Pular para o conteúdo principal

Rádio PolicialBR 24 horas com você. Notícias e entretenimento.

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Grevista é reintegrado 12 anos após demissão

Doze anos após ter sido demitido por causa da greve da polícia em 2001, o ex-sindicalista Crispiniano Daltro obteve a reintegração "em definitivo" ao cargo de investigador de Polícia Civil, em ato homologado pelo governador Jaques Wagner na sexta, 13 de abril. Daltro presidiu o Sindicato dos Policiais Civis do Estado (Sindipoc) durante 12 anos. Era filiado ao PT e um opositor ferrenho do "carlismo". Ele participou da campanha que elegeu Wagner em 2006, mas depois se decepcionou com o governo petista, a ponto de pedir desfiliação do partido e deixar o sindicalismo.
A situação do ex-presidente do Sindipoc era difícil de explicar judicialmente. Ele obteve, em 3 de outubro de 2002, decisão favorável do Pleno do Tribunal de Justiça da Bahia, para que fosse reintegrado. O governador da época, César Borges, recusou-se a cumprir a decisão, mas, como havia o risco de prisão por não acatar uma determinação judicial, resolveu baixar um ato para "reintegrar provisoriamente" Daltro, que foi "encostado" no serviço público, sem função específica.
Sal faz mal
Quando Wagner se elegeu, ele e os outros demitidos na greve de 2001 tinham certeza de que seriam reintegrados, mesmo porque tratava-se de promessa de campanha. Os sindicalistas gostavam de lembrar as palavras de Wagner segundo a qual iria governar com quem havia "comido sal e tomado poeira" com ele na oposição ao grupo do então senador Antonio Carlos Magalhães.
Apesar das promessas, o governador não reintegrou os demitidos, mesmo com decisões favoráveis da Justiça e anistia concedida pela Presidência da República.
"Não comi sal porque sou hipertenso, mas tomei muita poeira", afirma em tom de brincadeira Daltro, explicando que o governador mudou de ideia em relação ao caso dele. "Em junho de 2012 enviei uma carta ao governador expondo a minha situação sui generis, anexando a decisão do TJ-BA. Dessa vez ele foi compreensivo, me encaminhou ao secretário da Administração, Manoel Vitório, e o caso foi analisado pela Procuradoria Geral do Estado que deu o sinal verde", disse Daltro.
Ele retoma sua antiga função neste mês, lotado na delegacia de Conceição do Coité. "Concordei em me mudar para lá para recomeçar minha vida e reconstruir minha imagem que ficou desgastada pela meu radicalismo da época do Sindipoc", contou, com certa mágoa não só do PT, mas dos colegas sindicalistas que "aderiram" ao sistema. "Muitos arrumaram um carguinho no governo e abandonaram a luta sindical", critica.
PMs ainda aguardam reintegração -
 Cinco policiais militares demitidos em consequência da greve de 2001 ainda lutam pela reintegração. Um deles, o vereador-soldado Marcos Prisco (PSDB) lembra que tem seis decisões judiciais favoráveis à sua causa. "São quatro no Tribunal de Justiça da Bahia, uma na Auditoria Militar e outra no Supremo Tribunal Federal, sem falar nas duas anistias, uma concedida pelo ex-presidente Lula e outra pela presidente Dilma", disse. Para ele, a única explicação para ainda não ser reintegrado aos quadros da PM é a "perseguição política".
Prisco se notabilizou em dois momentos marcantes da política baiana. Na primeira campanha de Jaques Wagner, apareceu no programa político do PT exibindo seu contracheque de soldado para mostrar o baixo salário e desgastar o então governador Paulo Souto (PFL) que tentava a reeleição. Em fevereiro de 2012, comandou a greve da Polícia Militar e ocupou a Assembleia Legislativa com um grupo de grevistas. Saiu preso.
Além de Marcos Prisco, faltam ser reintegrados os seguintes demitidos na greve de 2001: os sargentos José Lourenço Dias, Donavan Soares e Cristiano Oliveira e o soldado Luiz Marinho.
Prisco diz que o governo estadual "zomba da Justiça" e lamenta que "nenhum desembargador tenha coragem de decretar a prisão dos responsáveis pelo não-cumprimento das decisões judiciais".
Portal A Tarde

Comentários

| Mais Acessados na Última Semana |

Usar arma de uso restrito com porte ilegal agora é crime hediondo

Aprovada urgência para projeto que torna crime hediondo o porte ilegal de armas de uso restrito O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 332 votos a 7 e 2 abstenções, o regime de urgência para o Projeto de Lei 3376/15, do Senado, que torna crime hediondo a posse ou o porte ilegal de arma de fogo de uso restrito das forças policiais e militares. Após a votação, a sessão ordinária foi encerrada. Projeto de Lei do Senado nº 230, de 2014, de autoria do Senador Marcelo Crivella, constante dos autógrafos em anexo, que “Altera a Lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990, para incluir o crime de posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito no rol dos crimes hediondos”. A Lei 8.072/90 define como hediondos os crimes de homicídio praticado por grupo de extermínio; homicídio qualificado; latrocínio; genocídio; extorsão qualificada por morte; extorsão mediante sequestro; estupro; disseminação de epidemia que provoque morte; falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto …

Policiais e bombeiros militares não sabem a força que tem

Deputado Federal Capitão Augusto orienta os militares de São Paulo sobre a força política da classe
Por mais que façamos aqui pela Câmara dos Deputados, aprovando projetos dando mais direitos e garantias aos policiais e não deixando ser aprovado nenhum projeto que os prejudique, a grande reivindicação que recebo dos policiais refere-se a questão do aumento salarial.
Infelizmente Deputados não podem apresentar projetos que gerem despesas para o executivo, então está fora de nossa competência atender essa solicitação, o que nos resta é cobrar (e muito) do governador e fazer articulação para que ele conceda o tão esperado aumento salarial.
Hoje temos força política para eleger representantes para Assembleia Legislativa, Câmara dos Deputados e para todos cargos nas eleições municipais. Está na hora de influenciarmos as eleições para Governador e Senador, um que reconheça nosso valor, ou ficaremos fadados a apenas reclamar nos bastidores.
Nós podemos muito mais que isso! Somos quase 150.000 po…

Deputado capitão Augusto requer moção de repúdio contra Secretário de Segurança Pública e Governador de São Paulo Geraldo Alckmin

DEPUTADO CAPITÃO AUGUSTO REQUER MOÇÃO DE REPÚDIO CONTRA O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DE SÃO PAULO E CONTRA O GOVERNADOR POR TANTO DESRESPEITO ÀS LEIS E AOS POLICIAIS MILITARES DE SÃO PAULO
O Deputado Capitão Augusto entrou hoje, 10, com dois Requerimentos de Moção de Repúdio contra o Secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, e contra o Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, por desrespeitar as leis e aos policiais militares. Essas moções fazem parte de uma série de medidas que o parlamentar está adotando para tornar público as medidas descabíveis desse governo contra os policiais militares e a segurança pública do país, e para que entendam que tudo tem um limite. A categoria não vai tolerar mais tanto descaso e desrespeito. O Deputado estará revelando ao país e ao mundo que Alckmin não serve para governar o país, deve ser ignorado e descartado como candidato à Presidência da República. CAPITÃO AUGUSTO conclama os militares e familiares a somarem esforços para…

Aprovado PL que da poder de polícia administrativa às polícias e bombeiros militares do Brasil

O poder de polícia administrativa trás condições das polícia militares e bombeiros atuarem de forma efetiva em eventos, estabelecimentos comerciais e outros. Autor: Capitão Augusto - PR/SPData da apresentação:  04/02/2015 Ementa: Regula as ações de Polícia Administrativa exercida pelos Corpos de Bombeiros Militares dentro das suas atribuições de prevenção e extinção de incêndio, e perícias de incêndios e ações de defesa civil, de busca salvamento, de resgate e atendimento pré-hospitalar e de emergência; e pelas Polícias Militares no exercício da Polícia Ostensiva e Polícia de Preservação da Ordem Pública, e dá outras ...Leia integra do PL 196/2015Regula as ações de Polícia Administrativa exercida pelos Corpos de Bombeiros Militares dentro das suas atribuições de prevenção e extinção de incêndio, e perícias de incêndios e ações de defesa civil, de busca salvamento, de resgate e atendimento pré-hospitalar e de emergência; e pelas Polícias Militares no exercício da Polícia Ostensiva e Pol…

Qual a responsabilidade que a sociedade civil possui na segurança pública?

Policiais militares foram assassinados por criminosos neste fim de semana; secretário de Segurança do Rio pediu mudanças no sistema judiciário Neste final de semana dois Policiais Militares foram assassinados no Rio de Janeiro: a Cabo PM Elisângela Bessa Cordeiro, com um tiro na cabeça disparado por um menor, e o Soldado PM Samir da Silva Oliveira, com um tiro no pescoço disparado por um fuzil de combate.
Qual é a pena para o menor assassino da PM ? Em média oito meses. Qual é a pena para quem porta um fuzil? Três anos. Como se isso já não fosse suficientemente patético, nossa legislação acrescenta o insulto à injuria ao prever a concessão do beneficio da progressão de pena, fazendo com que o criminoso cumpra apenas 1/6 da pena, ou seja, o guerrilheiro urbano que porta uma arma de uso restrito do Exército, pode estar solto em seis meses.
Quem é o responsável por essa baderna? Você que está lendo este artigo e eu que o escrevi. Somos nós que consistentemente fazemos o mesmo erro de ele…