Pular para o conteúdo principal

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


PolíciaBR apóia:

Fim de semana violento na Grande SP

Pelo menos 42 pessoas foram baleadas e dessas 26 morreram
O fim de semana foi violento em várias regiões da capital e região metropolitana. Pelo menos 42 pessoas foram baleadas e dessas 26 morreram.
Pela quinta madrugada seguida, foram registrados vários assassinatos em São Paulo. Ao menos oito pessoas foram mortas a tiros e três ficaram feridas nas zonas leste, norte e sul de São Paulo. Nenhum suspeito pelos crimes foi preso.
No Pari, na região central, dois motoqueiros chegaram atirando em um bar. A esposa do proprietário, de 37 anos, levou um tiro no pé. Durante o tiroteio, um dos clientes também foi baleado no pé. Um terceiro homem, de 38 anos, foi atingido por três tiros. Nas costas, no peito e no ombro. Todos foram levados a um hospital da região e não correm risco de morte.
Segundo a polícia, um dos feridos já tem antecedentes por tráfico de drogas. Pessoas que estavam no bar contaram aos policiais que os suspeitos atiraram na direção dele. As outras duas pessoas foram baleadas por acaso. Testemunhas disseram que os motoqueiros usavam toucas ninja por baixo do capacete. A moto estavam sem placa.
Também na região central, no Glicério, pelo menos quatro pessoas que estavam em uma padaria foram baleadas. Os disparos partiram dos ocupantes de uma moto. Os feridos foram socorridos pela Polícia Militar, pela Guarda Civil e por populares.
No Brás, um homem foi encontrado caído na rua depois de levar um tiro. Mais uma vez o autor do disparo seria o garupa de uma moto.
Em uma praça no bairro Jardim João 23, na zona leste, um homem morreu e dois ficaram feridos depois de serem baleados. Um deles levou oito tiros e não resistiu. Os outros dois homens foram levados ao hospital e não correm risco de morte. Os suspeitos teriam usado uma moto para realizar os ataques.
Na mesma região, na Vila Formosa, foram quatro baleados. Policiais disseram que eles usavam drogas no momento que foram atingidos por motoqueiros. Todos foram socorridos em estado gravíssimo.
No bairro Aricanduva, um assalto que deu errado resultou na morte do suspeito. Segundo os policiais, ele e um comparsa tentaram roubar um carro, mas o motorista estava armado e atirou. Um dos bandidos foi atingido três vezes e morreu na hora. O outro homem escapou. O motorista que reagiu também fugiu do local.
Em São Mateus, três pessoas foram baleadas na rua Tita Rufo, em São Mateus, zona leste de São Paulo, durante esta madrugada (29). Segundo a Polícia Militar, eles estavam em frente ao um bar que já estava fechado quando um carro passou com pessoas atirando e fugiu. Duas pessoas ficaram gravemente feridas e foram socorridas nos hospitais da região. A terceira vítima não resistiu aos ferimentos e morreu.
Em Guarulhos, uma base da PM foi alvo de atiradores. Quatro homens em duas motos passaram atirando. Nenhum policial se feriu. Os suspeitos não foram encontrados.
As últimas horas de sexta-feira e o começo de sábado também foram violentos na capital e na região metropolitana. Já no fim da noite, a polícia fazia buscar por três suspeitos de cometer uma chacina em Carapicuíba. Pouco antes o carro onde eles estavam foi visto por moradores da região. O veículo parou em frente a um bar. Dois homens encapuzados desceram e abriram fogo.
No bar, estavam três clientes e um funcionário. Todos foram baleados. Pelos cartuchos e cápsulas encontrados no local, os suspeitos usaram duas armas, uma espingarda calibre 12 e uma pistola 380. Todos os feridos foram socorridos, mas morreram no hospital.
A família de um deles, de 24 anos, conta que o jovem era usuário de drogas. Outra vítima, de 32 anos, era vigilante. Segundo os familiares, tinha acabado de assumir a gerência do bar. Os outros mortos eram clientes do local.
Em Barueri, o cenário da violência foi uma praça onde um grupo de jovens conversava. Dois homens chegaram em um moto e o garupa sacou o revólver e atirou. Um jovem de 21 anos e uma adolescente de 17 anos morreram baleados. Uma jovem de 21 anos, também atingida, está internada.
Na zona leste de São Paulo, os disparos também partiram de motoqueiros. Quatro pessoas que estavam em frente a um bar e na casa ao lado foram baleadas. Segundo os policiais, não havia médicos no hospital para onde elas foram levadas e tiveram que ser transferidas. Dois dos feridos não resistiram e acabaram morrendo.
Há apenas 2km dali, mais duas pessoas morreram da mesma maneira, atingidas por ocupantes de uma moto que passaram atirando. Elas também estavam em frente a um bar.
Na mesma região, um homem foi encontrado morto por policiais em uma avenida.
Na zona oeste paulistana, um carro da PM foi alvejado por dois motoqueiros. Os policiais não se feriram e revidaram. Os autores dos disparos acabaram sendo perseguidos e presos.
O Secretário de Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto, diz que o governo do Estado tenta descobrir o motivo da recente onda de violência.
O crime é bem organizado. Nós temos interesses de prendê-los todos vivos para saber a causa, a motivação de todos eles.
Veja o vídeo:

Comentários

  1. QUE PIADA,O SECRETARIO TENTA DESCOBRIR A ONDA DE VIOLENCIA? ESTA FOI BOA MESMO,ALIAS A PIADA DO ANO,ACORADA POVÃO E SE ORGANIZEM PRA TROCAR ESTES CARAS QUE NADA ENTENDE DE SEGURANÇA PUBLICA

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião do site PolicialBR, elas obedecem os princípios da liberdade de expressão.

PolicialBR esta no Google Play | Instale nosso App em seu celular

Postagens mais visitadas deste blog

Banco Santander perde mais de 20 mil clientes em dois dias, após exposição pornográfica

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais.
Não demorou muito para as paginas oficiais do Banco receberem milhares de críticas  dos próprios clientes que decidiram encerrar suas contas no banco ao todo em péssima avaliação foram mais de 22 mil e a cada hora o numero aumenta. Uma das paginas chegou a retirar as avaliações para evitar que as pessoas vissem que o banco esta com péssima qualidade.
Veja os vídeos
Fonte Folha Online

Com 1 milhão da Lei Rouanet, Santander Cultural promove exposição violando Santidade de Jesus e incentivando pedofilia.

Santander investiu quase R$ 1 milhão com Lei Rouanet em exposição que faz apologia à pedofilia. Segundo o site do Ministério da Cultura, o banco Santander investiu quase 1 milhão de reais, usando os benefícios fiscais da Lei Rouanet, na criminosa exposição Queermuseu, sediada no prédio da fundação Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. Entre as ditas obras expostas no lugar, sob o pretexto da defesa dos direitos dos homossexuais, vê-se imagens que configuram os crimes de apologia à pedofilia e ultraje a fé cristã, como divulgada em várias páginas nas redes sociais. No link do site do Ministério da Cultura a seguir, você confere o processo de concessão do benefício fiscal da Lei Rouanet da grana que o Banco Santander usou para financiar a exposição, o que significa que a instituição financeira não recolheu impostos sobre esse valor: Veja aqui

Veja os vídeo sobre assunto:










Matéria atualizada em 13SET17 FOLHA DE SÃO PAULO Após protesto, mostra com temática LGBT em Porto Alegre é canc…

Tardia e justa promoção, 25 anos depois, PMs do que atuaram no Carandiru são promovidos por mérito.

Três réus pelo massacre trocaram de patente. Secretaria não explica critério. Vinte e cinco anos após o massacre do Carandiru, ocorrido em 2 de outubro de 1992, ao menos três policiais militares da ativa, réus pela chacina que resultou na morte de 111 detentos, tiveram suas últimas promoções por "merecimento".  Para trocar de patente — e consequentente ter um nível hierárquico mais alto e uma remuneração-base maior —, policiais militares podem ser promovidos por "merecimento" ou por "tempo de serviço". De acordo com o Diário Oficial do Estado de 15 de dezembro de 2016 — dois meses após serem anulados os quatro júris que condenaram 74 policiais pelo massacre —, Jair Aparecido Dias dos Santos foi promovido por merecimento de 1º sargento a subtenente. O policial é um dos 15 réus pela invasão do terceiro andar do Pavilhão 9 da Casa de Detenção. Oito presos foram mortos no andar. Um ano e meio antes, em 2015, quando a condenação ainda não havia sido revogada …