Pular para o conteúdo principal

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Aumento recente de homicídios e os assassinatos de PMs provocaram desentendimentos entre o governo federal e o governo paulista.

Dez assassinatos foram registrados nesta quarta-feira (31), em São Paulo, em meio a uma guerra de versões sobre a ajuda do governo federal à área de segurança do estado. Na busca dos envolvidos nas mortes de PMs, a polícia descobriu uma refinaria de drogas.
120 policiais entraram na Favela São Remo, na Zona Oeste, à procura de sete homens. Eles são suspeitos de matar um PM em setembro. O único preso é Antonio Pereira Soares.
A polícia também encontrou uma refinaria de drogas, com passagem secreta para o ponto de venda, no muro que dá acesso à Universidade de São Paulo. O chefe do tráfico fugiu, mas deixou para trás uma casa, simples por fora, mas sofisticada por dentro.
“Embora ele resida em uma comunidade simples, é cercado por objetos de luxo, eletrodomésticos, residência com banheira, sistema de gás encanado, veículos de luxo”, enumera o major Marcelo Gonzales.
Também houve uma ação contra o tráfico na Favela Funerária, Zona Norte. Há três dias a polícia permanece em Paraisópolis, de onde teria partido a ordem para executar policiais militares. Só nessa semana, mais de uma tonelada de drogas foi apreendida.
“Isso causa sim, de alguma forma, um desconforto no crime organizado. Em qualquer unidade de crime organizado”, afirma o diretor do Departamento de Narcóticos, Wagner Giudice.
As mortes não param. Entre terça (30) e esta quarta (31) mais dez pessoas foram assassinadas na Grande São Paulo. Uma delas foi Josué Manoel do Nascimento, um garçom que chegava do trabalho.
“Confundiram ele com policial, porque ele não tinha nada de inimigo mesmo, inimigo nenhum, uma pessoa super tranquila, uma pessoa do bem, sabe? Super família”, opina uma mulher.
O aumento recente do número de homicídios na Grande São Paulo e os assassinatos de PMs provocaram desentendimentos entre o governo federal e o governo paulista. Brasília oferece parcerias em um plano de inteligência contra o crime.
“Foi em junho deste ano quando procurei o secretário, não para uma visita de cortesia, mas para apresentar a ele dados do serviço de inteligência da Polícia Federal que levavam a nossa preocupação em relação ao que estria acontecendo em São Paulo. O estado de São Paulo disse que não seria necessário porque o que acontecia em São Paulo era fruto de uma glamorização da imprensa”, diz o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.
Em ofício para o Ministério da Justiça, de 29 de junho de 2012, o governo de São Paulo pede quase R$ 149 milhões em recursos para investimento em segurança, divididos em equipamentos, como scaners, rádios, veículos blindados, entre outros. Até aparelhos de ginástica.
Nessa terça o Ministério da Justiça enviou o ofício para o governo de São Paulo em que nega o pedido e afirma que o governo federal não pode ser um mero fornecedor de recursos para despesas ordinárias dos órgãos de segurança do Estado. Ainda oferece ajuda das forças federais para desenvolver ações a partir de um plano pré-definido, fundado no compartilhamento de informações na área de inteligência policial. Bota a disposição também, vagas nos presídios federais de segurança máxima para abrigar líderes de organizações criminosas.
O secretário de Segurança, Antonio Ferreira Pinto, nega que tenha recebido oferta de ajuda do governo federal:
“Se houvesse já teríamos aceitado antes. Ajuda na área de informação e inteligência nós nunca prescindimos. Nós não podemos falar em ajuda dando vagas em presídios federais, nós somos autosuficientes em São Paulo com relação a presos da facção criminosa que estão contidos em penitenciária”.
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse nesta quarta que aceita a ajuda federal.
“Quero deixar muito claro que toda ajuda é muito bem-vinda. Nós temos um bom trabalho de integração com a polícia federal”, afirmou.
Entre os dez assassinados nesta quarta em São Paulo, três eram moradores de rua. Segundo o secretário de Segurança, uma lista apreendida em uma favela inclui os nomes de dez policiais que supostamente estariam jurados de morte pelos bandidos.

VEJA A MATÉRIA EM VÍDEO, ACESSE O LINK: http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2012/10/sp-registra-10-mortes-em-meio-guerra-de-versoes-sobre-ajuda-federal.html

Comentários

| Mais Acessados na Última Semana |

ROTA invade tribunal e resgata ex-presidiário

Sim, o título acima está correto. Numa incrível operação relâmpago, PMs de ROTA impedem que tribunal do crime assassine um ex-presidiário

A ROTA está nas ruas 24 horas por dia, todos os dias, o ano inteiro. Seu efetivo é dividido em três Companhias: Noturna, Matutina e Vespertina. Esta matéria relata uma incrível ocorrência de resgate conduzida pelo Pelotão do Tenente PM Soares, que patrulhava a Zona Leste de São Paulo às 21:40 nesta segunda-feira, dia 14. “O despacho do Policiamento de Choque do COPOM nos informou que uma pessoa estava sendo torturada na favela Eliane, numa casa com detalhes verdes no seu portão, localizada na rua Esperança. Pelas particularidades que nos foram relatadas, estava claro que a ocorrência envolvia a ação de um ‘tribunal do crime’ provavelmente comandado pelo PCC. Imediatamente acionei meu Pelotão”, relata o Tenente de ROTA Soares. O nome dessa rua, 'Esperança', não podia ser menos adequado em função do cenário que os PMs iriam encontrar em poucos…

Para "comemorar aniversário", PCC planeja matar juiz, procurador, delegado e agentes

dia 31 de agosto, data em que a facção criminosa faz aniversário de 24 anos. O PCC (Primeiro Comando da Capital) planeja matar um juiz federal, um procurador da República, um delegado federal e pelo menos quatro agentes penitenciários de Porto Velho (RO) até o
A maior facção criminosa do país já matou três agentes penitenciários federais, entre setembro de 2016 e maio deste ano, de acordo com investigações da PF (Polícia Federal). Para executar os atentados, o PCC criou células de inteligência que, entre outras ações, monitoram a rotina dos agentes públicos escolhidos como alvos.
A informação sobre a possibilidade de novos assassinatos consta em ofício assinado pelo diretor do presídio federal de Porto Velho, Cristiano Tavares Torquato, a cujo conteúdo o UOL teve acesso com exclusividade. O documento foi encaminhado no último dia 17 de agosto ao superintendente regional da Polícia Federal de Rondônia, Araquém Alencar Tavares de Lima. A reportagem confirmou a veracidad…

Polícia Civil decide hoje se cruza os braços a partir de amanhã

Executivo local reforça que, neste ano, não tem dinheiro para pagar o reajuste salarial pleiteado pelos agentes.Policiais civis podem entrar em greve ou interromper serviços essenciais para a população a partir de amanhã. Em uma assembleia com indicativo de greve, marcada para as 14h de hoje, a categoria deve decidir o que fazer para pressionar o governo a conceder o reajuste salarial pleiteado desde o ano passado. Eles reivindicam a manutenção da paridade salarial com a Polícia Federal, que conseguiu reajuste de 37% parcelado em três anos.

Na semana passada, policiais civis se reuniram com o chefe da Casa Civil, secretário Sérgio Sampaio; a secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos; o secretário interino de Fazenda, Wilson de Paula, além dos deputados distritais e agentes da Polícia Civil Wellington Luiz (PMDB) e Claudio Abrantes (sem partido) e o deputado federal Roney Nemer (PP-DF). O deputado distrital Wasny de Roure mandou representante.
Durante o encontro, o Exec…

Vaccarezza é preso em nova fase da Operação Lava Jato em São Paulo

Ex-deputado, que deixou o PT, foi líder dos governos Lula e Dilma. Segundo o MPF, ele recebeu a maior parte de um total de propina que soma US$ 500 mil. O ex-líder dos governos Lula e Dilma na Câmara dos Deputados Cândido Vaccarezza, que deixou o PT, foi preso nesta sexta-feira (18) em São Paulo. Ele é alvo da Operação Abate, uma das duas novas fases da Operação Lava Jato deflagradas nesta manhã. A prisão é temporária, válida por cinco dias. Por volta das 9h, Vaccarezza estava em casa sob custódia da PF. Ele deve seguir para Curitiba ainda nesta sexta. O G1 tenta contato com a defesa do ex-deputado, com PT e com as empresas citadas. Principais pontos das investigações Ações apuram o favorecimento de empresas estrangeiras em contratos com Petrobras. Operação Abate investiga fraudes no fornecimento de asfalto para a Petrobras por uma empresa norte-americana, entre 2010 e 2013. Funcionários da Petrobras, o PT e, principalmente, Cândido Vaccarezza teriam recebido propinas que somam US$ 5…

PM morre ao ser atingido por caminhonete e motorista alega ter comido bombom de licor em SP

Acidente ocorre na Rodovia Rio-Santos, em Bertioga, litoral paulista. Um policial militar aposentado morreu ao ser atingido por um veículo na Rodovia Rio-Santos, em Bertioga, no litoral de São Paulo, na noite de quarta-feira (17).  A vítima estava em uma motocicleta, que foi lançada para um matagal após a colisão. O acidente ocorreu no Km 206, segundo informações da Polícia Militar Rodoviária (PMR). O motociclista foi atingido por uma caminhonete, que seguia em sentido contrário. Ele foi lançado para as margens da rodovia e ficou gravemente ferido com o impacto.
Adilson Gonçalves Souza Cardoso, de 49 anos, foi socorrido às pressas para o Pronto-Socorro de Bertioga, mas morreu ao dar entrada na emergência da unidade de saúde. O condutor do carro que o atingiu, um homem de 36 anos, permaneceu no local do acidente após o ocorrido. Testemunhas disseram à polícia que flagraram o motorista realizando ultrapassagens na pista antes do acidente. Na caminhonete, os agentes localizaram garrafas e …