Ir na casa de PAPA MALA eles não vão porque tem MEDO, bando de mané....

    ResponderExcluir
  9. O Rquero.Infelizmente o regulamento da PM de São Paulo é cópia fiel do regulamento das forças armadas... Um ato inconstitucional, mas Ninguém vê isso cadê a OAB que se dizem protetores dos direitos constitucionais... Temos que levantar a bandeira e acabar com essa palhaçada fora RDPM o Rquero dos OFICIAIS...
    O estado democrático de direito é uma força... Pois vivemos uma DITADUTA tanto na PM com o no Governo em especial PT e PSDB...Não temos pra onde correr o remédio é para.

    ResponderExcluir
  10. Ouvi uma entrevista de senhora Adriana Borgo, dizendo ser a presidente da Comissão direitos humanos dos Policiais da PMESP, gozado, não ouvi qualquer depoimento em defesa dos policiais agredidos moralmente em suas residências no município de Caraguá, estamos aguardando seu pronunciamento a respeito, ou esta Comissão existe somente para dar suporte a mais uma de suas candidaturas a cargos eletivos.

    ResponderExcluir
  11. Meu , na moral.. se voces querem contestar os atos da corregedoria, ta certo.. corregedoria é um orgão repressivo, que não preza em nada por direitos humanos minimos de policiais. Mas falar da Comissão da Adriana Borgo é demais... Realmente você não conhece o trabalho dela... sou amigo dela e do marido dela, que é cabo apos 30 anos de serviço.....Com certeza ela não devia saber do fato em caraguá... ela faz o que faz porque gosta, tirando, na maioria das vezes , dinheiro do proprio bolso! Ja bateu de frente com muita gente pra defender policiais que ela nem sequer conhecia... Coisa que duvido muito que voce tenha feito! Alias, a policia tá cercada de covardes: só criticam sem mostrar a cara e nem sequer apoiam quem faz algo...as portas do gabinete dela estão lá, abertas.. esperando uma ideia sua ou uma colaboração minima: uma palavra de incentivo! Ela sempre estende o convite a todos para irem em suas manifestações: Brasilia, Assembleia legislativa, PEC 300, defesa dos bombeiros no rio, Greve da PM na Bahias... Quem dera ela fosse eleita Deputada Federal, pois apenas como um simples civil ela conseguiu coisas que muitos politicos e representantes nossos ai sequer fizeram... Mas pra quem não conhece é fácil criticar: atras de uma tela de computador, sentado em casa e reclamando anonimamente é muito facil...tipico de muitos camaradas nossos...aliás, típico da cultura do povo brasileiro!

    ResponderExcluir
  12. So fazem isso porque somos homens de boa fé.....
    Na maioria Cristãos e de Bons Antecedentes.....
    Na verdade, o unico acusado com Bons antecedentes, emprego fixo, e endereço certo a ter prisão preventiva decretada são os policiais militares de São Paulo...
    Todos só querem promoção pessoal, militares, politicos, magistrados, delegados, promotores...
    Mas quem da o sangue e realmente retribui com à população com trabalho que o pobre vê..é o PRAÇA PM...QUE DÁ A CARA A TAPA...
    CONITNUEMOS A "COMBATER O BOM COMBATE, EM NOME DA POPULAÇÃO"

    ResponderExcluir
  13. VER HOMENS DE TANTA IMPORTÂNCIA PARA MANUTENÇÃO DO ESTADO SOCIAL, HOMENS DE TANTO VALOR MORAL, HOMENS QUE SE DOAM DURANTE 30 ANOS A BEM DO SERVIÇO PÚBLICO SENDO TRATADOS DESSA FORMA, EM PLENO SÉCULO 21, MEU DEUS DO CÉU ISSO É UM ABSURDO. SENHORES POLITICOS, SERNHORES MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO, SENHORES DAS ENTIDADES DE CLASSES E SENHORES DA IMPRENSA POR FAVOR, PELO AMOR DE DEUS FAÇAM ALGUMA COISA CONTRA ESSES ABUSOS.

    ResponderExcluir
  14. CONGRATULO COM O COSTA JUNIOR; ESTIVE EM BRASÍLIA ONDE A ADRIANA ESTAVA AO NOSSO LADO DEMONSTRANDO UMA FORÇA SEM IGUAL PARA VOTAÇÃO DA PEC 300 ESSA MULHER VALE MAIS QUE UMA DÚZIA DE POLÍTICOS QUE CONHEÇO= AQUELE ABRAÇO VALTER

    ResponderExcluir
  15. Parabéns para a Corregedoria da Polícia Militar, agiu, pois em Caraguá e todo Vale os crimes não são esclarecidos. A Delegacia e o Judiciário dizem que nada é apurado, os investigadores vão até o local do crime, falam com a testemunha e dizem no Inquérito que nada foi apurado, sendo que estão mentindo. O Judiciário se baseia nas informações dos policias, e erra, não especula, não investiga, não podemos viver nesta impunidade, tem Delegado que sabe de tudo, e diz que nada é apurado. A Corregedoria não vai avisar mesmo!!! Pois é assim que se faz investigação. Se a Corregedoria veio é por que teve motivo grave. Parabéns, parabéns, tem bandido que não é polícia mas, armou algum crime, entendeu. Graças a Deus a Corregedoria agiu!!!!

    ResponderExcluir
  16. Quer saber mais? Não adianta fazer denúncia no Fórum de Caraguá, que some, e some depoimento da Delegacia, entendeu? O Governo deveria fazer uma lei, punindo agentes públicos de qualquer categoria, para indenizar os crimes violentos do próprio bolso, assim não haveria impunidade, tanto faz, qualquer tipo de agente, seja Magistrado ou outras categorias.

    ResponderExcluir
  17. Essas pessoas não são santas, hipocrisia de quem acha que eles são coitados, para a Corregedoria agir, é, porque tem denúncia grave contra esses agentes, se a população dependesse de algum desses maus policiais ia ficar pior do estar. Portanto, cidadania é saber que somos vulneráveis a bandidos, principalmente o bandido vizinho sem vergonha que finge de amigo e é o primeiro a armar uma emboscada pra matar o vizinho porquê não quis transar com a mulher dele, além de corno é gigolô.

    ResponderExcluir
  18. Essa é demais, dar R$ 1.350 pra fumador de crak, este governo deveria dar 1.350, era de reajuste pros policiais e não pra família de fumador de crak, aí todo mundo vai virar viciado, até eu, sou viciada!!!! me 1.350, eu preciso pagar as contas!!! Vamos governo me paga que eu fumo crak, quero dinheiro!!! Gente vamos fazer alguma coisa pra tirarar o Alkmin do Poder, isso é que é absurdo, pagar ao invés de prender. OH! Dr. Joaquim Barbosa Vossa Excelência não pode deixar isso acontecer. Fora Alkmin!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

Com filho no colo, PM de folga reage a assalto e mata ladrões em farmácia; vídeo

Segundo informações em boletim de ocorrência, assaltante chegou a apontar arma para policial que segurava a criança. Dupla não resistiu aos ferimentos e morreu no local.
Um policial militar de folga matou dois ladrões que tentaram assaltar uma farmácia no Jardim Paulista, em Campo Limpo Paulista (SP), na noite de sábado (18). O policial estava na farmácia com a mulher e com o filho pequeno no colo, quando os criminosos – um deles armado – entraram e anunciaram o assalto (veja no vídeo acima). De acordo com o boletim de ocorrência, logo que entrou na farmácia, um dos suspeitos apontou a arma em direção ao policial militar com a criança no colo. Na hora, o PM se identificou, sacou o revólver e deu ordem de prisão para os criminosos. No entanto, o suspeito passou a atirar contra o policial que, mesmo com o filho no colo, revidou os disparos, matando o ladrão armado e também o comparsa – que já havia rendido o gerente da farmácia, ainda segundo o boletim de ocorrência.A perícia técnica f…

Justiça condena ex-vice presidente do Condepe e mais 4 advogados por integrarem facção criminosa

Luiz Carlos dos Santos foi condenado a 16 anos de prisão. Acusados faziam pagamento de propina a agentes públicos e forneciam dados de vítimas.
A Justiça condenou ex-vice-presidente do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe), Luiz Carlos dos Santos, e outras quatro pessoas por fazerem parte da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). A sentença foi publicada nesta terça-feira (26) pelo juiz Gabriel Medeiros. Luiz Carlos dos Santos foi condenado a 16 anos e 5 meses de prisão mais pagamento de multa por integrar organização criminosa e corrupção passiva. Além de Santos, foram condenados os advogados José Ribamar Baima do Lago Júnior, Simone Lage Guimarães, Osvaldo Antonio de Oliveira e Marcos Antonio Antunes Barbosa. Lago Júnior recebeu pena de 15 anos e 5 meses de reclusão, mais multa, por integrar organização criminosa e por corrupção ativa. Os outros três foram condenados a oito anos e nove meses de reclusão cada um, por fazerem parte de organi…

AFAM: NOVIDADES SOBRE AÇÃO JUDICIAL DA INCORPORAÇÃO DE 100% DO ALE NOS VENCIMENTOS DOS POLICIAIS E BOMBEIROS DE SÃO PAULO

Agora já são em número de 05 as Câmaras de Direito Público a adotar esse entendimento. Novas e recentes decisões do Tribunal de Justiça de São Paulo, em Mandados de Segurança individuais, têm confirmado o entendimento de que a incorporação total do ALE ao Salário-Base (Padrão) é direito de todos os policiais militares. Em Acórdão de 11 de março de 2013, relativo à Apelação/Reexame Necessário nº. 0029083-82.2012.8.26.0053, assim se manifestou a 6 ª. Câmara de Direito Público do TJ/SP: “Assim, no caso do impetrante, policial em atividade, quinquênios, sexta-parte e RETP incidem sobre as vantagens efetivamente incorporadas, dentre as quais, a partir da LC nº 1.114/10, o ALE”.... http://www.afam.com.br/
Veja abaixo todas as novidades:






Ministro Dias Toffoli recebe ACS e advocacia Pereira Martins no STF

No dia 16/11/2017, o Ministro Dias Toffoli recebeu em seu gabinete no Supremo Tribunal Federal (STF) o vice-presidente e o diretor Jurídico da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo (ACSPMESP), respectivamente Antonio Carlos do Amaral Duca e Marcelo A. Camargo, acompanhados do Dr. Eliezer Pereira Martinspara despacho que versou sobre o recurso extraordinário com repercussão geral 565089 –indenização pelo não encaminhamento de projeto de Lei de reajuste anual dos vencimentos dos servidores públicos (Tema 19 de repercussão geral – mora do Executivo – Art. 37, X da Constituição Federal). Na oportunidade, argumentou-se com o Ministro a peculiar condição de vulnerabilidade dos agentes públicos que são privados do direito à sindicalização e à greve, a exemplo dos policiais militares, destituídos que são de mecanismos de proteção legal em face de políticas governamentais de omissão em relação à reposição da inflação e os efeitos nefastos da corrosão do pod…

Presos saíam para festas, traficavam drogas e até mantinham motel em presídio de Anápolis, diz MP-GO

Segunda fase da Operação Regalia cumpriu mandados de prisão contra diretor, supervisor, agente, mulheres de detentos e os próprios internos, em Goiás. Presos saíam para festas, traficavam drogas e até mantinham um motel na Unidade Prisional de Anápolis, a 55 km de Goiânia, segundo investigações do Ministério Público de Goiás (MP-GO). Em busca de combater as regalias e a prática de crimes, o diretor da unidade, um supervisor, um agente e mulheres de detentos foram presos durante uma operação realizada na manhã desta terça-feira (21). "Havia um verdadeiro escritório seguro do crime, tráfico de drogas, até homicídio a gente conseguiu levantar de um preso que, em tese, teria suicidado. É uma gama de pequenos crimes que se prolongaram por muito tempo e ultrapassaram todos os limites", disse o promotor de Justiça Thiago Galindo, que coordenou a operação. Em relação ao motel, a promotoria explicou que o local tinha toda uma estrutura para funcionar em um anexo que deveria servir c…