Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

Haddad e Alckmin fecharam protocolo de intenções para reforço em ação. Município vai ampliar convênio que permite pagar hora extra e usar PMs.

SP terá fiscalização conjunta entre bombeiros e fiscais, diz Prefeitura
Haddad e Alckmin fecharam protocolo de intenções para reforço em ação.
Município vai ampliar convênio que permite pagar hora extra e usar PMs.
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o prefeito da capital paulista, Fernando Haddad (PT), firmaram acordo nesta quinta-feira (31) para que bombeiros atuem em conjunto com agentes do município na fiscalização de casas noturnas.
A ação faz parte das medidas de intensificação nas vistorias após o incêndio que matou mais de 230 pessoas em uma boate em Santa Maria (RS).
Segundo governo e prefeitura, o uso de bombeiros na fiscalização na capital será feita com a ampliação da Operação Delegada, convênio pelo qual a Prefeitura paga pelo serviços de policiais militares em período de folga para garantir o cumprimento de leis municipais. A oficialização do novo formato da Operação Delegada deve ocorrer em até 15 dias.
O governador Geraldo Alckmin já havia anunciado na terça-feira (29) a "Operação Prevenção Máxima", que prevê vistoria dos bombeiros em todas as cidades do estado.
Ainda nesta tarde, o secretário de Segurança Urbana, Roberto Porto, e o secretário adjunto da Segurança Pública do Estado de São Paulo, Jair Burgue Manzano, se reunirão para definir como será a cooperação entre município e estado.
Na quarta (30), após encontro com empresários, Haddad já tinha adiantado que havia feito consulta ao governador sobre a possibilidade de usar policiais militares no reforço da fiscalização na cidade. Atualmente, 3,6 mil PMs atuam no combate ao comércio ilegal, fiscalização de área de mananciais e apoio ao Samu.
Foco na segurança
Nesta manhã, o prefeito ressaltou que o foco dessa nova fase na vistoria de boates em São Paulo é a segurança. "A Operação Delegada vai mudar porque não vai ficar restrita à delegação de uma atividade. O foco desse novo convênio são os locais de reunião", disse Haddad.
Segundo ele, casas que estiverem em processo de regularização não serão fechadas. Atualmente, de acordo a Prefeitura, 600 casas noturnas não têm alvará e estão com os processos de licenciamento em tramitação.
Ainda não foi determinado o total de bombeiros usados no reforço da fiscalização. “Nós vamos empenhar não só o efetivo que já atua na atividade técnica, mas também as guarnições de atendimento operacional”, disse o comandante interino do Corpo de Bombeiros Erick Colla.
Segundo ele, equipes ociosas no período noturno devem ser utilizadas na função, já que as atividades das casas são concentradas à noite.  De acordo com os bombeiros, outros estabelecimentos que reúnem grande público, como teatros e cinemas, também serão vistoriados.
Sem balanço das vistorias
Os bombeiros afirmam já realizar em todo o estado, desde quarta-feira (30), uma força-tarefa para reavaliar se os estabelecimentos cumprem o determinado nos autos de vistoria. A corporação diz que serão vistoriadas 5,2 mil casas noturnas no estado e 230 na capital paulista.
Na quarta-feira, foram vistoriadas 300 casas no estado e 39 na capital. Até por volta das 12h desta quinta, não foi divulgado balanço das fiscalizações.
De acordo com o capitão Marcos Palumbo, chefe da Comunicação Social do Corpo de Bombeiros, há diferença entre as vistorias da “Operação Prevenção Máxima”, do governo estadual, e a fiscalização conjunta com a Prefeitura. Segundo ele, operação estadual é um trabalho de orientação aos proprietários de estabelecimentos.
Ele explica que os bombeiros não têm obrigação legal de vistoriar os estabelecimentos a não ser quando solicitados pelo responsável para realização de uma vistoria. “A legislação não nos obriga a vistoriar sem que seja solicitado, mas nós temos uma missão legal pela ação preventiva.”
Com a nova parceria entre os governos estadual e municipal, os bombeiros poderão entrar nos estabelecimentos mesmo que os proprietários queiram impedir a fiscalização, já que os fiscais e técnicos da prefeitura têm poder legal para isso. (G1).

Comentários

  1. HOJE O FOCO SÃO CASAS NOTURNAS, MAS SERÁ QUE SÓ NELES A O PERIGO DE EXTERMINIO EM MASSA DE PESSOAS INOCENTES??? ANDANDO NO CENTRO DE SÃO PAULO, ANDANDO PELAS RUAS PERCEBEMOS QUANTOS SHOPPINGS POPULARES, PREDIDOS COMERCIAIS E RESIDENCIAS, PRÉDIOS PUBLICOS QUE ACREDITO SE FOREM FISCALIZADOS SERÃO TODOS INTERDITADOS??? ASSIM É TODA AÇÃO DO ESTADO E DA PREFEITURA, EM GERAL NO BRASIL, ESPERA ACONTECER PARA DEPOIS ANUNCIAR UMA MEDIDA SALVADORA E INOVADORA, POIS O PROBLEMA NÃO É ATACADA EM SUA RAÍZ, NA CORRUPÇÃO E PRINCIPALMENTE NA RESPONSABILIZAÇÃO DE QUEM TEM O DEVER DE FISCALIZAR E NÃO FISCALIZA, DE QUEM VISTORIA E DE APROVOU. MAS É COMO ACONTECE COM O SEGURO DAS FAMILIAS DE POLICIAIS MILITARES QUE ESTÃO ESPERANDO ATÉ HOJE PARA RECEBER E ACREDITE NUNCA IRÃO,POIS CRIARAM EMPECILIOS E FALARAM QUE OS MORTOS DERAM MOTIVO PARA MORRER, ISSO ACONTECE AQUI E NO SUL, É SÓ ACOMPANHAR O RACIOCINIO ILOGICO DE NOSSOS POLITICOS E PSEUDO TECNICOS. A CULPA É DE QUEM MORRE E NÃO DE QUEM TEM O DEVER PARA PREVENIR. E ASSIM É E SEMPRE SERÁ!!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …