Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Para evitar ataques, Piauí concede regalias a presos do PCC no Estado

A Sejus (Secretaria do Estado da Justiça) do Piauí concedeu regalias para presos ligados ao PCC (Primeiro Comando da Capital), facção que age dentro e fora dos presídios de São Paulo, que estão na Penitenciária Regional Irmão Guido, localizada na zona rural de Teresina. Durante um motim no ano passado, a facção ameaçava desencadear uma série de ataques similares aos ocorridos em São Paulo e Santa Catarina, no final de 2012, caso os pedidos de seus membros não fossem atendidos.
A negociação --que previa a inclusão de carne de sol, ervilha, milho e azeitona no cardápio das refeições, aumento do horário de visitas e transferência para São Paulo do cabeça do movimento e um dos líderes do PCC, José Ivaldo Celestino dos Santos-- ocorreu durante motim ocorrido no final do ano passado e é confirmada pelo secretário estadual de Justiça, Henrique Rebello.
Em entrevista ao UOL, ele afirma que, meia-hora após atender aos pedidos dos detentos da facção criminosa, o motim na cadeia terminou. "Esse pessoal [do PCC] é superperigoso. Não podíamos deixar que o problema de dentro do sistema atingisse a sociedade. Por isso, atendemos às reivindicações", disse Rebello, destacando que cumpriu o que diz a lei e não "fez nada de mais" em atender às reivindicações dos presos.
Carta e articulação
Durante a rebelião, presos do PCC tentaram convocar os internos de outros pavilhões por meio de uma carta. No entanto, agentes penitenciários conseguiram interceptar a mensagem --a carta foi jogada do pavilhão C para o anexo (local onde ficam os presos provisórios). A carta foi entregue ao serviço de inteligência da polícia para constatar a veracidade, e, segundo a Sejus, foi escrita por uma das "torres" [como os integrantes organizam os cargos] do PCC.
Na carta, os integrantes do PCC tentavam informar aos demais internos como seriam as ações de articulação para que o Estado atendesse aos pedidos deles. Em um dos trechos, os presos afirmaram que conseguiram tirar o chefe de disciplina da unidade carcerária, para demonstrar o poder que tinham nas negociações com a Sejus.
"A rapaziada da Casa de Custódia entrou em contato com nós [sic] e disse que eles conseguiram tirar o 'Nissin' [Nilson Martins de Vasconcelos, ex-chefe de disciplina da Casa de Custódia], e assim só nós se unir [sic] que nós vamos conseguir nosso objetivo", descreve a carta.
Estrangeiros no PCC
Apesar de o principal líder do PCC no Nordeste, Celestino dos Santos, ter sido transferido para São Paulo, existem ainda no sistema prisional do Piauí outros cinco membros do PCC --dois italianos, dois brasileiros e um português.
Os detentos estão no pavilhão A da Irmão Guido presos na mesma cela ou em celas vizinhas. Eles foram flagrados pela PF (Polícia Federal) em um veleiro com carga de 270 quilos de cocaína pura que iria para Europa.
Sindicato critica ações
O Sinpoljuspi (Sindicato dos Agentes Penitenciários e Servidores Administrativos da Secretaria de Justiça e Segurança do Estado do Piauí) criticou a postura do Estado.
A decisão, diz o Sinpoljuspi, de atender aos pedidos dos presos do PCC com o objetivo de acabar com o motim e evitar possíveis ataques foi equivocada. De acordo com o sindicato, a iniciativa tornou os agente penintenciários mais vulneráveis.
"Eles conseguem usar telefones celulares sem que nenhum dos agentes ou policiais militares encontre o aparelho. Se estão presos juntos, facilita a atuação em conjunto, mas é por celulares que eles se articulam para praticar crimes fora da prisão", disse o presidente do Sinpoljuspi, Vilobaldo Carvalho.
Foi um dos integrantes do PCC que usou um telefone celular de dentro da Penitenciaria Irmão Guido para avisar a advogada e familiares que estava prestes a ocorrer uma rebelião na unidade prisional.
Segundo Carvalho, a Sejus atendeu aos pedidos "do jeito que o Celestino disse e esticou o horário de visitas, tirando a rotina dos presídios, além de colocar no cardápio dos presos carne de sol, ervilha, milho e azeitona".
"O medo do Estado com o PCC é tão grande, que logo atenderam às reivindicações dos líderes dos movimentos. Não tinha necessidade de ceder porque não havia refém, e a polícia estava quase dominando a situação. Os rebelados estavam trancados em uma área, que estava cercada de policiais. Não justifica a atitude da Sejus. Isso mostra a fragilidade do sistema", afirmou o sindicalista. (UOL).

Comentários

  1. É ISSO MESMO, FALTA DE AUTORIDADE DESLEIXO TOTAL; EM BREVE OS DIRETORES DE PRESÍDIOS AGENTES PENITENCIÁRIOS POLICIAIS ETC...ETC. ESTARÃO FECHADOS NO INTERIOR DAS CELAS E OS PRESOS FAZENDO CHURRASCO E PIADAS DOS BONZINHOS; SÓ POR DEUS

    ResponderExcluir
  2. Há tempos atrás, a ignorância e os assassinatos de trabalhadores que lutavam por melhorias. Hoje, bandidos fazem reinvidicações e são atendidos.
    Realmente a falta de autoridade e inversão de valores neste país, deixa qualquer um de cabelo em pé.
    TENTA REINVIDICAR TRABALHADOR, E, VERA O QUE ACONTECE??????????????????????????????

    ResponderExcluir
  3. essa moda pega, começou com geraldo alkymin, dando moral a presos. principalmente do pcc.depois eles começam a exigir muito mais e nao tem como cotar o mal pela raiz. infelizmente em sao paulo o nosso fracassado governador arriou as calças ao crime organizado ,deu o que vcs estao vendo agora.eles estao mandando em tudo, ate as saidinhas temporarias sao controladas pela mafia do crime organizado... socorro brasil. vamos colocar preso na cadeia ,e acabar com as regalias.vamos dar um basta nestes bandidos...

    ResponderExcluir
  4. Que pais é esse que os presos peden o que quer e é atendido, no tempo da ditadura essa safadesa não existia, e ainda falan em direitos humanos e democracia, isso é uma anarquia, merecian era botar todos no paredão, manda o pcc ir para os paises do oriente médio, lá é fuzil por cima da fusa,isso é uma vergonha.

    ResponderExcluir
  5. nossa ta bom daqui pouco queM vai se comandante geral vai se o pcc.
    este governo ta frocho entao ele e do partido, tem que vim pena deMORTE ou cadeia perpetua, igual o jovem que matou trez Estudante NO EUA, e cadeia eletrica neles ou a perpetua estes governos nao tem aUtoridada, que volta os esquadrao da morte como tinha, acorda governadores ferrar policia ferra acrediata em tudo que diz contra os policiais pr punilos e mandarem em bora da policia com uma mao pr traz outra na frente sem direito bolça, familia, na urna o cabrito vai berrar ai eu quero ver COMO DEUS E MUITO MAIOR DO QUE ESTES GOVERNADORES ATE ELES PROSTARAO DIANTE DO CRIADOR PR PRESTAR CONTAS PR O NOSSO DEUS,

    ResponderExcluir
  6. policial só pode dizer amem isso é realidade de um pais domino por marginais a começar por politicos de brasillia,

    ResponderExcluir
  7. O crime organizado já tomou conta do pais, ele só não se- manifesta mais, por conta que tudo está como eles querem, onde já se viu detentos condenados exigir do governador o que querem e o politico fala amém, os vagal estão infiltrado nos quatro conto do pais, os políticos e as autoridades não esta vendo que o pais esta indo para um caminho , onde o errado e certo e quem paga as contas, são os que realmente trabalham , mas a qualquer momento o barril de pólvora vai explodir, ai os policiais do brasil e quem vai por a cara a tapa para encarar esses vagabundos, onde muitos inocentes podem morrer.

    ResponderExcluir
  8. isso e uma falta de vergonha,um pais governado por ladroes e corruptos,em q estes q estao no poder comprou a maioria das pessoas deste pais,como: FIES,COTAS PARA UNIVERSIDADE,BOLSA FAMILIA,pelo amor de deus vamos buscar conhecimento,vamos reinvindicar nossos direitos,esta na hora da populacao brasileira abrir os olhos e cobrar uma nova constituicao; UMA NOVA CONSTITUICAO.o q esta acontecendo no nosso pais e q enquanto os ladroes e traficantes assolam a sociedade aqui em baixo ,os politicos ficam a vontade la em cima pra roubar a vontade.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

Morre segundo policial militar atingido por tiro de fuzil em Pompéu

Cabo Lucas Reis Rosa foi internado e teve braço amputado após confronto com criminosos que explodiram uma agência bancária. Outro policial e um entregador também foram mortos. A Polícia Militar (PM) confirmou, na manhã desta sexta-feira (8), a morte do cabo Lucas Reis Rosa. Ele estava internado desde a madrugada de terça-feira (5) quando foi atingido por um tiro de fuzil durante confronto com criminosos que explodiram uma agência bancária em Pompéu. Segundo a Polícia Militar, o óbito foi constatado as 9h50 desta sexta. Em nota, a PM informou que o cabo teve reações inflamatórias graves, pós-cirúrgicas ao trauma. Na quarta-feira (6), Lucas Reis passou por duas cirurgias, uma delas foi para a amputação total do braço direito. “Estamos entrando em contato com a família para dar o devido apoio e verificar questões relacionadas a local e horário do velório e enterro”, informou o comandante da 7ª Região da Polícia Militar, coronel Helbert Willian Carvalhaes. Confronto Na madrugada de terça…

Policial militar é sequestrado e assassinado a tiros em Paulista

Um policial militar foi assassinado com nove tiros, na Estrada do Pica-Pau, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife. A vítima foi identificada como Lindembergue Gomes da Silva, de 53 anos, foi encontrado ás margens da estrada, em Paratibe. De acordo com os peritos do instituto de Criminalidade (IC), ele foi atingido por um tiro no rosto e os outros nas costas. Os peritos acreditam que o PM pode ter sido morto com a própria arma.
Segundo a polícia, o militar, que atuava como comerciante, teria sido levado da casa dele, no bairro da Mirueira, por dois homens. Ele teria sido levado para o local do crime no próprio carro, uma caminhonete, que foi abandonada em Abreu e Lima. Nenhum pertence da vitima foi encontrado. A policia recebeu a informação de que o PM reformado era agiota, o que pode ter motivado o assassinato.

Fonte: Tv jornal uol

Brasil dobra número de presos em 11 anos, diz levantamento; de 726 mil detentos, 40% não foram julgados

Estudo divulgado pelo Ministério da Justiça é de junho de 2016. País é o terceiro do mundo em número de detentos. Estado com maior superlotação é o Amazonas (cinco presos por vaga). Uma nova edição do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen) divulgada nesta sexta-feira (8) pelo Ministério da Justiça informa que, em junho de 2016, a população carcerária do Brasil atingiu a marca de 726,7 mil presos, mais que o dobro de 2005, quando o estudo começou a ser realizado. Naquele ano, o Brasil tinha 361,4 mil presos, de acordo com o levantamento. Esses 726 mil presos ocupam 368 mil vagas, média de dois presos por vaga (leia mais abaixo sobre superlotação). "Houve um pequeno acréscimo de unidades prisionais a partir de 2014, muito embora não seja o suficiente para abrigar a massa carcerária que vem aumentando no Brasil. Então, o que nos temos, é um aumento da população carcerária e, praticamente, uma estabilidade no que se refere à oferta de vagas e oferta de estabel…

AFAM: NOVIDADES SOBRE AÇÃO JUDICIAL DA INCORPORAÇÃO DE 100% DO ALE NOS VENCIMENTOS DOS POLICIAIS E BOMBEIROS DE SÃO PAULO

Agora já são em número de 05 as Câmaras de Direito Público a adotar esse entendimento. Novas e recentes decisões do Tribunal de Justiça de São Paulo, em Mandados de Segurança individuais, têm confirmado o entendimento de que a incorporação total do ALE ao Salário-Base (Padrão) é direito de todos os policiais militares. Em Acórdão de 11 de março de 2013, relativo à Apelação/Reexame Necessário nº. 0029083-82.2012.8.26.0053, assim se manifestou a 6 ª. Câmara de Direito Público do TJ/SP: “Assim, no caso do impetrante, policial em atividade, quinquênios, sexta-parte e RETP incidem sobre as vantagens efetivamente incorporadas, dentre as quais, a partir da LC nº 1.114/10, o ALE”.... http://www.afam.com.br/
Veja abaixo todas as novidades:






REVOLTA DA ASSOCIAÇÃO DOS CABOS E SOLDADOS DA PMESP COM GOVERNO ALCKMIN

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo luta contra uma mentira da Procuradoria Geral do Estado; e, infelizmente, endossada pelo Governador do Estado. Ocorre que a Procuradoria, por meio da suspensão da Tutela Antecipada nº 678 junto ao Supremo Tribunal Federal fez constar em sua petição o valor aproximado de R$ 1,5 bilhão. Em síntese, disse ao Presidente do STF, Exmo. Senhor Ministro Ayres Britto que o custo criaria uma lesão ao erário público, assim, permitiu suprimir verbas alimentares de Policiais Militares. Neste sentido, passamos a conhecer melhor o Governo Geraldo Alckmin.
O Governo do Estado tinha conhecimento que o Policial Militar recebia o recálculo retroativo a novembro de 2010 por intermédio de uma ação judicial; e que nunca se tratou de uma tutela antecipada mas sim, de cumprimento provisório de sentença, iniciado após o Tribunal de Justiça de São Paulo, na 2ª Instância, ter garantido a fórmula correta de cálculo da verba aos Policiais…