Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

Balas que mataram dois jovens são de arma da PM

"Laudo da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) revelou que projéteis vieram de arma do Ronda do Quarteirão. Quatro policiais envolvidos na ocorrência foram submetidos a Conselho de Disciplina
Foi uma vitória, pois, para mim, essa era a parte mais difícil: se seria divulgado como tudo realmente aconteceu”, resumiu a dona de casa Sandra Sales, 37, mãe de uma das vítimas de um tiroteio ocorrido no bairro Ellery no fim do mês passado. A mãe se referia ao resultado do exame balístico divulgado ontem pela Perícia Forense do Ceará (Pefoce), que apontou que os disparos que mataram dois jovens saíram de uma arma pertencente ao Ronda do Quarteirão.
Na ocasião, morreram Ingridy Maiara Oliveira de Lima, 18, e Igor Andrade de Lima, 16. O caso ocorreu na madrugada de 27 de janeiro, no Pré-Carnaval do bairro Ellery, na praça matriz. Mãe de Ingridy, Sandra diz que estava “incansável” e diariamente entrava em contato com a Polícia para ter respostas para o caso.
“A gente (família) vai entrar com processo criminal contra eles (policiais). Quero que sejam julgados por crime duplamente qualificado. A Polícia tem que defender, resguardar a vida, e não tirar”, asseverou Sandra. A mãe de Igor, Rilene Silva de Andrade, conta que também estuda uma medida judicial. “Eu só quero Justiça, pois sei que Deus não vai trazer meu filho de volta”, diz.
O comandante geral da Polícia Militar do Ceará, coronel Werisleik Pontes Matias, detalha que o laudo da Pefoce aponta que os tiros que vitimaram os jovens foram disparados de uma única arma. “Pelo registro da Polícia Militar, a arma estava atrelada a uma policial feminina”, revela o comandante da PM. Segundo ele, os quatro policiais envolvidos na ocorrência estão respondendo a processo administrativo disciplinar na Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD). Além disso, foram instaurados inquéritos na Policias Civil e Militar, conforme o coronel.
De acordo com Boletim do Comando Geral (BCG) da Polícia Militar publicado na última terça-feira, os quatro policiais do Ronda do Quarteirão envolvidos no tiroteio foram submetidos a Conselho de Disciplina e poderão ser expulsos da corporação. Segundo o boletim, serão apuradas possíveis transgressões e a suposta “incapacidade moral de permanecer nos quadros da Polícia Militar do Estado do Ceará”. A CGD designou uma comissão de três policiais militares para acompanhar o caso.
Por determinação da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), logo após o incidente, os quatro policiais militares foram afastados das funções e tiveram as armas recolhidas.
Tiroteio
Segundo testemunhas que estavam no Pré-Carnaval, o confronto começou quando os policiais pediram para que o proprietário de um automóvel baixasse o volume de um “paredão” de som. O pedido teria sido negado e as pessoas que estavam no local começaram a atirar objetos nos policiais, que teriam reagido. Durante o tumulto, além de Igor e Ingridy, outras duas pessoas foram baleadas. A jovem foi alvejada na nuca e nas costas, morrendo no local. Ferido na cabeça, Igor ainda permaneceu internado no Instituto Doutor José Frota (IJF), mas não resistiu.
ENTENDA A NOTÍCIA
Jovens foram mortos na praça matriz do Bairro Ellery, durante o Pré-Carnaval,após confusão envolvendo um “paredão” de som. Laudo da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) revelou que projéteis são de arma de uma policial. (O povo online).


Comentários

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …