Pular para o conteúdo principal

Rádio PolicialBR 24 horas com você. Notícias e entretenimento.

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Policiais e bombeiros sem representatividade estão fadados a falência

Os servidores públicos militares estaduais, em sua maioria, são desprovidos de representatividade política na maioria dos estados e fadados a falência.
Para entendermos melhor um pouco sobre representação política:
“A etimologia da representação é encontrada no latim, representatio, representationis, que, segundo Laudelino Freire, significa a "ação ou efeito de representar", "ser mandatário ou procurador", "fazer vezes de", "suprir falta de", "apresentar-se no lugar de". Assim o termo representação, no âmbito contratual, associa-se à figura da substituição na manifestação de vontade. Segundo Mamuel Gonçalves Ferreira Filho a representação e definida como um vínculo entre os representantes e representados pelo qual os representantes agem em nome dos representados e devem trabalhar pelo bem dos comum e não pelo próprio. A ideia clássica de representação política é incita à de participação popular no governo, por intermédio de representantes eleitos, por meio do sufrágio universal. Representação, assim, está atrelada à ideia de democracia, de governo do povo.
Consoante José Antônio Giusti Tavares indica in "Sistemas Eleitorais nas Democracias Contemporâneas", "a representação política é uma relação entre o conjunto dos cidadãos que integram uma comunidade política nacional e os seus representantes, na qual os primeiros, enquanto comitentes e constituintes, autorizam os últimos a tomarem as decisões que obrigam em comum e universalmente a todos, nelas consentindo por antecipação e assumindo, cada um, todas as consequências normativas derivadas das decisões do corpo de representantes como se as tivesse efetiva e pessoalmente adotado, e na qual, por outro lado, cada um dos representantes se obriga a tornar efetivos, no corpo legislativo, ao mesmo tempo os valores fundamentais e comuns da ordem política e as concepções particulares acerca do interesse e do bem públicos daquele conjunto especial de constituintes que, com sua confiança, concorreram para a consecução de seu mandato.
O conceito de representação, no sentido de algumas pessoas representando as outras, é uma idéia moderna. Quando se descreve os processos de democratização ocorridos ao longo do século XIX, basicamente está se tratando da ampliação do direito do povo de eleger os representantes e membros dos órgãos do Estado a representação política é o modo de o povo, titular do poder, agir ou reagir relativamente aos governantes e o voto, ato normalmente associado com a atual democracia é, não para decidir, mas sim para eleger quem deverá decidir.”
Ocorre que muitas associações foram criadas para representarem os policiais e bombeiros do Brasil e não estão cumprindo seu papel de efetivamente representar estes profissionais que ficam a “deriva” quando estão sendo tomadas decisões no âmbito político, como salários por exemplo, é o caso do estado de São Paulo onde uma grande onda de descontentamento salarial assola os policiais e bombeiros e o governo por sua vez tomou meditas para reajustar o soldo, projeto de lei 08/2013, que esta provocando descontentamento aos policiais e bombeiros de São Paulo e as associações representativas que deveriam mobilizar seus associados para uma efetiva participação presencial ordeira e democrática junto à ALESP se fecham e se reprimem, quando muito, sua participação se da de forma singela por parte de suas diretorias em reuniões com os órgãos governamentais.
Ocorre que em uma democracia a presença a união se tornam indispensáveis por parte das categorias que pleiteiam algo junto a seus governos, é necessário a participação efetiva de todos buscando o bem comum, em uma votação de determinado assunto em uma Assembléia Legislativa o resultado com o plenário vazio certamente será diferente se ele estivesse ocupado, afinal de contas é a casa do povo e ela deve ser ocupada ordeiramente e respeitando as leis e regulamento, fica então a pergunta: Por que as Associações representativas não cumprem seu papel de esclarecer, orientar e mobilizar seus associados para participarem em plenário das decisões a serem tomadas?
Para os servidores militares estaduais não há impedimento algum em freqüentarem as Assembléias Legislativas em momentos de votações e decisões de seus interesses, é democrático e de direito, o que esta faltando é boa vontade dos que os representam e ainda cobram por isto. (Policiais e bombeiros do Brasil).

Comentários

  1. paulo Rubens PM RJ18 de março de 2013 11:10

    AMigos. Asociação que nao representa os associados nao merece esta denominação. A sugestão é o quadro representativo demitir a presidencia, ou sair em massa e procurar outra.
    Paulo Rubens PM Rio de Janeiro

    ResponderExcluir
  2. Só querem dinheiro e bajular governos e autoridades, tem de acabar com todas elas, principalmente com a Associação dos cabos e soldados da PMESP é a maior e que menos faz.

    ResponderExcluir
  3. Temos exemplos em São Paulo o Sr. Cabo WILSON na época de deputado estadual ajudou a nos ferrar ainda mais com o novo RDPM que de novo não tinha nada cópia fiel do antigo com muito mais agravantes o que era leve ficou média, media ficou grave e muitas graves se tornaram gravíssima.
    O regulamento da PM é inconstitucional e nada ele fez simplesmente assinou em baixo, cópia fiel do regulamento das Forças Armadas, que tem função diferenciada da nossa, seu objetivo amarar as mãos dos policiais para que não possa lutar pelos seus direitos que a constituição prevê.
    Policial Militar do Brasil RDPM foi feito para praças, pois “Oficial” não tem comportamento.
    Vamos lutar para o fim desse regulamento arcaico do tempo da DITADURA que impera até os dias de hoje.

    ResponderExcluir
  4. NÓS POLICIAIS NA MAIORIA SOMOS CULPADOS, POIS É MAIS FÁCIL VOTAR NO ZÉ DO BOTECO DOQUE EM UM IRMÃO DE FARDA; COM MEUS TRINTA ANOS DE SERVIÇOS PRESTADOS E SETENTA E UM DE IDADE JÁ VI MUITOS COMPANHEIROS JOGAREM SEUS VOTOS FORA AO INVÉS DE ELEGEREM GENTE NOSSA PARA DEFENDEREM NOSSOS INTERESSES( CADA UM RECEBE O QUE MERECE).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que é que adiante eleger gente "nossa" olha só os que estão ai...não fazem nada são só enganação - São Paulo com sua política de falso moralismo tem mais é que se ferrar mesmo.

      Excluir
  5. A VERDADE É UMA SÓ, QDO SE ESTÁ LÁ EM CIMA ENCHENDO OS BOLSOS, QUE SE DANE O RESTO, Ñ IMPORTA SE É IRMÃO DE FARDA, POIS LÁ OU ENTRA NO ESQUEMA OU VAI PRA RUA, TOMARA Q UM DIA MELHORE, POIS ESTÁ RUIM DEMAIS, Ñ TEMOS VOZ ATIVA PRA NADA, TEMOS Q COMER OQUE DÃO...

    ResponderExcluir
  6. não pense assim pessoal pois não devemos comer o que dão, temos que ter caráter e ter união vamos fazer valer os nossos direitos e nao so as obrigações nao somos burro de carga somos profissionais de segurança publica a serviço do ESTADO e nao a serviço deste bando de corrupto. Sozinho podemos lutar agora unidos podemos ganhar uma guerra, vcs me entenderam ????? desculpe pocahontas mas discordo do seu ponto de vista !!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

ANTES DE ESCREVER LEIA COM ATENÇÃO: Palavras de baixo calão, racismo, ofensas, ameaças e tudo mais de não estejam de acordo com os bons costumes e as leis vigentes não será aprovado. Expressão do pensamento é um direito Constitucional, expresse o seu com educação e propriedade. Os comentários publicados não traduzem a opinião do blog. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e mundiais e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo. O IP do comentarista fica arquivado e pode ser fornecido por Ordem Judicial.

| Mais Acessados na Última Semana |

Usar arma de uso restrito com porte ilegal agora é crime hediondo

Aprovada urgência para projeto que torna crime hediondo o porte ilegal de armas de uso restrito O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 332 votos a 7 e 2 abstenções, o regime de urgência para o Projeto de Lei 3376/15, do Senado, que torna crime hediondo a posse ou o porte ilegal de arma de fogo de uso restrito das forças policiais e militares. Após a votação, a sessão ordinária foi encerrada. Projeto de Lei do Senado nº 230, de 2014, de autoria do Senador Marcelo Crivella, constante dos autógrafos em anexo, que “Altera a Lei nº 8.072, de 25 de julho de 1990, para incluir o crime de posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito no rol dos crimes hediondos”. A Lei 8.072/90 define como hediondos os crimes de homicídio praticado por grupo de extermínio; homicídio qualificado; latrocínio; genocídio; extorsão qualificada por morte; extorsão mediante sequestro; estupro; disseminação de epidemia que provoque morte; falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto …

Deputado capitão Augusto requer moção de repúdio contra Secretário de Segurança Pública e Governador de São Paulo Geraldo Alckmin

DEPUTADO CAPITÃO AUGUSTO REQUER MOÇÃO DE REPÚDIO CONTRA O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DE SÃO PAULO E CONTRA O GOVERNADOR POR TANTO DESRESPEITO ÀS LEIS E AOS POLICIAIS MILITARES DE SÃO PAULO
O Deputado Capitão Augusto entrou hoje, 10, com dois Requerimentos de Moção de Repúdio contra o Secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, e contra o Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, por desrespeitar as leis e aos policiais militares. Essas moções fazem parte de uma série de medidas que o parlamentar está adotando para tornar público as medidas descabíveis desse governo contra os policiais militares e a segurança pública do país, e para que entendam que tudo tem um limite. A categoria não vai tolerar mais tanto descaso e desrespeito. O Deputado estará revelando ao país e ao mundo que Alckmin não serve para governar o país, deve ser ignorado e descartado como candidato à Presidência da República. CAPITÃO AUGUSTO conclama os militares e familiares a somarem esforços para…

Policiais e bombeiros militares não sabem a força que tem

Deputado Federal Capitão Augusto orienta os militares de São Paulo sobre a força política da classe
Por mais que façamos aqui pela Câmara dos Deputados, aprovando projetos dando mais direitos e garantias aos policiais e não deixando ser aprovado nenhum projeto que os prejudique, a grande reivindicação que recebo dos policiais refere-se a questão do aumento salarial.
Infelizmente Deputados não podem apresentar projetos que gerem despesas para o executivo, então está fora de nossa competência atender essa solicitação, o que nos resta é cobrar (e muito) do governador e fazer articulação para que ele conceda o tão esperado aumento salarial.
Hoje temos força política para eleger representantes para Assembleia Legislativa, Câmara dos Deputados e para todos cargos nas eleições municipais. Está na hora de influenciarmos as eleições para Governador e Senador, um que reconheça nosso valor, ou ficaremos fadados a apenas reclamar nos bastidores.
Nós podemos muito mais que isso! Somos quase 150.000 po…

Qual a responsabilidade que a sociedade civil possui na segurança pública?

Policiais militares foram assassinados por criminosos neste fim de semana; secretário de Segurança do Rio pediu mudanças no sistema judiciário Neste final de semana dois Policiais Militares foram assassinados no Rio de Janeiro: a Cabo PM Elisângela Bessa Cordeiro, com um tiro na cabeça disparado por um menor, e o Soldado PM Samir da Silva Oliveira, com um tiro no pescoço disparado por um fuzil de combate.
Qual é a pena para o menor assassino da PM ? Em média oito meses. Qual é a pena para quem porta um fuzil? Três anos. Como se isso já não fosse suficientemente patético, nossa legislação acrescenta o insulto à injuria ao prever a concessão do beneficio da progressão de pena, fazendo com que o criminoso cumpra apenas 1/6 da pena, ou seja, o guerrilheiro urbano que porta uma arma de uso restrito do Exército, pode estar solto em seis meses.
Quem é o responsável por essa baderna? Você que está lendo este artigo e eu que o escrevi. Somos nós que consistentemente fazemos o mesmo erro de ele…

Leis desestimulam policiais e bombeiros militares a exercerem plenos direitos políticos.

Deputado federal capitão Augusto luta para acabar com injustiças políticas que sofrem os policiais militares e bombeiros do Brasil Até mesmo politicamente os policiais ele são injustiçados. Em tempos onde a representatividade política se faz de extrema necessidade e, do soldado ao coronel, buscam eleger seus representantes da mesma forma que outras categorias, Leis desestimulam a participação efetiva na política Nacional dos policiais e bombeiros militares. Com uma democracia atrasada em relação a outros países o Brasil ainda tem mecanismos para desestimular a elegibilidade dos policiais e bombeiros militares. Buscando corrigir estas injustiças o deputado federal capitão Augusto busca direitos políticos e de elegibilidade aos policiais militares e bombeiros. Um policial ou bombeiro militar se candidatando a cargo eletivo com menos de dez anos de serviço é exonerado e com mais se eleito também é exonerado, sendo aposentado com o tempo proporcional ao que trabalhou. Ouça entrevistas co…