Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Cabos e soldados de todo Brasil votam hoje graças a este homem

VEJA O VÍDEO:

HÉLIO ROSAS - PMDB/SP
Hélio César Rosas
Nascimento: 24/03/1929 - Pindamonhangaba, SP
Profissões: 
Filiação: 
Legislaturas: 1987-1991, 1991-1995, 1995-1999.

Mandatos Eletivos:
Vereador, 1955-1959, Assis, SP, PTN; Deputado Estadual, 1975-1979, SP, MDB; Deputado Estadual, 1979-1983, SP, MDB; Deputado Estadual, 1983-1987, SP, PMDB; Deputado Federal (Constituinte), 1987-1991, SP, PMDB; Deputado Federal, 1991-1995, SP, PMDB; Deputado Federal, 1995-1999, SP, PMDB;
Licenças:
Licenciou-se do mandato de Deputado Federal, na Legislatura 1991-1995, para tratamento de saúde, a partir de 3 de Janeiro de 1994; Licenciou-se do mandato de Deputado Federal, na Legislatura 1991-1995, para tratamento de saúde, a partir de 23 de Fevereiro de 1994; Licenciou-se do mandato de Deputado Federal, na Legislatura 1995-1998, para tratamento de saúde, a partir de 04 de junho de 1998.
Filiações Partidárias:
PMDB, 1980-; PTN, 1954-1966; MDB, 1966-1979.
Atividades Partidárias:
Membro, Diretório do PMDB, São Paulo, SP 1980; Membro, Executiva Regional do PMDB, SP, 1980; Vice-Líder, PMDB, 1993; Coordenador, Bancada Suprapartidária Paulista, 1995-1996; Coordenador, Bancada do PMDB, SP, 1995-1996.
Atividades Profissionais e Cargos Públicos:
Agente Fiscal de Rendas, Secretaria da Fazenda, São Paulo, SP, 1951.
Estudos e Graus Universitários:
Direito, Fac. Metropolitanas Unidas, São Paulo, SP, 1971-1976; Contabilidade, Esc. Paulista, São Paulo, SP, 1945-1948.
Atividades Parlamentares:
CÂMARAS MUNICIPAIS, ASSEMBLÉIAS LEGISLATIVAS E CÂMARA LEGISLATIVA DO DF: Comissão de Finanças e Orçamento: Presidente, 1975-1977, 1979-1981 e 1983-1987; Comissão Especial de Inquérito BRASKRAFT: Presidente, 1980; Mesa: Secretário, 1977-1979. ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE: Subcomissão de Defesa do Estado, da Sociedade e de sua Segurança, da Comissão da Organização Eleitoral, Partidária e Garantia das Instituições: Titular, 1987; Subcomissão de Orçamento e Fiscalização Financeira, da Comissão do Sistema Tributário, Orçamento e Finanças: Suplente, 1987. CONGRESSO NACIONAL COMISSÕES MISTAS: Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização: Suplente, 1992 e 1995-1996, e Titular, 1995 e 1996-1998; Representativa do Congresso Nacional: Suplente, 1995-1996. CÂMARA DOS DEPUTADOS: COMISSÕES PERMANENTES: Agricultura e Política Rural, Vice-Presidente, 1992, e Titular, 1993-1994; Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, Vice-Presidente, 1990, Titular, 1991-1992 e 1995-1999, Vice-Presidente, 1991, e Suplente, 1993-1994; Constituição e Justiça e de Redação, Suplente, 1997; Defesa Nacional, Suplente, 1989-1990 e 1993, e Titular, 1991-1994 e 1995-1996; Educação, Cultura, Esporte e Turismo, Titular, 1989-1990; Finanças e Tributação, Suplente, 1992 e 1998-1999; Fiscalização Financeira e Controle, Suplente, 1995-1997; Relações Exteriores, Suplente, 1989-1990; Relações Exteriores e de Defesa Nacional, Suplente, 1997-1998; Serviço Público, Titular, 1989-1990. COMISSÕES ESPECIAIS: Habitação: Relator, 1993-1994; Normas Gerais de Proteção à Infância e à Juventude e o Estatuto da Criança e do Adolescente: Titular, 1989-1990; Processo Licitatório de Microcomputadores: Titular, 1995; Segurança Pública: Titular, 1997-1999; PEC nº 96/92, Modificações na Estrutura do Poder Judiciário: Suplente, 1995-1999; PEC nº 4/95, Concessão e Distribuição do Gás Canalizado: Titular, 1995; PEC nº 6/95, Monopólio do Petróleo: Suplente, 1995; PEC nº 20, Parlamentarismo: Suplente, 1997-1999; PEC nº 46/91, Modificação da Estrutura Policial: Relator, 1995-1999, e Titular, 1995-1999; PEC nº 163/95, Fundo Social de Emergência: Suplente, 1995; PEC nº 175/95, Altera o Capítulo do Sistema Tributário Nacional: Suplente, 1995-1999; PEC nº 294/95, Benefícios aos Ex-Integrantes do Batalhão de Suez: Titular, 1998-1999; PEC nº 338/96, Regime Constitucional dos Militares: Primeiro-Vice-Presidente, 1996-1997, e Titular, 1996-1997; PEC nº 383/96, Censor Federal: Suplente, 1998-1999; PEC nº 449/97, Fundo de Estabilização Fiscal: Titular, 1997; COMISSÃO EXTERNA: Conflitos de Terra no Pontal do Paranapanema, SP: Suplente, 1997. CONSELHOS, FRENTES E GRUPOS PARLAMENTARES E OUTROS: Conselho de Altos Estudos e Avaliação Tecnológica, Titular, 1998-1999; Frente Parlamentar Sucroalcooleira, Coordenador, 1996; GRUPOS DE TRABALHO: Interparlamentar Brasil-Venezuela, Vice-Presidente, 1991; Parlamentar de Prevenção ao Abuso de Drogas, Vice-Presidente, 1992-1996; Interparlamentar Brasil-China, Presidente, 1993;

Atividades Sindicais, Representativas de Classe e Associativas:
Presidente, Seccional da União Parlamentar Interestadual, 1985-1987; Presidente, Associação Nacional de Defesa dos Direitos das Vítimas da Criminalidade, 1993-1995.
Condecorações:
Ordem de São Paulo, Cavaleiro, Governo do Estado de São Paulo; Medalha de Honra da Inconfidência, Governo de Minas Gerais; Medalha Tobias de Aguiar, PM, SP.
Obras Publicadas:
ROSAS, Hélio César. Constituição, povo e democracia. São Paulo: Verbo Divino, 1986. 86 p. ____.O cérebro abandonado. 3. ed. São Paulo: CERED, 1994.159 p. il.
Missões Oficiais:
Chefe da Delegação Brasileira, em visita à China, a convite do Parlamento, 1995. Representante da Câmara dos Deputados: em missão de negócios na Europa, Bruxelas, 1997; e como Observador Parlamentar da delegação brasileira na LII e LIII Assembléia Geral da ONU, Nova Iorque, 1997 e EUA, 1998; e no seminário internacional A Questão Tributária na União Européia e no Mercosul na Era da Globalização, Lisboa, Portugal, 1998.
Outras Informações:
Empresário e Proprietário da Rádio Difusora de Assis;
Documento produzido em 26/04/2013 21:13:51 (SILEG - Módulo Deputados)

FONTE: http://www.camara.gov.br/internet/deputado/DepNovos_Detalhe.asp?id=101436&leg=50

Comentários

  1. Helio Rosas, o melhor deputado federal que a PMESP pode ter, sera difícil ser superado. O Brasil deve muito a este homem!

    ResponderExcluir
  2. HELIO CESAR ROSAS, DEPUTADO FEDERAL, GRANDE HOMEM! GRANDE CIDADÃO!

    Devemos a este grande homem, não só o direito de voto dos Cabos e Soldados, mas a própria constitucionalidade das Polícias Militares, que os "CINQUENTA COMPONENTES DA COMISSÃO DE NOTÁVEIS DE AFONSO ARINOS" haviam proposto que fossem extintas na CONSTITUINTE DE 1988. Numa das ocasiões de grande luta, depois de discutidos e acordados no Congresso pontos fundamentais de interesse das PM, foi o Deputado HELIO CESAR ROSAS quem impediu uma manobra de ratazanas que tentaram substituir, NO CAMINHO PARA A IMPRENSA OFICIAL, os documentos que deveriam ser publicados no Diário Oficial da União. Naquela ocasião, a necessidade de sobrevivência da Instituição PM nos impeliu à união. Poderíamos chegar a unir-nos novamente, pela própria iniciativa de nossas Associações? Ou será necessário que ocorra uma nova manobra para destruir as PM do Brasil para que nos juntemos uns aos outros?!

    ResponderExcluir
  3. cabos e soldados votam,e so votam em merda deveriam continuar nao votando...

    ResponderExcluir
  4. conheci o Sr deputado Helio Rosas pessoalmente, em Campinas. naquela poca ele era deputado federal, conversamos por algum tempo, antes de uma reunião. pessoa humilde, com conhecimento de todos os problemas da nossa policia. Nós que hoje somos reformados, devemos muito a esse grande homem, pois foi ele quem conseguiu muitos beneficios para nos. beneficios esses que estão sendo retirados aos poucos pelo atual governo. Sempre votei nele e ser for candidato novamente, certamente terá o voto de minha familia.

    ResponderExcluir
  5. não fez nada mais que obrigação dele.... Era pago prá isso... Lutar pelos interesses do povo... Não é para isso que votamos? Não devemos "endeuzar" ninguém, por fazer o seu trabalho bem feito. Reconheçamos e respeitemos. Só isso.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

Morre segundo policial militar atingido por tiro de fuzil em Pompéu

Cabo Lucas Reis Rosa foi internado e teve braço amputado após confronto com criminosos que explodiram uma agência bancária. Outro policial e um entregador também foram mortos. A Polícia Militar (PM) confirmou, na manhã desta sexta-feira (8), a morte do cabo Lucas Reis Rosa. Ele estava internado desde a madrugada de terça-feira (5) quando foi atingido por um tiro de fuzil durante confronto com criminosos que explodiram uma agência bancária em Pompéu. Segundo a Polícia Militar, o óbito foi constatado as 9h50 desta sexta. Em nota, a PM informou que o cabo teve reações inflamatórias graves, pós-cirúrgicas ao trauma. Na quarta-feira (6), Lucas Reis passou por duas cirurgias, uma delas foi para a amputação total do braço direito. “Estamos entrando em contato com a família para dar o devido apoio e verificar questões relacionadas a local e horário do velório e enterro”, informou o comandante da 7ª Região da Polícia Militar, coronel Helbert Willian Carvalhaes. Confronto Na madrugada de terça…

Policial militar é sequestrado e assassinado a tiros em Paulista

Um policial militar foi assassinado com nove tiros, na Estrada do Pica-Pau, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife. A vítima foi identificada como Lindembergue Gomes da Silva, de 53 anos, foi encontrado ás margens da estrada, em Paratibe. De acordo com os peritos do instituto de Criminalidade (IC), ele foi atingido por um tiro no rosto e os outros nas costas. Os peritos acreditam que o PM pode ter sido morto com a própria arma.
Segundo a polícia, o militar, que atuava como comerciante, teria sido levado da casa dele, no bairro da Mirueira, por dois homens. Ele teria sido levado para o local do crime no próprio carro, uma caminhonete, que foi abandonada em Abreu e Lima. Nenhum pertence da vitima foi encontrado. A policia recebeu a informação de que o PM reformado era agiota, o que pode ter motivado o assassinato.

Fonte: Tv jornal uol

Brasil dobra número de presos em 11 anos, diz levantamento; de 726 mil detentos, 40% não foram julgados

Estudo divulgado pelo Ministério da Justiça é de junho de 2016. País é o terceiro do mundo em número de detentos. Estado com maior superlotação é o Amazonas (cinco presos por vaga). Uma nova edição do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen) divulgada nesta sexta-feira (8) pelo Ministério da Justiça informa que, em junho de 2016, a população carcerária do Brasil atingiu a marca de 726,7 mil presos, mais que o dobro de 2005, quando o estudo começou a ser realizado. Naquele ano, o Brasil tinha 361,4 mil presos, de acordo com o levantamento. Esses 726 mil presos ocupam 368 mil vagas, média de dois presos por vaga (leia mais abaixo sobre superlotação). "Houve um pequeno acréscimo de unidades prisionais a partir de 2014, muito embora não seja o suficiente para abrigar a massa carcerária que vem aumentando no Brasil. Então, o que nos temos, é um aumento da população carcerária e, praticamente, uma estabilidade no que se refere à oferta de vagas e oferta de estabel…

AFAM: NOVIDADES SOBRE AÇÃO JUDICIAL DA INCORPORAÇÃO DE 100% DO ALE NOS VENCIMENTOS DOS POLICIAIS E BOMBEIROS DE SÃO PAULO

Agora já são em número de 05 as Câmaras de Direito Público a adotar esse entendimento. Novas e recentes decisões do Tribunal de Justiça de São Paulo, em Mandados de Segurança individuais, têm confirmado o entendimento de que a incorporação total do ALE ao Salário-Base (Padrão) é direito de todos os policiais militares. Em Acórdão de 11 de março de 2013, relativo à Apelação/Reexame Necessário nº. 0029083-82.2012.8.26.0053, assim se manifestou a 6 ª. Câmara de Direito Público do TJ/SP: “Assim, no caso do impetrante, policial em atividade, quinquênios, sexta-parte e RETP incidem sobre as vantagens efetivamente incorporadas, dentre as quais, a partir da LC nº 1.114/10, o ALE”.... http://www.afam.com.br/
Veja abaixo todas as novidades:






REVOLTA DA ASSOCIAÇÃO DOS CABOS E SOLDADOS DA PMESP COM GOVERNO ALCKMIN

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo luta contra uma mentira da Procuradoria Geral do Estado; e, infelizmente, endossada pelo Governador do Estado. Ocorre que a Procuradoria, por meio da suspensão da Tutela Antecipada nº 678 junto ao Supremo Tribunal Federal fez constar em sua petição o valor aproximado de R$ 1,5 bilhão. Em síntese, disse ao Presidente do STF, Exmo. Senhor Ministro Ayres Britto que o custo criaria uma lesão ao erário público, assim, permitiu suprimir verbas alimentares de Policiais Militares. Neste sentido, passamos a conhecer melhor o Governo Geraldo Alckmin.
O Governo do Estado tinha conhecimento que o Policial Militar recebia o recálculo retroativo a novembro de 2010 por intermédio de uma ação judicial; e que nunca se tratou de uma tutela antecipada mas sim, de cumprimento provisório de sentença, iniciado após o Tribunal de Justiça de São Paulo, na 2ª Instância, ter garantido a fórmula correta de cálculo da verba aos Policiais…