Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Acabou: PM não vai mais atender acidente sem vítima

A partir de hoje, a Polícia Militar (PM) de Bauru deixa de vez de atender acidentes automobilísticos que não resultem em vítimas no trânsito. Segundo a corporação, o atendimento a esse tipo de ocorrência, que era realizado para cumprir protocolos, consome, em média, o dia inteiro de uma viatura que poderia estar em patrulhamento preventivo.
O comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar do Interior (4º BPM-I), major Walter Oliveira, explica que a PM já não atendia acidentes sem vítima quando os carros envolvidos podiam se deslocar. Agora, a determinação passa a valer também para os casos em que os danos impossibilitem o motorista de tirar o carro do local.
“Nós íamos até o local para cumprir protocolos e transmitir dados. Iremos restringir esse tipo de procedimento. Quando o carro ficar quebrado e não puder sair do lugar, a pessoa vai ter que providenciar o guincho por conta própria”, afirma o major.
Depois de providenciada a remoção dos veículos, os envolvidos devem se dirigir até uma das bases da PM para realizar o registro. “Há um bom tempo, não é necessário preservar o local em casos de acidentes sem vítimas”.
O major afirma que o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) já está orientado a informar os solicitantes que a viatura não será mais deslocada. “Isso vai agilizar até para os próprios envolvidos na ocorrência. Como o acidente sem vítima não é considerado alta prioridade, antes os envolvidos ficavam esperando muito tempo no local até a chegada da polícia”.
A determinação começa a valer em Bauru. Depois, passará para a região (leia mais ao lado). Segundo o major, contudo, já há outras cidades que adotam tal procedimento. “Há cidades, como Marília, por exemplo, onde já é assim. A ideia realmente é essa: restringir ao máximo esse tipo de operação em que a polícia praticamente só cumpre um protocolo”.
Tempo
O comandante do 4º BPM-I afirma que a economia de tempo será significativa. Ele revela que, por enquanto, o Copom recebe cerca de duas ligações por hora sobre acidentes sem vítima no trânsito.
O cálculo da corporação é de que, se fosse considerada apenas uma viatura para atender todos esses casos, a estimativa é de que ela passaria o dia inteiro somente nesse tipo de serviço.
“Ou seja, podemos estimar que, em Bauru, uma viatura é usada só para atender essa ocorrência não criminal. O que queremos é liberar esse tempo para o nosso objetivo mesmo: o patrulhamento ostensivo”.
Questionado se a restrição é para compensar um déficit de efetivo de policiais assumido pela própria PM, o major Walter Oliveira alega que “não é esse o objetivo”. “Nosso foco é realmente manter as viaturas patrulhando o maior tempo possível. Ou seja, dando segurança mesmo”, conclui.
Na região
A PM deixa de atender acidentes automobilísticos que não resultem em vítimas no trânsito de uma vez a partir da semana que vem somente em Bauru. Depois, a medida deve ser estendida para todos os outros municípios abrangidos pelo 4º BPM-I.
“Inicialmente, será só por aqui. Depois, iremos divulgar mais e, dentro de 30 dias, fazer o mesmo nos outros municípios”, revela o major Walter Oliveira.
Delegacia eletrônica
Além de fazer o registro nas bases da PM, o acidente sem vítima pode ser comunicado na Delegacia Eletrônica da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP). O endereço é o  www.ssp.sp.gov.br .
Vale destacar que, nos casos em que haja feridos, tudo muda de figura. Assim, é preciso chamar o policiamento ou mesmo procurar uma unidade policial.
Ocorrência sem vítima não  gera investigação criminal
Ao contrário do que muitos pensam, os acidentes sem vítimas não geram investigações criminais. “É realmente uma ocorrência não criminal”, explica o major Walter Oliveira. Assim, ele alerta que, nos casos em que alguém se sinta lesado, é necessário acionar o Poder Judiciário.
“Quando ocorre o acidente sem vítima, a pessoa deve desobstruir a via, seja ela mesma ou acionando um guincho. Depois, fazer o registro. Contudo, essa ocorrência fica arquivada”, conta.
Esse arquivamento não gera uma investigação. “Se alguém se sentir lesado, deve acionar o Poder Judiciário para pedir uma indenização. Mas isso só ocorre quando uma das partes acionar a Justiça mesmo”.
Em casos que um dos envolvidos se recusar a ir até uma base da PM, a recomendação do major Oliveira é de que o interessado anote a placa do veículo e vá registrar o caso. “Se ele tiver as informações básicas do outro carro, o registro é feito sem problema algum”.
JC NET

Comentários

  1. Ocorrência de trânsito sem vítima é uma coisa desnecessária ,tumultua os postos policiais não resolvem nada . Seria melhor as pessoas resolverem entre elas ,caso não fosse possível deveria procurar o juizados de pequenas causas para cobrar o prejuízo causado ...afinal só a PM de São Paulo que quer abraçar tudo que aparece pela frente e no final não faz nada direito ,porque dessa forma deixa de dar um atendimento de segurança digno a população que esta à mercê da criminalidade ... A polícia Militar de São Paulo deveria atender somente ocorrências que envolvesse crime direto ou indiretamente .Atender Mal súbito é função da SAMU , atendimento de ocorrências de desinteligências onde as pessoas reclamam que pessoas não pagam dividas deveriam ser orientadas de imediato a procurar o órgão competente para tal... Fica aí o meu desabafo .....

    ResponderExcluir
  2. Como disse o anônimo aí de cima..... A PM quer abraçar tudo.... Muitas coisas que fazemos não são de nossa competência. Tipo: Policiamento em Estádios de futebol. É um evento particular, visa lucros, e quem fica com os lucros? O Estado não, e muito menos a PM. Porquê fazemos este tipo de policiamento? Alguma vantagem há por trás disso. Será que existem Coronéis que tem lucro através das federações???? Será??? Acho que não, né? Acho que to viajando "na maionese"...

    ResponderExcluir
  3. Policia para que?.
    Quem não é visto não é lembrado!
    A PM já está na UTI faz tempo; vem ai as GCM e depois adeus....Papa Myke.

    ResponderExcluir
  4. Aqui em Campo Grande-MS eu fiz um projeto e criei o Boletim On line para registro de Acidentes de Trânsito sem vítima e agora estou na Polícia Militar Rodoviária e estamos implantando também o Boletim on line, já que muitos necessitam do registros para acionar as seguradoras ou acionar judicialmente se for o caso a outra parte. No caso tem alguns site que estão a disposição do usuário aqui o da PM www.pm.ms.gov.br http://segat.detran.ms.gov.br/segatonline/index/index.php Tem contribuído positivamente e não sobrecarregando as GU que atendem acidente de trânsito.MAJ GETER

    ResponderExcluir
  5. Precisamos de cabeças que pesnam nas instituições públicas, chega de apenas fazer porque estou mandando, aliás, para agir assim não precisa sequer ser policial. Vamos pensar e verdadeiramente melhorar a vida da população. Parábens Maj Geter. Que outros policiais proporcionem o mesmo.

    ResponderExcluir
  6. ESSA EU NÃO ENTENDI???
    NA REGIÃO ONDE TRABALHO FAZ UNS 20 ANOS QUE A PM NÃO ATENDE ACIDENTES SEM VÍTIMAS NO LOCAL E SÃO FEITOS NAS BASES DA PM. PORQUE SÓ AGORA EM BAURU? LÁ É OUTRA PM??? PENSEI QUE A PM FOSSE ESTADUAL!

    ResponderExcluir
  7. Pena que a Guarda Municipal só tem COMPETENCIA CONSTITUCIONAL PARA CUIDAR DE PATRIMONIO PUBLICO MUNICIPAL. Se a PM está na UTI a GM já morreu antes mesmo de nascer direito. Quer trabalhar na Segurança Pública presta concurso no Estado (Polícia Civil ou Militar) ou na União (PRF ou PF), ficar brincando de ser polícia não dá né meu amigo ??? Faça sua parte que já está de bom tamanho... GM assumir o que ??? Vc esta de brincadeira !!!!

    ResponderExcluir
  8. tem um analfabeto que vem aqui postar besteira dizendo que a pm esta na uti e enaltecendo a gcm cada um na sua função se voce que comentou isso nao esta contente procure outro caminho o mundo é um leque nos temos sim e que lutar pelos nossos direitos melhorias de trabalho nao vindo aqui se auto menospresar

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

Morre segundo policial militar atingido por tiro de fuzil em Pompéu

Cabo Lucas Reis Rosa foi internado e teve braço amputado após confronto com criminosos que explodiram uma agência bancária. Outro policial e um entregador também foram mortos. A Polícia Militar (PM) confirmou, na manhã desta sexta-feira (8), a morte do cabo Lucas Reis Rosa. Ele estava internado desde a madrugada de terça-feira (5) quando foi atingido por um tiro de fuzil durante confronto com criminosos que explodiram uma agência bancária em Pompéu. Segundo a Polícia Militar, o óbito foi constatado as 9h50 desta sexta. Em nota, a PM informou que o cabo teve reações inflamatórias graves, pós-cirúrgicas ao trauma. Na quarta-feira (6), Lucas Reis passou por duas cirurgias, uma delas foi para a amputação total do braço direito. “Estamos entrando em contato com a família para dar o devido apoio e verificar questões relacionadas a local e horário do velório e enterro”, informou o comandante da 7ª Região da Polícia Militar, coronel Helbert Willian Carvalhaes. Confronto Na madrugada de terça…

Policial militar é sequestrado e assassinado a tiros em Paulista

Um policial militar foi assassinado com nove tiros, na Estrada do Pica-Pau, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife. A vítima foi identificada como Lindembergue Gomes da Silva, de 53 anos, foi encontrado ás margens da estrada, em Paratibe. De acordo com os peritos do instituto de Criminalidade (IC), ele foi atingido por um tiro no rosto e os outros nas costas. Os peritos acreditam que o PM pode ter sido morto com a própria arma.
Segundo a polícia, o militar, que atuava como comerciante, teria sido levado da casa dele, no bairro da Mirueira, por dois homens. Ele teria sido levado para o local do crime no próprio carro, uma caminhonete, que foi abandonada em Abreu e Lima. Nenhum pertence da vitima foi encontrado. A policia recebeu a informação de que o PM reformado era agiota, o que pode ter motivado o assassinato.

Fonte: Tv jornal uol

Brasil dobra número de presos em 11 anos, diz levantamento; de 726 mil detentos, 40% não foram julgados

Estudo divulgado pelo Ministério da Justiça é de junho de 2016. País é o terceiro do mundo em número de detentos. Estado com maior superlotação é o Amazonas (cinco presos por vaga). Uma nova edição do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen) divulgada nesta sexta-feira (8) pelo Ministério da Justiça informa que, em junho de 2016, a população carcerária do Brasil atingiu a marca de 726,7 mil presos, mais que o dobro de 2005, quando o estudo começou a ser realizado. Naquele ano, o Brasil tinha 361,4 mil presos, de acordo com o levantamento. Esses 726 mil presos ocupam 368 mil vagas, média de dois presos por vaga (leia mais abaixo sobre superlotação). "Houve um pequeno acréscimo de unidades prisionais a partir de 2014, muito embora não seja o suficiente para abrigar a massa carcerária que vem aumentando no Brasil. Então, o que nos temos, é um aumento da população carcerária e, praticamente, uma estabilidade no que se refere à oferta de vagas e oferta de estabel…

AFAM: NOVIDADES SOBRE AÇÃO JUDICIAL DA INCORPORAÇÃO DE 100% DO ALE NOS VENCIMENTOS DOS POLICIAIS E BOMBEIROS DE SÃO PAULO

Agora já são em número de 05 as Câmaras de Direito Público a adotar esse entendimento. Novas e recentes decisões do Tribunal de Justiça de São Paulo, em Mandados de Segurança individuais, têm confirmado o entendimento de que a incorporação total do ALE ao Salário-Base (Padrão) é direito de todos os policiais militares. Em Acórdão de 11 de março de 2013, relativo à Apelação/Reexame Necessário nº. 0029083-82.2012.8.26.0053, assim se manifestou a 6 ª. Câmara de Direito Público do TJ/SP: “Assim, no caso do impetrante, policial em atividade, quinquênios, sexta-parte e RETP incidem sobre as vantagens efetivamente incorporadas, dentre as quais, a partir da LC nº 1.114/10, o ALE”.... http://www.afam.com.br/
Veja abaixo todas as novidades:






REVOLTA DA ASSOCIAÇÃO DOS CABOS E SOLDADOS DA PMESP COM GOVERNO ALCKMIN

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo luta contra uma mentira da Procuradoria Geral do Estado; e, infelizmente, endossada pelo Governador do Estado. Ocorre que a Procuradoria, por meio da suspensão da Tutela Antecipada nº 678 junto ao Supremo Tribunal Federal fez constar em sua petição o valor aproximado de R$ 1,5 bilhão. Em síntese, disse ao Presidente do STF, Exmo. Senhor Ministro Ayres Britto que o custo criaria uma lesão ao erário público, assim, permitiu suprimir verbas alimentares de Policiais Militares. Neste sentido, passamos a conhecer melhor o Governo Geraldo Alckmin.
O Governo do Estado tinha conhecimento que o Policial Militar recebia o recálculo retroativo a novembro de 2010 por intermédio de uma ação judicial; e que nunca se tratou de uma tutela antecipada mas sim, de cumprimento provisório de sentença, iniciado após o Tribunal de Justiça de São Paulo, na 2ª Instância, ter garantido a fórmula correta de cálculo da verba aos Policiais…