Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

Cabo da PM é preso por não prestar continência a tenente

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa de Rondônia (ALE/RO), deputado Euclides Maciel (PSDB), iniciou processo de investigação para apurar a detenção do cabo Gomes da Policia Militar, acusado de não prestar continência ao tenente PM D. Lucas, no corpo da guarda do 2º Batalhão de Policia Militar (2º BPM), em Ji-Paraná.

O deputado Euclides Maciel esteve hoje (25) no Centro de Correição da Polícia Militar, em Porto velho, e ouviu o cabo Gomes. O policial relatou ao parlamentar que o fato que levou a sua detenção ocorreu na sexta-feira á noite, quando o tenente PM De Lucas entrou no 2º BPM e em determinado momento questionou o subordinado por não haver feito o cumprimento obrigatório quando da presença do superior hierárquico.
“Houve um momento de distração e tentei explicar, mas fui incompreendido”, disse o policial. Recusando a aceitar as explicações, o oficial determinou a detenção do cabo Gomes, que foi transferido para Porto velho e está respondendo a Inquérito Policial Militar (IPM). Ainda durante conversa com Euclides, cabo Gomes disse que no dia de sua detenção estava de serviço, mesmo sentido forte dores na perna em decorrência de ferimento ocasionando por acidente de transito, há vários dias.
Para Euclides Maciel houve uma falta de bom senso do oficial ao reagir e aplicar com rigor o que determina o regulamento disciplinar da PM. “Acredito que houve falta de sensibilidade do tenente, que além de não aceitar as explicações usou da sua prerrogativa para intimidar e manter detido um profissional que incorpora as fileiras da PM do nosso Estado há mais de 22 anos”, enfatizou Maciel.
Euclides disse que não há motivos para aplicar esse tipo de punição, pois o oficial teria que ter maturidade e avaliar a situação. “Para termos o respeito dos nossos subordinados e até mesmo dos nossos superiores, seja na caserna, na vida pública ou privada, precisamos conquistar nosso espaço, entender o ser humano e respeita-lo, conhecer as suas dificuldades e limitações e contribuir para que a harmonia prevaleça no ambiente de trabalho”, explicou Euclides.
Fonte: RONDONIAGORA

Comentários

  1. Esses absurdos tem que acabar, essa policia Militar com esse Regulamento Das Trevas, e enquanto se discute uma continencia a violencia no Brasil só aumenta, brincadeira ainda existir Policia Militar nos dias de hoje.

    ResponderExcluir
  2. ISSO É MEDIEVAL. ACREDITE EM EVOLUÇÃO HUMANA...

    ResponderExcluir
  3. houve um exagero por parte desse oficial acredito até que ele naquele momento estivesse passando por algum problema particular e dai o cb foi a bola da vez para este descarregasse toda sua furia o que é lamentavel. O sr. deputado já esta investigando o caso e este oficial deve agora esta sendo odiado por todos os praças . o melhor que ele tem a fazer é pedir sua transferencia pra bem longe.

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente, ainda temos homens que insistem e persistem no autoritarismo, desprezando a sensibilidade, mostrando ser o "durão", com total falta de bom senso, reagem algumas vezes, até com excesso na aplicação da Lei. São arrogantes e prepotentes.afastam de si os que compõem as fileiras da Corporação, como também a Sociedade e até uma Comunidade inteira, fazendo com que estas tenham aversão a nossa gloriosa Polícia Militar. Falo isso pela necessidade de desabafo, pois me senti tratado, como Cidadão Itapetiningano/Sp, por um Capitão, posteriormente, descobri se tratar do Cap. Pm Valdemir, do 22º BPM/M, com autoritarismo,desprezo, arrogância, prepotência e ainda punido com os rigores da Lei. Cumprirei a punição honrosamente. Por isso, sou solidário ao Cb Gomes que fez bem em procurar o Dep. Euclides, devo parabenizar o nobre Deputado por abraçar essa causa, pois, Oficiais como o Ten.PM De Lucas e o Cap. PM Valdemir deveriam voltar a Academia para aprender a ter o respeito, não só dos integrantes da PM, como também da sociedade num todo, e não em imposição de sua patente como costumam fazer. Na Escola de Formação aprende que é um por todos e todos por um e não um ferrando todos e todos pouco se lixando. Tks por este espaço.

    ResponderExcluir
  5. isso e a realidade do dispreparo e da falta de bom senso desa oficial que se aproveita de um regulamento antigo utrapassado arbitrario para de maneira (legal)contranger,humilhar,disacreditar,maginalizar,tortura piscicolojicamente um profisional que a 22 anos deu sua vida para defender a sociedade de rondonia ou do brasil.ASEDIO MORAL E CRIME!.esta na hora de rever este regulamento utrapassado.

    ResponderExcluir
  6. ESPERAR OQUE SE O RDPM NÃO PASSA DE UM ARTIGO ELABORADO PELA DITADURA; ENQUANTOS OS CIVIS ACHAM QUE VIVEM NUMA PLENA DEMOCRACIA NÓS OS MEGAS SOMOS REGIDOS PELO SISTEM NAZISTA.

    ResponderExcluir
  7. MANDA ESSE TENENTE TOMAR VERGONHA NA CARA, E TRATAR O SER HUMANO COM RESPEITO E DIGNIDADE, E NÃO COM OPRESSÃO; PENSA ELE QUE NUNCA VAI PRECISAR DE NINGUÉM; DEUS VAI RECOMPENSA-LO SEGUNDO AS SUAS OBRAS, ESTÁ NA BÍBLIA, E ISSO NINGUÉM MUDA; A JUSTIÇA DE DEUS É RETA, E NÃO SE MISTURA COM NADA; CREIA NISSO CB GOMES; SOU OFICIAL TAMBÉM E SEMPRE RESPEITEI MEUS SUBORDINADOS E SUPERIORES DIGNAMENTE, E NÃO ACEITO ESSE TIPO DE PROCEDIMENTO. UM FORTE ABRAÇO.

    ResponderExcluir
  8. nesse caso seria apenas uma punição disciplinar e não detenção e transferência, usar o RDPM e o Cb PM teria o direito de se defender, isso é abuso de poder, usado frequentemente pelos SUPERIORES, regulamento arcaico, já passou da hora de acabar com o militarismo nas PM, MUDAR O NOME, POLÍCIA NADA TEM HAVER COM MILITARISMO, ISSO É PASSADO, TEM QUE ACABAR, O REGULAMENTO TEM QUE SER CIVIL, MILITARISMO É PARA AS FORÇAS ARMADAS, O DIA QUE DEREM SALÁRIOS DIGNOS E ACABAREM COM O MILITARISMO ESSE PAIS TERÁ DE FATO SEGURANÇA PÚBLICA, DESSE JEITO VAI CONTINUAR A PORCARIA QUE ESTA, E TAMBÉM A REFORMA DO CÓDIGO PENAL BRASILEIRO, FORA ISSO É PURA ENGANAÇÃO, É SÓ MORDOMIAS PARA OS OFICIAIS, SÓ DINHEIRO PÚBLICO JOGADO FORA, POLICIAL TEM QUE ESTAR NAS RUAS DE CABO A RABO COMBATENDO A CRIMINALIDADE, ACABAR COM QUARTEIS NAS PM QUE SÃO COLONIAS DE FÉRIAS DE OFICIAIS E PUCHA SACOS.

    ResponderExcluir
  9. isso não pode ocorrer pois, nunca deixei de Continência, mas para Companheiros sempre por consideração e outros...... foi por OBRIGAÇÃO.

    ResponderExcluir
  10. Não sei o que aconteceu, mas falta de continência é transgressão disciplinar, e não crime militar. O IPM só é instaurado quando ocorre crime, no caso da falta de continência, o que deveria ser instaurado, é um PD, ou seja, o Cb PM seria comunicado, e sofreria sanção disciplinar.

    ResponderExcluir
  11. Não sei o que aconteceu, mas falta de continência é transgressão disciplinar, e não crime militar. O IPM só é instaurado quando ocorre crime, no caso da falta de continência, o que deveria ser instaurado, é um PD, ou seja, o Cb PM seria comunicado, e sofreria sanção disciplinar.

    ResponderExcluir
  12. LAMENTÁVEL: CB PM DISTRAÍDO ( MILITAR NÃO PODE SER DISTRAÍDO) COCHILOU O CAXIMBO CAI MESMO.
    O TEN PM ´POR SUA VEZ EXTRAPOLOU E PASSOU POR CIMA DO QUE É DE DEVER ( APENAS UMA COMUNICAÇÃO E FIM DE PAPO)
    RESUMINDO OS DOIS TRANSGREDIRAM.

    ResponderExcluir
  13. Infelismente o pesamento de muitos é corporativista, deixamos de dar atenção a pequenas coisas e logo elas deixam de existir. Antigamente se um individuo urinava na rua ele era conduzido a uma delegacia por conduta inconveniente ou ato absceno, infelismente hoje ninguem mais liga se o individuo urina na rua, tornou-se algo "normal" e uma conduta que era considerada grave, como fumar maconha, passa a ser considerada uma pequena transgressão, que nem punida é mais, quem sabe no futuro o crime de furto passe a ser considerado pela sociedade algo pequeno e sem importancia. No meio militar a punição pela falta de uma continencia pode ser encarado por muitos um absurdo, mas são corrigindo as pequenas infrações que impedimemos que as "grandes" alterações aconteçam, essa é a ideologia da Tolerancia Zero, aplicada pelo Departamento de Polícia de Nova York.

    ResponderExcluir
  14. Deputado Euclides Maciel, agora o senhor sabe por que deve acabar com o militarismo entre as policias militares estaduais. Nas policias militares tem oficiais ridículos, idiotas, asquerosos, eles acham que só por serem oficiais, eles são os donos da policia, que praças são lixos. Dai a necessidade de todos os oficiais ao ingressarem na PM terem cursos superiores, por que eles pegam qualquer imbecil e pelo simples fato de se ostentar uma estrela no ombro acha que pode fazer o que quiser até mesmo prender ou cercear a liberdade de um PM pai de família só por que não prestou uma continência. Embora a continência seja um sinal de respeito ou uma saudação militar, mas, em determinado momento por motivo de distração ou em razão do serviço pode acontecer de não ser feita, basta que o superior tenha um pouco bom senso e o oficial em questão não teve o bom senso que deveria ter. A culpa é desse regulamento arcaico e obsoleto que infelizmente o PM esta subordinado. Na policia civil não se vê isso entre eles ha respeito e companheirismo. Muitos oficiais só são machões dentro dos quartéis, por que nas ruas muitos são uns verdadeiros borra botas. Fim do militarismo já...

    ResponderExcluir
  15. Dependendo do crime hoje em dia, o criminoso nem fica preso, paga fiança, cesta básica, serviços comunitários, e estou falando de crime. Mas nós militares ficamos presos por não prestar continência que certamente foi um vacilo do praça. E assim sobrevivemos com esse RD arcaico.

    ResponderExcluir
  16. Esse é o RDPM o Rquero dos oficias, um regulamento arcaico...do tempo da DITADURA tem que acabar...

    ResponderExcluir
  17. SE NO BRASIL REALMENTE HOUVESSE O CUMPRIMENTO DAS LEÍS,ESTE IMBECÍL TEN DEVERIA ESTAR PRESO E PAGANDO UMA BOA IDENIZAÇÃO AO CABO PM. COISAS ASSIM LEMBRAM NÃO MAIS A DITADURA,MAIS ABUSOS E CRIMES COMETIDOS CONTRA UM CIDADÃO TRABALHADOR...

    ResponderExcluir
  18. oficial se acha deus...tanto e que tem um monte morrendo de cancer,e outras doenças etccc..nao sao deuses porque nao vivem eternamente

    ResponderExcluir
  19. Esse oficial precisa é de uma boa peia, pra deixar de ser arrogante.

    ResponderExcluir
  20. Se o Cb foi preso apenas pelo fato de não ter prestado a continência regulamentar (e obrigatória), o tenente cometeu o crime de abuso de autoridade. Mas, fica a pergunta: Será que foi só a continência?

    ResponderExcluir
  21. TEMOS QUE ATENTAR A ALGUM ANTECEDENTES ENTRE OS DOIS MILITARES, A HIERARQUIA E A DISCIPLINA TEM QUE EXISTIR,PODE SER ABUSO DO OFICIAL OU INSUBORDINAÇÃO DO CB, COMO DISSE VER A RELAÇAO OPERACIONAL DOS DOIS..

    ResponderExcluir
  22. TEM MUITO OFICIAL NA SOMBRA POR AI, NÃO SABE TRABALHAR, SE DEFENDE COM PUNIÇÕES A PRAÇAS, VESTE A FARDA PARA SE ESCONDER...HIPOCRESIA.., MAS ESTE CB DEU MOLE.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …