Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

5º Fórum Nacional das Entidades Representativas dos Policiais e Bombeiros Militares em SP


O 5º Fórum Nacional das Entidades Representativas dos Policiais e Bombeiros Militares foi realizado em São Paulo, na manhã da última sexta-feira, 26 de abril, no auditório da UniSantana, à Rua Voluntários da Pátria, 421, 6ºandar, zona Norte, São Paulo. 
O Vice-Presidente da Associação dos Cabos e Soldados, Antonio Carlos do Amaral Duca, foi o Mestre de Cerimônia que ministrou com maestria o evento; abrindo até o microfone para o público presente que, no desenrolar do evento fez perguntas ao Senador João Capiberibe, PSB/AP, sobre a PEC 24. 
Ao fazer a convocação da mesa, Antonio Carlos do Amaral Duca convidou: Wilson de Oliveira Moraes, Presidente da ACSPMESP; Senador João Capiberibe, PSB/AP, autor da PEC 24; Leonel Lucas  de Lima, Presidente da Associação Nacional das Entidades Representativas dos Policiais e Bombeiros Militares do Brasil;  Cel PM José Maurício Weisshaupt Perez, Comandante da Academia Militar do Barro Branco (representou o Comandante Geral da PMESP, Cel PM Benedito Roberto Meira); Leonardo Placucci, Assessor da Reitoria da Unisantana, Antonio Alberto Pereira (representando o Reitor Dr. Profº-Dr. Leonardo Placucci.); José Francisco Giannoni (representando o Vereador Cel PM Álvaro Batista Camilo); e o Major PM Denis Pinheiro tassi, Assessor Militar do Esporte (representando o Prefeito Fernando Hadad).  
A Banda do Corpo Musical da Polícia Militar do Estado de São Paulo foi quem abrilhantou o evento, tocando o Hino Nacional Brasileiro e a Canção da Polícia Militar, com  letra de Guilherme de Almeida. Na oportunidade, constou na  pauta assassinatos de agentes da segurança pública e a PEC 24, de autoria do Senador João Capiberibe, que cria o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Segurança Pública. 
O Senador do Amapá defende a ampliação dos recursos financeiros para melhor aparelhamento das forças policiais nos Estados. Ele apontou as fontes e reforçou o imperativo de combater a criminalidade em todo o país. Ao se referir ao 5º Fórum Nacional das Entidades Representativas dos Policiais e Bombeiros Militares, o Senador João Capiberibe agradeceu a realização do evento em São Paulo por parte da Associação dos Cabos e Soldados. Ele se dirigiu ao Presidente da Entidade, Wilson Morais, dizendo que a honra era dele. Vários outros representantes de Entidades de Classe Representativas dos Policiais e Bombeiros Militares do Brasil se fizeram presentes na platéia, a exemplo do Sgt PM Gilberto Cândido de Lima, Presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do estado de Goiás; Nilo Guerreiro, Presidente da Associação dos Cabos, Soldados e Bombeiros  Militares do Estado do Rio de Janeiro; José Erivan Santos de Souza, Diretor da Associação dos Cabos, Soldados e Bombeiros  Militares do Estado da Paraiba; Álvaro Rodrigues Coelho, Presidente da Associação dos Cabos, Soldados e Bombeiros  Militares do Estado de Minas Gerais; Venuzia Alencar Chaves, Presidente da Associação dos Pensionistas de Goiás; Celso Rafael da Silva, Presidente do Conselho Deliberativo da Associação de Defesa dos Policiais Militares do Estado de São Paulo (representando o Cel PM Luiz Carlos Nogueira); Cel PM Hudson Camille, Presidente da Coopmil; Álvaro de Oliveira Correa Junior, Presidente da Associação dos Militares do Amapá; Edmar Soares da Silva, Presidente da Associação dos Cabos e Soldados do Mato Grosso do Sul; Cel PM Jorge Gonçalves, Presidente da Associação dos Oficiais da Reserva e reformados da Polícia Militar do Estado de São Paulo; 3º Sgt PM José Luiz de Lira, Presidente da Cooperacs – SP; Subten PM Clovis de Oliveira, Idealizador da PEC 300; Antonio Jorge de Oliveira, Presidente do Conselho Fiscal da Associação dos Praças PM da Bahia; Alunos PM da Escola Superior de Sargentos de PMESP; Escritora Cleusa Badanai, Livro Cidadão Policial; Fernando Jorge Ferreira, Diretor Administrativo da Associação dos SubTen e Sgt PM do Mato Grosso do Sul, entre outros. 
Ao fazer uso da palavra, Cabo Wilson Presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo, agradeceu a presença de todos e o esforço sem precedentes para que cada qual viajasse de seu Estado natal até São Paulo e, assim, participasse do evento, “cujo os preparativos foram impecáveis”, adiantou Cabo Wilson agradecendo a cada um dos diretores e funcionários que se empenharam arduamente para a realização do 5º Fórum Nacional das Entidades Representativas dos Policiais e Bombeiros Militares . Cabo Wilson reiterou o próximo evento – dia 10 de maio, em Sergipe.

Saiba o que é a PEC24
Pela proposta, que já tramita nas comissões do Senado, o Fundo terá um Conselho Consultivo e de Acompanhamento, a participação de representantes da sociedade civil. A execução financeira dos recursos deverá ser realizada por meio de transferência aos Estados e ao Distrito Federal e sua fiscalização caberá ao TCU (Tribunal de Contas da União) e aos órgãos de controle interno do Poder Executivo Federal.
Uma vez aprovada, a PEC 024 determina que os recursos do Fundo sejam efetivamente vinculados no ano seguinte ao da aprovação da referida Lei Complementar e altera o inciso IV do artigo 167 da Constituição Federal para excluir o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Segurança Pública da proibição de que receitas de impostos sejam a ele vinculados.
Entre as propostas de destinação dos recursos do Fundo, estão a aquisição de fardamentos, armamentos, munições, veículos e equipamentos de comunicação, que visem o reforço da estrutura base, contemplando os estados que mais investirem em melhorias salariais para os trabalhadores da segurança pública.
Para mais informações (61) 3303-9015. O projeto pode ser acessado por meio do link: 
http://www.senado.gov.br/atividade/materia/getPDF.asp?t=107846&tp=1

Comentários

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …