Pular para o conteúdo principal

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Vídeo mostra execução perto de carro da PM

8 policiais suspeitos estão presos.
PMs ficarão presos durante investigação da morte de jovens
Dois jovens foram executados na região central de SP em março.
Câmeras flagraram veículo da Polícia Militar a poucos metros do crime.
Os oito policiais militares que foram presos administrativamente neste fim de semana por suspeita de envolvimento na execução de dois adolescentes, na região do Brás, no Centro de São Paulo, ficarão detidos durante as investigações. Reportagem do Fantástico deste domingo (31) mostra o assassinato e a presença de um veículo da polícia estacionado próximo à cena do crime, ocorrido no dia 16 de março.
Caso fique comprovada a participação ou a conivência dos policiais no assassinato, eles responderão pelo mesmo crime que os atiradores. As imagens foram registradas por câmeras de segurança e estão com o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investiga a participação de policiais militares nos assassinatos.
Em nota, a Polícia Militar de São Paulo informou que "adotou providências para apurar as circunstâncias da ocorrência" e que "oito policiais militares já foram presos administrativamente".
As imagens mostram um adolescente e dois jovens conversando sentados em um degrau em uma rua quase deserta na madrugada do dia 16 de março. No vídeo, dois deles são assassinados por dois homens de moto.
Uma das vítimas tinha apenas 14 anos. Era filho de um catador de material reciclável, e era conhecido como Piauí. “Estava na hora errada, com a pessoa errada. Executaram ele na hora. Não deram tempo de ele respirar”, afirma o pai
 Disparos
Os três rapazes conversavam bem embaixo das duas câmeras de segurança, que registraram tudo. Pelas imagens, é possível perceber que uma moto se aproxima e dois homens descem sem tirar os capacetes. Os jovens levantam os braços e se viram para a parede. Os homens apontam as armas e atiram várias vezes. Um dos rapazes foge. Sai correndo sozinho.
Com as duas vítimas já caídas no chão, os atiradores disparam de novo, voltam calmamente para a moto e partem. Seis segundos depois, a imagem mostra a passagem do carro de polícia.
Uma outra câmera gravou a rua a partir de outro ângulo e mostra o veículo da corporação na esquina, a cerca de 50 metros do fato no momento dos disparos. Enquanto os assassinos atiravam, o carro dos policiais estava de frente para a cena do crime.
A diretora do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Elizabeth Sato, afirma que a cena denota omissão dos policiais. “Essa cena é bastante impressionante porque denota ao menos uma omissão por parte dos policiais, que poderiam ter agido no sentido de tentar impedir que essas duas pessoas fossem mortas”, afirma.
Oito minutos depois dos tiros, policiais isolaram a cena do crime. No boletim de ocorrência, registrado às 2h11, os policiais relataram que encontraram os corpos no chão. Não há informação sobre perseguição aos atiradores.
Para a polícia, o local do crime é um conhecido ponto de venda e uso de drogas. Mas, segundo a família, o garoto Piuí não era usuário. "Que eu saiba não, ele não usava droga. Só se usava fora, aqui dentro de casa nunca usou, nunca peguei ele com nada”, diz o pai.
Segundo o registro policial, no corpo de Piuí havia seis marcas de tiros. Na outra vítima, que tinha 18 anos, eram 12 perfurações. A polícia não divulgou o nome do rapaz. O terceiro jovem, que conseguiu escapar, ainda não foi identificado.
Investigação
Com base nas imagens das câmeras de segurança, o DHPP está investigando a participação de policiais militares nos assassinatos. "Computando o espaço de tempo entre uma imagem e outra, é fração de segundos. Então, daria a impressão que talvez essa viatura estivesse dando cobertura aos executores", afirma Elizabeth Sato.
Os investigadores também trabalham com o relato de uma testemunha que estava ao telefone com o adolescente na hora do crime. A pessoa disse ter ouvido a frase: "Parado, mão para cima, que é policia".
Se ficar comprovado o envolvimento dos policiais que estavam no carro, eles responderão pelo mesmo crime dos dois atiradores: homicídio.
Do G1 São Paulo

Comentários

  1. Só Deus !! quando penso que vai para de bombardear a policia militar vem um sem noção e faz caca, nunca vi A policia matar alguém dentro da Igreja. é tipo assim diga com quem andas que direi quem tu és.mas os meninos eram gente boa ,só estavam vendo o luar !!

    ResponderExcluir
  2. agora eu pergunto; sera que esta vtr estava fazendo cobertura pra essa atrocidade? SERA QUE TEM TANTOS PMs idiotas que ainda acham que vai resolver os problemas da sociedade matando?,,,ser for pms que participaram disso a pena deve ser de no minimo 100 anos cada um,

    ResponderExcluir
  3. se para o pm apena deve ser de 100 anos para quem mata policia deve ser de 200 anos preso ou pena de morte ne seu anonimo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

ANTES DE ESCREVER LEIA COM ATENÇÃO: Palavras de baixo calão, racismo, ofensas, ameaças e tudo mais de não estejam de acordo com os bons costumes e as leis vigentes não será aprovado. Expressão do pensamento é um direito Constitucional, expresse o seu com educação e propriedade. Os comentários publicados não traduzem a opinião do blog. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e mundiais e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo. O IP do comentarista fica arquivado e pode ser fornecido por Ordem Judicial.

| Mais Acessados na Última Semana |

ROTA invade tribunal e resgata ex-presidiário

Sim, o título acima está correto. Numa incrível operação relâmpago, PMs de ROTA impedem que tribunal do crime assassine um ex-presidiário

A ROTA está nas ruas 24 horas por dia, todos os dias, o ano inteiro. Seu efetivo é dividido em três Companhias: Noturna, Matutina e Vespertina. Esta matéria relata uma incrível ocorrência de resgate conduzida pelo Pelotão do Tenente PM Soares, que patrulhava a Zona Leste de São Paulo às 21:40 nesta segunda-feira, dia 14. “O despacho do Policiamento de Choque do COPOM nos informou que uma pessoa estava sendo torturada na favela Eliane, numa casa com detalhes verdes no seu portão, localizada na rua Esperança. Pelas particularidades que nos foram relatadas, estava claro que a ocorrência envolvia a ação de um ‘tribunal do crime’ provavelmente comandado pelo PCC. Imediatamente acionei meu Pelotão”, relata o Tenente de ROTA Soares. O nome dessa rua, 'Esperança', não podia ser menos adequado em função do cenário que os PMs iriam encontrar em poucos…

Aprovado PL que da poder de polícia administrativa às polícias e bombeiros militares do Brasil

O poder de polícia administrativa trás condições das polícia militares e bombeiros atuarem de forma efetiva em eventos, estabelecimentos comerciais e outros. Autor: Capitão Augusto - PR/SPData da apresentação:  04/02/2015 Ementa: Regula as ações de Polícia Administrativa exercida pelos Corpos de Bombeiros Militares dentro das suas atribuições de prevenção e extinção de incêndio, e perícias de incêndios e ações de defesa civil, de busca salvamento, de resgate e atendimento pré-hospitalar e de emergência; e pelas Polícias Militares no exercício da Polícia Ostensiva e Polícia de Preservação da Ordem Pública, e dá outras ...Leia integra do PL 196/2015Regula as ações de Polícia Administrativa exercida pelos Corpos de Bombeiros Militares dentro das suas atribuições de prevenção e extinção de incêndio, e perícias de incêndios e ações de defesa civil, de busca salvamento, de resgate e atendimento pré-hospitalar e de emergência; e pelas Polícias Militares no exercício da Polícia Ostensiva e Pol…

Para "comemorar aniversário", PCC planeja matar juiz, procurador, delegado e agentes

dia 31 de agosto, data em que a facção criminosa faz aniversário de 24 anos. O PCC (Primeiro Comando da Capital) planeja matar um juiz federal, um procurador da República, um delegado federal e pelo menos quatro agentes penitenciários de Porto Velho (RO) até o
A maior facção criminosa do país já matou três agentes penitenciários federais, entre setembro de 2016 e maio deste ano, de acordo com investigações da PF (Polícia Federal). Para executar os atentados, o PCC criou células de inteligência que, entre outras ações, monitoram a rotina dos agentes públicos escolhidos como alvos.
A informação sobre a possibilidade de novos assassinatos consta em ofício assinado pelo diretor do presídio federal de Porto Velho, Cristiano Tavares Torquato, a cujo conteúdo o UOL teve acesso com exclusividade. O documento foi encaminhado no último dia 17 de agosto ao superintendente regional da Polícia Federal de Rondônia, Araquém Alencar Tavares de Lima. A reportagem confirmou a veracidad…

Polícia Civil decide hoje se cruza os braços a partir de amanhã

Executivo local reforça que, neste ano, não tem dinheiro para pagar o reajuste salarial pleiteado pelos agentes.Policiais civis podem entrar em greve ou interromper serviços essenciais para a população a partir de amanhã. Em uma assembleia com indicativo de greve, marcada para as 14h de hoje, a categoria deve decidir o que fazer para pressionar o governo a conceder o reajuste salarial pleiteado desde o ano passado. Eles reivindicam a manutenção da paridade salarial com a Polícia Federal, que conseguiu reajuste de 37% parcelado em três anos.

Na semana passada, policiais civis se reuniram com o chefe da Casa Civil, secretário Sérgio Sampaio; a secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos; o secretário interino de Fazenda, Wilson de Paula, além dos deputados distritais e agentes da Polícia Civil Wellington Luiz (PMDB) e Claudio Abrantes (sem partido) e o deputado federal Roney Nemer (PP-DF). O deputado distrital Wasny de Roure mandou representante.
Durante o encontro, o Exec…

Vaccarezza é preso em nova fase da Operação Lava Jato em São Paulo

Ex-deputado, que deixou o PT, foi líder dos governos Lula e Dilma. Segundo o MPF, ele recebeu a maior parte de um total de propina que soma US$ 500 mil. O ex-líder dos governos Lula e Dilma na Câmara dos Deputados Cândido Vaccarezza, que deixou o PT, foi preso nesta sexta-feira (18) em São Paulo. Ele é alvo da Operação Abate, uma das duas novas fases da Operação Lava Jato deflagradas nesta manhã. A prisão é temporária, válida por cinco dias. Por volta das 9h, Vaccarezza estava em casa sob custódia da PF. Ele deve seguir para Curitiba ainda nesta sexta. O G1 tenta contato com a defesa do ex-deputado, com PT e com as empresas citadas. Principais pontos das investigações Ações apuram o favorecimento de empresas estrangeiras em contratos com Petrobras. Operação Abate investiga fraudes no fornecimento de asfalto para a Petrobras por uma empresa norte-americana, entre 2010 e 2013. Funcionários da Petrobras, o PT e, principalmente, Cândido Vaccarezza teriam recebido propinas que somam US$ 5…