Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Expulsar maus policiais não é a melhor estratégia para combater a corrupção, diz secretária nacional de Segurança

A expulsão de maus policiais, a principal estratégia da Secretaria de Segurança do Rio para lidar com a corrupção na Polícia Militar e na Polícia Civil, é equivocada. A avaliação é da secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki, diante dos dados da Pesquisa Nacional de Vitimização, divulgados ontem pelo EXTRA e que apontam a liderança da PM fluminense no ranking da corrupção policial, com 30,2% dos casos de extorsão no país:
— Alguns estados estão promovendo essa limpeza dentro das polícias, como o Rio. O número de policiais expulsos me preocupa, porque as milícias do Rio cresceram muito por causa dessas expulsões de PMs. Tenho medo de ser mal interpretada. Não acho que a gente deva ficar com o policial de qualquer jeito. Toda polícia que deu certo no mundo passou por reestruturação. A corporação do Rio tem que ser reestruturada.
A crítica feita pela titular da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Ministério da Justiça, se refere aos números de expulsos e demitidos das fileiras policiais do estado. Miki critica a ausência de política de recuperação do policial e de um acompanhamento social dele após a expulsão, o que poderia evitar que ele se tornasse, por exemplo, miliciano:
— O cara não sabe fazer nada na vida, a não ser o que já faz. O Estado investe muito alto na formação deste policial e depois o expulsa.
O deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia, também critica as expulsões:
— Por que o Rio tem esse resultado? Porque se investe pouco na formação, na valorização e no controle. Quem investe pouco nisso acaba tendo que expulsar muito. Você finge que resolve um problema criando outro.
O governador Sérgio Cabral rebateu as críticas:
— Jamais houve um governo que combatesse a má conduta dentro das polícias como o nosso, com a punição e expulsão de centenas de policiais. Entretanto, não conheço no Brasil polícia mais corajosa para enfrentar a luta contra o crime organizado como a nossa.
Extra

Comentários

  1. Essas estatisticas só não atingem a polícia federal!Também eles ganham bem, e são tratados como gente,diferentemente dos praças da pm.Tudo é questão de se valorizar o ser humano,quando vc se sente valorizado vc faz questão de produzir o maxímo possivel.É por isso que digo: Eles fingem que me valorizam,e eu finjo que me dedico!!!

    ResponderExcluir
  2. Quero parabenizar a Secretária pelo brilhante raciocínio e dizer os comentários do Senhor Sérgio Cabral sobre segurança pública,ofende a minha inteligência...!!!

    ResponderExcluir
  3. Se fóssemos expulsar os políticos corruptos com a mesma vontade que se aplica ao policial, seria interessante ver se o governador tinha como sustentar sua tese. Esses altos índices de corrupção tem sua fundação na estrutura relacional sociedade-Estado-policial. Mas para muitos governantes é mais fácil a sódrida conclusão segundo a qual o policial, esses efeitos negativos, é uma unidade reflexiva que se autodetermina independentemente da influência de qualquer contingência, como, por exemplo, uma condição profissional e socioeconômica aviltante, sem possibilidade de desenvolver autoestima e cidadania. Para quem se refestela impunimente no dinheiro público é fácil falar de um rigor contra o qual se encontra institucionalmente blindado.

    ResponderExcluir
  4. Evidentemente a valorização salarial enobrece e motiva qualquer profissional que se preze, porém o desvio de conduta suscetível a corrupção dentro de sua atribuição legal é peculiar a formação de caráter de cada pessoa, ou seja, a começar pela estrutura familiar e religiosa, entre outros atributos morais.

    ResponderExcluir
  5. "A crítica feita pela titular da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Ministério da Justiça, se refere aos números de expulsos e demitidos das fileiras policiais do estado. Miki critica a ausência de política de recuperação do policial e de um acompanhamento social dele após a expulsão, o que poderia evitar que ele se tornasse, por exemplo, miliciano:
    — O cara não sabe fazer nada na vida, a não ser o que já faz. O Estado investe muito alto na formação deste policial e depois o expulsa."

    É assim que somos vistos pelos nossos governantes!!!!?? acho que ninguém na polícia vai passar fome se deixar de ser policial!!! infelizmente já é aquela visão carregada de preconceito...nem todo mundo é despreparado não senhora ministra!!!

    ResponderExcluir
  6. desculpe a revolta!!! Secretária.....

    ResponderExcluir
  7. A Grande carência do Brasil é a Educação! Praticamente todas as mazelas derivam dessa fraqueza! O que vai se esperar de uma comunidade qualquer, desinformada, robotizada, engessada, desorientada, mal esclarecida e desassistida? De onde vem o policial? Dessa sociedade! Portanto, precisa-se investir maciçamente na Educação dentro da PM. A Educação é consagrada como o principal valor para se conquistar a cidadania plena. O policial necessita se libertar da ignorância e buscar sua dignidade!
    Cel Rabelo - rio de janeiro

    ResponderExcluir
  8. Faltam-me palavras!Que coleção absurda de bobagens, Ladrão é ladrão. E o pior de todos é o que se traveste de policial. Todos os argumentos apresentados são pueris, inclusive o do "colega" (será mesmo?), sobre salários. Historicamente nesse nosso território tupiniquim, sempre fomos mal remunerados, entretanto a grande maioria, a despeito do parco salário, é honesta e honrada. Cansei de tanta besteira.

    ResponderExcluir
  9. Tambem uma policia ganhando menos do que um pedreiro, vai render o quer? esse gonvernadorzinho de meia tigela pensa que pagar ruela a policia pra lever tiro na cara é bom, agora infelizmente temos muitos policiais que se vendem com qualquer gratificação sabada que esses polititos oferecen, até pra carregador de recados de politicos ficam tudo doido, isso é uma vergonha, não procuran estudar, só espera por essa migalha de SÉRGIO CABRAL, esse é um dos administrador mais rabugem que o RIO DE JANEIRO já teve, isso é uma vergonha, cortar a cabeça de cortador de cana é muito bom, porque nun corta cabeça de usineiro.

    ResponderExcluir
  10. Quando um policial militar ou civil for respeitado e valorizado como cidadão e profissional que é, eu lhes garanto que isso acabará. Os que expulsam geralmente tem bons salários, filhos em boas escolas etc, queria pedir a estes senhores para tentar passar só um mês com o salário de sd, cb ou sgt, só pra vê o bixo pegá. De maneira nenhuma estou defendendo corruptos, mas a falta de respeitocom estes profissionais é imensa....

    ResponderExcluir
  11. As policias estaduiais como policia militar e civil tem acabar, este modelo já foi ultrapassado faz tempo,é arcaico, obsoleto sem nenhuma valia para a sociedade, QUEREM ATENDER A TODO MUNDO,MAS ACABAM NÃO ATENDENTO A NINGUÉM, o estado está muito longe dos municípios, os quartéis entupidos de policiais fazendo o burocrático, pois a pm é pura burocracia, o problema só será solicinado com policias municipalizadas e de fácil fiscalização e com poder de ampliação de efetivo quando nescessário sem contar que todos os seus integrantes trabalharão na função fim que é o policiamento, diferenteda PM que + ou - 60 % trabalha e o resto enfiado em repartições só esperando suas gordas promoções e sem nunca nem ter feito uma prisão na vida....(se não tiver funcionando, é só reclamar ao prefeito) Facil, facil...acorda Brasil...

    ResponderExcluir
  12. Entrei na PM de São Paulo em 1978 e aposentei-me em 2008, nos 30 anos de atividade policial sempre, mas sempre fiz bico para melhorar de vida e hoje aposentado continuo fazendo meu bico. Quando o cara é honesto ele é honesto mas quando é desonesto não tem jeito meu filho.

    ResponderExcluir
  13. Se municipalizar fosse a solução, não teria tanto fiscais da prefeitura corruptos.

    ResponderExcluir
  14. Havendo investigações dentro da Polícia Civil e Federal da mesma cede dos Oficiais tem de punir e expulsar Praças iria sobrar poucos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

Justiça Militar manda PM reintegrar cabo acusado de matar atriz durante blitz em Presidente Prudente

Decisão publicada nesta quarta-feira (18) atende a um pedido de tutela de urgência feito pela defesa. Marcelo Aparecido Domingos Coelho foi demitido da corporação em abril de 2015. oi publicada nesta quarta-feira (18) no Diário da Justiça Militar a decisão do juiz substituto da 2ª Auditoria do Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo (TJM-SP), Marcos Fernando Theodoro Pinheiro, que determina a imediata reintegração de Marcelo Aparecido Domingos Coelho aos quadros da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Em abril de 2015, o então cabo da PM foi demitido pela corporação, após ser acusado no processo que envolveu a morte da atriz e produtora cultural Luana Barbosa durante uma blitz policial na Avenida Joaquim Constantino, na Vila Formosa, em Presidente Prudente.
O juiz levou em consideração a absolvição que Coelho obteve na Justiça Militar, sob o argumento de “legítima defesa” e do “estrito cumprimento do dever legal”, o que, segundo o magistrado, de certa forma, contradiz c…

Policial civil morto em mega-assalto a empresa de valores é enterrado

Vítima foi morta a tiros durante ação dos criminosos que explodiram sede da Protege em Araçatuba (SP). Policial estava de folga. O corpo do policial civil André Luís Ferro da Silva, morto durante o mega-assalto a empresa Protege em Araçatuba (SP) nesta segunda-feira (16), foi enterrado na manhã desta terça-feira (17) em um cemitério particular da cidade. Ferro tinha 37 anos e foi baleado durante a ação. Ele foi socorrido com vida, mas morreu durante atendimento na Santa Casa. Silva era investigador e integrante do Grupo de Operações Especiais (GOE), e deixou filhos e a esposa.
O velório da vítima foi feito em um salão de uma funerária em Araçatuba e, do local, o caixão seguiu em um caminhão do Corpo de Bombeiros em cortejo com viaturas das polícias Militar e Civil até o cemitério. Segundo a Polícia Militar, o policial civil estava de folga do serviço e foi ao local para ver o que acontecia após ser chamado pelos pais, que moram perto da sede da Protege.
O grupo criminoso, cerca de 40 la…

Alckmin propõe reajuste de 7% para policiais

ATENÇÃO- ATENÇÃO ESTA NOTÍCIA É DO ANO DE 2013 E ESTA CIRCULANDO NAS REDES SOCIAIS COMO SENDO ATUAL

O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta sexta-feira, 13, o envio à Assembleia Legislativa de um projeto de lei que concede aumento salarial de 7% para os membros da Polícia Militar, da Polícia Civil e da Polícia Técnico-Científica. O reajuste também será estendido aos agentes penitenciários. Aposentados e pensionistas das quatro categorias também terão o mesmo benefício. No total, serão beneficiados 172 mil policiais militares, 53 mil policiais civis e 33 mil agentes penitenciários. O custo para o Tesouro do Estado será de R$ 983 milhões por ano. Esta é a terceira vez que o governador Alckmin concede aumento salarial acima da inflação do período. Desde o último reajuste, o índice oficial de inflação acumulada é 5,66%. Em outubro de 2011, os policiais tiveram 15% de aumento retroativo a julho de 2011. Em agosto de 2012, o aumento foi de 11%. Com a nova proposta, o reajus…

PL 920: uma bomba atômica no funcionalismo público que Alckmin quer ver aprovado a todo custo.

O governador Geraldo Alckmin protocolou na quinta-feira, 5/10, o Projeto de Lei 920/2017, que representa uma verdadeira bomba atômica no Estado de São Paulo, sobretudo um verdadeiro ataque aos servidores estaduais e à prestação de serviços públicos. Publicado no Diário Oficial já no dia seguinte, o PL formaliza a renegociação da dívida de São Paulo com a União, ampliando o prazo de pagamento.
            Em contrapartida, o Estado se compromete a cumprir as exigências do governo federal, que impõe um verdadeiro arrocho salarial sobre os servidores públicos. Essa cruel punição aos servidores foi aprovada no ano passado pelo Congresso Nacional. Seu embrião foi o PLP 257, apresentado pela presidente Dilma, que depois foi maquiado pelo governo Temer e transformado na Lei Complementar federal 156/2016.
            Se o PL 920 for aprovado – e espero que não seja –, haverá um congelamento não só de salários, mas também da evolução funcional de todos os servidores estaduais, ficando suspens…

Mais de 1 milhão de votos foram validados no Prêmio Congresso em Foco. Deputado Capitão Augusto esta entre os melhores de 2017.

Um dos três filtros desta décima edição do Prêmio Congresso em Foco 2017, a consulta popular na internet para a escolha dos melhores deputados e senadores do ano teve 1.034.683 votos validados, distribuídos por 130.113 pessoas, entre 1º e 30 de setembro. Os participantes da votação digital podem ter certeza de uma coisa: poucas consultas feitas pela internet são tão bem monitoradas quanto esta. Os vencedores serão conhecidos na próxima quinta-feira (19), na festa de premiação, a ser realizada no Unique Palace, a partir das 20 horas.
Desta vez, foi adotado o sistema de votação desenvolvido pela mais conceituada empresa de software de pesquisas do mundo, a Survey Monkey,  companhia norte-americana reconhecida mundialmente por sua capacidade de processamento e segurança de dados, e também pela auditoria realizada diariamente em cada um dos votos recebidos. Esses votos passam inicialmente pela checagem e filtragem dos seus números de Internet Protocol – o famoso IP, número pelo qual o di…