Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

Na Segurança pública, o fracasso já nem se discute

18% foi o percentual do aumento de homicídios dolosos entre janeiro de 2012 e janeiro de 2013 nos demais municípios do Ceará, excetuada Fortaleza
Talvez o que haja de mais revelador nas declarações do coronel Bezerra ao jornalista Thiago Paiva, no O POVO da última sexta-feira, é que até o secretário estadual da Segurança já parece admitir o fracasso dos resultados na área que comanda. O desastre está nas estatísticas oficiais e nem o gestor da área usa argumentos para defender os indicadores. O caso agora é distribuir as culpas pelo descalabro. Então, pelo menos em um ponto parece já haver acordo. Sobre a atribuição das responsabilidades, disse o coronel: “Sugiro, nesse momento, que vocês vejam que tipo de equipamento a Prefeitura de Fortaleza, nos últimos oito anos, colocou à disposição dos jovens e adolescentes. (...) Isso requer investimento na área da educação, assistência ao jovem, criação de emprego e na área da punição efetiva de quem comete o crime”.
A visão integrada é um avanço e creio que poucos haverão de discordar. Mas há alguns problemas em culpar a administração passada do Município. Os dados mais recentes sobre homicídios dolosos disponíveis ontem no site da secretaria do doutor Bezerra eram relativos a janeiro. Na comparação entre o primeiro mês deste ano e o mesmo período do ano passado, a quantidade de mortes caiu de 164 para 163 na Capital. Manteve-se estável dentro do cenário que já era péssimo. Já no resto do Estado, no mesmo período, o número de homicídios foi de 161 para 190 entre um janeiro e outro. Aumento de 18%. A situação do Interior se deteriora de forma muito mais preocupante que a da Capital. Em ambos os casos, o cenário é terrível, mas em uma há estabilidade, na outra, descontrole. Para justificar seu argumento, o doutor secretário precisa arrumar 183 Luiziannes Lins pioradas Ceará afora.
A não ser que apareça alguém por aí para dizer que o resultado de Fortaleza já reflete as mudanças decorrentes da posse de Roberto Cláudio (PSB) como prefeito. Aliás, é bem capaz.
AS MOTIVAÇÕES FORAM POLÍTICAS
Diante do que afirmou Bezerra, seria adequado a cúpula do Governo do Estado explicar direitinho à população porque apoiou essa mesma Prefeitura ao longo de sete anos e meio dos oito aos quais se referiu o coronel. Porque, é bom lembrar, não foi pela autocrítica administrativa que o governador Cid Gomes (PSB) rompeu com a ex-prefeita. Ele deixou cristalino que o PSB lançou candidato próprio em função de não concordar com a forma como o PT escolheu seu postulante. O problema foi político, não de gestão. Agora, usa-se a ex-aliada para justificar as próprias falhas. 
 Seja como for, admitindo-se que o doutor secretário esteja certo, está-se no melhor dos mundos. A gestão mudou, há um aliado na Prefeitura e agora nenhum resultado é aceitável que não seja a melhora dos índices de criminalidade. Até porque é difícil piorar. Mas convém não duvidar.
QUANDO NÃO DÁ PRA ESCONDER...
Em junho de 2011, em entrevista ao O POVO, coronel Bezerra comemorava a redução do índice de homicídios em 13% em Fortaleza. Reflexo, segundo disse, do recorde de apreensão de armas. Naquela época, Luizianne já era prefeita havia seis anos e meio. Mas isso não parece ter pesado naquele momento. Ou vai ver a falta de investimentos para a juventude só se deu nessa reta final.
 Houve ministro da Fazenda que caiu porque falou: “O que é bom a gente fatura e o que é ruim a gente esconde”. Para o secretário, na impossibilidade de esconder, arranjam-se culpados.
A REALIDADE ALTERNATIVA NUM UNIVERSO PARALELO DA CRIMINALIDADE
No último dia 17, O POVO publicou outras declarações do secretário da Segurança. Ele repetia argumento que tem sido recorrente na cúpula do Estado para justificar por que tanto dinheiro gasto não deu resultado. O coronel disse que, sem tanto investimento, “estaríamos vivenciando um verdadeiro caos”. Bom, não sei como ele qualifica o atual cenário, que a este colunista parece bem próximo da descrição acima. Mas, objetivamente, o coronel faz futurologia do que não aconteceu como modo de rebater as críticas de incompetência na aplicação do dinheiro da Viúva. Tanto eu não posso dizer que ele está errado e que a situação não seria pior sem os gastos realizados, como ele não pode me desmentir se eu eventualmente disser o contrário. O que existe de concreto é: o momento é pavoroso. Especular sobre um presente alternativo no caso de o passado ter sido diferente é retórica vazia.
 Na mesma entrevista, Bezerra apontou o sucateamento herdado do governo Lúcio Alcântara para explicar o volume de dinheiro aplicado. Ainda que tenha razão, não fica bonito para governo que se encaminha para a metade do sétimo ano culpar o antecessor. Até porque, salvo reviravolta na segurança pela qual todos torcemos, daqui a dois anos, o coronel poderá ouvir seu sucessor dizer que herdou situação de descalabro, com criminalidade fora de controle. E será difícil contestar.

Érico Firmo

Comentários

  1. Tá na hora de pedir pra sair...não se gerencia impondo idéias e sim, expondo idéias.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …