Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

PEC 300: militares cobram aprovação em segundo turno


Bombeiros, policiais civis e militares pressionam pela aprovação do segundo turno da chamada PEC 300. Em encontro que pretende mobilizar ainda em 2013 a votação da proposta de emenda constitucional, lideranças das categorias foram aplaudidas:
"Os militares estão na esperança, na época da campanha foi proposta de todo mundo, do vice-presidente, da própria presidente, dos adversários, todo mundo prometia colocar em votação essa questão da PEC 300 e, infelizmente, até hoje não foi colocada em votação (palmas)".
A PEC foi aprovada em primeiro turno em 2010 e, desde então, aguarda a conclusão da análise dos deputados.
A criação de uma polícia estadual única e de um plano nacional para as categorias estão entre as principais reivindicações da PEC criada em 2008. Além disso, os oficiais pedem um fundo nacional de segurança pública, com financiamento de municípios, estados e governo federal. O principal entrave para a aprovação da proposta é a obrigação da União em contribuir com os salários dos policiais.
O deputado Mendonça Prado, do DEM sergipano, acredita que é possível aprovar a PEC 300 ainda neste ano, por conta do compromisso firmado pela Presidência da Câmara. Confiante, o parlamentar lembrou a aprovação no Senado de proposta semelhante, de autoria de Renan Calheiros:
"Hoje nós temos, no Senado da República, o presidente é autor da proposta 446. Na Câmara dos Deputados, o presidente da Casa, o deputado Henrique Eduardo Alves, quando líder, assinou o requerimento para incluir na pauta, defendeu a PEC 300 e eu tenho certeza, eu acredito que ele será o principal cabo eleitoral da PEC 300, sob pena de ficar numa situação ruim em termos de imagem de homem público e de palavra".
Para os policiais militares, a questão não é apenas salarial, mas também de segurança dos oficiais. Na PEC 300, um dispositivo prevê criação de lei complementar para aplicação de penas mais duras aos crimes contra trabalhadores da segurança pública. Segundo o policial militar Edgar Menezes, que representa a Associação dos Militares do Estado de Sergipe, a aprovação em segundo turno demora porque a proposta envolve muitos interesses.
"Mas no caso da PEC 300 é complicado. Os governadores dos estados são contra a PEC 300 porque acham que vão arcar com a conta desse possível reajuste, desse possível piso salarial e não é bem assim. Existe um projeto pra que a União complemente os salários. São três anos, provavelmente vamos levar 2013 todinho nessa mesma luta".
Na agenda dos manifestantes, além da PEC 300, foram discutidas questões como a votação em trânsito, já que os policiais são deslocados para outros municípios, e da reserva nas corporações, quando o oficial é obrigado a se aposentar para assumir mandato político. Outra reivindicação é a anistia aos oficiais que perderam os cargos, como os bombeiros demitidos ano passado por articularem movimento grevista no Rio de Janeiro.

De Brasília, Tiago Amate Rádio Câmara

Comentários

  1. pobres iludidos..... o assunto agora é o PASTOR...kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Gente! Somos todos maiores, eleitores, inteligentes e isso já basta para saber que essa PEC 300 NUNCA SERÁ APROVADA. Ela esta sendo usada sempre nas proximidades de eleições para enganar a todos policiais, da mesma forma que o governador de São Paulo tem feito durante muitos anos... Desapeguem e moderador por favor não publique mais esse tipo de matéria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente com você.
      Aqui em minas, não sei quanto aos outros pms, mas eu não acredito nunca mais em governos.
      Vou continuar tentando seguir minha estrada e não esperar mais nada desses desacreditados.

      Excluir
    2. ior que que somos mudo cego e surdo.

      Excluir
  3. Por certo que q PEC 300 não será votada; no entanto, continuará a servir de trampolim político para muitos militares que sabem dessa verdade e das possibilidades da PEC, mas optam por continuar manobrando os próprios companheiros de farda.
    Alguma chance de aprovação e que traga melhoria para a categoria policial somente em uma proposição que melhore o sistema policial e que não seja simplesmente uma medida de aumento salarial.
    Existem algumas proposições nesse sentido no CN, mas a única mais sensata nos parece concentrar na PEC 102/2011 do Senado.

    ResponderExcluir
  4. é o q eu digo,minas,sao paulo,rio de janeiro e outras cidades,sabem quando vai melhorar,só quando nos calarmos diante da eleição,basta de votar em quem deveria fazer alguma coisa,só pensam neles mesmo,quando chegar na urna fiquem com amnésia,nos pms e o povão também.

    ResponderExcluir
  5. Chega de voto de confiança! Errado ou certo, decidi não votar em mais ninguem. Como ficaria se todos esses mentirosos não focem eleitos? Acredito que haveria uma outra eleição com candidatos nunca votados. Deviamos lutar para um plebicito, afim de, no meio do mandato destes caras depau, nós decidirmos se ele fica ou rapa fora. Desculpem o desabafo, mas é mais fácil conviver no mundo animal. São mais sinceros.

    ResponderExcluir
  6. concordo com os comentários acima.

    ResponderExcluir
  7. Mentiras......, mentiras....., mentiras.........., mentiras.........., mentiras........, não acredito em politicos.


    ten Carlos taquara rio de janeiro

    ResponderExcluir

  8. O que esses nossos "PARLAMENTERES FAZEM NA CÂMARA"? Que só defendem
    assuntos anódimos em benefícios própios. Seria muito bom mandá-los
    dar um servço de "DILIGÊNCIA NAS RUAS DO PAÍS", aí sim, eles iriam
    sentir na pele o que ser POLÍCIAL.

    1º Vice-presidente do Diretório Estadual de Pernambuco (PMB-PE).

    ResponderExcluir
  9. O que nos resta é a união da classe policial, seja militar ou civil. Acredito que nenhum policial militar/bombeiro militar ou policial civil em sua consciência normal vota no LULA ou na traidora DILMA ou em qualquer candidato que esse bando do PT apoiar. É claro que eles vão tentar nos enganar novamente com a promessa da votação da tão sonhada PEC 300. Temos que nos mobilizarmos para que a PEC seja aprovado em segundo turno na Câmara e no senado ainda este ano, antes da eleição em 2014, é isso ou nada. Se isso não acontecer temos que votar contra e trabalhar contra todos os opositores, principalmente todos do PT, PMDB inclusive alguns do PSDB. Se forem contra nós não merecem nosso apoio e nem o da nossa família e amigos. Se os MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS tiverem hombridades, também não vota nesse PT maldito, veja o que o ex-presidente lula disse:

    Diante da reação negativa dos militares à escolha de Celso Amorim para comandar o Ministério da Defesa, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou os militares descontentes com a nomeação. “Eu não sei se cabe a esses militares gostarem ou não gostarem”, disse Lula, que está na Colômbia. “Ela (a presidente Dilma Rousseff) é a chefe suprema das Forças Armadas, indicou o ministro e acabou, não se discute. Estou c… e andando para esses caras(os militares) . No meu governo, tiveram que me aguentar e viviam me enchendo o saco pedindo migalhas de reajuste. Pediam uma coisa, eu enrolava e nunca dava o que eles pediam; depois dava uma esmola qualquer e não me sacaneavam mais. Não tenho medo deles; nunca tive.”

    ResponderExcluir
  10. não acredito em politicos tbm...PMPB

    ResponderExcluir
  11. Vejo que tem gente de Minas Gerais se queixando do Governo do Estado. E o Estado de Minas Gerais, ao que eu sei, é o TERCEIRO MAIOR SALÁRIO de nossa categoria. Só perde para Brasília e São Paulo.
    Mas o que dizer do Rio de Janeiro, O PIOR SALÁRIO DO BRASIL?????
    Acreditaram que a Dilma e o Temer iriam aprovar a PEC 300? Votaram neles?
    Pois é. Agora, aprendam a votar. Uma mulher com o passado da Dilma, vai gostar de polícia???
    ACORDEM!!!

    ResponderExcluir
  12. O dia que aprovarem a pec 300 o Brasil vai ser a maior economia do mundo, vai ter miséria zero, o país mais desenvolvido tecnologicamente.
    Ou seja, NUNCA!!!!!!

    ResponderExcluir
  13. Eu não acredito em mais nada, isso tu do é balela, não vamos nos iludir, eles não querem que o PM seja bem remunerado, isso tem um jogo de interesse por trás.

    ResponderExcluir
  14. SE HOUVER UMA PARALISAÇÃO TOTAL DA POLICIA DE SÃO PAULO,RIO ETC ETC,,AI SIM ELA VAI SER APROVADA,,ESTA PEC SÓ SERVIU PRA ELEGER ALGUNS E DAR EXPULSÃO A MUITOS PMs,,sóoooooooooooooooooooo parando mesmo

    ResponderExcluir
  15. Pessoal o amigo que diz respeito a pec 102;2011 esta por fora do que esta escrevendo ou tem alguem ditando coisa que ele nem sabe do que se trata, ou pior ele escreve pensando que ira ter um beneficio com essa pec, mas na realidade essa pec 102 só traz beneficios ao delegados da policia civil. Deixe de ser bobo meu caro, entre no portal da camara e veras o que estou falando é a mais pura verdade!!!!

    ResponderExcluir
  16. Concordo com o amigo acima, paralização já....

    ResponderExcluir
  17. Gente faz duas eleções que só voto nulo!!! façam isso junto com seus familiares, durmo muito melhor!! não espero mais nada dessa guadrilha de Brasília!!

    ResponderExcluir
  18. não havera copa das confederaçoes e nem copa do mundo, vamos mostrar a nossa força, somos muitos e unidos nem as forças armadas podem contra nós, vamos brigar!

    ResponderExcluir
  19. DEVEMOS USAR A INTELIGÊNCIA E SÓ VOTAR NESSE POVO QUANDO APROVAR A PEC.SEM PEC SEM VOTO EM CANDIDATO
    COM PROMESSA FALSA.SE A PRESIDENTE APROVAR TUDO BEM,SE NÃO....

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

Justiça Militar manda PM reintegrar cabo acusado de matar atriz durante blitz em Presidente Prudente

Decisão publicada nesta quarta-feira (18) atende a um pedido de tutela de urgência feito pela defesa. Marcelo Aparecido Domingos Coelho foi demitido da corporação em abril de 2015. oi publicada nesta quarta-feira (18) no Diário da Justiça Militar a decisão do juiz substituto da 2ª Auditoria do Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo (TJM-SP), Marcos Fernando Theodoro Pinheiro, que determina a imediata reintegração de Marcelo Aparecido Domingos Coelho aos quadros da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Em abril de 2015, o então cabo da PM foi demitido pela corporação, após ser acusado no processo que envolveu a morte da atriz e produtora cultural Luana Barbosa durante uma blitz policial na Avenida Joaquim Constantino, na Vila Formosa, em Presidente Prudente.
O juiz levou em consideração a absolvição que Coelho obteve na Justiça Militar, sob o argumento de “legítima defesa” e do “estrito cumprimento do dever legal”, o que, segundo o magistrado, de certa forma, contradiz c…

GENERAL QUE COMANDA A ABIN FALA EM VAZIO DE LIDERANÇAS E ELOGIA FEITOS DA DITADURA

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional do governo Temer, Sérgio Westphalen Etchegoyen, causou incômodo em parte da comunidade diplomática durante uma palestra no Instituto Rio Branco. O general sugeriu “medidas extremas” para a segurança pública, elogiou feitos dos anos de chumbo e disse que o país sofre com amoralidade e com patrulha do “politicamente correto”.
Etchegoyen começou a fala de quase duas horas contando que tinha sido soldado por 47 anos e que era por essa ótica, militar, que enxergava e
interpretava o mundo. Depois do alerta, tentou quebrar o gelo:
“Sou da arma de cavalaria e tem um problema que a ausência do meu cavalo reduz minha capacidade intelectual em uns 45, 40 por cento”, começou general da reserva que comanda, entre outros órgãos, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin). A plateia, majoritariamente composta por futuros diplomatas, riu discretamente.
Foi um dos poucos momentos de descontração. No restante do tempo, segundo pessoas que estiveram present…

PL 920: uma bomba atômica no funcionalismo público que Alckmin quer ver aprovado a todo custo.

O governador Geraldo Alckmin protocolou na quinta-feira, 5/10, o Projeto de Lei 920/2017, que representa uma verdadeira bomba atômica no Estado de São Paulo, sobretudo um verdadeiro ataque aos servidores estaduais e à prestação de serviços públicos. Publicado no Diário Oficial já no dia seguinte, o PL formaliza a renegociação da dívida de São Paulo com a União, ampliando o prazo de pagamento.
            Em contrapartida, o Estado se compromete a cumprir as exigências do governo federal, que impõe um verdadeiro arrocho salarial sobre os servidores públicos. Essa cruel punição aos servidores foi aprovada no ano passado pelo Congresso Nacional. Seu embrião foi o PLP 257, apresentado pela presidente Dilma, que depois foi maquiado pelo governo Temer e transformado na Lei Complementar federal 156/2016.
            Se o PL 920 for aprovado – e espero que não seja –, haverá um congelamento não só de salários, mas também da evolução funcional de todos os servidores estaduais, ficando suspens…

Alckmin propõe reajuste de 7% para policiais

ATENÇÃO- ATENÇÃO ESTA NOTÍCIA É DO ANO DE 2013 E ESTA CIRCULANDO NAS REDES SOCIAIS COMO SENDO ATUAL

O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta sexta-feira, 13, o envio à Assembleia Legislativa de um projeto de lei que concede aumento salarial de 7% para os membros da Polícia Militar, da Polícia Civil e da Polícia Técnico-Científica. O reajuste também será estendido aos agentes penitenciários. Aposentados e pensionistas das quatro categorias também terão o mesmo benefício. No total, serão beneficiados 172 mil policiais militares, 53 mil policiais civis e 33 mil agentes penitenciários. O custo para o Tesouro do Estado será de R$ 983 milhões por ano. Esta é a terceira vez que o governador Alckmin concede aumento salarial acima da inflação do período. Desde o último reajuste, o índice oficial de inflação acumulada é 5,66%. Em outubro de 2011, os policiais tiveram 15% de aumento retroativo a julho de 2011. Em agosto de 2012, o aumento foi de 11%. Com a nova proposta, o reajus…

Policial civil morto em mega-assalto a empresa de valores é enterrado

Vítima foi morta a tiros durante ação dos criminosos que explodiram sede da Protege em Araçatuba (SP). Policial estava de folga. O corpo do policial civil André Luís Ferro da Silva, morto durante o mega-assalto a empresa Protege em Araçatuba (SP) nesta segunda-feira (16), foi enterrado na manhã desta terça-feira (17) em um cemitério particular da cidade. Ferro tinha 37 anos e foi baleado durante a ação. Ele foi socorrido com vida, mas morreu durante atendimento na Santa Casa. Silva era investigador e integrante do Grupo de Operações Especiais (GOE), e deixou filhos e a esposa.
O velório da vítima foi feito em um salão de uma funerária em Araçatuba e, do local, o caixão seguiu em um caminhão do Corpo de Bombeiros em cortejo com viaturas das polícias Militar e Civil até o cemitério. Segundo a Polícia Militar, o policial civil estava de folga do serviço e foi ao local para ver o que acontecia após ser chamado pelos pais, que moram perto da sede da Protege.
O grupo criminoso, cerca de 40 la…