Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

SP: "Bico legalizado" - Assis é a terceira cidade do interior a assinar convênio da Atividade Delegada.

A Atividade Delegada é um convênio entre o Estado e o município. Para a população, o benefício está na redução da criminalidade.
O prefeito de Assis, Ricardo Pinheiro Santana e o deputado Mauro Bragato assinaram, nesta quarta-feira, 13/03, convênio com a Secretaria Estadual da Segurança Pública para o início da Atividade Delegada no município. O objetivo é permitir a utilização de policiais militares, em dias de folga, no policiamento ostensivo e no apoio às prefeituras nas atividades de fiscalização que são responsabilidades municipais. Até hoje, apenas São Paulo e Mogi das Cruzes, na Região Metropolitana, e Andradina e São José do Rio Preto, no interior, haviam firmado parcerias.
Ricardo Pinheiro diz que a medida é extremamente positiva e Assis sai na frente no combate à criminalidade. “Com certeza, dará mais segurança para a nossa população”, afirmou. O deputado Bragato concorda e acrescenta que “em algumas regiões da capital o nível de ocorrências foi bastante reduzido, após a implantação da atividade”.
A Atividade Delegada é um convênio entre o Estado e o município. Policiais Militares em folga trabalham no policiamento ostensivo e preventivo em áreas pré-determinadas pelo poder municipal. A participação dos PMs é voluntária e eles só podem trabalhar até 96 horas por mês nessa função. Para os policiais, a atividade é uma oportunidade para complementar a renda, tendo em vista que são remunerados pelas prefeituras pelo serviço.
Para a população, o benefício está na redução da criminalidade. A presença ostensiva de policiais militares nos locais da Atividade Delegada, além de inibir o comércio clandestino, também evita a prática de crimes como roubos e furtos.
Também estiveram presentes na assinatura o tenente-coronel Milton Roberto Dudas, comandante do 32º Batalhão da Polícia Militar do Interior, o major Franco Nassaro, subcomandante do 32º Batalhão, e o assessor parlamentar, representando a Secretaria da Segurança, Carlos Alberto Estracine. (AssisNews).

Comentários

  1. Quem deveria pagar salários dignos para os policiais e bombeiros era o estado e não ficar se aproveitando dos baixos salários fazendo o policial e bombeiros ir para o bico, mesmo que legalizado. O salário deveria ser um salário justo e nas horas de folga era para ter lazer com sua família e familiares, é só ficar 30 anos na policia e no bico "operação delegada" e depois aposentar e morrer, isto se não ficar louco antes ou até mesmo se matar. VERGONHA NACIONAL...!

    ResponderExcluir
  2. ESTA E UMA MANEIRA DE SOBRE CARREGAR O PM, PORQUE NA SUA FOLGA TRABALHA MAIS UM PERIODO, AGORA PARA O MUNICIPIO.
    MAS O DEPUTADO MAURO BRAGATO ESQUECE QUE NOS POLICIAIS ESTAMOS FADADOS A NOS DESGASTAR SEM TERMOS VIDA SOCIAL E FAMILIAR.
    E ASSIM O GOVERNO USA DE ARTIFICIOS PARA NÃO VALORIZAR O PM E NÃO MELHORANDO SEU SALARIO.
    TAMBEM USANDO DE ARTIFICIOS PARA NÃO CONTRATAR MAIS EFETIVO PARA ATENDER A POPULAÇÃO DIGNAMENTE.
    E ISTO E BRASIL E PSDB DANDO UMA BANANA PARA A SEGURANÇA PUBLICA.

    ResponderExcluir
  3. QUE VERGONHA GOV. ALCKMIN. disse:
    20/03/2013 ÀS 11:10
    Home » PA » Polícia Civil do Pará tem a quarta melhor remuneração do país
    Polícia Civil do Pará tem a quarta melhor remuneração do país

    A titular da Secretaria de Estado de Administração (Sead), Alice Viana, reforçou na manhã desta terça-feira, 19, que o Governo do Estado receberá todas as categorias sindicais para discutir reajuste salarial e melhorias de trabalho, como já havia sido informado aos sindicatos das diversas categorias do funcionalismo público estadual. A reunião foi marcada para as 9h30 da próxima quinta-feira, 21, na sede da própria Sead, onde um grupo do Sindicato dos Servidores Públicos da Polícia Civil (Sindpol) iniciou uma manifestação na manhã de hoje. Alice Viana ressaltou ainda que, de acordo com o levantamento das secretarias de administração e planejamento de todo o país e dados obtidos junto ao Portal da Transparência dos estados, a remuneração atual de escrivão e investigador da Policia Civil do Pará, equivalente a R$ 3.983,84, é a quarta melhor do país.
    “O Estado não está desonrando, descumprindo ou desrespeitando qualquer compromisso com os servidores. Nossa missão é de receber as categorias de forma democrática, demonstrar a situação financeira do Estado e estabelecer a política de reajuste para a data-base, que é o mês de abril”, frisou. Alice Viana detalhou que o reajuste a ser acordado com os servidores só incidirá na folha ao final de abril, de acordo com a revisão que for estabelecida, e que ainda faltam mais de 20 dias para que o pagamento daquele oês seja processada. “Nenhuma categoria de servidor público acumulou perda salarial nos últimos anos”.
    O diretor jurídico do Sindpol, Pablo Farah, afirmou que entre as reivindicação da categoria está o aumento do ticket alimentação de R$ 320 para R$ 750, aumento salarial de 25% a 30%, gratificação de escolaridade para nível superior e o aumento da remuneração do plantão de R$ 180 para R$ 400. “Nossa bandeira principal é a incorporação do abono ao vencimento base do policial civil”, afirmou. Durante a manifestação, o grupo chegou a anunciar a suspensão por dois meses das atividades em plantões remunerados.
    De acordo com a secretaria Alice Viana, em decorrência da inflação, os ganhos obtidos pelos servidores ao longo desses dois anos variaram de 20% a 42%. Nesse período, os policiais civis tiveram, além da recomposição da inflação, aumento salarial que variou entre 22% e 31%. Os reajustes fizeram com que a remuneração atual (R$ 3.983,84) de um policial civil no Pará – escrivão ou investigador – ficasse abaixo apenas da que é paga no Distrito Federal (R$ 7.514,33), Paraná (R$ 4.502,45) e Sergipe (4.359,01). “Uma categoria que tem a quarta melhor remuneração do país não pode querer convencer a sociedade que de que ganha apenas R$ 500,00 de vencimento base para prestar serviços à população”, argumentou Alice Viana.
    Também participarão da reunião de quinta-feira, além da secretaria Alice Viana, os titulares das pastas de Planejamento, Orçamento e Finanças (Sepof), Maria do Céu Guimarães, e de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), Luiz Fernandes Rocha, além de outros dirigentes da área de Segurança Pública do Pará.
    Leia a nota da Sead na íntegra e consulte as tabelas de reajustes dos servidores aqui.
    Nota SEAD reajuste dos servidores.

    ResponderExcluir
  4. prefiro trabalhar pra o manoel da padaria do que fazer essa operação delegada, o pm tem que ter vergonha na cara, e pensar que nunca vai ter um salario digno por parte do governo, e quando se aposentar não vai mais ter o bico legalizado, vai ganhar uma porcaria de salario, e não vai ter mais saude pra trabalhar no bico proibido pelo estado, acorda policial militar, 2014 neles

    ResponderExcluir
  5. sou policial militar, aposentei e o desgoverno de sp, me tirou o auxilio localidade, não tem operação bico legal pra aposentado, e não vou fazer bico de segurança pra morrer na porta de supermercado, então pra não passar necessidade fui fazer um biquinho como mecanico, 2014 tá chegando

    ResponderExcluir
  6. essas cidades onde tem prefeitos do partido do governador ou onde tem prefeitos descompromissados com a dignidade dos seus cidadãos, se apressam em ser coniventes com essa patifaria, colocando pms pra fazer o serviço dos guardas municipais e de fiscais da prefeitura, tomem vergonha na cara, já que pm é proibido pelo regulamento de fazer bico, isso deveria ser proibido, infelizmente faltam autoridades compromissadas neste país.

    ResponderExcluir
  7. seria bom demais se o governo não ter que fazer isso ai com nós policiais militares, é só pagar um sálario digno, o governo de São Paulo a locomotiva do Brasil não tem condições.

    ResponderExcluir
  8. SÓ UMA PERGUNTA? ESTA TAL DELEGADA;É OBRIGATÓRIO FAZER? OU O PM SE AUTO ESCALA ?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

Justiça Militar manda PM reintegrar cabo acusado de matar atriz durante blitz em Presidente Prudente

Decisão publicada nesta quarta-feira (18) atende a um pedido de tutela de urgência feito pela defesa. Marcelo Aparecido Domingos Coelho foi demitido da corporação em abril de 2015. oi publicada nesta quarta-feira (18) no Diário da Justiça Militar a decisão do juiz substituto da 2ª Auditoria do Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo (TJM-SP), Marcos Fernando Theodoro Pinheiro, que determina a imediata reintegração de Marcelo Aparecido Domingos Coelho aos quadros da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Em abril de 2015, o então cabo da PM foi demitido pela corporação, após ser acusado no processo que envolveu a morte da atriz e produtora cultural Luana Barbosa durante uma blitz policial na Avenida Joaquim Constantino, na Vila Formosa, em Presidente Prudente.
O juiz levou em consideração a absolvição que Coelho obteve na Justiça Militar, sob o argumento de “legítima defesa” e do “estrito cumprimento do dever legal”, o que, segundo o magistrado, de certa forma, contradiz c…

GENERAL QUE COMANDA A ABIN FALA EM VAZIO DE LIDERANÇAS E ELOGIA FEITOS DA DITADURA

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional do governo Temer, Sérgio Westphalen Etchegoyen, causou incômodo em parte da comunidade diplomática durante uma palestra no Instituto Rio Branco. O general sugeriu “medidas extremas” para a segurança pública, elogiou feitos dos anos de chumbo e disse que o país sofre com amoralidade e com patrulha do “politicamente correto”.
Etchegoyen começou a fala de quase duas horas contando que tinha sido soldado por 47 anos e que era por essa ótica, militar, que enxergava e
interpretava o mundo. Depois do alerta, tentou quebrar o gelo:
“Sou da arma de cavalaria e tem um problema que a ausência do meu cavalo reduz minha capacidade intelectual em uns 45, 40 por cento”, começou general da reserva que comanda, entre outros órgãos, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin). A plateia, majoritariamente composta por futuros diplomatas, riu discretamente.
Foi um dos poucos momentos de descontração. No restante do tempo, segundo pessoas que estiveram present…

PL 920: uma bomba atômica no funcionalismo público que Alckmin quer ver aprovado a todo custo.

O governador Geraldo Alckmin protocolou na quinta-feira, 5/10, o Projeto de Lei 920/2017, que representa uma verdadeira bomba atômica no Estado de São Paulo, sobretudo um verdadeiro ataque aos servidores estaduais e à prestação de serviços públicos. Publicado no Diário Oficial já no dia seguinte, o PL formaliza a renegociação da dívida de São Paulo com a União, ampliando o prazo de pagamento.
            Em contrapartida, o Estado se compromete a cumprir as exigências do governo federal, que impõe um verdadeiro arrocho salarial sobre os servidores públicos. Essa cruel punição aos servidores foi aprovada no ano passado pelo Congresso Nacional. Seu embrião foi o PLP 257, apresentado pela presidente Dilma, que depois foi maquiado pelo governo Temer e transformado na Lei Complementar federal 156/2016.
            Se o PL 920 for aprovado – e espero que não seja –, haverá um congelamento não só de salários, mas também da evolução funcional de todos os servidores estaduais, ficando suspens…

Alckmin propõe reajuste de 7% para policiais

ATENÇÃO- ATENÇÃO ESTA NOTÍCIA É DO ANO DE 2013 E ESTA CIRCULANDO NAS REDES SOCIAIS COMO SENDO ATUAL

O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta sexta-feira, 13, o envio à Assembleia Legislativa de um projeto de lei que concede aumento salarial de 7% para os membros da Polícia Militar, da Polícia Civil e da Polícia Técnico-Científica. O reajuste também será estendido aos agentes penitenciários. Aposentados e pensionistas das quatro categorias também terão o mesmo benefício. No total, serão beneficiados 172 mil policiais militares, 53 mil policiais civis e 33 mil agentes penitenciários. O custo para o Tesouro do Estado será de R$ 983 milhões por ano. Esta é a terceira vez que o governador Alckmin concede aumento salarial acima da inflação do período. Desde o último reajuste, o índice oficial de inflação acumulada é 5,66%. Em outubro de 2011, os policiais tiveram 15% de aumento retroativo a julho de 2011. Em agosto de 2012, o aumento foi de 11%. Com a nova proposta, o reajus…

Policial civil morto em mega-assalto a empresa de valores é enterrado

Vítima foi morta a tiros durante ação dos criminosos que explodiram sede da Protege em Araçatuba (SP). Policial estava de folga. O corpo do policial civil André Luís Ferro da Silva, morto durante o mega-assalto a empresa Protege em Araçatuba (SP) nesta segunda-feira (16), foi enterrado na manhã desta terça-feira (17) em um cemitério particular da cidade. Ferro tinha 37 anos e foi baleado durante a ação. Ele foi socorrido com vida, mas morreu durante atendimento na Santa Casa. Silva era investigador e integrante do Grupo de Operações Especiais (GOE), e deixou filhos e a esposa.
O velório da vítima foi feito em um salão de uma funerária em Araçatuba e, do local, o caixão seguiu em um caminhão do Corpo de Bombeiros em cortejo com viaturas das polícias Militar e Civil até o cemitério. Segundo a Polícia Militar, o policial civil estava de folga do serviço e foi ao local para ver o que acontecia após ser chamado pelos pais, que moram perto da sede da Protege.
O grupo criminoso, cerca de 40 la…