Pular para o conteúdo principal

Rádio PolicialBR 24 horas com você. Notícias e entretenimento.

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Na Segurança pública, o fracasso já nem se discute

18% foi o percentual do aumento de homicídios dolosos entre janeiro de 2012 e janeiro de 2013 nos demais municípios do Ceará, excetuada Fortaleza
Talvez o que haja de mais revelador nas declarações do coronel Bezerra ao jornalista Thiago Paiva, no O POVO da última sexta-feira, é que até o secretário estadual da Segurança já parece admitir o fracasso dos resultados na área que comanda. O desastre está nas estatísticas oficiais e nem o gestor da área usa argumentos para defender os indicadores. O caso agora é distribuir as culpas pelo descalabro. Então, pelo menos em um ponto parece já haver acordo. Sobre a atribuição das responsabilidades, disse o coronel: “Sugiro, nesse momento, que vocês vejam que tipo de equipamento a Prefeitura de Fortaleza, nos últimos oito anos, colocou à disposição dos jovens e adolescentes. (...) Isso requer investimento na área da educação, assistência ao jovem, criação de emprego e na área da punição efetiva de quem comete o crime”.
A visão integrada é um avanço e creio que poucos haverão de discordar. Mas há alguns problemas em culpar a administração passada do Município. Os dados mais recentes sobre homicídios dolosos disponíveis ontem no site da secretaria do doutor Bezerra eram relativos a janeiro. Na comparação entre o primeiro mês deste ano e o mesmo período do ano passado, a quantidade de mortes caiu de 164 para 163 na Capital. Manteve-se estável dentro do cenário que já era péssimo. Já no resto do Estado, no mesmo período, o número de homicídios foi de 161 para 190 entre um janeiro e outro. Aumento de 18%. A situação do Interior se deteriora de forma muito mais preocupante que a da Capital. Em ambos os casos, o cenário é terrível, mas em uma há estabilidade, na outra, descontrole. Para justificar seu argumento, o doutor secretário precisa arrumar 183 Luiziannes Lins pioradas Ceará afora.
A não ser que apareça alguém por aí para dizer que o resultado de Fortaleza já reflete as mudanças decorrentes da posse de Roberto Cláudio (PSB) como prefeito. Aliás, é bem capaz.
AS MOTIVAÇÕES FORAM POLÍTICAS
Diante do que afirmou Bezerra, seria adequado a cúpula do Governo do Estado explicar direitinho à população porque apoiou essa mesma Prefeitura ao longo de sete anos e meio dos oito aos quais se referiu o coronel. Porque, é bom lembrar, não foi pela autocrítica administrativa que o governador Cid Gomes (PSB) rompeu com a ex-prefeita. Ele deixou cristalino que o PSB lançou candidato próprio em função de não concordar com a forma como o PT escolheu seu postulante. O problema foi político, não de gestão. Agora, usa-se a ex-aliada para justificar as próprias falhas. 
 Seja como for, admitindo-se que o doutor secretário esteja certo, está-se no melhor dos mundos. A gestão mudou, há um aliado na Prefeitura e agora nenhum resultado é aceitável que não seja a melhora dos índices de criminalidade. Até porque é difícil piorar. Mas convém não duvidar.
QUANDO NÃO DÁ PRA ESCONDER...
Em junho de 2011, em entrevista ao O POVO, coronel Bezerra comemorava a redução do índice de homicídios em 13% em Fortaleza. Reflexo, segundo disse, do recorde de apreensão de armas. Naquela época, Luizianne já era prefeita havia seis anos e meio. Mas isso não parece ter pesado naquele momento. Ou vai ver a falta de investimentos para a juventude só se deu nessa reta final.
 Houve ministro da Fazenda que caiu porque falou: “O que é bom a gente fatura e o que é ruim a gente esconde”. Para o secretário, na impossibilidade de esconder, arranjam-se culpados.
A REALIDADE ALTERNATIVA NUM UNIVERSO PARALELO DA CRIMINALIDADE
No último dia 17, O POVO publicou outras declarações do secretário da Segurança. Ele repetia argumento que tem sido recorrente na cúpula do Estado para justificar por que tanto dinheiro gasto não deu resultado. O coronel disse que, sem tanto investimento, “estaríamos vivenciando um verdadeiro caos”. Bom, não sei como ele qualifica o atual cenário, que a este colunista parece bem próximo da descrição acima. Mas, objetivamente, o coronel faz futurologia do que não aconteceu como modo de rebater as críticas de incompetência na aplicação do dinheiro da Viúva. Tanto eu não posso dizer que ele está errado e que a situação não seria pior sem os gastos realizados, como ele não pode me desmentir se eu eventualmente disser o contrário. O que existe de concreto é: o momento é pavoroso. Especular sobre um presente alternativo no caso de o passado ter sido diferente é retórica vazia.
 Na mesma entrevista, Bezerra apontou o sucateamento herdado do governo Lúcio Alcântara para explicar o volume de dinheiro aplicado. Ainda que tenha razão, não fica bonito para governo que se encaminha para a metade do sétimo ano culpar o antecessor. Até porque, salvo reviravolta na segurança pela qual todos torcemos, daqui a dois anos, o coronel poderá ouvir seu sucessor dizer que herdou situação de descalabro, com criminalidade fora de controle. E será difícil contestar.

Érico Firmo

Comentários

  1. Tá na hora de pedir pra sair...não se gerencia impondo idéias e sim, expondo idéias.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

ANTES DE ESCREVER LEIA COM ATENÇÃO: Palavras de baixo calão, racismo, ofensas, ameaças e tudo mais de não estejam de acordo com os bons costumes e as leis vigentes não será aprovado. Expressão do pensamento é um direito Constitucional, expresse o seu com educação e propriedade. Os comentários publicados não traduzem a opinião do blog. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e mundiais e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo. O IP do comentarista fica arquivado e pode ser fornecido por Ordem Judicial.

| Mais Acessados na Última Semana |

ROTA invade tribunal e resgata ex-presidiário

Sim, o título acima está correto. Numa incrível operação relâmpago, PMs de ROTA impedem que tribunal do crime assassine um ex-presidiário

A ROTA está nas ruas 24 horas por dia, todos os dias, o ano inteiro. Seu efetivo é dividido em três Companhias: Noturna, Matutina e Vespertina. Esta matéria relata uma incrível ocorrência de resgate conduzida pelo Pelotão do Tenente PM Soares, que patrulhava a Zona Leste de São Paulo às 21:40 nesta segunda-feira, dia 14. “O despacho do Policiamento de Choque do COPOM nos informou que uma pessoa estava sendo torturada na favela Eliane, numa casa com detalhes verdes no seu portão, localizada na rua Esperança. Pelas particularidades que nos foram relatadas, estava claro que a ocorrência envolvia a ação de um ‘tribunal do crime’ provavelmente comandado pelo PCC. Imediatamente acionei meu Pelotão”, relata o Tenente de ROTA Soares. O nome dessa rua, 'Esperança', não podia ser menos adequado em função do cenário que os PMs iriam encontrar em poucos…

Aprovado PL que da poder de polícia administrativa às polícias e bombeiros militares do Brasil

O poder de polícia administrativa trás condições das polícia militares e bombeiros atuarem de forma efetiva em eventos, estabelecimentos comerciais e outros. Autor: Capitão Augusto - PR/SPData da apresentação:  04/02/2015 Ementa: Regula as ações de Polícia Administrativa exercida pelos Corpos de Bombeiros Militares dentro das suas atribuições de prevenção e extinção de incêndio, e perícias de incêndios e ações de defesa civil, de busca salvamento, de resgate e atendimento pré-hospitalar e de emergência; e pelas Polícias Militares no exercício da Polícia Ostensiva e Polícia de Preservação da Ordem Pública, e dá outras ...Leia integra do PL 196/2015Regula as ações de Polícia Administrativa exercida pelos Corpos de Bombeiros Militares dentro das suas atribuições de prevenção e extinção de incêndio, e perícias de incêndios e ações de defesa civil, de busca salvamento, de resgate e atendimento pré-hospitalar e de emergência; e pelas Polícias Militares no exercício da Polícia Ostensiva e Pol…

Usar arma de uso restrito com porte ilegal agora é crime hediondo

Aprovada urgência para projeto que torna crime hediondo o porte ilegal de armas de uso restrito O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 332 votos a 7 e 2 abstenções, o regime de urgência para o Projeto de Lei 3376/15, do Senado, que torna crime hediondo a posse ou o porte ilegal de arma de fogo de uso restrito das forças policiais e militares. Após a votação, a sessão ordinária foi encerrada. Projeto de Lei do Senado nº 230, de 2014, de autoria do Senador Marcelo Crivella, constante dos autógrafos em anexo, que “Altera a Lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990, para incluir o crime de posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito no rol dos crimes hediondos”. A Lei 8.072/90 define como hediondos os crimes de homicídio praticado por grupo de extermínio; homicídio qualificado; latrocínio; genocídio; extorsão qualificada por morte; extorsão mediante sequestro; estupro; disseminação de epidemia que provoque morte; falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto …

Policiais e bombeiros militares não sabem a força que tem

Deputado Federal Capitão Augusto orienta os militares de São Paulo sobre a força política da classe
Por mais que façamos aqui pela Câmara dos Deputados, aprovando projetos dando mais direitos e garantias aos policiais e não deixando ser aprovado nenhum projeto que os prejudique, a grande reivindicação que recebo dos policiais refere-se a questão do aumento salarial.
Infelizmente Deputados não podem apresentar projetos que gerem despesas para o executivo, então está fora de nossa competência atender essa solicitação, o que nos resta é cobrar (e muito) do governador e fazer articulação para que ele conceda o tão esperado aumento salarial.
Hoje temos força política para eleger representantes para Assembleia Legislativa, Câmara dos Deputados e para todos cargos nas eleições municipais. Está na hora de influenciarmos as eleições para Governador e Senador, um que reconheça nosso valor, ou ficaremos fadados a apenas reclamar nos bastidores.
Nós podemos muito mais que isso! Somos quase 150.000 po…

Vaccarezza é preso em nova fase da Operação Lava Jato em São Paulo

Ex-deputado, que deixou o PT, foi líder dos governos Lula e Dilma. Segundo o MPF, ele recebeu a maior parte de um total de propina que soma US$ 500 mil. O ex-líder dos governos Lula e Dilma na Câmara dos Deputados Cândido Vaccarezza, que deixou o PT, foi preso nesta sexta-feira (18) em São Paulo. Ele é alvo da Operação Abate, uma das duas novas fases da Operação Lava Jato deflagradas nesta manhã. A prisão é temporária, válida por cinco dias. Por volta das 9h, Vaccarezza estava em casa sob custódia da PF. Ele deve seguir para Curitiba ainda nesta sexta. O G1 tenta contato com a defesa do ex-deputado, com PT e com as empresas citadas. Principais pontos das investigações Ações apuram o favorecimento de empresas estrangeiras em contratos com Petrobras. Operação Abate investiga fraudes no fornecimento de asfalto para a Petrobras por uma empresa norte-americana, entre 2010 e 2013. Funcionários da Petrobras, o PT e, principalmente, Cândido Vaccarezza teriam recebido propinas que somam US$ 5…