Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2012

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail as principais notícias

 


Concurso da PM: candidatos denunciam violação de provas

Um grupo de aproximadamente 30 candidatos, que deveria fazer provas do concurso da Polícia Militar de Alagoas na manhã deste domingo, 30, acabou na Central de Polícia, no bairro do Prado. Isso porque constataram uma possível violação no pacote de provas que seriam aplicadas na sala 227, do bloco A, da Faculdade de Tecnologia de Alagoas (FAT), no bairro da Serraria. Os candidatos afirmam que o equívoco na realização das provas começou com o descumprimento do horário estabelecido no edital do certame. “A prova que deveria começar às 8h, teve início somente às 8h25 porque a fiscal da sala decidiu dar um prazo maior de tolerância. Quando ela mostrou o pacote onde são guardadas as provas, observou que o lacre estava violado”, contaram os candidatos na porta da Central de Polícia. Após a constatação da violação, os candidatos contam que houve uma série de abusos. “Nós pedimos que a coordenadora do local mantivesse o pacote do jeito que foi encontrado para servir de prova, mas ela acabou viola…

Concurso da PM: candidatos denunciam violação de provas

Um grupo de aproximadamente 30 candidatos, que deveria fazer provas do concurso da Polícia Militar de Alagoas na manhã deste domingo, 30, acabou na Central de Polícia, no bairro do Prado. Isso porque constataram uma possível violação no pacote de provas que seriam aplicadas na sala 227, do bloco A, da Faculdade de Tecnologia de Alagoas (FAT), no bairro da Serraria. Os candidatos afirmam que o equívoco na realização das provas começou com o descumprimento do horário estabelecido no edital do certame. “A prova que deveria começar às 8h, teve início somente às 8h25 porque a fiscal da sala decidiu dar um prazo maior de tolerância. Quando ela mostrou o pacote onde são guardadas as provas, observou que o lacre estava violado”, contaram os candidatos na porta da Central de Polícia. Após a constatação da violação, os candidatos contam que houve uma série de abusos. “Nós pedimos que a coordenadora do local mantivesse o pacote do jeito que foi encontrado para servir de prova, mas ela acabou vi…

Após ser inocentado, Cabo PM mata a esposa e se suicida em Iúna

Pouco mais de quatro meses de ter sido inocentado pela Justiça capixaba, o cabo da Polícia Militar Hamilton Mello de Souza protagonizou uma tragédia em família. Ele matou sua esposa, Simone Mendes de Amorim, a tiros, após uma discussão, e, em seguida, cometeu suicídio, por volta das 18h40 desta sexta-feira (28/09).
A tragédia ocorreu no bairro Nossa Senhora da Penha, na sede do município de Iúna, Espírito Santo, onde o casal residia. De acordo com familiares, o cabo Mello e Simone estariam separados há duas semanas. Na sexta-feira ela teria retornado a sua casa para buscar seus pertences. Foi quando o casal teve nova discussão. O cabo Mello sacou a pistola e matou a mulher e depois se suicidou.
Em maio deste ano, a Justiça havia absolvido o ex-comandante do 14º Batalhão da Polícia Militar do Espírito Santo, o tenente-coronel Wellinton Virgílio Pereira, e os cabos Sandro Magueno e Hamilton Mello, da acusação de suposta extorsão, que teria ocorrido há 15 anos.
Os três, que estavam presos n…

Após ser inocentado, Cabo PM mata a esposa e se suicida em Iúna

Pouco mais de quatro meses de ter sido inocentado pela Justiça capixaba, o cabo da Polícia Militar Hamilton Mello de Souza protagonizou uma tragédia em família. Ele matou sua esposa, Simone Mendes de Amorim, a tiros, após uma discussão, e, em seguida, cometeu suicídio, por volta das 18h40 desta sexta-feira (28/09).
A tragédia ocorreu no bairro Nossa Senhora da Penha, na sede do município de Iúna, Espírito Santo, onde o casal residia. De acordo com familiares, o cabo Mello e Simone estariam separados há duas semanas. Na sexta-feira ela teria retornado a sua casa para buscar seus pertences. Foi quando o casal teve nova discussão. O cabo Mello sacou a pistola e matou a mulher e depois se suicidou.
Em maio deste ano, a Justiça havia absolvido o ex-comandante do 14º Batalhão da Polícia Militar do Espírito Santo, o tenente-coronel Wellinton Virgílio Pereira, e os cabos Sandro Magueno e Hamilton Mello, da acusação de suposta extorsão, que teria ocorrido há 15 anos.
Os três, que estavam pres…

Meninas são baleadas em abordagem da Polícia Militar em São Paulo

Segundo a polícia, meninas foram atingidas por estilhaços. Uma das feridas afirmou que, durante o socorro, um policial disse: "cala a boca filha, isso aí foi só um tirinho de raspão" Duas meninas foram baleadas por policiais militares durante uma abordagem em Campo Limpo, na zona sul de São Paulo, na noite desta quinta-feira (27). Uma garota de 14 anos foi atingida no nariz e deixou o Hospital Campo Limpo no mesmo dia, depois de ser medicada. Outra menor, de 11 anos, foi alvejada no olho e recebeu alta do Hospital das Clínicas na manhã desta sexta-feira. Em depoimento prestado no 47º Distrito Policial (Capão Redondo), os policiais disseram que as garotas foram atingidas acidentalmente por balas de borracha, depois de uma perseguição na região do Jardim Mitsunani. Os PMs contaram que estavam fazendo uma patrulha no local quando avistaram dois homens com comportamento suspeito passando por uma viela, na rua Manoel de Oliveira Martini. Um dos policiais foi à pé ao encontro da dupl…

Meninas são baleadas em abordagem da Polícia Militar em São Paulo

Segundo a polícia, meninas foram atingidas por estilhaços. Uma das feridas afirmou que, durante o socorro, um policial disse: "cala a boca filha, isso aí foi só um tirinho de raspão" Duas meninas foram baleadas por policiais militares durante uma abordagem em Campo Limpo, na zona sul de São Paulo, na noite desta quinta-feira (27). Uma garota de 14 anos foi atingida no nariz e deixou o Hospital Campo Limpo no mesmo dia, depois de ser medicada. Outra menor, de 11 anos, foi alvejada no olho e recebeu alta do Hospital das Clínicas na manhã desta sexta-feira. Em depoimento prestado no 47º Distrito Policial (Capão Redondo), os policiais disseram que as garotas foram atingidas acidentalmente por balas de borracha, depois de uma perseguição na região do Jardim Mitsunani. Os PMs contaram que estavam fazendo uma patrulha no local quando avistaram dois homens com comportamento suspeito passando por uma viela, na rua Manoel de Oliveira Martini. Um dos policiais foi à pé ao encontro da …

O corpo do ex-policial militar Florisvaldo de Oliveira, 53 anos, conhecido como Cabo Bruno, foi enterrado no cemitério Nossa Senhora de Fátima, em Catanduva (SP).

O corpo do ex-policial militar Florisvaldo de Oliveira, 53 anos, conhecido como Cabo Bruno, foi enterrado no cemitério Nossa Senhora de Fátima, em Catanduva (SP), pontualmente às 14 horas desta sexta-feira (28). Centenas de pessoas, entre moradores da cidade, amigos e familiares acompanharam o sepultamento do ex-PM, responsável por episódios que marcaram a história da Polícia Militar paulista na década de 1980. A mãe de Florisvaldo, Josefina Scabin de Oliveira, 87 anos, ficou quase que o tempo todo ao lado do caixão. O corpo chegou ao cemitério de Catanduva por volta da 1h30 da manhã desta sexta. Durante a madrugada fria, poucos amigos e parentes compareceram ao velório. A mulher de cabo Bruno, a pastora e cantora gospel Dayse da Silva Oliveira, chegou à cidade pouco depois das 7 horas. Abatida, ela não falou com a imprensa. A mulher permaneceu ao lado da sogra boa parte do velório e a acompanhou no momento do sepultamento, que reuniu cerca de 200 pessoas, segundo informações da admini…

O corpo do ex-policial militar Florisvaldo de Oliveira, 53 anos, conhecido como Cabo Bruno, foi enterrado no cemitério Nossa Senhora de Fátima, em Catanduva (SP).

O corpo do ex-policial militar Florisvaldo de Oliveira, 53 anos, conhecido como Cabo Bruno, foi enterrado no cemitério Nossa Senhora de Fátima, em Catanduva (SP), pontualmente às 14 horas desta sexta-feira (28). Centenas de pessoas, entre moradores da cidade, amigos e familiares acompanharam o sepultamento do ex-PM, responsável por episódios que marcaram a história da Polícia Militar paulista na década de 1980. A mãe de Florisvaldo, Josefina Scabin de Oliveira, 87 anos, ficou quase que o tempo todo ao lado do caixão. O corpo chegou ao cemitério de Catanduva por volta da 1h30 da manhã desta sexta. Durante a madrugada fria, poucos amigos e parentes compareceram ao velório. A mulher de cabo Bruno, a pastora e cantora gospel Dayse da Silva Oliveira, chegou à cidade pouco depois das 7 horas. Abatida, ela não falou com a imprensa. A mulher permaneceu ao lado da sogra boa parte do velório e a acompanhou no momento do sepultamento, que reuniu cerca de 200 pessoas, segundo informações da admi…

Policial Militar que atropelou e matou duas pessoas estaria embriagado

Policial estava com a carteira de habilitação vencida há cerca de cinco anos. Suspeito disse ter bebido duas garrafas de cerveja antes do acidente. O soldado da Polícia Militar acusado de atropelar e matar duas pessoas na última sexta-feira (21) estava com a carteira de habilitação vencida há cerca de cinco anos e com níveis de álcool acima do permitido, segundo o delegado responsável pelo caso, Sebastião Cabral. O suspeito afirmou, no depoimento ocorrido nesta manhã no 9º Distrito Policial (São Francisco), que bebeu duas garrafas de cerveja em um bar na Ponta D’ Areia antes de pegar a direção. Ele também declarou que a velocidade do carro, que seria de seu cunhado, estava em cerca de 80km/h no momento do acidente. A informação é contestada pela investigação: “Olhamos imagens e estimamos que o carro andava a mais de 100km/h”, disse Sebastião Cabral. As vítimas, uma mulher de 30 anos e um homem de 29, eram primos. Familiares e amigos ficaram a manhã toda em frente ao 9º DP. “O policial tem…

Policial Militar que atropelou e matou duas pessoas estaria embriagado

Policial estava com a carteira de habilitação vencida há cerca de cinco anos. Suspeito disse ter bebido duas garrafas de cerveja antes do acidente. O soldado da Polícia Militar acusado de atropelar e matar duas pessoas na última sexta-feira (21) estava com a carteira de habilitação vencida há cerca de cinco anos e com níveis de álcool acima do permitido, segundo o delegado responsável pelo caso, Sebastião Cabral. O suspeito afirmou, no depoimento ocorrido nesta manhã no 9º Distrito Policial (São Francisco), que bebeu duas garrafas de cerveja em um bar na Ponta D’ Areia antes de pegar a direção. Ele também declarou que a velocidade do carro, que seria de seu cunhado, estava em cerca de 80km/h no momento do acidente. A informação é contestada pela investigação: “Olhamos imagens e estimamos que o carro andava a mais de 100km/h”, disse Sebastião Cabral. As vítimas, uma mulher de 30 anos e um homem de 29, eram primos. Familiares e amigos ficaram a manhã toda em frente ao 9º DP. “O policia…

Polícia confirma sociedade entre o traficante Papito, Marcola e Beira-Mar

Homem foi preso no Paraná e deve chegar nesta sexta-feira a SC. Outras 11 pessoas foram presas na Operação Pequeno Príncipe.  O traficante Rui Moraes Vieira, conhecido como Papito, deve sair de Foz do Iguaçu, no Paraná, por volta das 13h desta sexta-feira (28). O repórter da RBS TV Naim Campos viajou com o grupo e acompanha a ação policial. O preso embarcou por uma área restrita do aeroporto, e estava acompanhado da ex-mulher e de quatro policiais. A previsão é que o grupo chegue no final da tarde ao aeroporto Hercílio Luz em Florianópolis. Ele foi preso na quarta-feira (26), durante a Operação Pequeno Príncipe, comandada pela Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) de Santa Catarina. De acordo com a Deic, ele morava em uma mansão no Paraguai e a prisão foi em um shopping da cidade, em uma das raras vezes que ele cruzava a fronteira. Papito estava com Lilia, que também foi presa. Na quinta-feira (27), uma equipe da Deic viajou ao Paraná para transferir o preso a Santa Catarina…

Polícia confirma sociedade entre o traficante Papito, Marcola e Beira-Mar

Homem foi preso no Paraná e deve chegar nesta sexta-feira a SC. Outras 11 pessoas foram presas na Operação Pequeno Príncipe.  O traficante Rui Moraes Vieira, conhecido como Papito, deve sair de Foz do Iguaçu, no Paraná, por volta das 13h desta sexta-feira (28). O repórter da RBS TV Naim Campos viajou com o grupo e acompanha a ação policial. O preso embarcou por uma área restrita do aeroporto, e estava acompanhado da ex-mulher e de quatro policiais. A previsão é que o grupo chegue no final da tarde ao aeroporto Hercílio Luz em Florianópolis. Ele foi preso na quarta-feira (26), durante a Operação Pequeno Príncipe, comandada pela Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) de Santa Catarina. De acordo com a Deic, ele morava em uma mansão no Paraguai e a prisão foi em um shopping da cidade, em uma das raras vezes que ele cruzava a fronteira. Papito estava com Lilia, que também foi presa. Na quinta-feira (27), uma equipe da Deic viajou ao Paraná para transferir o preso a Santa Ca…

Polícia prende grupo suspeito de aplicar golpe do 'bença tia', em Goiás

Por telefone, eles se passavam por familiares das vítimas e pediam dinheiro. Quadrilha foi presa após vítima fazer denúncia à polícia, em Aparecida. A Polícia Civil apresentou na noite da quinta-feira (27), em Aparecida de Goiânia, quatro suspeitos de integrar uma quadrilha que aplicava o golpe conhecido como “bença tia”. Através de uma ligação de um telefone celular, eles se passavam por familiares das vítimas e pediam dinheiro para saírem de falsas situações de emergência, como sequestro ou acidente de trânsito. Segundo o delegado Carlos Eduardo Chaves Galleita, dois dos suspeitos comandavam o esquema de dentro do presídio e repassavam as coordenadas aos restantes. Eles foram descobertos depois que uma das vítimas depositou R$ 900 para que o suposto sobrinho pagasse um guincho. No entanto, a conta onde o dinheiro foi depositado era de uma joalheria. O dono do estabelecimento também foi vítima, de acordo com a polícia. Um dos criminosos foi à loja comprar alianças e, usando como comprov…

Polícia prende grupo suspeito de aplicar golpe do 'bença tia', em Goiás

Por telefone, eles se passavam por familiares das vítimas e pediam dinheiro. Quadrilha foi presa após vítima fazer denúncia à polícia, em Aparecida. A Polícia Civil apresentou na noite da quinta-feira (27), em Aparecida de Goiânia, quatro suspeitos de integrar uma quadrilha que aplicava o golpe conhecido como “bença tia”. Através de uma ligação de um telefone celular, eles se passavam por familiares das vítimas e pediam dinheiro para saírem de falsas situações de emergência, como sequestro ou acidente de trânsito. Segundo o delegado Carlos Eduardo Chaves Galleita, dois dos suspeitos comandavam o esquema de dentro do presídio e repassavam as coordenadas aos restantes. Eles foram descobertos depois que uma das vítimas depositou R$ 900 para que o suposto sobrinho pagasse um guincho. No entanto, a conta onde o dinheiro foi depositado era de uma joalheria. O dono do estabelecimento também foi vítima, de acordo com a polícia. Um dos criminosos foi à loja comprar alianças e, usando como com…

PM baleado em tiroteio morre em hospital da Zona Sul de SP

Atingido no tórax e na barriga, cabo chegou a ser encaminhado a hospital. Suspeito também foi baleado e morreu no Jabaquara. Um dos policiais baleados no fim da tarde no Jabaquara, bairro da Zona Sul de São Paulo, morreu na noite desta sexta-feira (28). Segundo a Polícia Militar, um criminoso armado com uma pistola .40 também foi morto no tiroteio. O cabo Antônio José de Farias, de 47 anos, estava de folga com um colega de corporação e o filho quando a troca de tiros começou, na Rua Belfort Duarte. Ao menos dois suspeitos fugiram em uma moto e em um carro. Atingido no tórax e na barriga, o cabo Farias foi encaminhado para o Hospital Nossa Senhora de Lourdes, onde passou por cirurgia e morreu. Segundo a PM, ele estava havia 25 anos na corporação. Inicialmente, a assessoria da PM informara que, apesar dos ferimentos, ele não corria risco de morte. O outro policial foi baleado no pescoço, mas passa bem, segundo a corporação. O filho do cabo levou um tiro de raspão no rosto, foi encaminhado ao…

PM baleado em tiroteio morre em hospital da Zona Sul de SP

Atingido no tórax e na barriga, cabo chegou a ser encaminhado a hospital. Suspeito também foi baleado e morreu no Jabaquara. Um dos policiais baleados no fim da tarde no Jabaquara, bairro da Zona Sul de São Paulo, morreu na noite desta sexta-feira (28). Segundo a Polícia Militar, um criminoso armado com uma pistola .40 também foi morto no tiroteio. O cabo Antônio José de Farias, de 47 anos, estava de folga com um colega de corporação e o filho quando a troca de tiros começou, na Rua Belfort Duarte. Ao menos dois suspeitos fugiram em uma moto e em um carro. Atingido no tórax e na barriga, o cabo Farias foi encaminhado para o Hospital Nossa Senhora de Lourdes, onde passou por cirurgia e morreu. Segundo a PM, ele estava havia 25 anos na corporação. Inicialmente, a assessoria da PM informara que, apesar dos ferimentos, ele não corria risco de morte. O outro policial foi baleado no pescoço, mas passa bem, segundo a corporação. O filho do cabo levou um tiro de raspão no rosto, foi encaminh…

Defesa estuda pedir suspensão de júri dos réus do caso do Carandiru

Vinte e oito dos 79 réus serão julgados em 2013 por 111 mortes em 1992.
Defesa alega que juiz de SP tem de marcar datas do júri dos demais réus.
A defesa dos policiais militares, réus no processo do caso do massacre do Carandiru, informou nesta sexta-feira (28) que estuda pedir à Justiça a suspensão do julgamento dos acusados de matar os presos da Casa de Detenção marcado para 28 de janeiro de 2013. De acordo com a advogada Ieda Ribeiro de Souza, ela recebeu com “perplexidade” a decisão do juiz José Augusto Nardy Marzagão em designar a data do júri popular somente para 28 dos 79 réus que ela defende no processo de homicídio. No total, 111 detentos foram mortos no dia 2 de outubro de 1992, quando a Polícia Militar entrou no complexo para conter uma rebelião.
A advogada Ieda de Souza analisa a possibilidade de impetrar dois recursos no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) pedindo para os desembargadores suspenderem o júri popular enquanto o juiz do caso não marcar as datas dos julgamen…

Defesa estuda pedir suspensão de júri dos réus do caso do Carandiru

Vinte e oito dos 79 réus serão julgados em 2013 por 111 mortes em 1992.
Defesa alega que juiz de SP tem de marcar datas do júri dos demais réus.
A defesa dos policiais militares, réus no processo do caso do massacre do Carandiru, informou nesta sexta-feira (28) que estuda pedir à Justiça a suspensão do julgamento dos acusados de matar os presos da Casa de Detenção marcado para 28 de janeiro de 2013. De acordo com a advogada Ieda Ribeiro de Souza, ela recebeu com “perplexidade” a decisão do juiz José Augusto Nardy Marzagão em designar a data do júri popular somente para 28 dos 79 réus que ela defende no processo de homicídio. No total, 111 detentos foram mortos no dia 2 de outubro de 1992, quando a Polícia Militar entrou no complexo para conter uma rebelião.
A advogada Ieda de Souza analisa a possibilidade de impetrar dois recursos no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) pedindo para os desembargadores suspenderem o júri popular enquanto o juiz do caso não marcar as datas dos julga…

Esclarecimentos sobre a ação da Associação dos Cabos e Soldados da PMESP

Senhores Policiais Militares:
Tendo em vista que está sendo divulgado entre o efetivo das unidades que a ação coletiva promovida pela Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar, a qual beneficia com o recálculo dos adicionais temporais e da sexta parte seus associados, o CIAF, com o interesse de esclarecer alguns dos questionamentos sobre essa ação e evitar com que notícias desprovidas de fundamento jurídico e legal causem inquietação, e, em respeito a você que faz, com o seu trabalho, a grandeza do nome da nossa Corporação, esclarece, para amplo conhecimento os pontos abaixo relacionados:
1. Do que se trata a ação? Trata-se do recálculo dos adicionais temporais (quinquênios) e da sexta parte para que esses incidam sobre todas as vantagens permanentes e habituais dos policiais militares, tais como o adicional de local de exercício e a insalubridade, e não somente sobre as vantagens elencadas na Lei Complementar nº 731/93, ou seja, o RETP e a gratificação “pro-labore” das funções d…

Esclarecimentos sobre a ação da Associação dos Cabos e Soldados da PMESP

Senhores Policiais Militares:
Tendo em vista que está sendo divulgado entre o efetivo das unidades que a ação coletiva promovida pela Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar, a qual beneficia com o recálculo dos adicionais temporais e da sexta parte seus associados, o CIAF, com o interesse de esclarecer alguns dos questionamentos sobre essa ação e evitar com que notícias desprovidas de fundamento jurídico e legal causem inquietação, e, em respeito a você que faz, com o seu trabalho, a grandeza do nome da nossa Corporação, esclarece, para amplo conhecimento os pontos abaixo relacionados:
1. Do que se trata a ação? Trata-se do recálculo dos adicionais temporais (quinquênios) e da sexta parte para que esses incidam sobre todas as vantagens permanentes e habituais dos policiais militares, tais como o adicional de local de exercício e a insalubridade, e não somente sobre as vantagens elencadas na Lei Complementar nº 731/93, ou seja, o RETP e a gratificação “pro-labore” das funçõe…

Dilma sanciona lei que torna crime a formação de milícias

Não havia previsão criminal para ações de milícia ou grupo de extermínio.
Se homicídio for cometido por miliciano, a pena pode ser aumentada em 1/3. A  lei que torna crime a formação de milícias e ou de grupos extermínio foi publicada na edição do Diário Oficial desta sexta-feira (28). A presidente Dilma Rousseff sancionou lei que altera o artigo do Código Penal, que é de 1940.
Não havia previsão para a prática de crimes cometidos pelas milícias; os integrantes dos grupos só eram punidos se cometessem outros crimes, como homicídio e extorsão. Dentre as práticas consideradas crimes estão constituir, organizar, integrar, manter ou custear organização paramilitar, milícia particular, grupo ou esquadrão. A pena prevista é de 4 a 8 anos de reclusão.
De acordo com a nova lei, se um crime como homicídio for cometido por um miliciano ou integrante de grupo de extermínio sob o pretexto de segurança, a pena pode ser aumentada de 1/3 até a metade.
Na maioria das vezes, milicianos são agentes de segura…

Dilma sanciona lei que torna crime a formação de milícias

Não havia previsão criminal para ações de milícia ou grupo de extermínio.
Se homicídio for cometido por miliciano, a pena pode ser aumentada em 1/3. A  lei que torna crime a formação de milícias e ou de grupos extermínio foi publicada na edição do Diário Oficial desta sexta-feira (28). A presidente Dilma Rousseff sancionou lei que altera o artigo do Código Penal, que é de 1940.
Não havia previsão para a prática de crimes cometidos pelas milícias; os integrantes dos grupos só eram punidos se cometessem outros crimes, como homicídio e extorsão. Dentre as práticas consideradas crimes estão constituir, organizar, integrar, manter ou custear organização paramilitar, milícia particular, grupo ou esquadrão. A pena prevista é de 4 a 8 anos de reclusão.
De acordo com a nova lei, se um crime como homicídio for cometido por um miliciano ou integrante de grupo de extermínio sob o pretexto de segurança, a pena pode ser aumentada de 1/3 até a metade.
Na maioria das vezes, milicianos são agentes de seg…

PM morre com disparo acidental durante treinamento

Um cabo da Polícia Militar (PM) morreu, na manhã da última quarta-feira (26), após um tiro acidental atingir sua cabeça durante um treinamento na Base da Força Aérea, em Cumbica, bairro de Guarulhos, na Grande São Paulo. O soldado que efetuou o disparo entrou em estado de choque e precisou ser socorrido no Hospital da PM. O cabo Marcos Paulo Kneubauhl Cruz, do 43º Batalhão, na zona norte da capital, recebeu o tiro em meio a uma aula de instrução de tiro. Ele ainda foi socorrido no Hospital Geral de Guarulhos, mas não resistiu ao ferimento. De acordo com a PM, Cruz tinha 36 anos, era casado e estava há 16 anos na corporação. O soldado que fez o disparo tem 19 anos. A PM informou que instaurou um Inquérito Policial Militar para apurar as circunstâncias da morte. (A Tarde)

PM morre com disparo acidental durante treinamento

Um cabo da Polícia Militar (PM) morreu, na manhã da última quarta-feira (26), após um tiro acidental atingir sua cabeça durante um treinamento na Base da Força Aérea, em Cumbica, bairro de Guarulhos, na Grande São Paulo. O soldado que efetuou o disparo entrou em estado de choque e precisou ser socorrido no Hospital da PM. O cabo Marcos Paulo Kneubauhl Cruz, do 43º Batalhão, na zona norte da capital, recebeu o tiro em meio a uma aula de instrução de tiro. Ele ainda foi socorrido no Hospital Geral de Guarulhos, mas não resistiu ao ferimento. De acordo com a PM, Cruz tinha 36 anos, era casado e estava há 16 anos na corporação. O soldado que fez o disparo tem 19 anos. A PM informou que instaurou um Inquérito Policial Militar para apurar as circunstâncias da morte. (A Tarde)

PCC é suspeito de morte do ex-PM justiceiro

A polícia captou em grampo telefônico que haveria uma grande ação na região de Pindamonhangaba Uma interceptação telefônica oficial registrou contatos de bandidos  planejando uma grande ação criminosa em Pindamonhangaba, no interior. Horas depois, o ex-policial militar Florisvaldo de Oliveira, conhecido como Cabo Bruno, de 53 anos, foi executado na noite de quarta-feira, na cidade. Famoso por liderar o chamado Esquadrão da Morte (grupo acusado de matar pelo menos 50 pessoas na década de 1980), Florisvaldo saiu da Penitenciária 2 de Tremembé havia apenas 35 dias, depois de cumprir 27 anos de  pena. No sistema carcerário houve comemorações e a principal hipótese sobre a motivação é uma  vingança orquestrada pelo crime organizado. De acordo com a Polícia Militar, Florisvaldo de Oliveira voltava  para casa, na Rua Álvaro Leme Celidônio, no bairro Quadra Coberta. Por volta das 23h, dois criminosos se aproximaram, cada um  por um lado da rua. Os matadores começaram a atirar no ex-PM, que foi …

PCC é suspeito de morte do ex-PM justiceiro

A polícia captou em grampo telefônico que haveria uma grande ação na região de Pindamonhangaba Uma interceptação telefônica oficial registrou contatos de bandidos  planejando uma grande ação criminosa em Pindamonhangaba, no interior. Horas depois, o ex-policial militar Florisvaldo de Oliveira, conhecido como Cabo Bruno, de 53 anos, foi executado na noite de quarta-feira, na cidade. Famoso por liderar o chamado Esquadrão da Morte (grupo acusado de matar pelo menos 50 pessoas na década de 1980), Florisvaldo saiu da Penitenciária 2 de Tremembé havia apenas 35 dias, depois de cumprir 27 anos de  pena. No sistema carcerário houve comemorações e a principal hipótese sobre a motivação é uma  vingança orquestrada pelo crime organizado. De acordo com a Polícia Militar, Florisvaldo de Oliveira voltava  para casa, na Rua Álvaro Leme Celidônio, no bairro Quadra Coberta. Por volta das 23h, dois criminosos se aproximaram, cada um  por um lado da rua. Os matadores começaram a atirar no ex-PM, que fo…

Total de visualizações de página