Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Seminário é concluído com apoio de líderes partidários à PEC 300 e a anistia

Terminou hoje (24), o seminário “Uma Nova Segurança Pública para o Brasil” uma iniciativa do deputado federal Mendonça Prado (Democratas/SE) e que reuniu parlamentares, autoridades, representantes de classe e líderes da Mobilização pela Aprovação da PEC 300. Os participantes engrandeceram o debate e apresentaram informações pertinentes à sociedade, no que concerne à defesa e à garantia dos trabalhadores desse setor.
Na ocasião, o deputado federal Mendonça Prado (Democratas/SE) solicitou o apoio de diversos líderes partidários para assinar um requerimento visando à inclusão na pauta da Proposta de Emenda à Constituição n º 446/2009, que institui o piso salarial para os servidores policiais. O outro requerimento pede urgência ao PL 2791/11, que concede anistia aos policiais e bombeiros militares punidos por participar de movimentos reivindicatórios. A partir desse movimento, a classe conseguiu apoio dos grandes partidos restando apenas quatro, dos chamados pequenos partidos, que estão sendo contatados para também se posicionar sobre o assunto e os dirigentes das associações acreditam que eles acompanharão a maioria.
"A PEC 300 não diz respeito apenas a valor de remuneração. Ela tem algo que é muito mais importante para a segurança pública, que é a criação de um fundo constitucional, ou seja, a garantia de recursos para a segurança pública. Hoje, o gestor público não está obrigado a investir um percentual do orçamento na segurança pública. Ele investe o que quer, o que acha que deve investir. É diferente do que acontece com saúde e educação, por exemplo."
A matéria já foi aprovada na Comissão de Segurança Pública, mas antes de ir ao Plenário ainda precisa ser analisada pelas Comissões de Relações Exteriores e Defesa Nacional e de Constituição e Justiça.
Ao final do seminário "Uma Nova Segurança para o Brasil" foram apresentadas sugestões de um novo modelo de segurança pública, que inclui a discussão sobre a desmilitarização e a unificação das polícias.
(Por Vanessa Franco - Assessoria de Imprensa - Deputado Federal Mendonça Prado).



Comentários

  1. vamos esperar e ver no que dá

    ResponderExcluir
  2. Erasmo de sousa filho24 de abril de 2013 23:31

    rogo a Deus que ilumine as mentes e coraçoes dos deputados para que finalmente seja aprovada a pec da dignidade, a pec 300.

    ResponderExcluir
  3. Sempre as vesperas de eleição temos apoio de todos os partidos, porque será?

    ResponderExcluir
  4. Querem saber de uma coisa?CHEGA DE ENGANAÇAO!!!!Ao final,mais companheiros se feram e ninguem pode fazer nada para ajuda-los a ai da enrascada.

    ResponderExcluir
  5. CONCORDO COM O LUIZ MAIA,MUITA GENTE VAI SE FERRAR NESTA,VAI ACONTEÇER IGUAL DA OUTRA VES,,OU TODOS PARAM OU NÃO SAI ESTA PEC,,,SERA QUE NINGUEM PERCEBE QUE SÓ PERTO DAS ELEIÇÕES É QUE ESTÃO FALANDO DESTA PEC,PRA MIM É MAIS UM GOLPE PRA ILUDIR POLICIAIS..QUE ELA NÃO VAI SER APROVADA? ISSO NÃO VAI MESMO,DX PASSAR AS ELEIÇÕES E VOCES VÃO VER SE FALAM DESTA FAMOSAAAAAAAAAAAAAAAA PEC 300,,GENTE;;É SÓ PARANDO QUE TERÃO EXITO

    ResponderExcluir
  6. Há muito tempo o país vive um caos na SEGURANÇA PÚBLICA e quem deveria fazer algo não faz NADA. Em tempo de Copa e de Olimpíadas todos observam, de queixo caido, a falta de estrutura de nossas polícias. Rezemos para que não aconteça algo semelhante ao de Boston, pois a verdade é que a "presidenta" está se lixando pra tal categoria; não dá o minimo valor p/esses senhores que arriscam suas vidas diariamente. Essa pec tem que ser aprovada, pois é uma vergonha como está. Acorda Dilma Rousseff!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

Morre segundo policial militar atingido por tiro de fuzil em Pompéu

Cabo Lucas Reis Rosa foi internado e teve braço amputado após confronto com criminosos que explodiram uma agência bancária. Outro policial e um entregador também foram mortos. A Polícia Militar (PM) confirmou, na manhã desta sexta-feira (8), a morte do cabo Lucas Reis Rosa. Ele estava internado desde a madrugada de terça-feira (5) quando foi atingido por um tiro de fuzil durante confronto com criminosos que explodiram uma agência bancária em Pompéu. Segundo a Polícia Militar, o óbito foi constatado as 9h50 desta sexta. Em nota, a PM informou que o cabo teve reações inflamatórias graves, pós-cirúrgicas ao trauma. Na quarta-feira (6), Lucas Reis passou por duas cirurgias, uma delas foi para a amputação total do braço direito. “Estamos entrando em contato com a família para dar o devido apoio e verificar questões relacionadas a local e horário do velório e enterro”, informou o comandante da 7ª Região da Polícia Militar, coronel Helbert Willian Carvalhaes. Confronto Na madrugada de terça…

Policial militar é sequestrado e assassinado a tiros em Paulista

Um policial militar foi assassinado com nove tiros, na Estrada do Pica-Pau, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife. A vítima foi identificada como Lindembergue Gomes da Silva, de 53 anos, foi encontrado ás margens da estrada, em Paratibe. De acordo com os peritos do instituto de Criminalidade (IC), ele foi atingido por um tiro no rosto e os outros nas costas. Os peritos acreditam que o PM pode ter sido morto com a própria arma.
Segundo a polícia, o militar, que atuava como comerciante, teria sido levado da casa dele, no bairro da Mirueira, por dois homens. Ele teria sido levado para o local do crime no próprio carro, uma caminhonete, que foi abandonada em Abreu e Lima. Nenhum pertence da vitima foi encontrado. A policia recebeu a informação de que o PM reformado era agiota, o que pode ter motivado o assassinato.

Fonte: Tv jornal uol

Brasil dobra número de presos em 11 anos, diz levantamento; de 726 mil detentos, 40% não foram julgados

Estudo divulgado pelo Ministério da Justiça é de junho de 2016. País é o terceiro do mundo em número de detentos. Estado com maior superlotação é o Amazonas (cinco presos por vaga). Uma nova edição do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen) divulgada nesta sexta-feira (8) pelo Ministério da Justiça informa que, em junho de 2016, a população carcerária do Brasil atingiu a marca de 726,7 mil presos, mais que o dobro de 2005, quando o estudo começou a ser realizado. Naquele ano, o Brasil tinha 361,4 mil presos, de acordo com o levantamento. Esses 726 mil presos ocupam 368 mil vagas, média de dois presos por vaga (leia mais abaixo sobre superlotação). "Houve um pequeno acréscimo de unidades prisionais a partir de 2014, muito embora não seja o suficiente para abrigar a massa carcerária que vem aumentando no Brasil. Então, o que nos temos, é um aumento da população carcerária e, praticamente, uma estabilidade no que se refere à oferta de vagas e oferta de estabel…

AFAM: NOVIDADES SOBRE AÇÃO JUDICIAL DA INCORPORAÇÃO DE 100% DO ALE NOS VENCIMENTOS DOS POLICIAIS E BOMBEIROS DE SÃO PAULO

Agora já são em número de 05 as Câmaras de Direito Público a adotar esse entendimento. Novas e recentes decisões do Tribunal de Justiça de São Paulo, em Mandados de Segurança individuais, têm confirmado o entendimento de que a incorporação total do ALE ao Salário-Base (Padrão) é direito de todos os policiais militares. Em Acórdão de 11 de março de 2013, relativo à Apelação/Reexame Necessário nº. 0029083-82.2012.8.26.0053, assim se manifestou a 6 ª. Câmara de Direito Público do TJ/SP: “Assim, no caso do impetrante, policial em atividade, quinquênios, sexta-parte e RETP incidem sobre as vantagens efetivamente incorporadas, dentre as quais, a partir da LC nº 1.114/10, o ALE”.... http://www.afam.com.br/
Veja abaixo todas as novidades:






REVOLTA DA ASSOCIAÇÃO DOS CABOS E SOLDADOS DA PMESP COM GOVERNO ALCKMIN

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo luta contra uma mentira da Procuradoria Geral do Estado; e, infelizmente, endossada pelo Governador do Estado. Ocorre que a Procuradoria, por meio da suspensão da Tutela Antecipada nº 678 junto ao Supremo Tribunal Federal fez constar em sua petição o valor aproximado de R$ 1,5 bilhão. Em síntese, disse ao Presidente do STF, Exmo. Senhor Ministro Ayres Britto que o custo criaria uma lesão ao erário público, assim, permitiu suprimir verbas alimentares de Policiais Militares. Neste sentido, passamos a conhecer melhor o Governo Geraldo Alckmin.
O Governo do Estado tinha conhecimento que o Policial Militar recebia o recálculo retroativo a novembro de 2010 por intermédio de uma ação judicial; e que nunca se tratou de uma tutela antecipada mas sim, de cumprimento provisório de sentença, iniciado após o Tribunal de Justiça de São Paulo, na 2ª Instância, ter garantido a fórmula correta de cálculo da verba aos Policiais…