Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Ministério Público deflagra operações de combate à corrupção pelo Brasil

Ações, em 12 Estados, contam com 150 promotores e 1.300 policiais.
Desvio em órgãos públicos e lavagem de dinheiro estão entre os crimes.
Mais de 150 promotores e 1.300 policiais fazem nesta terça-feira (9) operações de combate à corrupção em pelo menos 12 Estados.
As ações são coordenadas pelo Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas em parceria com diversos órgãos e têm como objetivo desmantelar esquemas criminosos cujos desvios de verbas podem ultrapassar R$ 1,1 bilhão.
A "Operação Nacional Contra a Corrupção" cumpre 92 mandados de prisão, 337 mandados de busca e apreensão, 65 mandados de bloqueio de bens e 20 mandados de afastamento das funções públicas.
Entre as irregularidades estão desvio de dinheiro em órgãos municipais e estaduais, pagamento de propinas, superfaturamento de produtos e serviços, utilização de empresas fantasmas, lavagem de dinheiro, compra de sentenças, sonegação fiscal e enriquecimento ilícito de agentes públicos.
As investigações são realizadas nos seguintes estados: Bahia, Ceará, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Rondônia e São Paulo.

Veja informações sobre as operações nos Estados:
Rio de Janeiro
Ação do MP com a inteligência da Polícia Militar cumpre seis mandados de prisão de integrantes do tráfico de drogas do morro da Mangueira, acusados de atuar na região e de oferecer propina a um PM lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), instalada na comunidade.

São Paulo
Batizada de "Fratelli", a ação investiga cerca crimes cometidos em 80 cidades do noroeste paulista.
São cumpridos mais de 150 mandados de busca e apreensão, além de 13 mandados de prisão. Em São José do Rio Preto, os investigados são empresários e políticos. Os policiais irão entrar em empresas e prefeituras em busca de documentos que comprovariam as fraudes.
Mato Grosso e Mato Grosso do Sul
O Gaeco e a Polícia Rodoviária Federal cumprem mandados de prisão em operação que contra a ação de venda de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e São Paulo. Um suspeito de liderar a quadrilha foi detido em Anastácio, a 134 km de Campo Grande.
Em MS, são cumpridos 7 mandados de prisão. As investigações começaram há seis meses e a fraude ultrapassaria R$ 500 mil.

Paraná
A polícia cumpre mais de 20 mandados de prisão sobre lavagem de dinheiro em Apucarana, Londrina e Cambé. A operação começou em Apucarana, onde empresários estariam pagando propinas a policiais para produzir artigos ilícitos. As buscas são realizadas em condomínios de alto padrão da região.
Rondônia
Em Porto Velho (RO), o ex-prefeito Roberto Sobrinho foi preso no início da manhã. Cinco mandados de prisão são cumpridos na capital após 25 servidores da prefeitura e da Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano (Emdur) serem investigados por desvios de dinheiro, por meio de uma organização criminosa instalada no órgão.
O ex-prefeito não foi algemado e, ao deixar a casa, disse não saber os motivos da prisão. “Isso é uma injustiça”, afirmou Sobrinho.
 Rio Grande do Norte
O Ministério Público deflagrou a operação "Máscara Negra" para combater supostas fraudes em licitações para contratações de bandas para eventos festivos.
Os mandados são assinados pela comarca de Macau, cidade a 180 km de Natal. A Polícia Militar apóia o cumprimento dos mandados.
Prefeituras de Macau e Guamaré, ambas na região da Costa Branca do Rio Grande do Norte, foram responsáveis por desvios de mais de R$ 13 milhões, segundo o MP.
Ceará
Polícia Federal, com apoio do MP, cumpre 31 mandados de busca e apreensão em investigação contra corrupção no município de Quixeramobim, a 206 km de Fortaleza. O prefeito, o vice-prefeito, dez secretários municipais, o procurador-geral do município e vários dirigentes de autarquias são suspeito de desviar R$ 6 milhões por meio de fraudes de licitação. Segundo o MP, 26 pessoas estão sendo investigadas.
Do G1, em São Paulo

FALA PolicialBR: Apoiamos incondicionalmente esta e qualquer outra medida para o combate a corrupção, lugar de corrupto é na cadeia!

Comentários

  1. Trata-se de ação unica, isso serve pra quem?

    ResponderExcluir
  2. ESTÃO FAZENDO OPERAÇÕES EM LOCAIS ERRADOS POR FAVOR CERQUEM O PALÁCIO DO PLANALTO CAMARAS DE DEPUTADO E SENADORES E AÍ VOCÊS ACABARÃO COM A FACULDADE DA CORRUPÇÃO: OS DEMAIS ALUNOS SEM ORIENTAÇÃO DOS MESTRES SE ACOMODARÃO. E O POVÃO AGRADECE.

    ResponderExcluir
  3. ESSAS AÇOES NAO AFETAMO GOVERNO DOS ESTADOS POIS COM O CRESCIMENTO DA DIVIDA DEVIDO AOS JUROSPARA SEU PAGAMENTO TEM QUE APLICAR O DINHEIRO DO ESTADO

    ResponderExcluir
  4. Brasilia é um bom local para eles começarem tambem.

    ResponderExcluir
  5. isso é só enrolação, é para enganar a população, essas OPERAÇÕES CONTRA A CORRUPÇÃO, em primeiro LUGAR TINHA QUE SER EM BRASILIA, NO PLANALTO, DEPOIS NOS GOVERNOS ESTADUAIS, MUNICIPAIS, ENFIM EM TODOS OS ÓRGÃOS PÚBLICOS, DEPOIS NA POPULAÇÃO, AGORA ELES COMEÇAM POR BAIXO, COMO SE A POPULAÇÃO FOCE A CAUSA DA CORRUPÇÃO, BANDO DE SAFADOS, NÃO VÃO MAIS ENGANAR A POPULAÇÃO, POPLÍTICOS CORRUPTOS, LADRÕES DO DINHEIRO DO POVO, ALIADOS DO CRIME EM GERAL, DAS EMPREITEIRAS, DAS OBRAS SUBFATURADAS, TOMEM VERGONHA NA CARA, O POVO BRASILEIRO E O MUNDO TODO SABEM QUEM SÃO VOCÊS.

    ResponderExcluir
  6. Acho, que primeiro deveriam começar de cima, pois no Congresso Nacional deveria ser o primeiro. O que tem de políticos medidos em sacanagem, lavagem de dinheiro, corrupção e muitos outros, e nunca vejo nada contra eles. Deveriam de começar com o Sérgio Cabral, Sérgio Costes e Eduar do Pães, isto no Rio de Janeiro e tem outros, é só procurar que vão achar. Concordo com o Ministério Público em fazer esta operação, agora só quero saber, quem vai para a cadeia. César Arnt - Rio de Janeiro

    ResponderExcluir
  7. O Ministério Público também deveria fiscalizar os hospitais Estaduais, Municipais e Federais, pois isto está uma vergonha, cadê o dinheiro da saúde, que nunca tem, agora para fazer obras super faturadas como tem dinheiro e não falta. Olhar as licitações dos hospitais públicos, pois como vemos, tudo é super faturados e muitas firmas não existem é tudo de fachada é muita gente ganhando dinheiro, encima do trabalhar. César Arnt - RJ

    ResponderExcluir
  8. O dia que nossa Constituição for igual dos Estados Unidos, isto acaba, pois lá não existe IMUNIDADE PARLAMENTAR, cometeu crime, responde igual um cidadão comum. Já que copiam muitas coisas lá de fora, porque não copiar a Constituição dos Estados Unidos, aí muita gente não iria querer ser político. Nosso país precisa mudar, como por exemplo: fiscalizar todas as firmas que são abertas. Exemplos dados: Todo contratos sociais, alvarás expedidos pelas prefeituras, cartórios de documentos. Por aí, já se tem algumas coisas para começarem, pois muitas firmas abertas, não existem e entram em licitações de órgãos públicos. Aí fazem isto várias vezes até um dia descobrirem, aí já roubaram e quando vão fiscalizar a firma não existe. César Arnt - RJ

    ResponderExcluir
  9. Já que é para falar, vamos falar: Como todos sabem, no Rio de Janeiro tem uma lei, que fala que em dia de jogos, os bares não podem vender bebidas alcólicas, pois bem, na Copa, vão vender cervejas no Maracanã. Quero saber o seguinte, vai ter lei seca nos dias de jogos da Copa!!!!, pois se não tiver, virou bagunça, porque com os gringos aqui, vão poder vender!!!!, a lei é para todos!!!!. César Arnt - RJ

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

Morre segundo policial militar atingido por tiro de fuzil em Pompéu

Cabo Lucas Reis Rosa foi internado e teve braço amputado após confronto com criminosos que explodiram uma agência bancária. Outro policial e um entregador também foram mortos. A Polícia Militar (PM) confirmou, na manhã desta sexta-feira (8), a morte do cabo Lucas Reis Rosa. Ele estava internado desde a madrugada de terça-feira (5) quando foi atingido por um tiro de fuzil durante confronto com criminosos que explodiram uma agência bancária em Pompéu. Segundo a Polícia Militar, o óbito foi constatado as 9h50 desta sexta. Em nota, a PM informou que o cabo teve reações inflamatórias graves, pós-cirúrgicas ao trauma. Na quarta-feira (6), Lucas Reis passou por duas cirurgias, uma delas foi para a amputação total do braço direito. “Estamos entrando em contato com a família para dar o devido apoio e verificar questões relacionadas a local e horário do velório e enterro”, informou o comandante da 7ª Região da Polícia Militar, coronel Helbert Willian Carvalhaes. Confronto Na madrugada de terça…

Policial militar é sequestrado e assassinado a tiros em Paulista

Um policial militar foi assassinado com nove tiros, na Estrada do Pica-Pau, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife. A vítima foi identificada como Lindembergue Gomes da Silva, de 53 anos, foi encontrado ás margens da estrada, em Paratibe. De acordo com os peritos do instituto de Criminalidade (IC), ele foi atingido por um tiro no rosto e os outros nas costas. Os peritos acreditam que o PM pode ter sido morto com a própria arma.
Segundo a polícia, o militar, que atuava como comerciante, teria sido levado da casa dele, no bairro da Mirueira, por dois homens. Ele teria sido levado para o local do crime no próprio carro, uma caminhonete, que foi abandonada em Abreu e Lima. Nenhum pertence da vitima foi encontrado. A policia recebeu a informação de que o PM reformado era agiota, o que pode ter motivado o assassinato.

Fonte: Tv jornal uol

Brasil dobra número de presos em 11 anos, diz levantamento; de 726 mil detentos, 40% não foram julgados

Estudo divulgado pelo Ministério da Justiça é de junho de 2016. País é o terceiro do mundo em número de detentos. Estado com maior superlotação é o Amazonas (cinco presos por vaga). Uma nova edição do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen) divulgada nesta sexta-feira (8) pelo Ministério da Justiça informa que, em junho de 2016, a população carcerária do Brasil atingiu a marca de 726,7 mil presos, mais que o dobro de 2005, quando o estudo começou a ser realizado. Naquele ano, o Brasil tinha 361,4 mil presos, de acordo com o levantamento. Esses 726 mil presos ocupam 368 mil vagas, média de dois presos por vaga (leia mais abaixo sobre superlotação). "Houve um pequeno acréscimo de unidades prisionais a partir de 2014, muito embora não seja o suficiente para abrigar a massa carcerária que vem aumentando no Brasil. Então, o que nos temos, é um aumento da população carcerária e, praticamente, uma estabilidade no que se refere à oferta de vagas e oferta de estabel…

AFAM: NOVIDADES SOBRE AÇÃO JUDICIAL DA INCORPORAÇÃO DE 100% DO ALE NOS VENCIMENTOS DOS POLICIAIS E BOMBEIROS DE SÃO PAULO

Agora já são em número de 05 as Câmaras de Direito Público a adotar esse entendimento. Novas e recentes decisões do Tribunal de Justiça de São Paulo, em Mandados de Segurança individuais, têm confirmado o entendimento de que a incorporação total do ALE ao Salário-Base (Padrão) é direito de todos os policiais militares. Em Acórdão de 11 de março de 2013, relativo à Apelação/Reexame Necessário nº. 0029083-82.2012.8.26.0053, assim se manifestou a 6 ª. Câmara de Direito Público do TJ/SP: “Assim, no caso do impetrante, policial em atividade, quinquênios, sexta-parte e RETP incidem sobre as vantagens efetivamente incorporadas, dentre as quais, a partir da LC nº 1.114/10, o ALE”.... http://www.afam.com.br/
Veja abaixo todas as novidades:






REVOLTA DA ASSOCIAÇÃO DOS CABOS E SOLDADOS DA PMESP COM GOVERNO ALCKMIN

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo luta contra uma mentira da Procuradoria Geral do Estado; e, infelizmente, endossada pelo Governador do Estado. Ocorre que a Procuradoria, por meio da suspensão da Tutela Antecipada nº 678 junto ao Supremo Tribunal Federal fez constar em sua petição o valor aproximado de R$ 1,5 bilhão. Em síntese, disse ao Presidente do STF, Exmo. Senhor Ministro Ayres Britto que o custo criaria uma lesão ao erário público, assim, permitiu suprimir verbas alimentares de Policiais Militares. Neste sentido, passamos a conhecer melhor o Governo Geraldo Alckmin.
O Governo do Estado tinha conhecimento que o Policial Militar recebia o recálculo retroativo a novembro de 2010 por intermédio de uma ação judicial; e que nunca se tratou de uma tutela antecipada mas sim, de cumprimento provisório de sentença, iniciado após o Tribunal de Justiça de São Paulo, na 2ª Instância, ter garantido a fórmula correta de cálculo da verba aos Policiais…