Pular para o conteúdo principal

Rádio PolicialBR 24 horas com você. Notícias e entretenimento.

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Expulsar maus policiais não é a melhor estratégia para combater a corrupção, diz secretária nacional de Segurança

A expulsão de maus policiais, a principal estratégia da Secretaria de Segurança do Rio para lidar com a corrupção na Polícia Militar e na Polícia Civil, é equivocada. A avaliação é da secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki, diante dos dados da Pesquisa Nacional de Vitimização, divulgados ontem pelo EXTRA e que apontam a liderança da PM fluminense no ranking da corrupção policial, com 30,2% dos casos de extorsão no país:
— Alguns estados estão promovendo essa limpeza dentro das polícias, como o Rio. O número de policiais expulsos me preocupa, porque as milícias do Rio cresceram muito por causa dessas expulsões de PMs. Tenho medo de ser mal interpretada. Não acho que a gente deva ficar com o policial de qualquer jeito. Toda polícia que deu certo no mundo passou por reestruturação. A corporação do Rio tem que ser reestruturada.
A crítica feita pela titular da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Ministério da Justiça, se refere aos números de expulsos e demitidos das fileiras policiais do estado. Miki critica a ausência de política de recuperação do policial e de um acompanhamento social dele após a expulsão, o que poderia evitar que ele se tornasse, por exemplo, miliciano:
— O cara não sabe fazer nada na vida, a não ser o que já faz. O Estado investe muito alto na formação deste policial e depois o expulsa.
O deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia, também critica as expulsões:
— Por que o Rio tem esse resultado? Porque se investe pouco na formação, na valorização e no controle. Quem investe pouco nisso acaba tendo que expulsar muito. Você finge que resolve um problema criando outro.
O governador Sérgio Cabral rebateu as críticas:
— Jamais houve um governo que combatesse a má conduta dentro das polícias como o nosso, com a punição e expulsão de centenas de policiais. Entretanto, não conheço no Brasil polícia mais corajosa para enfrentar a luta contra o crime organizado como a nossa.
Extra

Comentários

  1. Essas estatisticas só não atingem a polícia federal!Também eles ganham bem, e são tratados como gente,diferentemente dos praças da pm.Tudo é questão de se valorizar o ser humano,quando vc se sente valorizado vc faz questão de produzir o maxímo possivel.É por isso que digo: Eles fingem que me valorizam,e eu finjo que me dedico!!!

    ResponderExcluir
  2. Quero parabenizar a Secretária pelo brilhante raciocínio e dizer os comentários do Senhor Sérgio Cabral sobre segurança pública,ofende a minha inteligência...!!!

    ResponderExcluir
  3. Se fóssemos expulsar os políticos corruptos com a mesma vontade que se aplica ao policial, seria interessante ver se o governador tinha como sustentar sua tese. Esses altos índices de corrupção tem sua fundação na estrutura relacional sociedade-Estado-policial. Mas para muitos governantes é mais fácil a sódrida conclusão segundo a qual o policial, esses efeitos negativos, é uma unidade reflexiva que se autodetermina independentemente da influência de qualquer contingência, como, por exemplo, uma condição profissional e socioeconômica aviltante, sem possibilidade de desenvolver autoestima e cidadania. Para quem se refestela impunimente no dinheiro público é fácil falar de um rigor contra o qual se encontra institucionalmente blindado.

    ResponderExcluir
  4. Evidentemente a valorização salarial enobrece e motiva qualquer profissional que se preze, porém o desvio de conduta suscetível a corrupção dentro de sua atribuição legal é peculiar a formação de caráter de cada pessoa, ou seja, a começar pela estrutura familiar e religiosa, entre outros atributos morais.

    ResponderExcluir
  5. "A crítica feita pela titular da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Ministério da Justiça, se refere aos números de expulsos e demitidos das fileiras policiais do estado. Miki critica a ausência de política de recuperação do policial e de um acompanhamento social dele após a expulsão, o que poderia evitar que ele se tornasse, por exemplo, miliciano:
    — O cara não sabe fazer nada na vida, a não ser o que já faz. O Estado investe muito alto na formação deste policial e depois o expulsa."

    É assim que somos vistos pelos nossos governantes!!!!?? acho que ninguém na polícia vai passar fome se deixar de ser policial!!! infelizmente já é aquela visão carregada de preconceito...nem todo mundo é despreparado não senhora ministra!!!

    ResponderExcluir
  6. desculpe a revolta!!! Secretária.....

    ResponderExcluir
  7. A Grande carência do Brasil é a Educação! Praticamente todas as mazelas derivam dessa fraqueza! O que vai se esperar de uma comunidade qualquer, desinformada, robotizada, engessada, desorientada, mal esclarecida e desassistida? De onde vem o policial? Dessa sociedade! Portanto, precisa-se investir maciçamente na Educação dentro da PM. A Educação é consagrada como o principal valor para se conquistar a cidadania plena. O policial necessita se libertar da ignorância e buscar sua dignidade!
    Cel Rabelo - rio de janeiro

    ResponderExcluir
  8. Faltam-me palavras!Que coleção absurda de bobagens, Ladrão é ladrão. E o pior de todos é o que se traveste de policial. Todos os argumentos apresentados são pueris, inclusive o do "colega" (será mesmo?), sobre salários. Historicamente nesse nosso território tupiniquim, sempre fomos mal remunerados, entretanto a grande maioria, a despeito do parco salário, é honesta e honrada. Cansei de tanta besteira.

    ResponderExcluir
  9. Tambem uma policia ganhando menos do que um pedreiro, vai render o quer? esse gonvernadorzinho de meia tigela pensa que pagar ruela a policia pra lever tiro na cara é bom, agora infelizmente temos muitos policiais que se vendem com qualquer gratificação sabada que esses polititos oferecen, até pra carregador de recados de politicos ficam tudo doido, isso é uma vergonha, não procuran estudar, só espera por essa migalha de SÉRGIO CABRAL, esse é um dos administrador mais rabugem que o RIO DE JANEIRO já teve, isso é uma vergonha, cortar a cabeça de cortador de cana é muito bom, porque nun corta cabeça de usineiro.

    ResponderExcluir
  10. Quando um policial militar ou civil for respeitado e valorizado como cidadão e profissional que é, eu lhes garanto que isso acabará. Os que expulsam geralmente tem bons salários, filhos em boas escolas etc, queria pedir a estes senhores para tentar passar só um mês com o salário de sd, cb ou sgt, só pra vê o bixo pegá. De maneira nenhuma estou defendendo corruptos, mas a falta de respeitocom estes profissionais é imensa....

    ResponderExcluir
  11. As policias estaduiais como policia militar e civil tem acabar, este modelo já foi ultrapassado faz tempo,é arcaico, obsoleto sem nenhuma valia para a sociedade, QUEREM ATENDER A TODO MUNDO,MAS ACABAM NÃO ATENDENTO A NINGUÉM, o estado está muito longe dos municípios, os quartéis entupidos de policiais fazendo o burocrático, pois a pm é pura burocracia, o problema só será solicinado com policias municipalizadas e de fácil fiscalização e com poder de ampliação de efetivo quando nescessário sem contar que todos os seus integrantes trabalharão na função fim que é o policiamento, diferenteda PM que + ou - 60 % trabalha e o resto enfiado em repartições só esperando suas gordas promoções e sem nunca nem ter feito uma prisão na vida....(se não tiver funcionando, é só reclamar ao prefeito) Facil, facil...acorda Brasil...

    ResponderExcluir
  12. Entrei na PM de São Paulo em 1978 e aposentei-me em 2008, nos 30 anos de atividade policial sempre, mas sempre fiz bico para melhorar de vida e hoje aposentado continuo fazendo meu bico. Quando o cara é honesto ele é honesto mas quando é desonesto não tem jeito meu filho.

    ResponderExcluir
  13. Se municipalizar fosse a solução, não teria tanto fiscais da prefeitura corruptos.

    ResponderExcluir
  14. Havendo investigações dentro da Polícia Civil e Federal da mesma cede dos Oficiais tem de punir e expulsar Praças iria sobrar poucos.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

ANTES DE ESCREVER LEIA COM ATENÇÃO: Palavras de baixo calão, racismo, ofensas, ameaças e tudo mais de não estejam de acordo com os bons costumes e as leis vigentes não será aprovado. Expressão do pensamento é um direito Constitucional, expresse o seu com educação e propriedade. Os comentários publicados não traduzem a opinião do blog. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e mundiais e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo. O IP do comentarista fica arquivado e pode ser fornecido por Ordem Judicial.

| Mais Acessados na Última Semana |

Usar arma de uso restrito com porte ilegal agora é crime hediondo

Aprovada urgência para projeto que torna crime hediondo o porte ilegal de armas de uso restrito O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 332 votos a 7 e 2 abstenções, o regime de urgência para o Projeto de Lei 3376/15, do Senado, que torna crime hediondo a posse ou o porte ilegal de arma de fogo de uso restrito das forças policiais e militares. Após a votação, a sessão ordinária foi encerrada. Projeto de Lei do Senado nº 230, de 2014, de autoria do Senador Marcelo Crivella, constante dos autógrafos em anexo, que “Altera a Lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990, para incluir o crime de posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito no rol dos crimes hediondos”. A Lei 8.072/90 define como hediondos os crimes de homicídio praticado por grupo de extermínio; homicídio qualificado; latrocínio; genocídio; extorsão qualificada por morte; extorsão mediante sequestro; estupro; disseminação de epidemia que provoque morte; falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto …

Policiais e bombeiros militares não sabem a força que tem

Deputado Federal Capitão Augusto orienta os militares de São Paulo sobre a força política da classe
Por mais que façamos aqui pela Câmara dos Deputados, aprovando projetos dando mais direitos e garantias aos policiais e não deixando ser aprovado nenhum projeto que os prejudique, a grande reivindicação que recebo dos policiais refere-se a questão do aumento salarial.
Infelizmente Deputados não podem apresentar projetos que gerem despesas para o executivo, então está fora de nossa competência atender essa solicitação, o que nos resta é cobrar (e muito) do governador e fazer articulação para que ele conceda o tão esperado aumento salarial.
Hoje temos força política para eleger representantes para Assembleia Legislativa, Câmara dos Deputados e para todos cargos nas eleições municipais. Está na hora de influenciarmos as eleições para Governador e Senador, um que reconheça nosso valor, ou ficaremos fadados a apenas reclamar nos bastidores.
Nós podemos muito mais que isso! Somos quase 150.000 po…

Deputado capitão Augusto requer moção de repúdio contra Secretário de Segurança Pública e Governador de São Paulo Geraldo Alckmin

DEPUTADO CAPITÃO AUGUSTO REQUER MOÇÃO DE REPÚDIO CONTRA O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DE SÃO PAULO E CONTRA O GOVERNADOR POR TANTO DESRESPEITO ÀS LEIS E AOS POLICIAIS MILITARES DE SÃO PAULO
O Deputado Capitão Augusto entrou hoje, 10, com dois Requerimentos de Moção de Repúdio contra o Secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, e contra o Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, por desrespeitar as leis e aos policiais militares. Essas moções fazem parte de uma série de medidas que o parlamentar está adotando para tornar público as medidas descabíveis desse governo contra os policiais militares e a segurança pública do país, e para que entendam que tudo tem um limite. A categoria não vai tolerar mais tanto descaso e desrespeito. O Deputado estará revelando ao país e ao mundo que Alckmin não serve para governar o país, deve ser ignorado e descartado como candidato à Presidência da República. CAPITÃO AUGUSTO conclama os militares e familiares a somarem esforços para…

Aprovado PL que da poder de polícia administrativa às polícias e bombeiros militares do Brasil

O poder de polícia administrativa trás condições das polícia militares e bombeiros atuarem de forma efetiva em eventos, estabelecimentos comerciais e outros. Autor: Capitão Augusto - PR/SPData da apresentação:  04/02/2015 Ementa: Regula as ações de Polícia Administrativa exercida pelos Corpos de Bombeiros Militares dentro das suas atribuições de prevenção e extinção de incêndio, e perícias de incêndios e ações de defesa civil, de busca salvamento, de resgate e atendimento pré-hospitalar e de emergência; e pelas Polícias Militares no exercício da Polícia Ostensiva e Polícia de Preservação da Ordem Pública, e dá outras ...Leia integra do PL 196/2015Regula as ações de Polícia Administrativa exercida pelos Corpos de Bombeiros Militares dentro das suas atribuições de prevenção e extinção de incêndio, e perícias de incêndios e ações de defesa civil, de busca salvamento, de resgate e atendimento pré-hospitalar e de emergência; e pelas Polícias Militares no exercício da Polícia Ostensiva e Pol…

Qual a responsabilidade que a sociedade civil possui na segurança pública?

Policiais militares foram assassinados por criminosos neste fim de semana; secretário de Segurança do Rio pediu mudanças no sistema judiciário Neste final de semana dois Policiais Militares foram assassinados no Rio de Janeiro: a Cabo PM Elisângela Bessa Cordeiro, com um tiro na cabeça disparado por um menor, e o Soldado PM Samir da Silva Oliveira, com um tiro no pescoço disparado por um fuzil de combate.
Qual é a pena para o menor assassino da PM ? Em média oito meses. Qual é a pena para quem porta um fuzil? Três anos. Como se isso já não fosse suficientemente patético, nossa legislação acrescenta o insulto à injuria ao prever a concessão do beneficio da progressão de pena, fazendo com que o criminoso cumpra apenas 1/6 da pena, ou seja, o guerrilheiro urbano que porta uma arma de uso restrito do Exército, pode estar solto em seis meses.
Quem é o responsável por essa baderna? Você que está lendo este artigo e eu que o escrevi. Somos nós que consistentemente fazemos o mesmo erro de ele…