Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Prefeita é contrariada e discute com a Polícia Militar



A prefeita Dárcy Vera (PSD) travou ontem uma discussão com o comandante da CPI-3 (Comando de Policiamento do Interior), coronel José Roberto Malaspina, em torno da instalação de uma base policial no Ribeirão Verde, zona Leste de Ribeirão Preto.
A troca de farpas ocorreu durante reunião organizada pela prefeita com comerciantes e a PM no Palácio Rio Branco. Os moradores do Ribeirão Verde reclamam do aumento da incidência de crimes como assaltos.
Malaspina rejeitou a possibilidade de manter um policial militar fazendo atendimento dentro de um prédio.
Segundo ele, a estratégia da corporação para melhorar a segurança pública é colocar mais policiais na rua. "Hoje não se faz prevenção de dentro de quatro paredes. A estratégia é reduzir imóveis ocupados para colocar essas pessoas na prestação de serviços ao cidadão", disse o coronel.
Ele explica que a distribuição de efetivo e viaturas ocorre por critérios técnicos, como número populacional, e particularidades da região, como presença de presídios. A prefeita rebateu: "A morte não é técnica. O assalto não é técnico. O ladrão não vai dizer que está assaltando tecnicamente".
Ao discordar de Malaspina, a prefeita até levantou a hipótese de a não instalação da base policial envolver decisão política. "Eu louvo a iniciativa da comunidade de vir aqui gritar. Estão de parabéns. Mas eu preciso ter responsabilidade nas decisões que vou tomar", afirmou o coronel, que procurou manter a calma.
Dárcy autoriza base
Durante o encontro, a prefeita autorizou o superintente da Guarda Civil Municipal, André Tavares, a alugar um imóvel para a instalação de uma base. A administração municipal também oferecerá a mobília e um sistema de comunicação entre os policiais apenas no local.
"Nós vamos chamar a Polícia Militar para inaugurar. Se eles não quiserem colocar a marca [da PM], a gente põe. Eles que arranquem da parede", disse a prefeita. Dárcy disse achar um absurdo conceder a estrutura e a corporação não querer firmar a parceria.
Empresa é contratada para concurso de GM
Em meio ao bate-boca, a prefeita Dárcy Vera (PSD) anunciou a realização de concurso público para contratação de mais guardas municipais. O extrato de contratação da Cetro Concursos Públicos foi publicado ontem no Diário Oficial do Município (DOM).
Segundo o extrato, o concurso público é organizado para provimento de cargos de guardas civis municipais de segunda classe, de ambos os sexos. A Guarda Civil Municipal está isenta de qualquer pagamento à empresa, sendo de sua responsabilidade somente as despesas decorrentes com a publicação de edital convocatório na imprensa oficial.
A Cetro está autorizada a cobrar diretamente a inscrição de cada candidato, no valor de R$ 35. (A Cidade).

Comentários

  1. Prezados companheiros,

    O Coronel Malaspina não precisa de defensor, nesse caso, mas sobeja o despreparo de alguns governantes, especialmente como essa prefeita, ao exigir em público, providência administrativa da PM sem atentar às razões técnicas e práticas da inconveniência de se imobilizar policiais, quando o sistema de patrulhas já está consagrado como de maior abrangência e eficiência.
    São os "donos de cidades" que tornam o exercício do poder de polícia de segurança pública mais gravosos para policiais e, em última instância, para a própria comunidade.
    Sem lembrar que as GM não têm esse poder de polícia de segurança pública, mas tão-só o de segurança primária, na proteção de bens , serviços e intalações municipais e, por óbvio, de proteção às pessoas. As GM concorrem ilegalmente com a PM exercendo atividade que constitucionalmente não lhes cabe. Se fizessem sua parte, executando a segurança primária que lhes cabe, combatendo as pequenas infrações posturais, protegendo as escolas, postos de saúde, combate ao uso do cerol, repartições públicas municipais e logradouros de grande movimentação de pessoas restaria, pela sua presença nesses locais que inibiria essas pequenas infrações, a atuação das polícias às infraçãoes mais gravosas.
    O que ocorre é desperdício de recursos municipais com as GM tentando ser o que legalmente não lhes é permitido.

    Paulo Roberto

    ResponderExcluir
  2. Cel PM Malaspina está de parabéns, por não ceder aos caprichos desta "SENHORA", ladrão não age com técnica obviamente, mas aqueles que tem responsabilidades com a segurança
    pública esses sim..., chega de ingerências politicas de pessoas oportunistas como esta prefeita que não entende nada de seg. pública e quer fazer média..., quem devem optar na questão de segurança é quem estudou e tem experiência para isto, o Cel PM Malaspina com certeza não irá pitaquiar (acabei de inventar) nas questões da administração da Prefeita, cada um no seu quadrado...

    ResponderExcluir
  3. Realmente os políticos não sabem nada de segurança pública, deveriam se preocupar a continuar a saquear os cofres públicos, isto sim sabem fazer que ninguém. Parabéns ao Coronel por não ceder aos caprichos dos corruptos e incompetentes de plantão.

    ResponderExcluir
  4. Multo bem cmt noa e o que ela quer nao

    ResponderExcluir
  5. Muito bom comandante.... não devemos ter uma conduta subserviente que vá consoante aos anseios politiqueiros de pessoas nefastas... Polícia é assunto de Polícia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.


| Mais Acessados na Última Semana |

AFAM: NOVIDADES SOBRE AÇÃO JUDICIAL DA INCORPORAÇÃO DE 100% DO ALE NOS VENCIMENTOS DOS POLICIAIS E BOMBEIROS DE SÃO PAULO

Agora já são em número de 05 as Câmaras de Direito Público a adotar esse entendimento. Novas e recentes decisões do Tribunal de Justiça de São Paulo, em Mandados de Segurança individuais, têm confirmado o entendimento de que a incorporação total do ALE ao Salário-Base (Padrão) é direito de todos os policiais militares. Em Acórdão de 11 de março de 2013, relativo à Apelação/Reexame Necessário nº. 0029083-82.2012.8.26.0053, assim se manifestou a 6 ª. Câmara de Direito Público do TJ/SP: “Assim, no caso do impetrante, policial em atividade, quinquênios, sexta-parte e RETP incidem sobre as vantagens efetivamente incorporadas, dentre as quais, a partir da LC nº 1.114/10, o ALE”.... http://www.afam.com.br/
Veja abaixo todas as novidades:






Com filho no colo, PM de folga reage a assalto e mata ladrões em farmácia; vídeo

Segundo informações em boletim de ocorrência, assaltante chegou a apontar arma para policial que segurava a criança. Dupla não resistiu aos ferimentos e morreu no local.
Um policial militar de folga matou dois ladrões que tentaram assaltar uma farmácia no Jardim Paulista, em Campo Limpo Paulista (SP), na noite de sábado (18). O policial estava na farmácia com a mulher e com o filho pequeno no colo, quando os criminosos – um deles armado – entraram e anunciaram o assalto (veja no vídeo acima). De acordo com o boletim de ocorrência, logo que entrou na farmácia, um dos suspeitos apontou a arma em direção ao policial militar com a criança no colo. Na hora, o PM se identificou, sacou o revólver e deu ordem de prisão para os criminosos. No entanto, o suspeito passou a atirar contra o policial que, mesmo com o filho no colo, revidou os disparos, matando o ladrão armado e também o comparsa – que já havia rendido o gerente da farmácia, ainda segundo o boletim de ocorrência.A perícia técnica f…

Ministro Dias Toffoli recebe ACS e advocacia Pereira Martins no STF

No dia 16/11/2017, o Ministro Dias Toffoli recebeu em seu gabinete no Supremo Tribunal Federal (STF) o vice-presidente e o diretor Jurídico da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo (ACSPMESP), respectivamente Antonio Carlos do Amaral Duca e Marcelo A. Camargo, acompanhados do Dr. Eliezer Pereira Martinspara despacho que versou sobre o recurso extraordinário com repercussão geral 565089 –indenização pelo não encaminhamento de projeto de Lei de reajuste anual dos vencimentos dos servidores públicos (Tema 19 de repercussão geral – mora do Executivo – Art. 37, X da Constituição Federal). Na oportunidade, argumentou-se com o Ministro a peculiar condição de vulnerabilidade dos agentes públicos que são privados do direito à sindicalização e à greve, a exemplo dos policiais militares, destituídos que são de mecanismos de proteção legal em face de políticas governamentais de omissão em relação à reposição da inflação e os efeitos nefastos da corrosão do pod…

REVOLTA DA ASSOCIAÇÃO DOS CABOS E SOLDADOS DA PMESP COM GOVERNO ALCKMIN

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Estado de São Paulo luta contra uma mentira da Procuradoria Geral do Estado; e, infelizmente, endossada pelo Governador do Estado. Ocorre que a Procuradoria, por meio da suspensão da Tutela Antecipada nº 678 junto ao Supremo Tribunal Federal fez constar em sua petição o valor aproximado de R$ 1,5 bilhão. Em síntese, disse ao Presidente do STF, Exmo. Senhor Ministro Ayres Britto que o custo criaria uma lesão ao erário público, assim, permitiu suprimir verbas alimentares de Policiais Militares. Neste sentido, passamos a conhecer melhor o Governo Geraldo Alckmin.
O Governo do Estado tinha conhecimento que o Policial Militar recebia o recálculo retroativo a novembro de 2010 por intermédio de uma ação judicial; e que nunca se tratou de uma tutela antecipada mas sim, de cumprimento provisório de sentença, iniciado após o Tribunal de Justiça de São Paulo, na 2ª Instância, ter garantido a fórmula correta de cálculo da verba aos Policiais…

Policial civil é encontrada morta dentro de casa e com sinais de violência em Sorocaba

Corpo foi achado em imóvel no Jardim Novo Horizonte, na Zona Norte da cidade. Polícia trata o caso como homicídio, que será investigado. Uma policial civil foi encontrada morta dentro da casa, na manhã desta quinta-feira (16), no bairro Jardim Novo Horizonte, na Zona Norte de Sorocaba (SP). Esmarlei Demétrio da Silva tinha 56 anos, completados na terça-feira (14). Segundo informações da Polícia Civil, o corpo da vítima, que trabalhava no 4º Distrito policial de Sorocaba, foi encontrado com sinais de violência. O caso será tratado pela polícia como homicídio. Não há informações sobre suspeitos e a motivação do crime. Fonte: G1